História Hey, Daddy! - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias Got7, TWICE
Personagens Dahyun, JB
Tags Daddy Kink, Dahyun, Got7, Jaebum, Kpop, Romance, Sadomasoquismo, Twice
Visualizações 204
Palavras 1.196
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 26 - The Baby Wants To Play


Fanfic / Fanfiction Hey, Daddy! - Capítulo 26 - The Baby Wants To Play

— Minha vez de se divertir com você daddy...

Retirei a boxer de Jaebum e fiz questão de fazê-lo lentamente, provocando-o. Comecei a beijar seu pescoço e deixar mordidas por ali, fazendo Jaebum suspirar. Ele não se faria de fácil, sabia daquilo completamente. Seria difícil fazê-lo gemer. Jaebum sentou-se na cama, totalmente nu. Aquela imagem me fazia gozar em questão de segundos. Segurei o membro de Jaebum em minhas mãos e aproximei minha boca do mesmo.

Jaebum segurou minha cabeça, impedindo-me de aproximar-me de seu membro.

— Já fez isso antes baby? – Perguntou preocupado. Neguei com a cabeça, deixando um sorriso malicioso escapar em seguida.

— Tenho alguns pirulitos guardados na geladeira, andei treinando. – Pisquei meu olho direito para Jaebum que corou levemente. – Está muito vergonhoso hoje daddy... – Falei passando meu dedo na glande de seu membro, provocando Jaebum.

— N-não me provoque agora Dahyun... – Quase deixou um gemido escapar.

Sorri com satisfação e coloquei minha boca em volta de sua glande, chupando levemente a mesma. Ouvi um arfar escapar dos lábios de Jaebum, levantei o olhar para ele que tinha a boca um pouco entreaberta.

— Gosta disso, daddy? – Perguntei repetindo a ação. Ele assentiu com as bochechas ficando vermelhas. – Por que está tão tímido hoje daddy?

— Você me muda... – Suspirou acariciando meus cabelos, sorri fraco. 

— Interessante... – Falei ainda provocando-lhe em apenas chupar sua glande. – Como eu te mudo, daddy? Estou curiosa... – Disse antes de abocanhar seu membro por inteiro, arrancando um gemido rouco e surpreso de Jaebum.

— V-você... é diferente. – Disse sendo interrompido por alguns gemidos. – Você m-me f-faz ser diferente... s-seu sorriso... s-sua voz... porra Dahyun! – Disse ao sentir seu membro bater no fundo da minha garganta, o que era meio complicado para mim. – V-você é diferente de t-todas... eu t-te amo de v-verdade Kim Dahyun... – Afundou os dedos por entre meus cabelos.

Aquela cena fofa não combinava com aquele momento pornográfico, mas não deixava de me tocar um pouco. Fiz movimentos de vai e vem com minha boca, escutando gemidos prazerosos de Jaebum que satisfaziam-me. Senti seu pré-gozo escorrer pelas laterais se seu membro, retirei minha boca lentamente de seu membro, vendo a minha saliva fazê-lo ficar brilhante. Eca. Acariciei sua glande com meus lábios, chupando levemente.

— Quer me deixar louco, não é? – Perguntei com dificuldade graças aos gemidos que escapavam de sua boca.

— Você já é... – Pisquei o olho direito pra ele e voltei a abocanhar seu membro.

Fiquei naquilo de "vai e vem" com a boca, até que sentisse seu gozo em minha boca, sem ter outra opção a não ser engolir. Era meio azedo. Credo. Me afastei limpando o canto de minha boca, vento Jaebum me encarando maravilhado.

— O que foi daddy? – Perguntei, JB levou sua mão direita até meus cabelos, puxando-os levemente. Soltei um gemido surpreso, sendo posta de quatro por Jaebum. – O que vai fazer, Jaebum? – Recebi um tapa fraco em minha nádega direita, esqueci de chamá-lo de daddy. – Daddy!

— Quer saber o que vou fazer? – Perguntou puxando o lóbulo da minha orelha pra trás. Mordi os lábios levemente. – Eu vou te foder até você não lembrar mais seu nome... – Deixou um beijo em minha bochecha e eu ouvi o barulho de um pote ser aberto.

— Daddy? – Chamei por ele que passou as mãos por meus ombros. – O que vai fazer?

— Já não disse? – Perguntou com deboche. – Pode ser meio estranho no começo, ok? – Assenti confusa com o que ele faria.

Senti um líquido frio escorrer pela minha entrada traseira, fazendo meu corpo inteiro se arrepiar, fazendo-me soltar um gemido pela sensação. Sem avisar-me, Jaebum penetrou um dedo em minha entrada, fazendo-me arquear as costas pra frente.

— Ah... dói. – Falei baixo, porém, para que Jaebum escutasse.

— Já passa... – Beijou minhas costas nuas.

Jaebum tinha um dedo parado dentro de mim, estava impacientemente irritada por ele não movimentar o dedo. Mexi pouco Mei quadril, Jaebum logo entendeu o recado, dando estocadas com seu dedo. Puxei o tecido do edredom por entre meus dedos, uma das mãos de Jaebum posicionaram em minha cintura.

— Ah... daddy! – Gemi mordendo meus lábios, senti minha intimidade pulsar.

— Posso? – Perguntou forçando minha entrada com o segundo dedo.

Mordi os lábios assentindo, meio hesitante. Jaebum demorou um pouco até inserir o segundo dedo, devia estar preocupado com a sensação que sentiria. Assim que senti o segundo dedo de Jaebum, senti minhas paredes apertarem-se em volta de seus dedos.

— Dói... – Falei gemendo com dor. Jaebum fez movimento de tesoura com os dedos dentro de mim. – Dói muito... – Senti o canto de meus olhos ficarem úmidos graças as lágrimas que ameaçavam a escapar.

— Confia em mim? – Perguntou, assenti ainda sentindo aquela sensação de dor. – Vai passar, prometo. – Beijou minhas nádegas, o que me fez ascender mais do que já estava acesa.

— Ah... tô sentindo... – Falei sentindo o prazer substituir a dor, ainda sentia-a, mas muito pouco. – Céus! – Foi a única coisa que consegui dizer quando Jaebum começou a estocar seus dedos fundo em mim, sentindo minhas paredes praticamente esmagarem seus dedos. – Daddy!

— Caralho Dahyun... – Retirou seus dedos de mim bruscamente, fazendo-me soltar um gemido de surpresa.

Direcionou seu membro até minha entrada, onde senti forçar a mesma. Jaebum foi entrando lentamente seu membro.

— Enfia logo de uma vez! – Gritei, logo gritando mais uma vez quando senti Jaebum entrando com tudo dentro de mim. – Ah...

Mordi os lábios, estava ardendo demais. Jaebum deixou que me acostumasse com seu membro dentro de mim por um tempo, mas logo começou a mover seu quadril pra frente e pra trás com lentidão. Com o tempo, já estava me acostumando com a dor. Jaebum acelerou os movimentos, fazendo com que escutasse o barulho de nossas peles se colidirem com força. Soltei um gemido ao sentir Jaebum tirar seu membro bruscamente de mim, voltando a empurrá-lo com força e fundamente.

— Droga... – Sussurrei entre gemidos manhosos que escapavam por meus lábios. Jaebum acertou uma parte sensível em mim, fazendo-me gritar e revirar os olhos por prazer. – Daddy!

— É aqui? – Perguntou acertando aquele ponto mais uma vez, assenti várias vezes com a cabeça. – Perfeito...

Continuou a atingir aquele ponto mais algumas vezes, fazendo-me gemer muito alto. Jaebum retirou seu membro de mim, para empurrá-lo novamente. Porém virei-me pra ele e o empurrei na cama, onde ele acabou caindo deitado. Segurei na base de seu membro, sentando-me sem ele esperar se preparar, causando de gemidos de ambas as partes.

— Baby... – Levou as mãos até minhas coxas, apertando-as com força. Subiu suas mãos para minhas cinturas, levantando-me levemente e soltando-me. – Você quer me matar, não é? – Gemi em resposta.

Comecei a rebolar em seu membro, tendo como resposta suas mãos apertando a carne de minhas nádegas, onde deixou um tapa em cada. Gemi alto, movendo-me pra cima e pra baixo, cavalgando sobre si.

Não demorou muito e logo atingi meu ápice, e JB alguns segundos após. Jaebum sentou-se na cama, colando seu corpo ao meu. Deitou sua cabeça em meu ombro, deixando alguns beijinhos por ali.

— Não sinto meu– hmmn... – Minha fala foi interrompida por um gemido, causado pelo fato de Jaebum me jogar na cama e voltar a fazer movimentos. – O-o que? A-ainda não terminou?

— Disse que iria te foder até não lembrar mais do seu nome. – Piscou o olho direito pra mim com um sorriso safado nos lábios.

Aquela noite seria longa...


Notas Finais


Demorei?
Tava é com vergonha de postar :')
Mei hot é uma bosta, relevem!

Dahyun tem um efeito diferente no Jaebum.
Ele ama ela de verdade.
Ou....



Será que não?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...