História Hey, Lolita - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Baby!jimin, Crossdresser, Daddy Kink, Daddy X Baby, Daddy!jungkook, Jikook, Kookmin, Mpreg, Pwp, Short Fic, Side Vhope
Visualizações 634
Palavras 2.028
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 5 - Oficialmente, Daddy Jeon


Taehyung quase não acreditou quando entrou em seu apartamento e viu tudo cheirosinho e arrumado. Ele não acreditava menos ainda que Jimin estava vestindo uma roupa considerado normal, sem ser muito fofo ou feminino demais. Ele estava todo de reto dos pés a cabeça e seu cabelo jogado para trás, enquanto lia um papel.

— Nossa, aqui é minha casa de verdade? — ele perguntou, jogando-se no sofá. — O que você tem?

— Eu tenho nada por quê? — Jimin respondeu calmo.

— Por que a casa está arruma?

— Ah, foi um teste.

— Que teste?

— Com Jungkook.

— Que Jungkook? Aquele idiota rico da faculdade?

— Exatamente!

— Você está falando com ele?

— É. Falando, falando não. Só trocando umas ideias.

— E precisava trazer aqui?

— Eu queria saber até que ponto ele se sujeitaria para me pegar.

— Ah… Entendi. — Taehyung deu risada. — Agora explica do começo.

— Ele veio com um papo de que queria que eu fosse o sugar baby dele e ele meu daddy. Ele falou que ia me ajudar financeiramente, ia me dar um lugar para morar e essas coisas idiotas, né? Depois eu conversei com ele uma na casa dele e outra na faculdade e ele estava disposto a fazer qualquer coisa mesmo por mim. Aí pensei, até onde essa donzela ia por mim e trouxe ele para arrumar a casa comigo.

— Ele arrumou.

— Dentro do possível.

— Claro, ele não deve ter limpado nem o próprio prato que ele comeu na vida. — Taehyung rolou os olhos. — E o que é isso?

— É o contrato que ele me deu para assinar caso aceite ser o baby dele.

— Posso ver? — Jimin um pouco receoso, deu o papel na mão no amigo que começou a ler.

As caras que ele fazia não eram lá essas coisas e Jimin já sabia que Taehyung iria reprovar o ato, já que nenhum deles gostava de Jungkook. Quer dizer, dois e meio, já que Jimin agora nem gostava e nem desgostava do playboy riquinho e idiota.

— Ele é tão imbecil que olha as regras: Park Jimin terá que ser exclusivamente de Jeon Jungkook e não poderá se envolver com outro rapaz enquanto estiver como Sugar Baby do mesmo. — Taehyung falou e Jimin deu risada.

— Garotas podem então, né? — Jimin brincou.

Segundo Fará tudo o que seu daddy quiser, pois o prazer dele é mais importante; Terceiro: Se sair sem a companhia de Jeon Jungkook, terá que informá-lo com antecedência e só poderá sair se o mesmo permitir. Taehyung sorriu debochado. — Jimin, você realmente está pensando em ser Sugar Baby de um garoto idiota como o Jungkook? Sério, aquele menino não presta de jeito nenhum. Ok, ele é rico e lindo, só que não vale a pena se sujeitar a isso, né? Hoseok e eu ainda temos como manter essa casa até você achar um emprego digno. Você não precisar de a boneca inflável de Jungkook por dinheiro.

— Eu sei, mas quem vai me dar aquela bolsa da Valentino que vivo namorando, hein? — ele se questionou. — Acho que três meses sendo baby dele, não seria tão ruim. Ele que me ajudou a arrumar a casa hoje, quer dizer, mais atrapalhou que ajudou, só que ele não deve ser de tão mal assim.

— Isso que é vontade de te comer mesmo.

— Ao contrário.

— Não entendi.

— Eu que vou comer ele.

— Mas o quê?

— Ele disse que tem fetiches com caras vestindo roupas femininas e transando com ele.

— Mas não é ele que fica se gabando na faculdade que é o maior fodedor de cus do campus?

— Ele fica?

— Fica.

— Ai que engraçado. — Jimin gargalhou. — Ele é muito idiota mesmo e… Ele é idiota, só que é fofo. O que eu faço?

— Ele é mais idiota ou mais fofo?

— Idiota, com certeza.

— Então se afasta ou ele vai acabar quebrando seu coração. Eu conheço você Jimin, você vai se apegar nele e vai acabar se apaixonado. Jungkook só te vê como a personificação dos desejos dele, mas desejos mudam a partir do tempo. Daqui a pouco, ele não vai mais gostar de ser fodido por um homem de salto e vai te largar. É isso que esses babacas fazem. Ele é filho de empresários e foi criado nesse meio, então ele sabe agir friamente e como se beneficiar.

— Ele arrumou um emprego da Big Hit de secretário dele.

— Para ficar mais fácil de transar contigo. — Taehyung voltou a olhar para o contrato, procurando alguma coisa para incriminar Jungkook. — Olha aqui: O contrato tem validade depois de um ano e após sua assinatura. E O SUGAR BABY NÃO DEVERÁ SE APAIXONAR PELO SEU SUGAR DADDY! — ele quase gritou a última frase.

— Esse último não é tão difícil. — Jimin deu uma risada. — Dependendo de quanto tirar dele, dá para comprar minha bolsa e deixar você e Hoseok sozinhos de novo rapidamente.

— Ele está te tratando como um prostituto.

— Pensei que Sugar Baby era um nome gourmetizado de prostituto. — Jimin deu de ombros. — Eu não estou entrando nisso achando que é romântico e que estou apaixonado por Jungkook, ok? Não estou tendo sonhos dessas menininhas de quinze anos que sonham ter um daddy e acha que eles vão se apaixonar por elas. Eu estou bem longe de estar apaixonado por Jungkook e Jungkook por mim. Eu só preciso de dinheiro e ele tem um fetiche que eu posso suprir. Não seria nada mal comer o playboy da escola que se diz o fodedor de tudo.

— Você que sabe. — Taehyung deixou de mão. — O pau é seu e a vida também. Só que vou jogar na cara quando ele quebrar seu coração, ok?

— Eu sei que vai.

— Vou dizer: Avisei, mas foi burro e quis confiar nele! — Taehyung levantou-se do sofá. — Deveria mudar esse contrato e pedir para ele ser seu empregado e não seu daddy.

Taehyung saiu em direção ao seu quarto, deixando Jimin na sala, olhando para o contrato sem saber o que fazer.

* * *

Jungkook foi correndo até uma árvore, onde Jimin tinha mandado uma mensagem dizendo que estaria ali o esperando. O jovem estava bem confiante que Jimin já tinha assinado o contrato e ele poderia ser finalmente o Daddy Jeon para seu Baby Park.

— Por que depois que eu te elogiei vestindo roupas femininas, você só se veste com essas roupas masculinas? — ele já chegou, jogando a pergunta para Jimin.

— Roupas são roupas, Jeon, eu já te disse. Quantas meninas vem só de moletom e maquiadas? Eu estou lindamente maquiado hoje.

— Não posso negar. — Jungkook passou a língua entre os lábios. — E aí, assinou?

— Você não acha que está muito ansioso para eu assinar esse contrato?

— Sim, eu estou. — Jungkook suspirou. — Eu gosto de ser direto ao ponto, entendeu?

— Eu não sei se quero assinar. — Jimin disse, deixando Jungkook perplexo. — Tem umas negras nada a ver. Tipo, eu sempre preciso estar montado para sair com você? E se um dia quiser sair de chinelo da rua contigo, eu vou ser punido? Não se apaixonar? Um ano de exclusividade?

— Olha, não vai ser sempre que a gente vai sair, então eu não acha nada de mais, já que você vai ser meu secretário e eu vou te ver com roupas “masculinas” todos os dias. O que tem não se apaixonar? Você pretende ser apaixonar por mim?

— Na verdade não. Só que isso e um ano de exclusividade seu tem uma muito cara e se do nada eu não quiser mais?

— Eu vou te dar tudo o que quer e você está reclamando de um ano ser só meu? Eu não vejo nada demais. Você está falando como se a gente fosse transar todos os dias sem parar nesse um ano, né? Não quero ficar assado!

— E se você for ruim na cama?

— Eu sou ótimo na cama, tá bom? — ele se gabou. — Eu não reclamaria da gente fazer um teste drive antes, que tal?

— Não sei.

— Ah, Jimin, cansei. Não quero mais, ok? Não tem dificuldade nenhuma e você está encontrando dificuldade até na vírgula que eu pus nesse contrato. Não é para ser um relacionamento amoro, é só você ser meu amigo e a gente transar. Não tem dificuldade, tem?

— Não.

— Então porque você está achando?

— É que eu não confio em você. — ele deu de ombros. — Você me diz uma coisa, porém fica falando que é o maior fodedor da universidade?

— Status. Já viu alguém que dá ser respeitado?

— Você me faz querer te bater!

— Eu não tenho a autoconfiança que vocês tem de sair falando “Dou muito mesmo” e se vestir do jeito que se vestem. Eu tenho que zelar a reputação da minha família, né? Imagina que escândalo seria descobrir que o filho mais novo do dono da Big Hit é um gay passivo que gosta de homens vestido de mulheres.

— Você sabe que me dizendo essas coisas, você me dá um aval para te ameaçar, né?

— É, só que, diferente de você, eu confio na sua palavra, tá bom?

— Jungkook… Ah, ok! — ele exclamou, pegando o contrato de dentro da sua mochila, assinando o contrato. — Se fizer algo contra mim, eu juro que te exponho para todos, ok?

— EU NÃO ACREDITO! — Jungkook pegou o contrato assinando. — Quer dizer que eu sou oficialmente se daddy. Nós precisamos comemorar isso!

— Comemorar? — Jimin arregalou os olhos. — C-como? Mas já tá assim já quer transar comigo?

— E a gente vai fazer o que então? — Jungkook colocou o contrato com raiva na sua boca. — Você para de cu doce, o passivo sou eu e eu não faço isso! Na verdade, meu cu só vai ser doce se você quiser usar leite condensado no sexo.

— Por que você me faz imaginar essas coisas?

— Eu sou mestre em estragar a vida da pessoa.

— Disso eu sei! — ele respirou junto. — Te odeio, Jungkook.

— Mereço um beijo? — ele fez um bico, se aproximando de Jimin.

— Não mesmo. Vai querer estragar sua reputação um segundo depois de virar meu daddy?

— Então, a gente marca de comemorar amanhã, pois hoje vou sair com um rapaz.

— Quer dizer que você pode sair com quem quiser e eu não?

— Mas nas fics o daddy fode todo mundo e o baby fica exclusivo, implorando para a atenção do daddy e sempre fica mandando fotos provocadoras para deixá-lo louco, né?

— Jeon, vai tomar no cu!

— Olha, eu sou seu daddy.

— Vai tomar no cu, daddy. — ele deu uma risada. — Ah tá que eu vou ficar implorando por você, otário. Afinal, no contrato está que eu não posso sair com outros rapazes, não com outras garotas.

— Eu partir do princípio que você era gay.

— Ah. — Jimin riu. — Vai lá com a outra pessoa e eu saio com as minhas mulheres, quando quiser algo é só me ligar. E fique tranquilo, daddy, pois prometo ficar só com mulheres, ok? Nada de rapazes!

Jimin saiu de perto de Jungkook, ouvindo o mesmo chamar seu nome, pelo menos, duas vezes, porém ignorou. Quando viu Yoongi vindo em sua direção, Jimin abraçou o homem e suspirou.

— O que foi?

— Eu aceitei ser o baby do Jungkook.

— Você o quê?

— Estou me poupando da vergonha alheia que vou sentir daqui um tempo. Acho que vou começar a abraçar árvores, sei lá.

— Qual o motivo de você ter aceitado ser o baby do Jungkook? — Yoongi afastou Jimin de si. — Você se drogou?

— Preciso de dinheiro para mudar da casa do Taehyung. Não aguento mais atrapalhar ele com Hoseok. Jungkook veio falando que ia me dar dinheiro, um emprego e arrumar um lugar para eu morar e eu aceitei. Estou desesperado por dinheiro mesmo.

— Você é a pessoa mais louca que eu conheci. — Yoongi sorriu. — Ele vai te trair, você sabe disso, né? Ele não está apaixonado por você, ele está carente e você atrai ele, só isso. Só que outros caras também atrai ele e ele não vai deixar de dar para eles por sua casa.

— Ah, disso eu sei. Ele nem fez questão de esconder. — Jimin bufou. — Só que eu só quero dinheiro e uma bolsa da Valentino mesmo. Não ligo para quem ele transe.

— AH, então ótimo assim, né? Quer sair hoje a noite então?

— Quer muito! — Jimin respondeu com um sorriso no rosto. — Despedida da dignidade, não?

— Coitado. — Yoongi deu dois tapinhas nas costas dele.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...