1. Spirit Fanfics >
  2. Hi, my baby >
  3. Foi Viajar

História Hi, my baby - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oioii

Estou muito chateado que uma amg minha que acompanha a fic não lê as notas do autor e as notas finais, TÔ TRISTE LENA👺👺👺👺👺👺

KKKKKKKK C sabe que eu amo te pentelhar mulher.

Enfim, boa leitura.

Capítulo 4 - Foi Viajar


Fanfic / Fanfiction Hi, my baby - Capítulo 4 - Foi Viajar

Catra POV

Passar uma semana presa em um hotel nunca me estressou tanto, e olha que nem fui ainda. Passar esses sete dias atolada de trabalho e só saindo para algum restaurante local para as reuniões com empresários interessados em poder fazer investimentos para a Hoyde's, empresa onde sou secretária da presidência, isso seria ótimo se eu não tivesse um filho.

Tenho um filho chamado Harry, que precisa de cuidados até dobrados se brincar. Ele não se dá bem com nenhum estranho e tende a regredir sempre que passa por alguma emoção muito forte.

Infelizmente eu não conseguiria levar ele comigo, não daria para cuidar dele lá, e também não estou vendo uma opção para que ele fique aqui com alguém. Tentei falar com o Bow mas ele estaria saindo da cidade para alguma viagem com os pais também, e nenhum vizinho está interessado em cuidar de uma criança.

Tentei conversar com minha chefe, Mara, ela é muito compreensiva muitas vezes e sempre que dava me ajudava a resolver alguns probleminhas, sem contar que também ama o meu filho, porém ela falou que precisaria de mim lá e não daria tempo de arrumar uma nova secretária, tentei chamar algumas babás mas Harry entrou em pânico vendo pessoas estranhas tentando o pegar.

Estava em desespero até a ligação do Bow, ele falou que tinha uma amiga de infância que precisava de emprego e talvez o Harry gostasse dela, no começo achei a ideia horrível já que esse menino não gosta de ninguém mas resolvi aceitar, estava sem escolhas mesmo.

No dia seguinte estava tentando o preparar um pouco para visita da possível babá, e como previsto ele chorou muito só que para a minha surpresa quando me afastei um pouco deles e deixei tendo um pouco de privacidade a garota conseguiu o fazer rir.

Não sei se foi pelo seu jeito de bobona ou algo a mais, só sei que o Harry estava relaxado com a presença dela, talvez não tenha sido tão ruim assim ter aceito a ideia do Bow.

Adora POV

Dois dias depois.

Uma segunda-feira cheia de sol e para muitos um ótimo dia para se começar a semana, e eu esperava muito que a minha fosse assim também.

Bom, o que eu poderia falar sobre esses dois dias que passei vendo como posso cuidar do garoto da melhor forma possível?

Totalmente desesperador!

Tem tanta coisa que posso fazer errrado e matar a mim e a criança, será que a mãe dele não percebe isso? Como consegue ainda cogitar na ideia de me deixar sozinha com ele? Eu posso colocar fogo no apartamento!

Sobre o Harry, por incrível que pareça não chora quando me vê perto dele, Catra fala que ele gostou de mim porquê com outras pessoas ainda o faziam chorar mesmo ele já tendo os visto.

Sabem o quanto o meu ego se inflou com essa informação? Muito! Já posso falar que uma criança no mundo não me odeia.

Ele estava um pouco mais falante, segunda a Catra, isso era porquê ele já conseguia ficar relaxado com a minha presença. Era notável a dificuldade na fala, mas isso não o atrapalhava em continuar seu falatório sobre seus brinquedos ou algo novo que ele aprendeu. Totalmente adorável.

Mas no quesito me matar do coração ele ainda está no topo da lista, nunca vi uma criança sumir tão rápido como essa, e eu o conheço à dois dias. Porém ainda não consigo o segurar sem que ele se assuste, eu nem queria pegar ele no colo mesmo.

Despedidas deixam ele totalmente agitado, e me deixam com o coração na mão. Descobri que qualquer expressão de desespero ou de choro que passe pela carinha do míni tinhoso me agoniava, e adivinhem o que ele está fazendo agora.

Quem chutou uma cara de choro e um bico trémulo acertou e muito. Ele estava no colo da mãe que tentava a todo custo acalmá-lo, ela estava se preparando para sair do apartamento quando o míni foquete se jogou em suas pernas e começou a choramingar manhoso.

— Mamãe tem que ir trabalhar filho, lembra o que conversamos hoje cedinho? - colocou um pequeno cachinho dos cabelos do filho atrás da orelha o olhando com carinho. Harry balançou a cabeça devagar.

— Vem aqui Harry.

Até tentei pegá-lo no colo mas ele choramingava mais, pensando seriamente aqui em nunca ter filhos, ele não queria se desgrudar do pescoço da mãe.

Ainda me olhando, Catra falando alguma coisa em seu ouvido, e por incrível que pareça ele esticou os bracinhos pra mim. Boquiaberta o peguei no colo, abduziram essa criança na minha frente?

— Adora, cuide bem dele e qualquer dúvida pode me chamar pelo celular. Não esqueça da lista que fiz com as coisas mais importantes que vão te ajudar nessa semana com esse pequeno manhoso. E Harry, se comporte enquanto a mamãe não estiver aqui, ok? Eu te amo pequeno. - deu um beijo na cabeça do Harry e acariciou a bochecha dele antes de se afastar.

— Amo mamãe. - balançou a mãozinha enquanto sua mãe também dava um "tchauzinho" pra gente.

Logo quando ela passou pela porta ele se debateu no meu colo tentando ir pro chão, quando o soltei correu para o corredor.

E o meu sofrimento estava só começando.

Fui para o corredor abrindo a segunda porta onde era o quarto do Harry e o procurei lá, as paredes roxas com alguns desenhos de pássaros e borboletas enfeitavam muito, a cama azul clara no cantinho da parede ao lado do baú de brinquedos e a sua cómoda, o quarto era muito lindo, e ele não estava, fechei a porta e abri a da primeira porta. Passei meus olhos pelo lugar achando uma bolinha toda enrolda em cima da cama, depois de fechar a porta sem fazer barulho me sento na cama, ele já deve ter notado a minha presença e nem me deu bola.

— Ei, Harry?

Continuou me ignorando e se possível se encolheu mais um pouco. Estava sendo estranho ver ele tão quieto assim, nesses dois dias ele tinha se saido um belo conversador de primeira.

— Sabia que é estranho te ver quietinho assim matraquinha?

Ele desenrolou a cabeça me olhando com os olhinhos castanhos cheio de lágrimas e o bico na boca. Talvez eu tenha me apegado um pouquinho com essa criança nesses dois dias, mas o que eu poderia fazer? Ele é adorável!

— Eu sei que está triste, mas a sua mamãe não vai demorar muito pra voltar. E olha, até lá eu vou ficar aqui brincando com você, o que me diz?

Se desenrolou completamente sentando no meu colo enquanto com uma das mãozinhas estava agarrada a uma blusa preta, que suspeito que seja da sua mãe.

— Adola não vai dexa Harry s-sozinho tabiem? - falou passando a outra mãozinha nos olhos irritados por estarem cheios de lágrimas.

— Você não tá sozinho Harry, eu tô aqui contigo e a sua mamãe logo vai voltar pra brincar com você, lembra? - balançou a cabeça fungando e agarrou mais ainda a blusa preta.

O dia estava só começando.


Notas Finais


Olha eu aqui dnv, turu pom? Me falem o que estão achando que eu gosto de comentários 😔

E quem pegou a referência pegou jsjslsks

É isto, até o próximo capítulo 💫


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...