1. Spirit Fanfics >
  2. HIATOS Let Me Touch You - Jeon Jungkook - IMAGINE >
  3. Priorities and preferences

História HIATOS Let Me Touch You - Jeon Jungkook - IMAGINE - Capítulo 32


Escrita por: xJeonYunniie

Notas do Autor


Bom dia, Boa tarde, Boa noite!!
Olha quem deu o ar da graça?!
Finalmente mais um cap né docinhos?!
Perdão ficar tão ausente assim. Mas enfim, tá aí cap fresquinho.
Boa leitura 🐰🎈📖

Capítulo 32 - Priorities and preferences


Jimin me olhou pasmo depois que contei tudo que houve


Jimin - Cara porque fez isso?! E se.. - Cortei ele cobrindo a boca dele.


Jeon - Eu já estou me sentindo culpado o suficiente, obrigado! - E tirei a mão dele. - Eu só… não sei, fiquei com vontade, e meio que isso me lembrou de como eu me sentia com a S/n. Eu me desculpei com a Jieun.


Jimin - Mas e sobre a S/n? - Ele se ajeitou sobre a beirada do terraço deixando as pernas no ar enquanto bebia soju.


Jeon - É uma menina. - Ele sorriu. - Me disseram que a S/n sente que é uma menina na verdade, e eu sonhei com uma menina. - Jimin riu.


Jimin - Parece minha mãe com as pimentas. - Rimos juntos e ele quase se engasgou. - Mas e vocês dois?


Jeon - Ela quer me ver, mas eu estou preocupado com ela e o bebê. Meus avós já entenderam e não me julgam mais tanto quanto antes. É aquela coisa, "você errou em engravidar alguém tão cedo, mas por ela ser mais velha e estar com você não é problema." Mas se minha mãe soube da Jieun no colégio, pra ela saber da S/n e se ela estiver aqui é muito fácil. - Apoiei meu queixo sobre as mãos na barra de proteção. - Esse controle sobre algumas coisas e facilidade de conseguir o que quer da minha mãe me irrita.


Jimin - Mas ela não sabe onde meus avós moram apesar de saber onde meus pais moram. Ela poderia vir, eu converso com meus avós e você sabe que eles são super tranquilos com essas coisas, eles não são preconceituosos. A S/n vai estar segura lá. - Parei observando a paisagem. - E então? Se quiser eu posso tentar ver isto.


Jeon - Eu não sei. - Era uma escolha complicada, depois dessa que a minha mãe aprontou. - Eu prefiro esperar mais um pouco.


Jimin - Está com medo? - Seu tom era de provocação e brincadeira mas ele não esperava que eu assentisse. - Sério?


Jeon - Eu agora não me preocupo só com a S/n, ela é forte e tem gente pra ajudar ela, mas agora tem o bebê… E esse tesouro dentro dela também deixa ela mais vulnerável. Ambas em perigo. Gravidez não é brincadeira. - Ele assentiu. Eu estava perdido, tudo que Namjoon e Dahae me disseram ainda reverbera em minha mente. - A professora Dahae e o professor Namjoon conversaram comigo sobre a S/n até.


Jimin - O que te disseram? - Ele abriu outra garrafa e me entregou.


Jeon - Sobre o que eu deveria escolher. Tipo… Estão me aconselhando a deixar a S/n e o bebê. Que ela consegue ser mãe solteira, vai ser melhor do que eu acabar dando um futuro problemático para a criança.


Jimin - Mas faz sentido o que disse. A sua família está dividida entre aceitar seu relacionamento e seu filho.. quer dizer filha. - Eu automaticamente sorri bobo e olhei para baixo. Jimin sorriu ao ver minha reação. - Ainda mais por ser menina. Vai ser um inferno pra ela.


Jeon - Obrigado pelas palavras de conforto. - Ele gargalhou.


Jimin - Mas cara, é sério! Isso é um ponto a se pensar realmente. - Eu fitei o horizonte. Preocupação e medo era o que estava me compondo ultimamente e ainda mais agora. Eu tinha que ter cuidado para cuidar das duas mulheres da minha vida, agora. - Você é incrível, Jungkook.. Só de até agora não ter jogado tudo pro ar, de ainda ir atrás e querer dar um jeito. Porque eu não sei se faria o mesmo, é muita pressão!


Jeon - Você não imagina o quanto eu amo a S/n, o que eu faria por ela… E agora tenho uma criança nisso, eu nunca que vou deixar elas. Por mais que a S/n me coloque fora disso pro meu bem no ponto de vista dela, quero provar que eu posso ser capaz de ser homem pra ela e pai para essa criança, Jimin. Isso já tá doendo muito dentro de mim, eu sou forte pra suportar isso e deixar quieto por enquanto, mas até certo ponto. Se eu ver que vai tudo escapulir entre meus dedos como areia… eu vou ter de dar um jeito nisso, dor maior vai ser ver a S/n ir embora de vez da minha vida e levar minha criança junto.


Jimin - É… - Ele sorriu meio triste. Eu sabia que alí tinha preocupação comigo. Ele sempre foi de tentar cuidar de mim, me deixar bem. Mas ele sabe mais do que qualquer um, que nenhuma palavra dele teria efeito sobre tudo o que eu sentia pela S/n.


Ouvimos minha avó chamar, estava pra anoitecer então imaginei que fosse somente para não pegar sereno, como ela sempre me fala.


Jeon - Guarda as bebidas aí na mochila, no quarto a gente termina. - Entreguei minha garrafa vazia.


Jimin - Mas eu ainda nem acabei, se derramar na minha mochila você que vai lavar! - Eu ri e empurrei ele na minha frente.


Quando descemos para a dentro, fomos em direção da sala e a pessoa que eu menos queria na minha frente estava lá.


SrªJeon - Meu filho! Oi Jimin, tudo bem? - Ela sorriu se aproximando de mim. Me afastei um pouco e fui pra perto do corredor. - Eai meninos?! O Kim está aqui com vocês?


Jimin - Não, ele está estudando em casa em Seul mesmo. - O rosto da minha mãe se iluminou como se estivesse feliz com essa notícia. Eu já estava prevendo o que viria em seguida, segurei o pulso do Jimin para levá-lo para o quarto.


Jeon - Vamos… - Ela interrompeu continuando a falar e deixando a bolsa no sofá.


SrªJeon - Ah que maravilha! Eu sinceramente não gosto daquele menino, garoto estranho. Eu já disse tantas vezes para o Jungkook não andar com esse menino, e eu acho que você deveria fazer o mesmo Jimin. Não acho aquele garoto inteligente, nem uma boa companhia para vocês. Sabe? É bom evitar certas amizades para não sujar a imagem de vocês e até mesmo para não se misturar, sabe? E eu gosto muito de você Park. Um dos poucos amigos do Jungkook que eu gosto, é você e o Yugyeom… Aí eu amo esse menino... - Jimin travou o punho e puxou de vez da minha mão, não tive tempo de parar ele.



Jimin - Olha senhora… - Eu falei por cima dele, o interrompendo.


Jeon - MÃE, SOME DAQUI! Eu não posso ficar em paz um tempo?! - E segurei o Jimin novamente, dessa vez o empurrando na minha frente. Sussurrei para ele. - Cala a boca… pela S/n… - Ele me encarou cheio de ódio. Minha mãe ter falado do Taehyung dessa forma na frente dele foi o mesmo que acender uma tocha no meio de uma toca de pólvora. Mas ele afrouxou o punho e me deixou segurá-lo. Aos poucos o soltei. - Eu só quero ir pro meu quarto conversar com o meu amigo, estudar e jogar como qualquer garoto faria. Posso? 


SrªJeon - Filho, eu ia perguntar a você justamente sobre como estão seus estudos.. - Seu tom de deboche me queimava por dentro feito ácido. Eu queria vomitar, o calor do nervoso me fez tirar a camisa.


Jeon - Está tudo na mesma coisa. Minhas notas estão normais, tô indo pros cursos que você me colocou, não saí de casa para nada, a Jieun veio fez a atividade comigo, recebemos nota boa pela atividade, estou indo do colégio para casa, de casa pro colégio. Satisfeita?! Agora se me der licença eu quero jogar com o Jimin.. - Demos as costas e foi esse ato para minha mãe reagir com um suspiro alto de surpresa. Olhei para a minha avó e ela estava com os olhos arregalados. Jimin parou logo a minha frente e virou para me olhar e ver o que aconteceu. Minha mente deu um estalo ao mesmo tempo que eu lembrei o que poderia ser, queria morrer por isso.


SrªJeon - O que foi isso em suas costas filho?! Está todo arranhado… - Me virei de frente e ela entendeu o que algumas manchas leves meio avermelhadas em formas redondas em lugares específicos do meu corpo significavam. - Jungkook… Meu filho, o que você está escondendo de sua mãe?


Jimin - Jungkook… - Ele queria me defender novamente.


Jeon - Não.. - Me virei para minha mãe mais uma vez. - Eu transei com a Jieun… Foi até bom, o cheiro dela …


SrªJeon - Jeon!! Mais respeito a garota! Tudo bem, vocês são jovens… Só assuma um relacionamento com a menina, filho.


Jeon - Mas eu só queria ela porque eu queria a S/n. Era o que tinha, então fudi com a Jieun, ela sabe, eu expliquei a ela. O perfume delas são parecidos, o batom que ela usa é o mesmo da S/n, e… Quando eu pedi que ela fizesse isso comigo foi pra lembrar de como a S/n me enlouquecia, fazendo isso… E puta merda!! Nada substitui a minha mulher, não tem jeito. - Jimin travou onde estava e minha avó cobriu a boca, assustada com o que ouviu. Mas a cara de ódio e nojo da minha mãe foi o prêmio do dia para mim. - Qualquer garota pra mim só vai ser uma foda, até eu poder sair dos seus dedos e viver minha vida com a mulher que faz tudo isso e mais um pouco com meu corpo. E eu deixo, permito porque sou completamente dela. Eu amo o jeito que ela abusa de mim… aí.. só de lembrar meu pau fica duro! - Peguei em meu membro mostrando que estava levemente ereto. Jimin tossiu e eu sabia que ele queria rir. - Melhor eu ir para meu quarto, Jimin vai jogar primeiro, vou bater uma pensando na minha S/n. Certeza que ela deve fazer isso por mim também, ela sabe que eu amo imaginar ou ver ela se masturbando pensando em mim.. - Minha mãe não soube reagir, sei que eu devo ter chateado a minha avó. Mas ou era isso, ou teria que aguentar a minha mãe. Dei as costas e Jimin seguiu para o quarto na minha frente.



Quando entramos ele deixou a mochila fazendo as garrafas se chocarem e fazer barulho.


Jimin - Jungkook que porra foi aquela?! - Ele riu apontando para a porta. - Você viu a cara dela?!


Jeon - Não sabe a delícia que foi pra mim dizer isso a ela. Já você ia estragar tudo deixando a provocação dela te tomar. Você já sabe que ela sempre me proibiu de andar com o Taehyung.


Jimin - Mas eu não tenho sangue de barata e aguentar calado ela falando toda aquela merda a respeito do Tae. - Ele vociferou afobado.


Jeon - Nem eu tenho, mas a situação não nos dá esse direito ainda. Você ia colocar qualquer oportunidade de ver a S/n a perder.


Jimin - Caralho, você nem quer ver ela! - Ele se exaltou apontando pra mim enquanto falava. - Você tá feito um … idiota! Com medo de tudo sem decidir porra nenhuma! - Eu respeitei enquanto me mantive parado onde estava. Mordi a ponta da língua até sentir um pouco de sangue. Iria me controlar, ele dizia isso pela raiva. Deixei ele despejar o que pensa.


Jeon - Então você acha que eu não decidi e tenho medo de tudo?


Jimin - Jungkook, que merda você ainda está fazendo aqui?! Se diz corajoso, que é capaz de tudo, você é covarde! Baixa as orelhinhas que nem um coelhinho assustado e fica calado enquanto te colocam de volta na gaiola! Porra, você tem como fugir da escola, ir embora pra puta que pariu com a S/n mas enfia a língua no cu como fez ali agora quando sua mãe falou do Taehyung! - Fechei os olhos para conter meus hormônios. Não era ele falando… - Você é hipócrita! Fala tanto mas…


Jeon - Já chega. - Minha voz saiu grave. Ele se irritou mais ainda. - Jimin, para. Eu tô pedindo por favor, para.


Jimin - Agora você vai ter que terminar de ouvir.. - Eu ri, balançando levemente a cabeça. No meu clássico tic. - Tá achando graça?!


Jeon - Eu não quero brigar com você Jimin. Por favor! - Ele estava vermelho. Me afastei dele indo para a janela e me sentei nela, observando a rua de baixo. Jimin continuo falando. Enquanto eu pensava nela. Bastava um simples beijo dela e todo aquele furacão a minha volta e que me desarmava por dentro desapareceria. O sorriso que eu sou apaixonado, a pele que eu me apaixonei, me abraçando, me envolvendo com o perfume dela. Depois de longos minutos, quando ele se acalmou eu decidi falar. - Sabe o porque eu sou covarde, Jimin? Eu me preocupo com o que minha mãe é capaz e penso na minha criança que está pra vir, na vida da mulher que eu amo, das pessoas que ela ama e estão à volta dela tentando ajudar, e até de mim mesmo. Se minha mãe foi capaz de manipular o colégio, a direção, os professores, alguns outros lugares que a S/n andou procurando um trabalho por curto tempo, não aceitaram ela. Ela agora quer me juntar com a Jieun, usar a garota na verdade, pra me fazer esquecer a S/n e quase conseguiu… Ela foi capaz de brigar com meu pai, meu irmão, meus avós.. Ela me machucou daquela vez, bateu no Junghyun! Eu sou covarde por isso! E é isso que significa que faço qualquer coisa por minha S/n, se for preciso eu… Se for para o bem dela… Eu desisto. - Jimin que tinha se sentado no chão estava com uma outra garrafa de soju cheia aberta. - Existem prioridades acima das minhas preferências… melhor dizendo, das minhas necessidades. Porque eu preciso da S/n comigo, preciso estar presente em todos os momentos da vida da minha filha. Mas a prioridade é o bem delas.


Jimin se calou, enquanto olhava para a tampa da garrafa em seus dedos. Ele entendia o motivo de "ser covarde e abaixar minhas orelhas como um coelhinho assustado", apesar de tudo. Eu poderia escolher isso tudo que ele disse e fugir a encontro dela, mas eu entendia o porque que ela fugiu a meu desencontro. Mas será que eu deveria seguir o mesmo caminho que ela tomou? Ou eu era definitivamente um covarde de verdade e não sabia assumir? O que me matava era isso, exitem todas as possibilidades, mas as que me prendem são as piores. Eu queria ser tão otimista e ter incentivo como o Taehyung, ele sempre diz que um dia vamos rir de tudo isso, independente do final, mas que eu deveria ir, deveria esperar e continuar, ou como o Jimin, um tanto egoísta e fissurado em conseguir o que quer, é capaz de passar por cima de tudo e todos, com ele era 8 ou 80, como aquela discussão, ele sempre dizia que eu tinha que ir e fazer acontecer seja lá o que for ou desistir e parar de sofrer e se matar aos poucos "como eu estava fazendo", segundo ele.


Depois disso ficamos longos minutos em silêncio assistindo filme enquanto bebíamos. Jimin entendia como eu deveria estar me sentindo e só me fez companhia, eu costumo sempre conversar mas dessa vez eu queria a companhia em silêncio. A amizade dele comigo sempre teve extremos altos ou extremos baixos. Como quando quase deixamos um ao outro desacordados, precisou pessoas de fora separar nossa briga, e acredite se quiser, foi por causa de uma provocação por conta de garotas. Ou da vez que durante um campeonato de Taekwondo que um colega do time adversário estava praticando comigo e estava me provocando e realmente me machucando, eu estava cansado e não tinha tomado café e nem lanchado, mas não podia perder esses ensaios e treinos, eu estava me irritando e tentava revidar mas o cara sempre davam golpes piores e que eu sabia não serem permitidos durante treino na intensidade e rapidez que ele executava ou acabaria me lesando e me tirando do campeonato, Jimin viu e a única coisa que vi foi ele esticando o pé no ar e chutando com força a cara do garoto que caiu desacordado por não ter tempo de defesa e preparo, ele não esperava por isso e eu saí dos braços do garoto e caí fora do tatame sentindo meu ombro, joelho e pescoço doerem pelos golpes que tinha recebido. Jimin era meu irmão, assim como o Taehyung. Se minha mãe descobrir que eles me ajudam o que ela seria capaz de fazer com eles? Eu definitivamente não perdoaria.



P.O.V S/N


Chris tinha ido passear com Selky, Yoongi e eu estávamos conversando sobre as coisas do bebê dele. Ele não queria assumir, mas estava completamente feliz e bobo pela criança.



Yoongi - Eu fico preocupado de comprar pelúcias e o bebê criar alergia.. Acha que eu deva comprar aquelas coisas plásticas mesmo? Mas eu acharia tão lindo meu bebê no berço agarrado numa pelúcia. Ou melhor um cachorro? Ainda sim daria alergia...



S/N - Yoon, você tenta, compra aos poucos. Primeiro foca na mobília do quarto, nas cores, nas roupas. Você nem escolheu o nome se for menino ou menina. - Ele deu de ombro com aquela carinha séria dele, sabia que ele queria rir. Eu cobri o rosto e ele riu. - Que é?! Senhor "eu sou assim mas nunca fui tão irresponsável"! - Ele parou de sorrir lembrando de quando me disse isto, havia pagado com a língua.


Yoongi - Você não começa… Falando de mim, mas e você sabe o nome que vai dar?


S/N - Eu sei sim, TaeRi ou Natasha… - Ele riu. - Que é, Min Yoongi?!


Yoongi - Natasha?! Natasha Romanova dos vingadores? - Respirei fundo afundando no banco enquanto ele ria mais de mim. - TaeRi não tá ruim.. Mas Natasha não.


S/N - Idiota! - Eu vi a tela do celular dele ligar e logo começou a vibrar. - Senhorita Jung está ligando, bebê.. Vai confessar pra ela que tá comigo?! - Ele me encarou e agarrou o celular atendendo a chamada e se afastou um pouco. Para irritar ele comecei a brincar. Fingindo gemer, dei tapas em minha própria coxa para criar mais barulho. - Aí Yoongii… Isso… Ah…. Larga esse celular, Yoonie… Eu tava tão perto… - Ouvi a Dawon rir do outro lado e Yoongi me fitou com raiva, com o rosto completamente vermelho. - Dawon, linda! Saudades, viu? Desculpa a brincadeira! Yoongi tá querendo me matar, acalma esse teu gatinho, viu? - Falei alto pra que ela ouvisse. Yoongi arremessou o controle da TV contra mim, eu desviei e bateu com tudo no sofá e quicou, se despedaçando no chão. Ouvi a Dawon gritar por ele no telefone e ele saiu da sala enquanto eu quase infartava de rir. - VOCÊ VAI ME PAGAR OUTRO CONTROLE!


Quase não notei tanto, mas sentia falta daqui. Da minha amizade/irmandade com o Yoongi, das meninas, do meu primogênito Selky… Mas ainda sentia estranha, um vazio. Selky se sacudiu em minha frente, fazendo que o pingente em sua coleira fizesse barulho, não tinha notado ele chegar. Olhei para o pingente, tinha o nome do Jungkook e o meu e ficou claro a falta que eu sentia era ele. Alisei minha barriga.


S/N - Poxa meu amorzinho. Seria tão bom se seu pai pudesse estar aqui com a gente, não é?! - Nesse instante senti fome. O cheiro que vinha da cozinha, sabia que o Selky estava aqui então o Chris estava lá. - Comida!!


Chris - VENHA! - Cheguei lá e vi ele esquentando a comida e terminando as coisas que ele fez. - E aí?! Já decidiram as coisas?


S/N - Yoongi quer as coisas do bebê em branco, cinza e preto. Eu disse a ele que não. - Chris me olhou de canto. - Que?! Só porque eu vou vestir minha filha com algumas roupinhas pretas não significa que eu queira decorar o quarto dela assim.


Chris - Aí já é demais, algumas crianças querendo ou não gostam de coisas coloridas. Você ajude esse rapaz viu. - Eu ri da forma como ele disse.


S/N - Eu não preciso ajudar ele nisso, sei que ele vai fazer boa escolha. Ele vai ser um bom pai! Ele só tá meio sem jeito ainda, mas ele consegue. Ele tá feliz com isso. - Chris estreitou os olhos. - Olhe, pare de implicar com meu Yoonie.


Chris - Se você não fosse louca pelo Jungkook diria que está apaixonada pelo Yoongi.


S/N - Me respeita!! Ele é meu melhor amigo, tá?! Eu protejo aquele alí com unhas e dentes. - Ele sorriu levantando as mãos.


Chris - Por falar no nosso garoto de ouro, o que você vai resolver? - Meus ombros voltaram a pesar como se tivesse sido colocado sobre mim uma barra de ferro com pra lá de 10kg.


S/N - Eu não sei… não saí da minha mente a forma como ele estava desde a última vez que pude falar com ele. - Ele se sentou de frente para mim. - Ele me disse que era melhor não ir vê-lo. Isso só está me dando vontade de fazer completamente o contrário. Eu sei que é absolutamente contra o que eu vivia falando, mas sei lá. Eu só… tô com medo.


Chris - Sabe que eu vim pra te ajudar não é? - Assenti. - Mas se ele rejeitar não podemos fazer muito. Afinal principalmente eu, não tenho direitos acima dele por aqui, qualquer coisa e eu posso ser chutado e banido daqui. Então primeiro temos que saber o porquê dele não querer? Digo.. acha melhor, vocês não se juntarem agora?


S/N - Não tivemos tempo para conversar direito. Eu só falei que queria ver ele e me respondeu que "melhor não". Me preocupo muito com a relação dele com a família e na sociedade dele, só que…


Chris - S/n meu amor… Pare de pensar nos outros um pouco, não estão quebrando leis, ele é maior de idade, não é caso de pedofilia e ele também te quer. Uma hora ou outra esse garoto vai deixar os braços da família dele e seguir a vida, e isso tudo não vai ser culpa da pessoa que ele estiver envolvido ou da família que ele for começar a fazer. - A forma que ele colocou o Jungkook com outra pessoa me deixou enjoada, mas era de nervoso. - Mas a partir do momento que ele não estiver mais envolvido em tentar ajustar as coisas e seguir com você o melhor vai ser tu seguir sua vida pro outro lado.


S/N - De forma nenhuma. - Ele me olhou sério. - Eu…


Chris - Vamos lá não me venha com mais ou menos S/n, não temos nenhuma jovenzinha perdida aqui! Temos uma mulher, adulta, que está pra ser mãe, muito inteligente e forte! E que acima de tudo não está sozinha! Vamos tentar ir até ele, vamos ver o que poderemos fazer e apartir daí tudo terá seu destino. - Yoongi apareceu segurando o telefone mais pálido do que o normal. - What happened? Why that face?


Yoongi - Hyebin's mom called me. The baby is not my son. - Meu corpo gelou. Os olhos do Yoongi estavam começando a apresentar uma cor meio avermelhada, seu rosto também. - S/n… Eu… tô indo pra casa.


S/N - De jeito nenhum! Você vai ficar aqui. - Eu respondi me levantando.


Yoongi - S/n não começa. Eu vou embora! - Ele se virou mas eu o segui.


S/N - Yoonie, calma ok?! Vamos conversar. - Eu pedia, andando atrás dele que ia pegar o casaco no sofá e as chaves na mesinha de centro.


Yoongi - Como é que você consegue me pedir calma, quando aquela vadiazinha filha da puta mentiu pra mim, me usou, me enganou dizendo que eu era pai?! - Ele explodiu e as lágrimas caíram enquanto ele falava. - Eu vou embora, e não venha me parar ou vai sobrar pra você.


S/N - Você não é louco de tocar um dedo seu em mim e nem tem o que falar sobre mim! Eu não vou deixar você sair daqui porque sei do que você é capaz de fazer lá por fora! - Vociferei parando de frente para a porta impedindo sua passagem. Chris com um olhar meu sabia que não precisava se meter.


Yoongi - S/n, saí do meu caminho! - Ele estava vermelho e chorava muito agora.


S/N - Eu não vou sair daqui, não vou deixar você ir embora até você se acalmar Yoongi. Me desculpa, mas eu te amo demais pra isso.


Yoongi - O que eu vou fazer pouco importa! O que eu queria era esganar aquela putinha mirim! Eu sei bem quem é o pai do bebê… Eu só quero socar aquele desgraçado, fazer ele pagar por isso e por ter me batido naquele dia, eu deixei porque eu sou um idiota mas eu não quero mais pagar esse papel ridículo, S/n! - Ele jogou o celular com tudo no chão, despedaçando ele todo. - Caralho…. - Ele deixou o choro mais forte vir. Fui até ele e o abracei. Por longos minutos ficamos ali abraçados, deixando ele chorar. Ele tremia.


Notas Finais


Eu fiquei triste por fazer isso com Yoongi... Mas só pra avisar, daq pra mais dois capítulos vão ser visão Yoongi e Nam okay? Pra vcs saberem o que vai se suceder dessa baixaria toda que a Hyebin causou.
Vocês acham que o Yoonie vai fazer o que? 🐰🎈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...