História Hibrid Experiment - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Drama, Híbrido, Hoseok, J-hope, Namjin, Romance, Suga, Yoongi
Visualizações 486
Palavras 1.302
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura! 😃

Sobre essa foto...
Acho que tem um rio de baba na minha casa.

Capítulo 18 - Corações unidos


Fanfic / Fanfiction Hibrid Experiment - Capítulo 18 - Corações unidos

-No-nonna... ajuda... ajuda o Suga.- pediu com a respiração entrecortada, massageando seu membro e soltando alguns gemidos baixos.

-Eu vou... vou... ahn... dar um jeito.- falei e sai do quarto o deixando lá, encostei na porta e suspirei. O que está acontecendo com ele? Isso não é normal. Não tem ninguém em casa que possa me ajudar, e tentar pesquisar uma solução no computador também não daria certo com ele gemendo do meu lado, iria tirar toda minha concentração.

Acho que vou pedir ajuda ao Namjoon, ele é inteligente, vai saber oque fazer. Só espero que a solução dele não seja a mesma que eu esteja pensando, e que não vou fazer.

Peguei meu celular e liguei pra ele, demorou um pouco até atender.

-Que foi? To ocupado.

-Deixa de ser ignorante.- falei bufando.

-Fala logo, o jogo ainda ta rolando.- aish, homens.

-Preciso de ajuda. O Suga ta meio... dolorido.

-E eu lá tenho cara de médico? Leva ele no hospital.- revirei os olhos.

-Não sei se você sabe, mas a maioria das pessoas não acham normal um humano com orelhas e rabo de gato indo ao hospital.

-Ah é, tem isso também. Dá um remédio pra ele, sei lá.

-Acho que essa dor não seria resolvida com um remédio...

-Ue, por que não?

-Bom... É uma dor no... no...

-Fala logo!- respirei fundo e falei de uma vez.

-Nas partes baixas.- nem terminei e ele começou a rir muito, tipo muito mesmo.- Para de rir, isso não tem graça, idiota.

-Tem sim.- falou tentando se recompor, mas ainda rindo um pouco.

-Fala logo oque ele tem!

-Não é óbvio? Ele está excitado.

-Isso eu sei, mas por quê?

-Bom, se você não fez nada para ele ficar assim, então ele só pode estar no cio.

-Estar aonde?

-É meio difícil de explicar, mas é quando os animais tem a necessidade de... acasalar. Eu não sei como chamar já que ele é meio humano então vai ser assim mesmo.

-Ta, mas oque eu faço?

-Você sabe oque tem que fazer, ou você faz isso, ou outra pessoa faz. Ao contrário disso, ele vai ficar desse jeito por um bom tempo.

-Ta bom... valeu.- desliguei o celular. Eu não queria fazer isso, mas nenhuma outra mulher vai fazer porquê eu não vou deixar. Vou ter que fazer isso pelo meu Suga.

Abri a porta do quarto e me deparei com ele sem camisa e sem calça, ainda tocando seu membro, e pela box dava para ver o grande volume. Seu corpo estava todo suado, e ele estava tão concentrado no que fazia que nem percebeu que já tinha eu já tinha voltado.

-Awnnnnn... Nonna...- gemeu me deixando vermelha, ele estava se tocando pensando em mim. Fui me aproximando da cama devagar e me sentei ao seu lado, ele parou com os movimentos e me olhou ofegante.- No-nonna, eu preciso d-de você.

Não disse nada, passei minhas mãos em seu peitoral suado e o arranhei devagar, ele arfou e arqueou as costas. Ele estava tão sensível.

Sentei em seu colo e comecei a rebolar bem no seu membro, ele gemeu baixo e mordeu os lábios me olhando. Suga me puxou para perto pela nuca e atacou meus lábios em um beijo rápido e quente, ele nem me esperou ceder e já foi enfiando sua língua na minha boca. Parece até que seu beijo estava melhor do que dá última vez, tirou meu fôlego em menos de um minuto. Me afastei um pouco quando o ar acabou e ele levou suas mãos até minha cintura intensificando mais os movimentos.

-Ahhh Nonna... assim.- falou, me deu um tapa na bunda e começou a chupar e morder meu pescoço deixando várias marcas.

-Ohh Suga...- acabei gemendo e fique vermelha quando ele me olhou com um sorriso malicioso e se virou ficando em cima de mim. Nem percebi quando ele rasgou minha camiseta e arrancou meu sutiã, Suga olhou meus seios lambendo os lábios e espalmou suas mãos neles começando a os massagear apertando os biquinhos. Gemi alto e arranhei suas costas com força, ele gemeu baixo e abocanhou meu seio direito o lambendo e rodeando o bico com a língua. Mas justo quando estava ficando bom, ele se afasta um pouco e sorri sacana, o encarei brava e me virei ficando por cima, comecei a distribuir beijos e chupões pelo seu peitoral e fui descendo, quando cheguei em sua box, lambi a cabecinha de seu membro coberto pelo tecido, que já estava ficando todo sujo de pré-gozo, e ele gemeu alto fechando os olhos.

Olhei para ele e sorri de lado enquanto tirava sua box, vendo seu membro pular para fora, ele suspirou aliviado e logo gemeu alto quando agarrei seu membro e o masturbei rapidamente. Aproximei minha boca de sua glande inchada e lambi a fenda molhada, ele agarrou meu cabelo e empurrou minha cabeça para baixo me fazendo abocanhar seu membro e fazer movimentos para cima e para baixo rápido, lambi toda sua extensão e raspei os dentes de leve fazendo ele arfar e aumentar os movimentos.

-Nonna ahhh... sua boca é tão gostosa.- gemeu e foi mais fundo, fazendo seu membro tocar na minha garganta e eu engasguei, mas isso pareceu agrada-lo ainda mais. Percebi que ele estava quase no seu limite, então tirei sua mão da minha cabeça e afastei seu membro da minha boca dando uma última chupada na ponta, Suga me olhou bravo e eu ri indo até seu rosto e o beijando.

Ele ficou por cima denovo e foi deixando chupões e lambidas pela minha barriga enquanto descia até minha calça, que logo saiu do meu corpo, ele passou a mão na minha intimidade coberta me fazendo arfar.

-Já está tão molhadinha, Nonna.- ele falou sorrindo malicioso e tirou minha calcinha com a boca, respirei fundo e suspirei, ele estava tirando toda minha sanidade, ou oque restava dela, só a visão daquele corpo perfeito estava me fazendo enlouquecer.

Suga lambeu minha intimidade e mordeu meus grandes lábios, gemi e apertei os lençóis, ele me penetrou com um dedo e foi estocando devagar enquanto eu me acostumava, mas não demorou muito quando ele colocou o segundo dedo. Mordi os lábios tentando aguentar a dor, ele veio até mim ainda me estocando com os dedos e me beijou, dessa vez mais devagar. Logo a dor passou e eu passei a gemer a rebolar nos seus dedos que me estocavam cada vez mais rápido, eu estava quase gozando quando ele tirou seus dedos de mim me fazendo gemer frustrada, ele riu de mim e lambeu seus dedos.

-S-suga vai lo-logo com isso.- pedi respirando rápido.

-Claro, Nonna.- ele sorriu de lado e segurou seu membro começando a me penetrar. Gemi alto e apertei suas costas as arranhando, ele era grande demais, ainda mais para mim que nunca fiz isso, é horrível mas ao mesmo tempo bom. Ele passou a me penetrar mais rápido acertando meu ponto sensível várias vezes, a dor agora era quase inexistente, rebolei em seu membro e Suga gemeu me penetrando mais rápido ainda.

-Awnnnn isso... M-mais forte Sugaaa.- gemi arrastado e ele foi indo devagar quase parando.- Não... Suga ahhh.

-Me fala o que você quer, Nonna.- me provocou mordendo minha orelhas.

-Que... que você me foda... bem forte ahhh.- ele sorriu mordendo os lábios e voltou a estocar, dessa vez mais forte e rápido e sem parar. Senti quando cheguei ao meu limite e apertei seu membro dentro de mim, ele também gemeu alto e foi mais rápido até se desfazer dentro de mim. Estávamos exaustos, ele se deitou do meu lado e me puxou para deitar em seu peito.

-Isso foi muito bom, Nonna.- falou sorrindo corado. Isso é meio estranho considerando oque acabamos de fazer, que eu acabei de entregar minha virgindade a ele... Mas eu não consigo me arrepender disso.

Concordei com a cabeça e ele me abraçou deixando um pequeno beijo sobre meus lábios.- Eu te amo, Nonna.- Suga falou fechando os olhos.

-...Eu também te amo, Suga.- falei, mas ele não ouviu, já estava dormindo.


Notas Finais


Ahhhhhhhh que vergonha
Eu não sou boa nisso, desculpa se ficou horrível 😑


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...