História Híbridos e humanos - Mitw - Capítulo 5


Escrita por:

Visualizações 241
Palavras 831
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Apenas uma noite em volta da fogueira


•°♦| Authentic |♦°•


Mike não para de paparicar o gato, esta de noite e quase de madrugada, quase na hora de irmos ate a fogueira e conta historias. 


O Linnyker não saio da cabana desde que encontrou o gato, e como todos nós os conhecermos, ele não irá largar o gato tão cedo... 


Sai de minha barraca, e vi Rezende saindo da dele ao mesmo tempo... Quando estávamos completamente fora da barraca olhamos para todos os lados. Ninguem havia saido da barraca ainda. Eu e Pedro nos encaramos e fizemos cara feia, ambos cruzamos os braços, ouvimos um zíper se abrir de alguma barraca... Aff, la vamos nós para mais um teatro. 


— Ja levantado Rezende? Achei que iria durmi.. — Sorrio falsamente. 


Rezende: Ah, acho que mudei se ideia, quero ouvir as "histórias de terror" hahaha — E como sempre.. Fingindo esta rindo, nunca vamos ser amigos de verdade. 


Cellbit: Sabe, Mike havia me dito que vocês estavam brigados, mas não parece... Talvez um pouco, mas da pra ver que são mesmo bem amigos — Sorrio. Ah, querido Rafael, tem coisas que somente pode-se ver a olho nú.


— Hahaha, claro né Cellbit? Somos amigos inseparáveis! Nunca iremos brigar por algo — Rio divertido e olho pro Pedro que apenas faz um coração com as mãos e levanta para mim. 


Rezende: Oiá o coração. 


Cellbit: Ehmn... Ahm.... Vou chamar o Batista, Jv , Felps e o... Aaah, o Mike — Diz desanimado na ultima parte, mas mesmo assim foi chamar o pessoal que estavam dentro de suas barracas. 


|°•°•°•∆•°•°•°|


Jv: Mas depois o tempo foi passando e os hibridos foram presos em algum lugar ai... Não lembro o nome, mas meu tio trabalha com essas coisas, ele quem sabe mais — João contava a história de hibridos que ja viveram a um tempo atrás, mas nunca mais forma vistos depois da proteção e conta os hibridos — Dizem que é esta floresta onde tem alguns hibridos que sobreviveram, eles foram apelidados por Forest hybrids, justamente por alguns terem custumes ferozes essas coisas. 


Mike: Eta.... Hay, será que o Pac é um hibrido? — Todos o olhou Incrédulo para Mike — Oque? 


Batista: Pac é um jogo ô Boco! Não tem como um jogo ser um hibrido — Diz mechendo o fogo com um graveto, enquanto o resto comia marshmallow. 


Mike: Não to falando do jogo! to falando do gato — Diz pegando o gato no colo e levantado para mostras todos, mas logo deixou deitado em suas pernas novamente — Ele é o Pac, é macho... Sera que ele é um hibrido? Porque... Não é tão fácil encontra gatos domésticos pela floresta tão longe da civilização. 


— Que loucura.... — Mordo um pedaço do marshmallow — Rezende me passa a mochila por favor? 


Rezende: Huhum — Ele pega a mochila e me entrega. Agradeço e abro a mochila pegando mais alguns pacotes de marshmallow e entregando ao pessoal. 


Cellbit: N-não... A-acho que perdi a vontade... Vou pra barraca durmi um pouco. 


— Aviso, cellbit vai para a barraca so porque o Felps esta lá dormindo sem camisa. 


Cellbit: QUE?! Ele ta sem camisa? Porque não me falou bixa? Falou! — diz saindo correndo ate a sua cabana. 


Mike: Oloko. 


Batista: Ele só faz isso somente para ver o boi hahaha. 


Jv: De quem é a vez? 


Rezende: EU! Eu tenho uma história aterrorizante! Uma vez eu estava gravando em um hospital assombrado aqui em londrina.... 


•°•♦| Mike |♦•°•


Terei de confessar deque a história estava interessante, mas ja estava ficando com sono. Pac ja estava dormindo. Pedi licença e me levantei pegando o gato e indo ate minha barraca. 


O gato ta morrendo de sono, hahaha, em todo o lugar onde eu o deixo ele quer deitar e fechar os olhos... Acho melhor eu parar com meu amor doentio de gato (tia Mikou: OLHA EU AI HAHAHA) 


Eu havia trazido dois lençóis felpudo com desenhos de pássaros e gatos. Bem... Hahah, é eu realmente tenho um amor doentio quando conta de gato. 


Me deitei no colchão inflável e botei o gato um pouco mas pro canto para ele ter um pouco de "privacidade" somente para eu não abraçar ele e acabar morrendo e tal... Coloquei meu lençol, estava muito frio. 


Fechei meus olhos esperando o sono vir.... Acabei sentindo... Pelos...? Haviam pelos pelo meu rosto, abri meus olhos rapidamente vendo o gato que botava seu rabo na minha cara... Como eu amo esse gato. Ele me olhava com aqueles olhos negros e... Lindos.... Como um gato tem olhos pretos tão lindos? Eu tambem não sei.... So sei que quero durmi. 


— Quer dormi comigo é? — Pergunto rouco, e vejo os pelos do animal se arrepiarem, ate rir um pouco, o gato anda ate mim e se deita perto de meu peito - Pós eu estava deitado de lado - Ele se aconchega e fecha os olhinhos.... Eu fechei os meus, e acabei dormindo com aquela bola de pelo lindo! 



Notas Finais


Desculpe por qualquer erro ortográfico ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...