1. Spirit Fanfics >
  2. Hidan - A garota que amei >
  3. Verdades ditas

História Hidan - A garota que amei - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


AVISO IMPORTANTE!
Deixa eu situar vocês. Bom, agora eles descobriram que conseguem se comunicar mentalmente mesmo distantes, ainda sim continuam sentindo um ao outro, após as relações, eles se conectam mesmo. Claro que não é contínuo, conforme as horas passam mais fraco fica, principalmente se Honami retirar o colar intensificador de seus poderes.
Já explicado isso, eles conversaram algumas vezes sem usar palavras, ou quando estiverem distante, pela mente, quando esses diálogos ocorrerem eu usarem parênteses e colchetes, assim ó, ex:
[(Então tudo bem,Hidan!)] -Honami.
[(Mas você disse, Honami, lembra?)] -Hidan.

Capítulo 10 - Verdades ditas


Fanfic / Fanfiction Hidan - A garota que amei - Capítulo 10 - Verdades ditas

Você realmente quer conversar sobre isso agora? Vamos perder o cara. -Hidan

Kakuzu o observando com os olhos apertados. 

Vamos kakuzu! -Hidan dá alguns passos.

Espere! -Kakuzu continua parado.

Hidan vira-se novamente para o parceiro. -Aaah! O que é Kakuzu? 

O que você fez com a ferramenta, Hidan? Como viu a localização do alvo junto com ela? -Kakuzu. 

Hidan o encara calado com a expressão debochada.

[(Por favor, Hidan, não conte isso a ele.)] -Honami.

Para de falar na minha cabeça! -Hidan falava com Honami, porém disse em voz alta fazendo com que Kakuzu achasse que era com ele. 

Diga logo, Hidan! Isso me pode ser útil, eu poderia usar também. Seria mais fácil. -Kakuzu.

Hihihihi! -Hidan ri debochado. -Tenho certeza que ela não iria querer. Hahahaha! Ao fim ele solta uma gargalhada. 

Kakuzu desprende seu braço lançando a mão em direção ao pescoço do parceiro o agarrando e lhe enforcando. Hidan segura o braço que o aperta e tenta lhe furar com a estaca, mas Kakuzu endurece o braço, o tornando impenetrável.

Fale, Hidan! O que fez? -Kakuzu afrouxa o braço para que ele consiga responder. 

Cof,cof! Hehehe! -Hidan.

Estou perdendo a paciência e o tempo. Se não falar eu vou quebrar seu pescoço aqui e agora. -Kakuzu.

Você só terá que colocar no lugar de novo,  Kakuzu. -Hidan.

… -Kakuzu o encara feio.

Tá bem! Tá bem! Olha… Talvez eu tenha beijado ela.

Kakuzu fica surpreso. -Beijado ela? Você ficou louco? 

Eu disse que talvez. -Hidan.

O que estava pensando? -Kakuzu.

Hehehehe! Quer mesmo saber? Acho que você ficaria um pouco constrangido. -Hidan.

Aarrggg! -Kakuzu.

[(O alvo está se distanciando muito de vocês)] -Honami.

Aí! ...Vamos perder o alvo, não acha? Por que não continuamos isso depois? -Hidan.

Kakuzu o solta, os dois se encaram por breve momento e logo partem. Depois de alguns minutos, Honami perde o contato com Hidan. 

Após o Jounin de Suna ser oferecido em sacrifício, por Hidan. Zetsu aparece.

Relate ao Pain! A missão foi um sucesso. -Kakuzu. 

Vou informá-lo. -Zetsu se retirava. 

Ei! Ei, ei, ei! Zetsu! Quando teremos outra missão? Quando vamos começar a caçar as bijuus? -Hidan se levanta ainda com a estaca em seu peito. 

Em breve! Acredito que daqui a poucos meses. -Zetsu se retira.

AFF! -Hidan senta-se ao chão. 

Hidan! -Kakuzu.

Aí! Eu tô um pouco cansado, Tá bom! Não segura meu pescoço novamente… Eu posso perder a paciência. E você sabe que quando eu perco a... -Hidan é interrompido.

Por que beijou a moça? Sabe que ela é minha ferramenta, não sabe? -Kakuzu.

Hidan vira o rosto para olhar o parceiro. -Relaxa. Não foi nada. Rsrsrs!

Kakuzu fica pensativo. -Ela é tão poderosa asssim?! É mais do que eu imaginava… Um beijo… Um beijo fez com que você enxergasse o mesmo que ela. 

Hihihihi! -Hidan ri pelos cantos.

Do que está rindo? Idiota! -Kakuzu.

Aaaaaahahahahaha! -Hidan solta uma descontrolada gargalhada. 

Kakuzu se irrita e tenta o segurar novamente, mas ele é mais rápido dessa vez e esquiva com um salto. 

O que é tão engraçado? -Kakuzu está irritado.

Tá legal! Rsrsrs! -Hidan tenta controlar as risadas. -Eu admito! Pode não ter sido só um beijo. -Ele põe uma mão na boca segurando o riso. 

HIDAN!? -Kakuzu.

Aí! Não grita, tá… Aff! Com esse teu senso de humor, até perdeu a graça. -Hidan cruza os braços.

Kakuzu fica esperando uma resposta com os olhos vidrados nele.

 ...A gente transou. -Hidan.

"A-a gente" vocês o quê?! -Kakuzu abre bem os olhos. -O que você…-Ele parte para cima de Hidan, e os dois começam a lutar. 

Aí! Fica calmo, Kakuzu! -Hidan lança a foice sobre ele, mas como sempre sua mira é ruim e seu golpe lento, não acertando no companheiro.

Ficar calmo? Ficar calmo? Ela não é um objeto sexual, Hidan. Você vai atrapalhar meus negócios. Eu não trabalho com esse tipo de coisa. -Kakuzu consegue segurá-lo pelo pescoço o trazendo para perto. 

Eu não forcei nada, tá legal! Mas que saco! Solta meu pescoço! KAKUZU! Ela também queria. -Hidan.

Kakuzu espanca Hidan com muitos socos, joga seu corpo contra o chão várias vezes como um saco de pancadas, Hidan ri descontroladamente por ter tirado Kakuzu do sério. Este tomado de ódio lhe arranca um dos braços, isso acaba enfurecendo Hidan, aflorando nele a vontade de matar Kakuzu, e em um momento de descuido, o Jashinista consegue o sangue dele começando assim o ritual. Sem demora, ele trata logo de furar um de seus corações, fazendo com que o parceiro fique desacordado por alguns instantes. Hidan chega perto com a estaca para furar os outros, mas rangendo os dentes que a essa altura estavam cheios de sangue, ele se controla, não realizando seu desejo. Pega seu braço e espera sentado na pedra. -Droga! Isso dói… Ande logo, Kakuzu, acorde!

Kakuzu enfim acorda, suspira e se senta irritado. Encara Hidan em silêncio.

Você não quer continuar com isso, não é Kakuzu?! Por favor, costura meu braço, vai! -Hidan.

Eu sabia que você era idiota, mas não a esse ponto. -Kakuzu.

Pode costurar meu braço?! -Hidan ignora o que ele disse. 

Kakuzu costura o braço do parceiro. -Você tem sorte que não atrapalhou o desempenho dos poderes dela… O que você planeja com isso, Hidan?! Tantas mulheres com quem você pode ficar… Isso por algum acaso foi um fetiche?

Virou meu pai agora, Kakuzu? -Hidan.

Arrgg! ...AFF… Vamos! -Kakuzu.

Ué?! Vamos para onde? -Hidan.

Vamos atrás de um coração. Você me deve um agora. Desgraçado! -Kakuzu.

Hidan o acompanha resmungando. -É você me deve a massagem, fisioterapia também. Estou cheio de costelas quebradas.

Fisioterapia não serve para isso, idiota. -Kakuzu.

Aarrrhh! Você é um saco. -Hidan.

 

Depois de dois dias eles voltam à vila de Honami, Kakuzu chega para pegar de volta os papéis, e Hidan, simplesmente quer estar com Honami.

 

Senhor Kakuzu! Hidan! Que bom que chegaram. Senti a presença de vocês ao chegarem no portão, eu estava meditando e tentando sentir o ambiente ao meu redor. Tenho lido alguns livros sobre meus poderes e pensei em melhorá-los. Acho que posso ser ainda mais útil para vocês. -Honami.

Aaaah! Cala a boca, Honami. Já de manhã e você falando sem parar. Você fala demais. -Hidan.

Vindo de alguém que reclamou o caminho inteiro até aqui.

KAKUZU! -Hidan.

Hihihihi! -Honami 

Kakuzu segue a pegar seus papéis, a moça o segue.

É… S-senhor Kakuzu! -Honami.

O que foi? -Kakuzu.

Acha relevante eu aprimorar meus poderes? -Honami

Seus feitos já são suficientes, já cumprem com meu papel. Mas se você acredita que deve melhorar, que seja. Só quero que continue sendo obediente e fiel a mim. Se me trair, eu terei de matar você. -Kakuzu.

Eu prometo! Continuarei servindo ao senhor. -Honami.

Ótimo! -Kakuzu mexe nos papéis. 

Hidan escutava os observando. -Você é patético… Pelo menos uma pessoa nesse mundo gosta de você, Kakuzu. 

E você tem muitos fãs, não é mesmo?! -Kakuzu se preparava para sair. 

A-ah! Senhor Kakuzu! Por favor, fique mais um pouco, eu preparei duas porções a mais. Almoce conosco. -Honami pede com as mãos juntas.

Não tenho tempo.

Kakuzu! Qual é? Ela preparou uma porção para você, o que custa comer? Você vai comer pelo caminho mesmo, pense! Aqui já está pronto. -Hidan

Honami esperava com olhar entusiasmado a resposta dele, ainda com as mãozinhas juntas.

Ele os encarava avaliando a questão.

Está certo, então! -Kakuzu.

Aaah! -Honami fica tão feliz que abraço Kakuzu sem pensar duas vezes.

Ele fica completamente sem ação, com os olhos esbugalhados, travado, esperando ela o soltar. Honami fecha os olhos e aprecia o abraço sentindo o constrangimento de Kakuzu emanar de seu corpo. Hidan só faz rir com a situação. 

Honami! -Kakuzu.

Sim?! -Honami.

Me solte! ...Agora! -Kakuzu.

Certo! Rsrsrs! -Honami.

Kakuzu se ajeita, ainda constrangido. Hidan o observa segurando o riso debochado. 

Eu vou servir vocês! -Honami volta correndo até a cozinha.

Hidan ri pelos cantos. 

Se contar isso algum dia a alguém, eu mato você. -Kakuzu.

AFF! De novo essa história! Aarrh! Quantas vezes tenho que lembrar que não morro?! -Hidan.

Os dois chegam à cozinha e a mesa já está posta. Honami senta e os olha solicita, a felicidade é nítida em seu rosto. Eles se sentam e põem-se a comer. 

Aí! Por que essa alegria toda? Só estamos comendo. -Hidan.

Eu sei! Mas estamos comendo juntos! Como uma família! -Honami.

Não somos uma família. -kakuzu.

Como grandes amigos! -Honami.

Não somos amigos! -Kakuzu.

Ah! Somos sim! Senhor Kakuzu! Rsrsrs! Somos sim! -Honami aperta os olhos, sorridente.

Hehehe! -Hidan ri debochando, mas ao fim, lhe encara com amor.

Kakuzu percebe a forma como ele se comporta com ela e observa mais atentamente Hidan. O parceiro nota que é observado e disfarça.

Assim que termina de comer, Kakuzu se levanta e sai andando com seus papéis, Honami o acompanha até o portão. -Até mais, senhor Kakuzu! Estarei esperando pelo senhor. -Ela acena com o braço bem esticado, o vendo ficar distante. 

Aí! O que você acha da gente entrar? -Hidan chega por trás dela e a abraça. 

Hidan! O s-senhor Kakuzu está bem ali! Pare com isso! -Honami.

Ah! Ele está bem distante, não vai olhar para trás. Vem! -Hidan a puxa para dentro. 

Logo os dois estão no quarto, o rapaz retira o manto, os sapatos, ficandoapenas de calça. Ele senta na cama com os pés no chão, Honami que de pé estava, segura os braços, corada.

Tire a roupa! -Hidan.

Ela hesita, continua parada e desvia os olhos.

Que foi? Você não quer? -Hidan.

É-é que… V-você vai ficar assim me olhando? -Honami.

Essa é a intenção. Vai! Tira logo! -Hidan.

Rsrsrs! Eu não consigo. -Honami. 

Aff! Você tinha que ser tão comportadinha?! -Hidan revira os olhos e fica de pé. Se aproxima e tira as roupas dela sem nenhuma lentidão ou romantismo. Lhe dá as costas para sentar novamente, mas ela se agarra a ele. -O que foi? 

Você vai me deixar a-assim de pé?! -Honami.

É! Eu quero te ver se aproximando sem roupa. -Hidan.

Não! Por favor. Assim não. -Honami o abraça pelas costas.

Por que não? -Hidan.

 …N-não, por favor! -Honami.

AFF! Tá legal! Tá legal! Então... -Ele a pega nos braços e lhe joga na cama, termina de se despir e se deita com ela.

Seus corpos se tocam e ele logo a possui. Seus chakras são ligados outra vez um no outro, seus pensamentos se misturam, suas essências se equilibram e a conexão entre eles se estabelece de novo, deixando o vilão calmo e dócil, até o tom de voz dele muda. 

 

… 

 

Ofegantes, deitam-se um ao lado do outro. Hidan parece ainda estar em êxtase. Honami vira-se para ele a fim de o admirar. O rapaz estava com os olhos fechados e a boca entreabre buscando ar.

O que foi, em, garota? -Hidan.

Você fica tão bonito assim. -Honami se sente muito apaixonada. 

É?! Rsrsrs! E você consegue sentir o quanto eu quero mais? -Hidan. 

Ela afirma com a cabeça. -Na verdade seus pensamentos estão misturados com os meus, na minha cabeça. 

É por isso então que estou pensando em romances bonitinhos de livros?! Eu sabia que esses pensamentos não eram meus. -Ele se senta, alongando as costas e estalando o pescoço. -Aí! -Hidan faz carinho no rosto dela. -Você me deixa muito louco!  

Hihihi! -Honami.

sério! ...Eu fico diferente quando estamos assim. Não é nada tedioso ficar com você. -Hidan.

Honami apenas o encara feliz.

[(Droga! ...Eu realmente estou apaixonado por essa garota. eu estou muito mesmo.)] -Hidan.

Eu também sou muito apaixonada por você, Hidan. hehehe! -Honami.

M-mas o quê? aaarrhh! Eu ainda não me acostumei.-Hidan fica constrangido por admitir isso em seus pensamentos.

Hehehe! Você é tão bonito, Hidan. -Honami.

Aí! pare com isso. Eu fico meio sem jeito. -Hidan.

 A moça deita sobre o peito dele e o acaricia fazendo-o arrepiar. 

Hidan! -Honami.

Quê? -Hidan.

Rsrsrs! Você tem todos os pelos do corpo cinza, até os das pernas. Hehehehe! Que engraçado. -Honami.

É a cor do meu cabelo, ué, o que você queria? -Hidan.

O moço a descobre dentre lençóis e dá uma boa olhada nela.

Ei! Hehehe! Pare! -Honami tenta se cobrir, em vão, pois ele segura seus braços.  -Pare! Pare! Está me constrangendo.

olhe só para você! Você tem todos os pelos do corpo verde, até seus cílios são verdes. _ele seua o rosto dela com as duas mãos e o espreme amorosamente. Qual a graça disso? -Hidan.

Rsrsrs! Nada! -Ela se cobre constrangida. -Eu apenas comentei… Como eu disse antes, você é muito bonito, e eu amo a cor do seu cabelo.

 com seu  jeitinho, Honami arranca sorrisos dele. O fazendo ficar pensativo. 

Você tem medo? -Honami.

Ele a encara calado, sabe que ela viu seus pensamentos. -…Não dá para esconder nada não é, acho que tenho que começar a ser verdadeiro com você. 

Honami o observa atenta. -Por que tem medo da nossa relação? 

Olha, não sou o tipo de cara que… Alguém escolheria para ter uma família… Falando sério… Não quero que você sofra por minha causa.. Eu realmente não quero isso. -Hidan.

Mas eu não estou sofrendo. -Honami.

É claro que não! É a segunda vez que transamos, Honami. Tá tudo bem por enquanto… Mas você sabe que eu não sou um cara legal… Eu estou com você porque me apaixonei, mas não sou do tipo que liga para as pessoas, entende. minha principal função é adorar Jashin e cumprir seus mandamentos. Isso inclui a destruição das pessoas. -Hidan.

E por que continua? -Honami.

Por que eu gosto… Eu gosto de matar. -Hidan.

Eu… Pretendo suportar isso. -Honami.

Por quê? -Hidan.

[(Acho que eu amo você.)] -Honami.

…Não pode amar alguém como eu. isso vai ferir você. -Hidan.

Honami o abraça e sussurra. -Então me deixe ser ferida só mais um pouquinho… Mas por favor, o faça devagar. -Honami.

Ele a levanta para olhar em seus olhos, aquelas palavras tocaram a alma de Hidan. Honami encaixa um beijo entre eles, e Hidan o intensifica.

Faz o seguinte. Vai ali, e veste o manto da Akatsuki! -Hidan.

Por quê? -Honami.

Só obedece tá! não fica perguntando muito. -Hidan. 

Honami acaba vendo suas intenções através de seus pensamentos. Ela obedece. Volta sentando-se sobre ele. 

Rsrsrs! Então você descobriu o que eu queria. Hmmmm! Acho que tô começando a gostar desse negócio de ter você na minha mente. -Hidan segura em sua cintura. -Mexe vai! 

Ele acaba ficando duas semanas direto com ela. Não saiu da Vila nem para fazer sacrifícios. Não gritou nem a tratou mal, fez suas vontades e até deixou que ela colocasse flores entre seus cabelos. 

Hehehe! -Honami

Hidan com cara tediosa cruza os braços. Honami havia colocado uma coroa de flores em sua cabeça e espalhado outras ao redor dele.

Ah! Você ficou lindinho! Hehehe! -Honami não se contém ao vê-lo assim. 

Você está se divertindo, não é? -Hidan.

Estou sim! Hehehe! -Honami.

Não tem graça! Se alguém da Akatsuki me visse assim eu iria perder toda minha moral… Eu nem sei porque deixo. -Hidan.

por que você me ama! hahaha! -Honami.

Ela chega perto e joga sobre ele mais pétalas de flores. Hidan continua com os braços cruzados e olhar tedioso.

eu sou um ceifeiro, sou membro da Akatsuki, não deveria estar passando por isso, se Kakuzu chegar aqui eu mato você! -Hidan.

Hahahahaha! -Honami não se contém com a cena e cai no chão com suas risadas.

Aí! Pare de rir de mim! Eu sou um cara durão, não seu brinquedinho… Caramba! Hrum! Eu nem gosto de flores. -Hidan vira o rosto para o outro lado. 

Então… Hehehe! Então por que ainda está com isso na cabeça? -Honami. 

A-ah! Aarrrhh! -Hidan arranca as flores e joga longe. Fica injuriado.

Hehehe! -Honami.

PARE DE RIR! ESTÁ ME IRRITANDO! -Hidan.

Desculpe! Rsrs! Honami se achega a ele, o abraça, mas ele permanece com os braços cruzados. 

Ei! Não sinta tanta raiva assim! Não foi nada demais. -Honami.

Hrum! -Hidan se levanta e segue para o casarão.

Ei! Onde vai? -Honami.

Vou tomar um banho. Estou cheio de mato no cabelo. -Hidan segue reclamando.

Honami o acompanha.

 

No casarão, ele segue para o banho enquanto ela mexe nos armários da cozinha. Hidan sai do banheiro de toalha e cabelos molhados sobre o rosto. Honami nem pisca ao vê-lo assim.

Rsrs! que foi? Nunca viu? -Hidan percebe e implica com ela.

A-acabou algumas coisas. Precisa trazer mais. -Honami contorna a conversa.

Ah! Sério?! Mas que merda! Esse negócio de ter uma casa é realmente cansativo. Sabe o quanto é chato ter que ir a outra vila. -Hidan.

É! Posso imaginar. -Honami.

Mas que droga! ...Tem hora que faz falta uma civilização por perto. Tá, legal! alguém tem que fazer isso. Eu vou na Vila mais próxima.. Que saco! Eu só queria dormir agora. -Hidan.

Será que eu posso ir com você?! -Honami.

O quê? Não! Claro que não! Se Kakuzu descobre isso, aí sim será um problema. Isso não posso fazer. -Hidan.

Tem medo de Kakuzu?! Pois está me parecendo com medo. -Honami.

Aí! Você acha que eu não sei o que tá fazendo? Não tente me manipular, lembra que seus pensamentos são meus também. -Hidan.

Desculpe. -Honami.

Hidan sobe e se veste. 

Hidan! Por fav… -Honami é interrompida.

Não! Já falei que não! -Hidan.

Por favor! Por favor! -Honami.

AFF… Você às vezes é muito chata, viu! -Hidan.

Hidan! Eu faço o que você quiser quando voltarmos. Prometo me comportar e não tocar nas pessoas, nem nos objetos. Por favor, eu vou me comportar! -Honami.

Hidan a encara tedioso. -Aff…

Isso é um sim? -Honami o percebe solícito. -Aaaahh! É um sim? ...Diz que é! 

Hidan sorri de canto. 

Hehe! Aaah! -Honami pula em seus braços. 

Ei! Rsrs! Calma! -Hidan. 

Obrigada! -Honami o enche de beijos.

Ei! Pare com isso! Para! ...Tá… Vamos logo! -Hidan.

 

Na Vila vizinha...

Aí! Ou! Espera! Aarrh! Você está andando muito rápido! -Hidan.

Honami estava deslumbrada com as crianças da vila. eles já haviam comprado tudo que era necessário e estavam voltando para casa. 

Aí! -Hidan puxa o braço dela com agressividade. -Eu mandei esperar não foi? Me obedece, merda! Eu tô perdendo a paciência. 

D-desculpe! Eu estava vendo as crianças. -Honami.

AFF! Toma! Agora você quem vai carregar essas coisas. Segura! -Hidan joga as bolsas em cima dela a fazendo carregar. 

Nossa… Que peso! N-não tem com você dividir comigo não? -Honami.

Não! Isso é para você aprender a obedecer. Parece criança. -Hidan.

Hrum… Que cara idiota aquele ali! -Um rapaz da vila falou alto com seus dois amigos, para que Hidan escutasse. 

O servo de Jashin parou a caminhada e virou-se lentamente para ele. -Por acaso… Falou comigo? 

O rapaz fica de pé. -Além de idiota e é burro também,rsrsrs! 

Hidan aperta os dentes. 

Eu não falei com você, falei de você… Como pode deixar uma garota dessas carregar as bolsas?! Deve ser por que você é um fraco. -O rapaz e os amigos riem. 

Hidan range os dentes e os encara feio.

Hidan! -Honami põe as bolsas no chão e toca nele. -Hidan! Não! Estamos na vila deles. 

É! Por isso estão achando que têm vantagem. 

Vamos embora! -Honami.

Aí! Por que você não vem aqui e vê se eu sou fraco? aposto que sua mãe não diria isso. -Hidan.

Hidan! Para! -Honami bate no peito dele. 

Cala a boca! -Hidan a empurra para longe. 

Olha só, nem tratar uma garota ele sabe. Rsrsrs! Ei, moça! O que você viu nele? Por que não vem aqui e fica com a gente?

Enquanto um dos garotos ria, Hidan jogou uma Kunai no rosto dele, o matando ali mesmo.

HIDAN! -Honami.

Aí, cara! Você vai pagar por isso! 

Hidan pega as bolsas e Honami nos braços. -Vou estar esperando vocês a cem passos desta vila, na estrada principal. Sejam rápidos, não tenho o dia inteiro. Se demorarem eu vou embora. 

E por que não aqui?

Não! Se eu matar vocês aqui não vou poder voltar a essa vila. -Hidan.

está com medo?

hehehehehe! estou começando a ficar com sede de sangue! -Hidan.

E num piscar de olhos ele sumiu com as bolsas e a garota. Os rapazes correm atrás. Hidan deixa Honami um pouco afastada do local combinado.

Hidan! Hidan! -Honami tenta o segurar. -Não precisamos disso! Vamos para casa! 

Não saia daqui, não tenho como proteger você. Você morre, eu não. então fique quieta aqui. -Hidan.

Eles são Ninjas. _Honami.

É! ...Hahahaha! aaaaaahahahahaha! - Hidan começa a rir de forma maligna.

S-seu chakra… Está pesado, Hidan... Está ruim. -Honami.

É! ..É Jashin! -Hidan solta um sorrisinho maléfico.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...