História Hidden Wounds - Capítulo 33


Escrita por: ~

Postado
Categorias Aladdin
Personagens Aladdin, Gênio, Jafar, Personagens Originais, Princesa Jasmine, Razoul
Tags Aladdin (disney), Aladdin X Jafar (disney), Disney, Gravidez Masculina, Hentai, Jafar (disney), Jasmine (disney), Morte, Omorashi, Originais, Romance, Sadismo, Sexo, Tragedia, Yaoi
Visualizações 251
Palavras 2.204
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Magia, Romance e Novela, Saga, Slash, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ooooiiee ☺☺☺ sentiram saudades? Capítulo atrasado, eu sei, mas não fiquem pts comigo, please, como eu expliquei no recadinho lá atrás 👈👈 minha internet bugou, mas cá estou eu.

É, eu tava sem ideia de título, então coloquei esse, mas talvez eu mude depois.

Mas vcs não estão aqui para me ver badalando, né? 😰😰 Desculpem qualquer errinho, e bora pro capítulo.

Capítulo 33 - Por do sol.


Fanfic / Fanfiction Hidden Wounds - Capítulo 33 - Por do sol.

  Aladdin

Achmed me levou até o estábulo real para pegar um cavalo, quando chegamos lá o servo já estava terminando de selar ele.

-Já terminei de selar seu cavalo alteza, ele já está pronto para sair.

Disse o servo.

-Ótimo, pode se retirar.

Disse o príncipe.

-Eu conheço esse cavalo.

Disse eu.

-Eu fui com ele para Agrabah quando nos encontramos pela primeira vez.

-Eu sei, posso acaricia-lo?

-Claro que pode.

Eu me aproximei do cavalo e comecei a acariciar sua crina.

-Como ele se chama?

Perguntei enquanto o acariciava.

-Príncipe.

Achmed respondeu.

-Haha...Príncipe!? que original.

-Eu estava meio sem ideias.

Achmed falou sem graça.

Eu fui para frente do cavalo e comecei a brincar com ele.

-Como vai Príncipe? eu sou o Aladdin, é um prazer conhecer você. [falei enquanto acariciava seu focinho.] Você é muito bonito.

Enquanto eu o acariciava, Príncipe começou a relinchar, dei um passo para trás achei que ele não tivesse gostando e poderia me dar um ponta pé a qualquer momento,não se sabe o que se passa na cabeça desses bichos.

Mas depois eu vi que estava tudo bem, o cavalo me encostou a cabeça em mim e começou a me acariciar com o fucinho e a me lamber.

-Sabe montar docinho?

Perguntou Achmed.

-Eu sempre gostei de cavalos, mas nunca montei.

-Para tudo tem uma primeira vez.

Achmed falou enquanto me pegava nos braços e me colocava de lado em cima do cavalo, Achmed saiu puxando Príncipe pela corda até o portão do castelo.Chegando lá ele montou atrás de mim, segurou a guia do cavalo enquanto envolvia seus braços em mim.

Nós saímos do palácio em passos lentos, eu aproveitava cada segundo para admirar a cidade, Bagdá era muito bonita, um verdadeiro oásis no deserto, era até mas bonita que Agrabah​.

Não que eu estivesse desmerecendo a cidade, nada disso, Agrabah é muito bonita, ou pelo menos era, na verdade eu nem se ainda está tão bonita assim.

Como eu era prisioneiro no palácio, e Jafar nunca me deixava sair para nada, eu não tenho como saber como anda a cidade pelos lados de fora.O único lugar que Jafar me levava raramente, quando estava de bom humor, era o jardim, mas quando ele me levava lá era para me torturar na frente de todos.

Não faz mas de uma semana que ele me levou lá e me agrediu na frente de quem quisesse ver, para completar ele ainda fez vários pequenos cortes em meus lábios com um alicate de unha, tudo isso porque ele sismou que eu estava traindo ele.

Fala sério, nós nunca fomos casados de verdade, aquele casamento era pura fachada, aliás nem isso, qualquer casamento de fachada era mais válido que o nosso.

Eu tenho as marcas até hoje, mas elas não podem ser vistas graças ao feitiço que Jafar colocou em mim para esconder meus ferimentos, porém eu ainda podia senti-los mas não podia ver.

E a algum tempo atrás ele reforçou esse feitiço, a cada novo machucado ou mudança no meu corpo não seria notada, nem mesmo por mim.

Por exemplo; A bofetada que Sami me deu no dia que brigou comigo, a marca que ficou não foi notada, por isso Achmed não percebeu.

-Está gostando da cidade meu doce?

O príncipe perguntou me tirando de meus pensamentos.

-É linda.

Falei.

-Já estamos quase chegando a praça do mercado.

-Pensei que já tínhamos chegado.

-Não, nós não chegamos ainda, se já tivéssemos chegado você saberia, Príncipe já teria corrido para lá como um relâmpago.

-Ele deve gostar mesmo de ir ao mercado.

-Ele gosta é das cenouras e das maçãs que eu compro para ele na barraca do Hakam toda vez que vamos lá.

-Lá deve ser um lugar bem movimentado.

-E é mesmo, nós quatro vamos nos divertir muito essa tarde.

Disse o príncipe enquanto envolvia os braços em minha barriga.

-Como assim nós quatro?!!

Eu perguntei sem entender.

Do que ele estava falando? só éramos três, eu ele e o cavalo, não tinha mais ninguém conosco.

-É, eu...é que...Você para mim vale por dois meu anjo.

O príncipe falou e depois deu um beijo na minha mão.

-Sei.

Eu disse o olhando de lado com um leve sorriso.

Não me convenceu, alguma coisa ele estava escondendo, mas resolvi deixar para lá por enquanto e aproveitar o passeio.

De repente Príncipe saiu galopando como um louco até chegar a uma praça muito bonita e animada, cheia de músicos, comerciantes, artistas de rua e muitas pessoas fazendo compras.

-Pelo visto nós chegamos na praça.

Disse eu dando risada.

-Haha, é, com o Príncipe não tem como errar.

Disse Achmed.

-Então que tal uma visitinha a barraca de Hakam?

Eu perguntei enquanto acariciava a cara do cavalo.

Príncipe relinchou de felicidade, pelo visto ele tinha adorado a idéia.

-Pangaré guloso, tudo bem vamos.

Demos uma volta pelo mercado até chegarmos a uma barraca com um vendedor bem simpático.

-Boa tarde príncipe Achmed, como vão?

-Muito bem Hakam, e você?

Perguntou Achmed.

-Eu estou ótimo meu príncipe, está tarde está uma beleza para um passeio, e falando em beleza quem é esse garoto que está com o senhor?

(Lavem...)

-Esse é o Aladdin.

-Ah, Sim...o senhor tem muito bom gosto majestade.

-Aladdin não é uma cumcubina é o meu convidado, não é meu doce?

-Sim, é um prazer conhece-lo Hakam.

-O prazer é todo meu Aladdin, e o senhor majestade não vou nem perguntar o que vai querer, já vou pegar um saco com dez maçãs e outro com dez cenouras.

-Isso mesmo, e você meu doce quer uma fruta?

-Tem tâmaras aí?

Perguntei.

Já fazia um mês que eu estava com muita vontade de comer tâmaras.

-As melhores tâmaras de Bagdá estão nesta barraca, quantas você quer?

-Vamos levar um quilo.

Respondeu Achmed.

-Claro príncipe, aí estão as cenouras e as maçãs.

-Um quilo de tâmaras Achmed?! que exagero, não é muita coisa?

-Que bobagem meu doce, além do mas eu também vou querer algumas.

-Aqui estão as tâmaras mais doces meu senhor.

-Obrigado Hakam, aqui está o dinheiro.

Disse Achmed.

-Obrigado príncipe, bom passeio.

-Obrigado Hakam.

Saímos da barraca de Hakam comendo tâmaras e dando cenouras e maçãs para Príncipe, aquele cavalo era um papa maçãs e cenouras, tivemos que voltar lá umas 3 vezes para comprar mais.

Se bem que eu não podia falar muito do cavalo, porque eu comi por um exército, eu não parava de ter desejos por alimentos, eu não queria abusar do príncipe Achmed, ele já estava me tratando tão bem.

Mas minha vontade falava mas alto que minha educação, eu não consiguia controlar esses desejos e Achmed também não parecia se importar em satisfaze-los.

Achmed queria comprar para mim todas as jóias que via pela frente, se dependesse dele esse seria o dia de sorte para muitos joalheiros do mercado.

Em uma hora ele já tinha me comprado: 3 pares de brincos, 1 de ouro, 1 de esmeralda e o outro de rubi, 4 colares, 1 de ouro maciço, 1 de ouro com diamantes negros, 1 era uma fina corrente de ouro entrançada com ouro branco e na ponta uma pedra negra.

Achmed disse que era a pedra da noite, e o último para mim era o mais lindo de todos, ele era todo feito de um diamante azul escuro, ele também comprou 2 anéis de ouro, 3 pulseiras e 3 braceletes.

Por mais que aquelas jóias fossem lindas eu não queria tudo aquilo, e tudo isso em apenas uma hora, imagine o tanto de jóias que ele comprou ao decorrer da tarde.

Nós chegamos na praça do mercado uma hora da tarde e já eram quatro e quinze da tarde, a essa altura eu já tinha o suficiente para abrir minha própria joalheria.

Mas é como diz o ditado: "quando não é 8 é 80", antes eu não tinha nada, agora...eu estava carregando meu próprio peso, ainda com umas trinta gramas a mais que eu em jóias caras.

Ele era o exagero em pessoa quando se tratava em agradar alguém, se ele me levar ao mercado por sete dias seguidos o reino de Bagdá vai falir.

Por mais que eu dissesse para ele o tempo todo: "Achmed chega de jóias" Umnf, entrava por um ouvido e saia pelo outro, isso quando entrava, eu mal terminava de falar e ele já tinha comprado mas 3 três jóias diferentes.

Apesar dos exageros do príncipe, nós nos divertimos muito, vimos vários shows de malabaristas de rua, músicos, comemos até a goela, bebemos refrescos de tudo quanto era tipo, e quando eu pensava que já tinha acontecido de tudo naquele dia, olha só o que aconteceu:

Achmed me levou para visitar uma hospedaria animada que ele disse que gosta de escapulir para lá de vez em quando, as vezes ele até ia com o Karif.

Até ai tudo bem, nós sentamos em uma mesa, comemos, bebemos e conversamos, mas é claro que nós deixamos o príncipe quadrúpede do lado de fora, com um empregado da estalagem cuidando dele.

Conversa vai, conversa vem, nós conhecemos dois homens idênticos, eram irmãos gêmeos e bem simpáticos, conversamos, bebemos, só para esclarecer nós não tomamos nada alcoólico, pelo menos eu não.

Até porque eu não podia, porque o médico proibiu, disse que minha saúde estava frágil, Achmed bebeu uma ou duas taças de cerveja e comemos, mas claro sem exageros afinal ele apesar de não ser metido como eu pensei, ele é um príncipe, e como futuro rei tinha que evitar alguns exageros.

Os gêmeos que conhecemos, esses encheram a cara, não queriam nem saber, bom...depois de tanto bla,bla,bla, Achmed pagou a conta e nós fomos embora, ou pelo menos tentamos ir embora.

Quando Achmed e eu saímos para pegar o Príncipe, o encontramos amarrado do jeito que tínhamos deixado, só que ele estava acompanhado por uma bela égua malhada que também estava amarrada lá, os dois estavam na maior paixão.

E até convencer o pangare de que tínhamos que ir embora, foi difícil, ele estava encantado com a fêmea, até tentamos suborna-lo com maçãs e cenouras, mas ele nem olhou, em compensação a égua encheu a pança.

Achmed vendo que Príncipe não ia desistir da sua conquista por nada, Achmed e eu voltamos para dentro da hospedaria atrás do dono da égua, perguntou em toda altura quem era o dono da égua que roubou o coração e o barril de cenouras e maçãs do seu cavalo.

E advinha só quem eram os donos da égua? eram os dois gêmeos que já não se aguentavam em pé de tão bêbados, e os dois disseram que eram donos uma fazenda.

Então pára não termos que voltar a pé para o palácio, o que foi que Achmed fez? comprou a égua, porem eles disseram que só venderiam a égua se nos também levassemos um casal de grandes tartarugas com 100 anos no casco, que eles já estavam tentando vender a meses.

Resultado; saímos com uma égua chamada estrela, e um casal de tartarugas anciãs, e como se não bastasse no meio do caminho descobrimos que estava estava prenha.

O resultado disso foi mais cenouras e maçãs da barraca de Hakam, depois de tanta agitação, resolvemos encerrar o nosso relachando em uma praia deserta que ficava a alguns quilômetros dali.

Era o lugar mais lindo que eu já vi em toda a minha vida, o mar estava calmo, o barulho das ondas me tranquilizavam, era como uma música, sem contar no canto das aves, era simplesmente...mágico.

-Ei docinho, olha só o que eu achei.

Achmed me mostrou uma enorme concha, seu interior parecia um aspiral, parecia um mini labirinto.

-É muito linda.

Falei enquanto pegava.

-Se você encostar o ouvido nela, consegui ouvir o barulho do mar.

-Sério?!

-Experimenta.

Encostei o ouvido na concha, e realmente ouvi o barulho do mar.

-É incrível!

Falei.

-O mais legal é que não importa onde você esteja, se você encostar seu ouvido nela poderá ouvir o barulho do oceano, e o melhor, agora ela é toda sua.

Falou Achmed.

-Mesmo?! obrigada.

Falei enquanto o abraçava.

Eu estava facinado com aquele objeto, dentre todos os presentes que Achmed me deu naquele dia, aquela concha foi o melhor, ela era uma jóia da natureza, por isso era a mais valiosa, eu nunca vou esquecer esse dia.

-Está com sede docinho? eu vou pegar uma água de coco aqui perto, não demoro.

-Tudo bem.

Realmente ele não demorou, depois de matar a sede, nós nos sentamos na áreia bem perto do mar, Príncipe e estrela também fizeram o mesmo, aquele realmente era o clima perfeito para um casal, mesmo sendo dois cavalos.

💎💎💎💎💎💎💎💎

Achmed

O sol já estava pela metade, o céu já estava começando a adquirir aquele tom meio amarelado, Aladdin estava com a cabeça apoiada em meu ombro, ele já tinha total confiança em mim.

Ele parecia tão relachado e tranquilo, bem diferente de quando chegou ao palácio, aquele passeio fez muito bem para ele, meu docinho devia ter muitos traumas.

Ele não soltou mais a concha que dei para ele, eu soube no exato momento que a encontrei que ele iria adorar, aquele lugar era como um calmante para ele, desde que ele chegou nunca o vi tão tranquilo, ele estava quase adormecendo, achei melhor levá-lo para casa.

-Ei docinho, está ficando tarde, temos que ir...docinho?!

Eu olhei para Aladdin e vi que ele já tinha adormecido, tão lindo, fiquei com pena de acorda-lo, dei um beijo na sua testa.

-Eu te amo.


Notas Finais


Gostaram?😎😎oh mano, deu até vontade de ir pra praia 😰😰mas cadê a grana?💸💸

Sabe a concha que o Achmed deu pro Aladdin? Então, a imagem dela eu deixei no recadinho lá atrás 👈👈

Bom como vcs sabem as aulas votaram 🎶para nooossa aleeegriaaa🎤 só que não 😣 bom, então, e eu ainda por cima vou começar a fazer curso de inglês, e adivinha quando é o curso? Terça,😟😟por isso eu vou postar capítulo nos fins de semana, como sempre, uma semana sim, e outra não, vcs já sabem.

Eu sei que vcs já devem tá querendo me esganar com essa mudança o tempo todo, (tô parecendo minha escola) mas eu prometo, prometo que dessa vez é definitivo, eu não vou mudar mais, prometo.

Bom, não me matem, se for pra me matar, por favor, que seja nos comentários.

Bjs, até a próxima 🙋🙋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...