História Hierárquico - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha
Tags Abo, Alfa, Naruto, Ômega, Sasunaru, Yaoi
Visualizações 231
Palavras 1.793
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fluffy, Harem, Lemon, LGBT, Luta, Romance e Novela, Slash, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aí galera, tudo bom? Eu vou ter que ficar postando pelo celular por um tempo - que droga - porque meu PC queimou. Aquela porcaria tinha o ano todo pra pifar e queimou justo quando invento de postar fic?! Brincadeira viu. Sem mais delongas...

Boa leitura.

Capítulo 6 - O Encontro


- Nossa, aonde vai tão arrumado? - Brinco com Kiba. Ele estava muito lindo, usava um Smoking preto que resaltava seus músculos.

- Vou sair com um lindo Ômega. - Ironiza. - Vamos? - Pergunta com um sorriso de satisfação.

- Claro. Vamos. - Falo entrando no carro.

Meu dia com o senhor Uchiha foi um tanto quanto… revelador. Cada dia aprendo um pouco mais daquela família, basicamente tudo que aprendi foi: Sakura, a mãe de Sarada morreu num acidente trágico de avião, o Boeing 777; Sasuke é um tanto frio, mas esconde sua tristeza debaixo dessa "armadura"; Pai e filha ficam desunidos depois do acidente. Ou seja, tudo é tristeza lá dentro. 

- Naruto? Está bem? - Kiba me tira dos meus devaneios. 

- O quê? Ahn, estou sim. Só… pensando. - Rodopio a mão em frente ao meu rosto. 

- Entendo. - Fala sem tirar os olhos da estrada. 

Ao chegar no meu prédio, convido Kiba para entrar no apartamento. 

- Bem vindo à minha humilde residência. 

- É bem… aconchegante. - Ele com certeza estava incomodado. Isso porque arrumei o apartamento tem dois dias, imagina se não tivesse o feito?!

- É, tirando o mofo, o fedor e algumas baratas. - Odeio a parte das baratas, morro de medo, mas tive que aprender a conviver com elas. 

Kiba estava "inspecionando" o meu apartamento, ele havia ido a cozinha, ao banheiro e agora estava na sala. 

- Então… eu vou tomar um banho e me arrumar, não vou demorar. - Sigo para o banheiro. 

Eu havia tomado um banho rápido, mas não desleixado. Passei perfume, arrumei o cabelo e passei creme. Quando me vi no espelho, julguei que estava bom, afinal, eu estava com minhas melhores roupas - Apesar de eu não ter boas condições, minhas melhores peças não condiziam com isso. 

- Pronto. - Me avalio em frente ao espelho. 

Saio do quarto e vou de encontro a Kiba na sala. A reação dele foi de boca aberta, ele me olhava de cima para baixo abismado. 

- Naruto, você está… muito lindo. - Ele tinha um certo brilho nos olhos. 

- O-obrigado. - Não pude evitar de ficar envergonhado com o elogio. 

- Vamos? - Ele me entrega o braço. 

- Vamos. - Sorrio para ele e seguro em seu braço. 

Assim que saímos do apartamento, vejo o senhor Gibson descendo às escadas, escondo meu rosto para que ele não me veja mas já era tarde, ele assistia a cena com o queixo no chão, fiquei com vergonha por isso. 

Entramos no carro de Kiba e seguimos para o lugar do encontro, ele ainda não havia me dito onde iríamos, não perguntei nada porque talvez ele queira fazer uma surpresa. 

A viagem foi em total silêncio. Eu achei que iriamos para um restaurante simples e tal, então não pude evitar de ficar surpreso quando ele estaciona o carro no Akimichi's, um restaura caro nte muito chique e caro, um dos melhores de Konoha, eu me perguntava como Kiba podia pagar o jantar aqui.

- Kiba, vamos no Akimichi's?! - Pergunto surpreso. 

- É. Por quê? - Ele se faz de sonso. 

- "Por quê"?! É um restaurante caro, de onde tirou dinheiro pra pagar nosso jantar? - E se esse emprego dele de Chofer fosse um disfarce e ele fosse um chefão da máfia? 

Fico assustado só de pensar nisso. 

- Bom, o dono é um velho amigo meu, me devia uns favores e aqui estamos. 

Eu nada digo, apenas sigo ele pelo tapete vermelho. Um segurança ficava na entrada e logo atrás tinha um balcão onde fomos atendidos e Kiba entregou um papel para a balconista - provavelmente o comprovante - e logo após entramos. 

Fiquei deslumbrado ao ver o interior, era todo decorado em mármore branco, com desenhos nas paredes, a iluminação era impecável, várias mesas muito bem decoradas, enfim, era um lindo lugar. 

- É lindo. - Falo para apenas Kiba ouvir. 

- É, não é. A primeira vez que vim aqui fiquei assim também. - Então ele já havia vindo aqui mais vezes?! Resolvo por deixar isso quieto e aproveitar o momento. - Ali nossa mesa. - Ele aponta com o queixo. 

A mesa ficava quase no fundo do restaurante, perto de uma janela e uma planta. Um garçom estava nos esperando ao lado dela.

- O quê desejam? - Pergunta o garçom nos entregando o cardápio após nos sentarmos à mesa.

Olho para Kiba sem saber o que fazer, ele apenas sorri me incentivando à pedir o que eu quero. 

- Eu vou querer… - Passo o dedo pelo cardápio escolhendo a receita que mais me agrada. - Esse aqui. - Aponto para o garçom o prato que quero. 

- Salada verde, arroz branco, feijão roxinho e feijão preto, batata sauté, couve refogada com bacon, banana à milanesa, farofa e filé de frango?! Ótima escolha. - Ele sorri mas depois volta à postura séria de antes. - Confirmo  o pedido? - Balanço a cabeça positivamente para ele. 

- Certo. - Ele anota no Tablet. - E o senhor, o que irá querer? - Ele pergunta para Kiba. 

-  Carpaccio de filé mignon com vinagrete de azeitonas pretas e pinoli. 

- Bebida? - Pergunta o garçom. 

Kiba olha para mim como se soubesse o vinho que mais me agradaria. 

- Sim, um vinho tinto, Cobos Malbec Rebon Vineyard 2010. 

Até vinho ele sabia escolher?! Estou impressionado. 

Após o garçom sair Kiba se pronuncia. 

- Tenho quase certeza que irá gostar do vinho. 

- Ah, não se preocupe com isso. - Sorrio. - Você parece entender bem de vinhos, senhor Masterchef. 

- É, um pouco. Aprendi com o Choji a como escolher bons vinhos. - Ele dá de ombros. 

- Então, você trabalha há quanto tempo lá na Empresa? -

- Já irá fazer uns quatro anos. - Diz ele fazendo pose de pensativo. 

- Bastante tempo. E sua casa? Mora sozinho? - É claro que ele mora sozinho 'baka', até parece que você está saindo com um homem casado. Ironizo. 

- Moro em um apartamento também. E não moro sozinho, tenho um companheiro. - Nessa hora gelei, meu coração até falhou uma batida, essa Kiba é um cafajeste. Me levanto para lhe dar um tapa. - Meu cachorro. - Volto minha mão rapidamente, quase que eu o acertava em cheio, ele até recuou um pouco assustado. - O quê foi? - Ele pergunta. 

- Nada, era só… uma mosca. - Rio de nervoso. - Deve ter vindo da planta aqui perto. - Aponto para a planta do nosso lado. - Então, o que dizia? - Me sento de novo. - Ufa, essa foi quase Naruto. 

- Tenho um cachorro no meu apartamento, o nome dele é Akamaru, ele iria gostar de você. 

- Que legal, amo cachorros. - Cães são o meu animal favorito. 

- Que bom, ele vai amar te conhecer quando você for lá em casa. 

- Que fofo. - Fico imaginando esse cachorrinho dele. 

O garçom chega com nossos pratos e bebidas. 

Eu pensava que comida de rico era um prato cheio, mas vendo o meu prato e espiando o dos outros clientes, eu estava redondamente enganado, todos os pratos vinham uma miséria de comida. Vinha um  caroço de cada porção, não dava para encher nem o buraco do umbigo. Mas claro que eu não ia dizer isso para o Kiba.  

- Itadakimasu. - Kiba e eu falamos em uníssono. 

A comida até que era boa. Com um preço daqueles e com uma miséria dessas no prato, no mínimo tinha que ser saborosa. Mas eu ainda preferia minha comida de pobre mesmo, nada como um arroz e feijão. 

- Que delícia. - Provo do meu vinho. 

- Eu sei. Essa é uma boa safra. - Ele aponta para a garrafa. 

Terminamos de comer - o que foi muito rápido dado a miséria no prato - e continuamos a conversa.

- Mas agora me fale de você. Tem algum sonho? O quê gostar de fazer? 

- Bom, meu sonho sempre foi ser médico pediatra, amo crianças, foi bastante coincidência eu conseguir trabalhar de babá. - Rio. - Mas pelas minhas atuais condições, é um sonho inviável, não tenho como bancar uma faculdade. Gosto de fazer brincadeiras e regar plantas, são meus passatempos. 

- Legal. - Ele sorri. - E seus pais? São daqui de Konoha?

Fico triste ao pensar em meus pais biológicos.

- Desculpe se fui muito invasivo. 

- Não, tudo bem. Eu... 

Começo a explicar um pouco da minha vida para Kiba, ele ouvia a tudo com atenção. 

- E é isso. 

- Eu sei que você passou por muitas coisas difíceis. - Ele põe sua mão sobre a minha. - Mas, eu estarei aqui por você, para o que der e vier. 

- Obrigado Kiba. Você tem sido tão bom comigo, nem sei se posso retribuir tanta gentileza sua. 

- Ah não esquenta com isso. - Pisca um olho para mim. 

Continuamos a conversar sobre várias coisas banais por um tempo. Até que vejo  para meu relógio e percebo que já está bastante tarde. 

- Minha nossa. Kiba, olha… eu, está muito tarde, tenho que ir. - Me sinto péssimo por ter que acabar com esse encontro, mas iríamos trabalhar amanhã. 

- É. - Ele verifica a hora em seu relógio. - Está bem tarde. Vamos. 

Ele chama o mesmo garçom que nos serviu e o avisa que estamos de saída. Como nosso jantar foi grátis, apenas seguimos para a saída. 

oÔo

Chegando no meu prédio, agradeço ele. 

- Obrigado Kiba. Foi uma ótima noite. - Falo meio sem jeito.

- De nada Naruto. 

- Então… nos vemos amanhã? - É claro que íamos nos ver amanhã, Naruto 'baka'. 

- Sim. - Ele sorri. - Até amanhã Naruto. - Ele estava quase entrando no carro, mas o chamo novamente. 

- KIBA. - Corro até ele. Quando ele se vira lhe beijo na boca. 

Ele me segura pela cintura aprofundando o contato. Era um beijo apaixonado e romântico. Nos separamos e ficamos encarando um ao outro por alguns segundos, até ele se pronunciar. 

- Tenho que ir. Boa noite Naruto. - Ele vai para o carro. 

- Boa noite Kiba.

Assim que entro no prédio, ouço o barulho do carro dando partida, ele já havia ido. 

Entro no apartamento e tomo um bom banho, sinto como se a água levasse embora todas as minhas preocupações. 

Vou para meu quarto e me deito. 

Fiquei um tempo pensando no meu encontro com o Kiba, no nosso beijo, aquele alfa era como uma luz no fim do túnel pra mim, eu me sento mais feliz perto dele.

- Boa noite Naruto. Amanhã é um novo dia. - Falo para mim mesmo e  apago o abajur.


Notas Finais


Então, como eu expliquei nas notas iniciais, se ficar aqueles espaços enormes, me desculpem, mas vai ter que ficar assim, até meu PC voltar do conserto.

Não deixem de comentar o que acharam! Obrigado por lerem. Até a próxima O/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...