História HIERATUN - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Ação, Bts, Game, Ilha, Luta, Survivor
Visualizações 62
Palavras 1.165
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Luta, Survival, Suspense
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - EMERGENTE


Fanfic / Fanfiction HIERATUN - Capítulo 2 - EMERGENTE

Nada acontece por acaso, eu sei. Mas às vezes a vida pode ser injusta.

Acordei com os gritos do meu padrasto, embriagado, reclamando que suas roupas estavam mal lavadas. Meu pai faleceu quando tinha apenas 6 anos de idade. Sozinha e com medo da pobreza minha mãe casou-se novamente com um homem que ela acreditava ser bom e honesto. Um tempo depois ele caiu no vício do álcool e perdeu tudo que tinha, tornando-se um homem falido e violento. Eu levantei da cama e fui andando devagar até a sala onde avistei ele jogando todas as roupas no chão. Ele não tem sensibilidade e continua maltratando ela mesmo estando muito debilitada pela diabetes e seu problema cardíaco, o qual precisa de uma cirurgia de revascularização do miocárdio. Seria necessário viajar para Seul e realizar uma cirurgia de aproximadamente 103 mil dólares para salva-la mas, infelizmente, não temos dinheiro nem para chegar lá. Me sinto inútil. Tenho 21 anos e não posso sair desse pequeno vilarejo em Yosu para estudar e trabalhar. Vejo minha mãe sofrer, morrendo aos poucos... e quando isso acontecer, eu estarei completamente sozinho no mundo. Esses são os motivos pelo qual posso estar me suicidando ou, com sorte, mudando nossas vidas para sempre.

Ela juntava as roupas do chão com muita dificuldade. Senti uma dor imensa no meu peito e, para não piorar a situação, permaneci calado porque sempre que brigamos ele desconta nela. Caminhei para fora e encontrei no chão um envelope branco com meu nome, sem remetente. Meu coração bateu mais forte... era exatamente o que eu esperava: fui aceito na Hieratun. Existem muitas teorias sobre essa ilha mas ninguém tem provas ou sabe ao certo se ela existe. Para as autoridades a Hieratun é apenas uma história inventada na internet.

Eu sentei na calçada, abri a carta e li atentamente as instruções. A partir desse momento minha vida mudaria para sempre... Se eu ganhar, os meus problemas estão resolvidos. Vou levar minha mãe para Seul e salvá-la. Depois viveremos bem longe daqui. Estou arriscando minha vida por isso.

Eu corri até a casa da Kia, minha melhor amiga, para contar a novidade. De longe pude avista-la na janela, como se estivesse me esperando. Quando ela me viu, abriu um grande sorriso.

K - Taehyung!

- Oi - sorri, me aproximando.

Ela saiu de casa e veio correndo ao meu encontro. Eu quase fiquei hipnotizado com seus cabelos escuros balançando ao vento e seus olhos castanhos, brilhantes, olhando pra mim.

- Kia, fui aceito no Hieratun. O Hieratun é real!

K - Jura? - surpresa.

- Sim! Eu recebi uma carta. Olha! -disse abrindo a carta e entregando para ela.

K - Será que isso é verdade?

- Só se você tiver fazendo alguma brincadeira comigo pois eu não contei pra ninguém. Só você sabe que eu me inscrevi.

Ela baixou a cabeça.

K - Tae... eu não sei não... - falou baixinho.

- Ei, vai ficar tudo bem! Com esse dinheiro eu vou ajudar a minha mãe. E isso é tudo que eu quero.

K - Tae... - suspirou.

- Não se preocupe comigo! Só... cuide da minha mãe enquanto eu estiver fora.

K - Pode deixar. - forçou um sorriso mas uma lágrima escorreu em seu rosto.

- Eu não entendo... você me ajudou a me inscrever e...

K - Eu não acreditava que a Hieratun fosse real! - me interrompeu.

- Quando eu sair de lá, vou te procurar. - falei olhando em seus olhos, enxugando suas lágrimas. Ela sorriu.

K - Você já sabe o que sinto por você... desde aquele beijo. Eu gostaria que você sentisse o mesmo por mim.

Eu estava me preparando para o Hieratun. Eu não podia começar um relacionamento com a Kia. Seria muito difícil me despedir... por isso resolvi não dizer a ela o que sinto. Aliás, eu nem sei o que eu sinto. Há muito tempo me sinto confuso e angustiado.

- Vai chegar uma mensagem do local e horário de partida no seu celular. - disse quebrando o silêncio. - Você precisa me avisar...

S - Ok.

Eu tive que vender meu celular para custear as contas de casa, então quando me inscrevi, a Kia ofereceu que eu informasse o telefone dela.

- Bom, eu já vou indo...

K - Até mais!

Quando eu estava saindo...

K - Tae! Se cuida! - preocupada.

Eu a abracei forte.

- Não se preocupe. - sussurrei, passando as mãos em suas costas. - Eu vou entrar para ganhar.

Beijei sua testa e saí.

Voltei pra casa. Já faz um tempo que eu vinha me preparando fisicamente, inclusive treinando estratégias, pontaria, reflexo... mas agora preciso me preparar psicologicamente.

Eu ajudei minha mãe a arrumar a casa e preparar a janta, como de costume. Eu queria ficar com ela o máximo de tempo possível. Meu padrasto não estava em casa... quem sabe assim eu tenho uma boa noite de sono.

Já era tarde da noite quando bateram na porta, era a minha vizinha avisando que tinha uma ligação da Kia. Meu coração disparou. Eu fui correndo até a casa dela para atender:

- Alô? Kia?

K - T -Tae? - ela estava com a voz trêmula.

- O que houve? Você está bem? - preocupado.

K - Eu preciso te ver agora! Me encontra aqui atrás na fábrica de móveis.

- Agora?

K - Sim! Estou esperando...

- Ok... estou indo.

Eu passei em casa, peguei um casaco e fui correndo até lá. Passando por um bêco escuro, pude avistar 5 homens de preto que pareciam soldados. Eles estavam armados. Seus capacetes cobriam seus rostos. Eles estavam em volta da Kia, que estava com as mãos amarradas, chorando. Havia uma arma apontada para sua cabeça.

Imediatamente dois soldados surgiram atras de mim, me cercando.

? - Nem mais um passo!

Eu parei onde estava.

- Quem são vocês? E o que querem de nós?

Um soldado se aproximou, ele tinha uma estrela dourada no peito e uma linha dourada atravessando seu capacete, provavelmente exerce alguma autoridade entre eles. Quando ele chegou mais perto, reconheci o símbolo da Hieratun Corporation em seu colete.

- Deixem ela em paz! Eu que me inscrevi!

? - Apenas participantes, patrocinadores e assinantes podem saber sobre a Hieratun Corporation.

- NÃO! - gritei. - Ela não vai contar pra ninguém!

? - Eu queria poder acreditar nisso, Taehyung, mas acabamos identificar que ela tentou contatar as autoridades...

Meu coração batia forte, senti todo o meu corpo enrijecer. Olhei para Kia, ela fechou os olhos com força deixando as lágrimas caírem.

K - Me perdoa! Eu não queria que você fosse...

Eles a puseram de joelhos.

- NÃO! NÃO! - gritei, chorando desesperadamente.

Eles me seguraram para que eu não pudesse me aproximar dela.

Ele virou-se, encaixou um silenciador, puxou o gatilho e atirou na cabeça dela. Friamente, sem hesitar.

Eu gritava, desesperado. Eu não posso acreditar! Ela morreu por minha culpa! Eles me soltaram e eu corri até ela, abraçando seu corpo sem vida.

? - Você não morrerá aqui e agora porque infelizmente já apresentamos os participantes e existem muitas apostas em seu nome.

Eu me curvei sobre o corpo da Kia chorando, angustiado.

? - Levem ele!

(...)


Notas Finais


Muito obrigado por ter lido❤️ espero que gostem. Desculpem os erros...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...