História High School Hell! Ops! State. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jisoo, Kim Taehyung (V)
Tags Bullying, Colégio, Depressão, Drama, Infernal, Jisoo, Taehyung, Taejisoo
Visualizações 21
Palavras 1.131
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - 01


Fanfic / Fanfiction High School Hell! Ops! State. - Capítulo 2 - 01

6:30h, de Daegu. 

                                                       P.O.V Kim Jisoo

— Acorda minha filha linda. - Eu enfiei o travesseiro na minha cabeça, reclamando que o meu dia de inferno já tinha chegado. 

— Fala isso não, talvez lá alguma coisa mudou. Vamos, se não vai chegar atrasada. - Minha mãe já tinha ficado sem paciência, e foi lhe abrir as cortinas me deixando cega por contas do claro que o sol está fazendo hoje. Já desistindo de ficar reclamando, a minha mãe de cabeça dura nunca vai mudar. Levantei-me da cama, sendo empurrada pela a senhora Ae-Chan Bae. 

Me encarei no espelho, com fios que está um nó, o rosto inchado, marcado e uma cicatriz na sobrancelha parecendo que eu fiz um risco. 

É... a minha vida vai começar tudo de novo. 

Eu fiquei afastada do colégio, por um ano por que a minha mãe precisava de algum emprego e eu estava com os problemas psicológicos. A mesma senhora achou o melhor eu estar afastada do colégio. 

Talvez possa melhorado. 

Digo pro mim mesmo, olhando as cicatrizes recentes no meus pulsos, embaixo das pulseiras. 

Vesti uma calça jeans que tem uma parte no joelho rasgado, uma regata rosa, um par de qualquer tênis e para finalizar, coloquei um laço rosa no meu cabelo deixando uns fios na minha testa. 

Vejo a minha mãe que estava super animada para quem vai voltar pro colégio, ela acreditava que retornar para aulas possam me fazer "outra pessoa". 

Suspiro. 

Eu comia as panquecas com a boca cheia, vamos lá mais uma tentativa. 

— Mãe, eu não preciso ir pro colégio. Poderia me mudar para outro colégio? - Me resmungando, rezando para última vez que minha mãe possa aceitar essa ideia, mas pela sua cara acho que não. 

— Apenas ignore-os e reencontre as suas amigas. - Piscando um dos olhos pretos e puxados.

Respirei fundo. 

Por outro lado bom, verei as minhas melhores amigas, pois, estive afastada delas também. Parecia que estive no deserto por um ano. 

Peguei a minha mochila velha que tem alguns chaveiros de amizade, de armas e de sereias, ao abrir a porta e fiz a ação novamente. 

Respirei fundo. 

Fui andando para a escola infernal, ops, escola estadual. Se minha mãe me ouvisse falando desse jeito, com certeza me apanharia. 

Ao encarar os portões grandes com pontas finas e tinha um multidão de pessoas me deixando tremer de nervoso. Até me suava de frio, levei a minha mão vermelhada de nervoso segurar a alça da mochila firme e comecei os meus passos lentamente. Ao entrar no portão, vejo alguns grupos espalhados por aí me confirmando que nunca mudou desde parei de estudar. 

Tinha um grupo de patrícias, de rock, de musicais, de lutadores, de nerd e ...

Respirei fundo, o suor descia na minha nuca. No meu coração estava acelerado. Baixei a minha cabeça, comecei a encarar os meus pés e continuei andando. 

de populares, Bangtan Territory Life. 

Fui até no meu armário, deixar os meus livros por lá. Quando fechei a porta do armário, relevo um rosto sorridente me assustando. 

— Ai! Meu Deus! - Levo a minha mão pro meu coração que se acelerou rápido do que o normal. 

— Desculpas. - A Lisa gargalhou do meu reação. 

— Mas aish!!! Que saudades de você!! - Diz ela animada, puxando para abraço apertado que eu retribui. 

Rio abafado. 

— Lisa... vai me sufocar. - Digo balançando os seus ombros. 

— Aish! Eu sei. - Gargalhando me soltando, me fazendo rir também. 

Ficamos no silêncio por segundos até ela tocar naquele assunto que eu torcia não tocar. 

— Você está bem? - A tom de voz demostrou a preocupação e a mão gelada dela levou até nas minhas pulseiras. Ela é única pessoa, apesar da minha mãe, sabe que eu fazia isso algum tempo. 

— Sim, estou sóbria. - Levanto os ombros, dando um sorriso para deixar o clima confortável e deixar a mesma ficar tranquila. Realmente estou sóbria por um ano e está tudo estranho para mim, pois, me acostumava ao fazer isso. 

A Lisa sorriu, me deixando aliviada. Fomos pro quintal da escola que tinha uns bancos e as meninas estavam lá. 

— Jisoo!!! - A Jennie aproximou correndo para o abraço apertado novamente, e eu lhe retribui claro, eu não estava muito diferente delas, estava com muitas saudades mesmo. 

As aulas começaram e a gente ainda estamos no banco, conversando nos assuntos aleatórios. 

— Essa burra ainda namora naquele moleque. - Diz a Rosé apontando o dedo para atrás aonde a Lisa estava. 

Revirei os olhos, dando de ombros. 

— ROSEANNE PARK! EU ESCUTEI! - A Lisa estava lhe mostrando o dedo do meio nos deixando gargalhar. 

— Também essa ridícula se gama no Jimin acredita-se? - Ela estava mostrando a língua para a Rosé me deixando revirar os olhos, rindo das essas palhaçadas. 

— Aí meninas, parem né. Vamos. - Diz a Jennie revirando os olhos, me puxando para a sala. Nós eramos da mesma sala. A Lisa e a Rosé eram do primeiro ano e a gente de segundo ano. Por sorte, o diretor deixou eu passar do ano se não estaria no primeiro novamente. 

Eu fiquei mastigando o meu chiclete rosa, focando nas aulas de químicas, apesar de eu odiar a matéria, estava com saudades desse professor Newton com barba branco, fazendo as brincadeiras nos alunos. É o meu preferido professor. O mesmo que tentou salvar a minha vida daquele... dia. 

A porta abriu lentamente e os meus olhos curiosos, por sem querer a chiclete engoliu e eu nem percebia. Que merda. Não esperava que possa encarar ele logo cedo. 

— Está tudo bem. Eu vou proteger. - Diz a Jennie sussurrando no meu ouvido, ela estava na minhas atrás. 

— Está atrasado novamente senhor Kim Taehyung! - Diz o Newton ameaçando que vai dar uma tapa na bunda dele, fazendo os alunos rirem, exceto nós. O jovem sentou a próximo de mim, os seus olhos castanhos me encarou por minutos. 

— Esse laço. - Riu, e virou para o professor. Eu simplesmente tirei o laço no meu cabelo por impulso. 

Tarde demais, a Jennie percebeu o clima entre nós. 

— Seu babaca, deixa ela usar o que ELA quiser. - Jennie diz com bom voz para ele escutar, mas o mesmo nem reagiu, continuou o que estava fazendo... Debochar os novatos, quer dizer, estudar. 

Me viro para a Jennie. 

— Jennie!!! Não faça disso!! - Ela nem me escutou, continuou a escrever as fórmulas no caderno dela. Apesar de ela ser "infantil" no estilo dela, nunca baixou a cabeça para ninguém. Isso ela aprendeu a lidar com essas coisas por causa do pai dela falecido bêbado. 

— Kim Jisoo! Poderia sentar direito? - Diz o professor me chamando, e me virei para frente novamente. E vejo os olhos castanhos me encarar novamente, baixei a minha cabeça lhe ignorando. Irei escutar a palavra da minha mãe. 

  "Apenas ignore-os"


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...