1. Spirit Fanfics >
  2. High School Sucks >
  3. Jogos de Festa

História High School Sucks - Capítulo 35


Escrita por: e GbMr


Capítulo 35 - Jogos de Festa


Fanfic / Fanfiction High School Sucks - Capítulo 35 - Jogos de Festa

As meninas resolveram fazer uma festa do pijama secreta, já que era fim de semana.

Todas se amontoaram no quarto de Musa, porque Galatea era uma das estudantes que ia para casa. Estavam apreciando os famosos jogos de festa.

Stuffy Bunny, Detetive, Verdade e Consequência e uma série de outras recreações.

As luzes estavam apagadas, apenas os abajures iluminando o quarto, deixando-o um tanto aconchegante.

Até o momento, Aisha estava na liderança, seguida por Flora, Musa e Stella. A loira não estava muito satisfeita com suas derrotas, mas não ligava muito para vencer. Teria que pensar demais para isso, e no momento ela só queria relaxar.

Agora as meninas se deleitavam de Stop.

Mas Tecna e Bloom decidiram não jogar, então Aisha, Musa, Stella e Flora se esbaldavam em palavras e argumentos tentando manter a voz baixa para não serem pegas, apesar de saberem que Griselda possivelmente não se importaria de ver uma festa do pijama num fim de semana.

— Stella, murritos não é uma comida com m! — Aisha argumentou.

— Claro que é!

Burritos! — Flora exclamou, padecendo revoltada. — Burritos, Stella, com b!

Musa interveio: — Você poderia usar macarrão, manteiga, makimono, masago…

— Mas manteiga não pode ser considerada comida. — Aisha franziu a testa.

— Claro que sim! — Stella rosnou. — Depois você quer falar dos meus murritos!

Burritos! — Flora gemeu.

— Mas a gente não come manteiga. — Aisha explicou. — Não pegamos uma colher pura e colocamos na boca pra saborear.

— Manteiga tem a mesma função da Nutella, certo? — Musa arqueou a sobrancelha.

— Sim, mas…

— E você come Nutella pura. — Flora estreitou os olhos.

— Nutella e manteiga são diferentes!

— Você tá errada. — Stella olhou para Bloom e Tecna, sentadas na cama. — Meninas, o que vocês acham? Manteiga é comida ou não?

— Sim. — Tecna e Bloom disseram em uníssono, as duas parecendo estar segurando o riso de alguma coisa no aparelho da garota magenta. Pareciam não ter prestado atenção na pergunta feita pela loira, nem pelos murritos. 

— Aff, tanto faz! — Aisha cruzou os braços, bufando.

— Animais agora. — Stella mudou de assunto. — Macaco.

— Mariposa. — Aisha respondeu.

— Mico. — Musa afirmou.

— Medusa. — Flora abaixou a folha.

As outras três olharam para ela, sem entender.

— Medusa é um cnidário. Vive no fundo do mar.

As três fizeram um "oh" silencioso. 

— Meu namorado é… — Aisha olhou para as três. — Magricela.

Stella riu. — Eu pus maravilhoso.

— Aff, Stella! Eu também! — Flora fez beicinho, não satisfeita com o empate.

— Medíocre. — Musa murmurou. 

E continuaram seus jogos.

— Isso é demais… — Tecna pôs a mão sobre a boca para evitar rir. Bloom mostrava-lhe alguns memes estadunidenses, os melhores, e a garota magenta morria de rir.

— A gente tem um chamado de Karen. Mulheres escrotas que se achavam as donas da razão. — Bloom mudou para tal tópico no Reddit.

— Santo Graal… isso é demais! Por que não temos isso na Noruega?!

— Você tem internet lá? — Bloom arqueou a sobrancelha.

— Sim…

— E você usa ela para coisas inteligentes.

— Vou criar uma conta no Reddit agora.

— Isso vai ser demais. Você também precisa ver o BitLife!

— PitLife?

— BitLife! Com b. É um jogo… muito legal. Pelo menos pra mim. — A ruiva sorriu.

— Vamos fazer Gato Mia! — Stella sugeriu.

— Bloom, Tecna, vocês têm que participar. — Flora sorriu.

— Por quê? — Tecna fez um muxoxo.

— Porque senão a gente vai pisar em vocês. 

As duas riram. — Tá bem, não quero ser pisoteada. Me convenceu. 

Depois de fazerem jokenpo, Bloom foi a primeira vítima. Ela ria enquanto Musa e Stella amarravam um lenço envolta de sua cabeça, cobrindo seus olhos. 

A luz se apagou e todas se afastaram, Musa sendo responsável por girar Bloom dez vezes.

— Vou vomitar… — A ruiva reclamou na quarta rodada. 

— Aguenta firme. Tá acabando. — Depois da décima, Musa se afastou rapidamente. — Pode vir! 

Bloom andou pelo quarto escuro, se orientando pelos miados das meninas e suas risadinhas quando pela falava: — Gato mia.

Ela tropeçou no puff e caiu, risadas irrompendo não só dela como também das meninas. Logo ela esticou a mão e pegou a perna de alguém, que não podia se esforçar para fugir. 

— Gato mia! — Ela pediu. 

— Miau. — Ela sorriu maliciosamente quando reconheceu a voz. 

— Tá com você, Aisha.

.     .    .

Diaspro rangeu os dentes e jogou o celular para trás.

— Você ficou louca? Poderia ter quebrado! — Chimera repreendeu, sentando-se na cama. Seus cabelos negros estavam presos em um coque alto, uma camisa longa da Ramones servindo de pijama.

— Foda-se! Sky volta amanhã! — Diaspro rosnou.

— E como você sabe disso? Pensei que não estavam se falando.

— Minha mãe! A mãe dele e a minha conversaram esse fim de semana e agora ele vai voltar pra cá. Depois de quase um mês!

Chimera não sabia o que responder. Sabia que sua amiga tinha uma paixonite estranha por Sky, que nem era tão bonito assim. Era um menino loiro dos olhos azuis, o famoso estereótipo de "pessoa padrão". Era despreocupado com a vida, muito leal às pessoas que amava e simpático demais. Ela não confiava em pessoas que riam com facilidade.

E tinha outra coisa. Sky era o motivo de todas as conversas de Diaspro. E isso a irritava.

Por isso ela o odiava.

— Acho que você deveria investir em outro. — Chimera desviou o olhar para o Kindle, a tela preenchida com a página 237 de "O Instituto". — Tem os quatro irmãos que chegaram, o Solace…

— Eca… Não. Chimera, você sabe que não funciona assim. — A loira bufou e olhou para a janela. Seus olhos cor de âmbar brilharam na luz da noite, e Chimera não pôde a achar mais bonita. Sua camisola de algodão azul bebê combinava perfeitamente com seus cachos cor de ouro. Parecia uma princesa dos contos de fadas, talvez excedendo por seu olhar nem um pouco convidativo. — De um jeito ou de outro, vou me casar com ele, e prefiro estar apaixonada por ele do que o detestando.

— Como tem tanta certeza? E a Icy?

Diaspro riu ironicamente. — Icy é uma princesinha longe da linha de sucessão, Chimera. Ela não precisa se casar se não quiser, e não vejo porque alguém da Casa Sutherland seria interessante para ela.

— …Talvez pelo mesmo motivo que um Sutherland seria interessante para você?

A loira rosnou. — Pare com isso! — Diaspro sentou na cama. — Pare de me provocar. Estou me segurando para não pôr o plano em prática antes da hora.

Chimera engoliu em seco. — O primeiro é…

— Terça, claro. Com a norueguesa irritante. — Ela deitou na cama.

Chimera coçou os punhos. — Por que temos que começar com ela mesmo?

— Da história menos chocante para a mais. — Diaspro revirou os olhos. — Você quem sugeriu, por que esqueceu?

Chimera desviou o olhar. Quando descobriu que Tecna na verdade era assexual, sentiu-se atraída pela garota magenta. Ela não parecia ser uma membro das Winx, parecia mais uma reencarnação de Einstein, só que punk. Chimera não nega, gostava de observar Tecna na aula de saúde de Ofelia, quando a turma do primeiro ano todo se juntava.

Nesse momento, ela se amaldiçoou por estar junto das Nebulosas e de seus planos com a escola, pois faria de tudo para ter menos aulas com elas e mais aulas com Tecna.

— Você vai começar com ela…

— Por que tá repetindo isso, caralho? Achei que mais do que ninguém, gostaria de vingança. Lembre-se do meu diário.

Chimera deitou novamente na cama e encarou o teto. Pensava em quem poderia estar por trás do sequestro do diário de Diaspro, mas sabia que eram as Winx. Sabia que uma delas, Bloom, esteve em seu quarto. Mas queria saber que seria a cérebro por trás disso, e já suspeitava de ser Tecna. Era inteligente e sorrateira demais, com certeza tinha técnicas na manga.

Veja pelo lado bom, pensou ela, O segredo dela é o menos chocante de todas.

— Você vai colocar a Bloom por último? — Ela questionou.

— Estou me decidindo entre Bloom e Flora, mas quem eu realmente quero atingir é essa estadunidense de meia tigela. — Diaspro rosnou, puxando as cobertas para si. — Ela ousa roubar meu namorado e meu diário. Isso é inaceitável.

— Hm…

— Não diga que ele não era.

— Tudo bem. Mas então você vai usar o segredo da Flora antes do dela? O da Fernández é chocante demais, talvez nem ela saiba disso.

— O problema não é meu se a genética é infalível.

Chimera suspirou e desviou o olhar. Seja lá qual fosse a ordem, todos os segredos eram segredos. Seria incrível ver as fadinhas sensatas se apavorando com elas, a escola voltando a acreditar na seriedade das Nebulosas.

E com esse pensamento feliz, Chimera adormeceu.

.    .    .

Quando Bloom acordou, estava entre Tecna e Stella, que dormiam passivamente.

Aparentemente, três ficaram na cama de Musa e três na de Galatea. Ela levantou com todo o cuidado do mundo e viu Flora e Aisha abraçadas na cama. Musa estava roncando no chão, provavelmente havia caído. Seu ronco parecia uma melodia. Será que nada que ela fizesse seria horrível? Parecia estar cantarolando uma canção de ninar.

Bloom se remexeu para tirar o celular debaixo dos glúteos.

Abriu o Instagram, despreocupadamente. A primeira coisa que viu fez seu estômago se revirar duas vezes.

Duas porque a primeira foi a foto de Andy e Roxy. Ele lhe dando um beijo na bochecha e ela sorrindo. Seus cabelos esverdeados pareciam brilhar no sol da Califórnia, a camisa branca desabotoada expondo seu torso malhado. Roxy estava de biquíni, os cabelos castanhos balançando voando com o vento. Pareciam felizes como um casal de mais de anos – que ela sabia que eram. A segunda foi a curtida em destaque logo abaixo da foto.


𝘋𝘢𝘱𝘩𝘯𝘦 𝘗𝘦𝘵𝘦𝘳𝘴


Ela quis esfolar as mãos de sua irmã, e ainda sentiria vontade de fazer algo pior. Ela rangeu os dentes e se esforçou para não surtar. Talvez ela achasse que eles tinham começado a namorar agora, talvez.

Quis levantar logo em seguida. Queria saber se Sky estava bem, mas não mandou mensagem para o loiro. Achava que as conversas que tiveram poderiam encher o saco dele, afinal, quem precisa de uma pessoa mandando mensagem 24/7?

Ela suspirou e levantou. Tecna permaneceu desacordada, Stella idem. Saiu furtivamente do quarto e seguiu para o primeiro andar dos dormitórios, até o seu.


Notas Finais


Eu vou tentar trazer capítulos mais longos, prometo.

Muito obrigada por sua audiência, por sua paciência e por ser essa pessoa maravilhosa!!!

Beijos, GbMr ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...