1. Spirit Fanfics >
  2. High School Sucks >
  3. Teoria de Sófocles

História High School Sucks - Capítulo 42


Escrita por: e GbMr


Capítulo 42 - Teoria de Sófocles


Fanfic / Fanfiction High School Sucks - Capítulo 42 - Teoria de Sófocles

Sky não sabia se ficava aliviado ou muito puto.

Eldora estava bela e jovem no terraço de Manchester. Seu rosto bem corado e os cabelos loiros como os do neto esvoaçando na brisa fresca da ala verde da cidade. Um vestido similar a uma flor de petúnia rosa, onde as pétalas eram a saia, caiam bem sobre o aspecto jovial de sua avó. 

Jovial e avó não combinavam, de jeito nenhum, mas Sky não podia estar mais admirado. 

Eldora tinha seus olhos chocolate grudados no horizonte, onde a Wheel of Manchester brilhava com os poucos raios de Sol que ultrapassavam as nuvens do céu nublado. Ela respirou fundo e sorriu, olhando para o rapaz. 

Sky não a ouviu falar, mas entendia código Morse de várias formas: a maneira deles se comunicarem quando pessoas indesejadas estavam por perto. Eldora dedilhou na amurada de cimento e Sky ficou perplexo. 

O muro era a única coisa que ele ouvia, como se estivesse no vácuo e um único som pudesse ser ouvido, quebrando todas as leis da Física. Ele reconheceu muito bem para quem não praticava a linguagem há algum tempo. 

Cisne está linda de noite. Sempre foi minha constelação favorita. 

Ele dedilhou de volta. Como assim?

A estrela Deneb. Observe-a, e estarás me observando, querido.

Ao piscar, Sky não se encontrava no terraço com Eldora. Na verdade, parecia estar em seu quarto de Manchester Hall. 

O porém é que não estava sozinho. 

Sky quase teve um ataque do coração ao ver Bloom em sua cama. A garota ruiva tinha seus cabelos lustrosos livres pelos ombros. Usava um arco de folhas verdes, o que de início ele não entendeu. Seu corpo estava quase nu, excedendo uma lingerie que lhe cobriam os seios e a virilha. As sardas começavam a surgir a partir do pescoço e se estendiam por seu peito e braços. 

Mas o que chamou a atenção dele não era a garota em si. Nem como ela estava.

A cor dos tecidos.

Laranja.

— O que foi? — Bloom sorriu, maliciosamente, balançando as pernas que descansavam no ar, o rosto apoiado nas mãos. — Não vai vir comer?

Sky olhou para a janela, e viu que era dia. Tinha que ser um sonho. Eles dois em um mesmo local àquela hora? Impossível. 

— Err… Bloom, olha, eu… — Ele parou de falar assim que passou a mão pelos cabelos. Algo que não o pertencia estava ali. 

Bloom pareceu sorrir divertida ao perceber a confusão no rosto do loiro. — Ah! Você é tão… fofinho! 

Ele piscou e se virou, dando de cara com o espelho atrás da porta de seu quarto. Sky usava um arco com duas orelhas longas e pontudas: orelhas de coelho. Tirando o enfeite, apenas uma cueca box azul. 

Ele piscou, ainda sem compreender, e virou-se para a deusa ruiva que estava disposta em sua cama, brincando com os cachos ruivos entre os dedos. 

— Você vem ou não vem me comer, Sky? — Ela arqueou a sobrancelha, a voz preenchida de luxúria e desejo. 

Como alguém poderia resistir a um pedido daqueles? Sky se arrastou como um coelho faminto e sentou-se na cama, ao lado dela. Bloom logo subiu sobre ele, e seus seios ficaram a centímetros de sua boca. 

— Você demora demais… — Ela murmurou, beijando seus lábios carinhosamente. Céus… ela tinha um beijo muito quente. 

— Eu não sabia que você estava me esperando. — Ele murmurou de volta. Ela sorriu e abraçou seu pescoço, o quadril rebolando sobre o membro ainda escondido pelo devido da boxer.

— Agora que está aqui… — Ela dedilhou seu ombro másculo. — Poderia… se alimentar? — Ela arqueou a sobrancelha, um sorriso genuinamente ordinário preenchendo os lábios carnudos. 

Ele não pôde se segurar. 

Ele tirou a beldade de seu colo e ajoelhou-se no chão. A puxou para si, até suas coxas ficarem próximas de seu rosto. Ele pode sentir o cheiro adocicado que ela emanava naturalmente, e o tesão em seu sangue ferveu-se.

Com os dentes, ele tirou o tecido caroteno que cobria sua intimidade.

Um gemido escapou pelos lábios da ruiva ao sentir a língua quente dele subir e descer por sua entrada. Suas pernas subiram em seus ombros, servindo de apoio para a jovem. 

Ele sorriu. Não sabia o porquê, mas para ele, fazer sexo oral em uma garota era infinitas vezes melhor que receber. Não era surpresa que ele já transara com muitas, não sabia exatamente quantas, mas com todas elas, ele precisava experimentar a singularidade de cada uma. E agora, descobrira qual era seu sabor favorito entre todas elas. 

Saber que uma garota gemia seu nome, se contorcia e puxada seus cabelos para no final chegar numa sensação indescritível de orgasmo e beber de seus sucos… ele não sabia explicar como aquilo o excitava mais do que ver uma garota o chupar. 

— Sky… — Bloom murmurou, os olhos cerrados, uma das mãos sobre a boca e a outra segurando com força os lençóis, tanto que os nós de seus dedos embranqueceram. Ela tentava não gemer muito alto, obviamente para não levantar suspeitas, mas a missão era quase impossível. Sky explorava cada centímetro dentro do possível com sua língua. Usava os lábios para ajudá-lo a estimular o clitóris. Brincava com ela com os dedos. 

— Eu… eu vou… — O corpo de Bloom se contorceu gentilmente, um grito suave lhe escapando da garganta e…

Brandon. 

— Cara! Acorda! — O moreno estalava os dedos em seu rosto. 

A decepção era evidente no rosto de Sky. Se empolgara demais para descobrir que era tudo apenas um sonho. Passou a mão na face e parou com elas sobre a boca, ainda tentando assimilar o que era o mundo das fantasias e o da realidade.

— Bom dia e… mano, é melhor você ir pro banheiro antes que Riven te veja assim. — Brandon arqueou a sobrancelha.

— Assim como?

O moreno fez um movimento com o olhar. Sky olhou para baixo e viu um volume por baixo dos lençóis, na área da virilha. Seu rosto mudou de alva para vermelho e ele rapidamente sentou-se, as cobertas sobre o membro enérgico.

— Não precisa de preocupar comigo. Eu sou seu irmão mais velho, ou não sou? — Brandon brincou, pegando uma muda de roupas no armário. — Só… ande logo para ir para o banheiro, ok? 

— Claro. Não quero dar oportunidade pra Riven tirar sarro. — Sky murmurou e levantou-se. Pegou rapidamente uma muda de roupa em sua parte do armário e saiu junto com Brandon, as roupas cobrindo a virilha protuberante. 

O banheiro masculino não podia ser diferente. 

É claro que não podia. 

Dois meninos com sorrisos travessos jogavam uma espécie de queimada com bolinhas de papel higiênico molhadas. Se estavam limpas ou não, era um mistério. Na ala dos chuveiros, conversas altas sobre meninas e jogos. Um cheiro enjoativo de suor, perfume, cigarro e outras coisas que o loiro preferia não descobrir. Sky fez uma careta. Como que as pessoas podiam acordar tão dispostas em plenas sete horas? 

Hola, muchachos! — Riven abraçou o pescoço dos dois companheiros e os apertou, os aproximando de sim.

— Oi cara… — Brandon tirou o braço do amigo de si com uma cotovelada. — Hola muchachos? Você não deveria estar aprendendo japonês?

Riven revirou os olhos. — Você aprendeu italiano?

O moreno estreitou os olhos. — Mas eu sei falar italiano.

— Uhum, sei…

Ascolta, figlio di pu…

— E você, alteza? Tá falando que língua agora? — Riven ignorou Brandon completamente, que apenas revirou os olhos, lançou um olhar de aviso para o colega de quarto e sumiu em uma das cabines. 

— Eu… — Ele procurou com vigor por um chuveiro livre. 

— Caralho, quantos centímetros você tem? — Riven arqueou a sobrancelha ao notar a região genital numa tentativa falha de encobrimento. — Por isso que as meninas não param de correr atrás de você? 

— Por favor, Riven, eu não tô num bom humor hoje. — Ele resmungou e caminhou apressadamente para o último chuveiro. 

— Para quem ainda vai bater uma de manhã, obviamente está ansioso. — O garoto sorriu, um tom provocante e espertalhão.

Sky apenas lançou-lhe um olhar de "Cala a boca" e sumiu debaixo de uma das duchas.

Riven suspirou e encarou o reflexo no espelho. Não lembrava de estar tão feliz assim desde que Musa e ele tinham começado a ficar. Não era ficantes oficiais, mas ficavam casualmente em todos os lugares possíveis: o Auditório, a sala de jogos, o armário do zelador… era uma pena saber que Knut vivia em um lugar onde tinha apenas as funções de armazenar produtos de limpezas e servir de motel para casais. 

Pensou em como seu pai ficaria orgulhoso do filho. "Você encontrou uma paixão? Fico feliz por você!". Ele sorriu para o espelho, triunfante, antes de entrar em um dos chuveiros.

Brandon saiu da cabine e logo se vestiu. Seu braço ardeu quando recebeu um soco de Nex como cumprimentou.

— Fala aí, capitão! — O menino travesso sorriu. — Estou pronto pro jogo dessa semana e…

— Já conversamos sobre isso, Nex. — O moreno estreitou os olhos, sabendo exatamente o que o amigo queria. 

— Aff, você é um estraga prazeres. 

Obviamente Brandon era racional o bastante para não pôr Nex como seu subcapitão. O menino era o capeta em pessoa, e provavelmente causaria mais problemas do que resolveria. O melhor candidato para Brandon era Sky, mas o loiro deixara bem claro que não tinha apreço nenhum por aquilo: só jogava porque descontraía, competir era apenas consequência, então ele não de importaria nem um pouco de perder, mas o moreno sabia que seu time sim. Os Manchesters Tigers podiam ser bem selvagens quando queriam. Por isso o nome do time. 

O moreno encarou a foto de tela de bloqueio de seu celular: ele e seu avô, sorrindo de frente ao lar. E ao desbloquear o dispositivo, sua beldade loira e sensual: Stella posando de biquíni em Riccione. 

Céus, como ele queria para lá com ela. 

E Stella era linda demais, e sexy demais. Tinha uma aura quente, a pele num perfeito bronzeado permanente e que ele já pusera na boca muitas vezes. As mechas loiras como raios de Sol colorindo seus dias mais nublados, os olhos num tom de mel que harmonizavam desde o doce ao ácido. 

Brandon tinha muita sorte por tê-la em sua vida. 

E coragem para declarar-se para ela. 

Haja coragem.

A verdade era que ele ficara incomodado e hesitante ao saber da história de Stella com aqueles meninos. Confiava nela e tinha a certeza que ela não tinha clamídia – ele até fez teste, mesmo que sempre usassem camisinha, e sentiu-se meio idiota por não confiar nela – mas a situação em relação a fazer outras garotas serem traídas por seis namorados… Brandon sabia que Stella era linda demais e que não eram muitos garotos que podiam resistir ao seus encantos. Quando Sky estava com Diaspro, perguntou para o amigo várias vezes o que achava de Stella. Sabia que ele a encarava algumas horas, isso Brandon via ou pelo menos delirava sobre. 

— É uma garota legal. 

Sempre uma garota legal.

Ele se tranquilizou mais com a chegada de Bloom e as sérias crises que Sky teve por causa daquela menina. 

Puta merda, o que Sky faria sem ele?

— Brandon… ela… você acha que ela me daria uma chance? Tipo… olha pra mim! O que eu sou? Você me acha atraente?

— Cara…

— Ah merda… do que será que ela gosta? Ela deve namorar… é muito bonita pra não namorar. 

Ok, Brandon até achou Bloom atraente de certa forma, não se comparava com a beleza de Stella. Bloom era bonita de uma forma mais fofa e discreta, as sardas salpicando no braço a deixando mais como uma criança que uma mulher. Stella… ela já enlouquecera pessoas só com seu jeito de olhar. 

— Meninos, parem de enrolar! — A voz de Brafilius soou na porta do banheiro, enquanto o moreno terminava de ajeitar a gravata azul. — Vamos logo, faltam dez minutos para o café da manhã ser servido! Espero que consigam lidar com pães frios e as piores frutas, seus manés! E cara… usem desodorante, pelo amor de Deus! Não temos nada a espantar nessa escola!


Notas Finais


Um episódio curto, mais descontraído e menos ligado em si na história, mas prometo trazer mais desse tipo se gostarem (dos outros meninos, claro).

Pode ser que eu não poste por uns dias por aqui. Estou em mais um período de avaliações e trabalhos e que estão me deixando louca, fora alguns problemas pessoais que estou tentando relevar, mas estão começando a pesar na minha cabecinha.

Tentarei postar o quanto antes. Por favor, não fique triste caso eu demore um tempo.

Também estou reescrevendo WCSG, começando pela primeira parte, onde já estou na metade. Os primeiros cinco capítulos já estão reescritos e postados, você pode conferir aqui: https://www.spiritfanfiction.com/historia/winx-club--second-generation-8380010

Escrevi-a em momentos difíceis da minha vida. Espero que ela possa ajudar a clarear novamente meus pensamentos.

Muito obrigada por sua audiência, por sua paciência e por ser essa pessoa maravilhosa!!!

~ e desculpe o desabafo.

Beijos, GbMr ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...