1. Spirit Fanfics >
  2. High School Sucks >
  3. Sexta-feira Muito Quente

História High School Sucks - Capítulo 8


Escrita por: e GbMr


Capítulo 8 - Sexta-feira Muito Quente


Fanfic / Fanfiction High School Sucks - Capítulo 8 - Sexta-feira Muito Quente

A semana passou rápido. Agora era sexta-feira, e as Winx estavam reunidas na última aula do dia.

Educação Física.

Educação Física na Manchester Hall aparentemente era algo mais sério do que correr de bolas de queimada. Havia uma divisão de Masculina e Feminina. Os meninos não tinham aula, e podiam observar a aula das arquibancadas, se quisessem (algo que eles gostavam muito, ver meninas com roupas justas e pernas expostas).

Mas hoje não era uma aula qualquer.

— Meninas. — A Prof.ª Mav illa se prontificou. A mulher de pele alva possuía os cabelos castanhos escuros com algumas poucas mechas grisalhas, os olhos verdes escuros e uma expressão severa no rosto. Aparentemente tinha uns trinta e cinco anos, uma das mais novas professoras da instituição. Seu uniforme se compunha de uma legging azul marinho e uma camisa branca com uma fita dupla cor de vinho. — Como sabem, o Torneio Anual das Escolas de Manchester acontecerá em dezembro, antes do recesso de fim de ano. — A morena olhou para as alunas de pé, dispostas em uma fila única. — Precisaremos de equipes para as modalidades. Teremos futebol, voleibol, natação, triatlo e boxe.

— E… como isso vai rolar? — Uma menina loira com sotaque australiano perguntou.

— Bem, vocês irão se voluntariar e me apresentaram os times na próxima aula. — Mavilla deu de ombros. — Agora vamos jogar!

A professora selecionou, como se soubesse da rivalidade, as Winx e as Nebulosas para uma partida de voleibol.

— Elas não são tão boas assim. — Bloom retrucou. — Certo?

As meninas olharam para ela.

— Ah não…

O apito soou.

Depois de um jogo extenso, as Nebulosas ganharam por uma diferença de cinco pontos. As Winx não se frustraram, mas rangeram os dentes quando o time vencedor esfregou a vitória na cara delas.

— Adeus, perdedoras! — Mitzi acenou para trás enquanto saíam da quadra gramada.

— Essa vadia… — Stella se prontificou mas Musa segurou seus braços.

— Não vale a pena.

— Maldita! — A loira rangeu os dentes.

— Ei gatinha… não fica brava não. — Brandon sorriu, abraçando o pescoço de Stella. — Foi só um jogo bobo.

— Jogo bobo?! Pra elas isso foi uma guerra! — Ela bateu o pé no chão.

— Acho que você tá exagerando um pouco, Stella. — Sky hesitou, pressentindo o ressentimento de Stella.

— Não liga não. Ediltrude fez a gente escrever milhões de frases da condicional só porque ela precisava falar com o médico no telefone. — Tecna deu de ombros. — Stella deve estar assim por isso.

— Ah tanto faz! — A loira revirou os olhos.

— Vou fazer você de acalmar. — Brandon sussurrou em seu ouvido em uma voz rouca, e a loira mordeu o lábio, ansiosa.

— Aisha… — Nex, um amigo dos meninos, se aproximou da níger. — Você…gostaria de ver um filme comigo?

Aisha arqueou a sobrancelha. Viu que Nabu fechou a cara e se afastou, ao invés de falar alguma coisa. Ela suspirou e olhou para ele. Ele era bonito, ela não nega. Era o tipo de garoto que fazia os professores terem dor de cabeça. Seus cabelos eram tingidos de um turquesa pálido, repicados no topo e aparados nos lados. Havia piercings e brincos nas orelhas, músculos bem definidos. Eram de fato longe de ser um menino certinho.

— Claro… por que não?

— Como você está, Flora? — Helia se aproximou da latina, um pouco tímido, as bochechas rosadas. Flora sorriu, ainda descrente do efeito que tinha sobre ele.

— Estou perfeitamente bem. — Ela sorriu.

— Não se importou de ter perdido? — Helia quase se arrependeu da pergunta, temendo estar sendo ignorante, mas a latina riu e negou com a cabeça, o fazendo relaxar.

— Não sou competitiva.

— Mas você joga muito bem. — Ele sorriu e ela corou com o elogio.

— Bem, o que vão fazer agora de noite? — Tecna perguntou, se virando para ver os amigos, ainda caminhando para o prédio da escola.

— Eu vou fazer meu namorado aqui pirar. — Stella mordeu o lobo de Brandon, que mordeu o lábio com a atitude.

— Urgh… — Tecna fez careta e as meninas riram.

— Eu vou fazer uma videochamada com minha irmã para minha mãe. — Flora deu de ombros.

— Vou jogar Overwatch com alguns amigos. — Timmy deu de ombros. Os olhos de Tecna se iluminaram.

— Overwatch?! Posso jogar também?!

— Mas é claro, Tec! Seria uma honra! — O ruivo sorriu.

— Jogar… sei. — Bloom murmurou.

Sky percebeu que sua amiga parecia irritada e se aproximou dela. — E você? Tem planos para essa noite? — Ele sussurrou um pouco malicioso.

A ruiva mordeu o lábio. — Infelizmente não. — Ela fez um muxoxo.

— Podemos… — Ele não terminou a frase, os dois ficando mais atrás do grupo.

— Claro. Mas não acha que seria mais interessante você fazer isso com sua ficante do time vencedor? — A ruiva arqueou a sobrancelha.

Sky estremeceu. — Porra, cenoura, não corta o clima.

Ela riu. — Por que continua com ela se você não gosta dela? — Ela arqueou a sobrancelha, andando na frente dele, virada para o loiro.

Por um breve momento, Sky analisou a amiga: cabelos ruivos presos em um rabo de cavalo, as franjas ligeiramente grudadas na pele por causa da transpiração. O uniforme da Educação Física era ligeiramente atiçante, os shorts no tom maroon¹ da escola, a blusa azul marinho com linhas brancas molhada e marcando suas curvas. Uma toalha pousava em seu pescoço, a qual ela usa para enxugar a sudorese. Por mais que estivesse uma "bagunça", para ele, ela não poderia estar mais sexy.

— Sempre que começamos a falar sobre isso, ela começa a chorar. — Ele suspirou.

Ela segurou um riso. — E daí?

— E daí que eu odeio ver mulheres chorando.

Bloom fez uma cara surpresa. — Meu Deus, é sério? Ah! Você é um menininho sensível! — Ela cutucou sua bochecha, ele revirou os olhos.

— Não sou sensível, cenoura. Só não consigo agir quando vejo vocês chorando. E toda vez que começo a falar sobre esse assunto, os olhos dela começam a brilhar e ela segura minha mão. As lágrimas começam a cair e no final eu não consigo dizer não pra ela.

A ruiva refletiu um pouco. — Então… você fica com ela por pena?

— Falando assim soa bem pior do que parece.

— Mas é.

Ele bufou.

— Sky, você sabe que ela faz isso porque sabe que no final você vai continuar sendo o ficante dela. Se eu fosse você, a chamava para uma caminhada e pôr um fim nisso.

— Você está louco pra sermos exclusivos, é cenoura? — Ele arqueou a sobrancelha. Ela lhe deu uma cotovelada nas costelas e a boca do loiro fez um "Ai!" inaudível.

— Eu estou falando isso pelo bem de vocês dois. Não sei o que há com ela, mas deve haver um verdadeiro motivo por trás dessa fixação que ela tem por você.

— Tá querendo defendê-la?

— Eu nem gosto dela!

Ele riu.

— Sky, estou falando sério! Eu sou sua amiga e estou tentando ajudar. Não sei se ela tem problema de autoestima ou algo assim, mas pra vocês estarem juntos durante tanto tempo e você simplesmente rosnar toda vez que ela aparece, creio que seja para acabar logo.

O grupo entrou na escola pelos corredores dos dormitórios. Ele suspirou. — Não sei, Bloom. Meus pais gostam dela e…

— Seus pais a conhecem? — Bloom sabia que sim, mas precisava disfarçar. Sua afirmação soou um tanto enciumada.

— Somos amigos desde o berço. — Ele suspirou. — Sempre disseram pra gente que íamos nos casar no futuro e blá blá blá.

— Então é mais complicado do que pensei…

— Chega de falar sobre isso!

— E sobre o que você quer falar?

Sky olhou para seus amigos, que estavam distraídos em uma conversa. Olhou para trás, não havia ninguém. Ele pegou a mão de Bloom e a puxou para uma porta qualquer, trancando logo em seguida.

A sala do zelador não era tão pequena. Havia prateleiras com produtos de limpeza, panos, utensílios. Um balcão com uma pia na parede dos fundos, sem janelas, e uma cadeira velha jogada num canto junto com vassouras e esfregões.

— Sky! — Bloom sussurrou, rindo com o susto que levou. O loiro abraçou sua cintura e deu um sorriso travesso.

— O que foi, cenoura? — Ele sussurrou com a voz rouca. Apesar do local estar um pouco escuro, Bloom podia enxergar seus olhos azuis profundos num ar devasso.

— Eu… estou suada… preciso de um banho… — Ela sussurrou de volta, mordendo o lábio quando ele mordeu seu lobo.

— Não… iria suar de novo se fizesse… — Ele beijou seu pescoço e a ruiva sufocou um gemido. — Fora que você fica muito mais gostosa assim.

Sky pôs o joelho entre suas coxas, pressionando sua intimidade. Bloom gemeu. — Sky… você é inacreditável… — Ela murmurou.

Ele sorriu contra sua pele e tirou sua camisa. Observou seus seios sob o sutiã e lambeu os lábios.

— Eu amo peitos… — Ele brincou, mordendo e puxando a alça de seu sutiã.

— Idiota… — Ela sussurrou. Sky desfez o feixe de seu sutiã e levou os mamilos rosados à boca, a fazendo revirar os olhos. Ela puxou sua camisa para cima e ele obedeceu, ajudando-a a tirar.

— Você…

— Tenho. — Ele mordeu seu lábio inferior enquanto abria o zíper da calça jeans. Ela abaixou sua cueca e encarou seu membro pela primeira vez, um sorriso travesso nos lábios.

— Espera… — Ela pôs a mão sobre a dele, que segurava o invólucro do preservativo.

— O quê?

Ela o virou e o encostou na parede. Se ajoelhou diante dele e e mordeu o lábio. Ele arregalou os olhos quando percebeu o que ele estava prestes a fazer.

— Bloom…

— Shiu… — Ela pediu silêncio e tocou seu membro inchado. Sorriu e o pôs na boca, a glande latejando de tesão. Ele fechou os olhos com força e gemeu, levando a mão até seus fios ruivos…

. . . 

— Cadê a Bloom? — Aisha franziu a testa, olhando para trás. Estavam agora nas escadas. Percebeu a ausência da amiga quando fez uma pergunta que talvez só ela responderia.

— Ela está aq… — Flora se interrompeu quando não a viu junto do grupo.

— Estranho, o Sky também sumiu… — Brandon franziu a testa.

— Deve ter ido encontrar a namoradinha mimada. — Nex desdenhou e Aisha riu. Nabu rangeu os dentes.

— Preciso ir. Tenho coisas a fazer. — O sotaque queniano do níger aflorou em suas palavras e ele se apressou para seu quarto.

Aisha rangeu os dentes. — O que deu nele?! — Ela cruzou os braços sobre o peito.

— Não liga pra ele, Aisha. Deve estar tendo um dia difícil. — Riven suspirou. Aisha relaxou um pouco. Se o melhor amigo dele estava falando, talvez fosse melhor acreditar.

— Vamos logo pro banho. — Tecna suspirou. — Quero jogar antes do jantar.

— Nos vemos mais tarde, docinho. — Stella sussurrou antes de selar os lábios de Brandon. — Vou caprichar hoje.

O moreno sorriu maliciosamente. — Mal posso esperar. — Ele mordeu seu lábio inferior, trazendo arrepios para a loira.

— Ah credo! Por favor não tirem meu apetite! — Musa reclamou.

— Eu concordo com a japa aqui. — Riven pontou para a asiática como o polegar.

— Vai se foder, Riven! — Ela rangeu os dentes.

— Opa… o que vai fazer depois do banho?

— Pra que você quer saber, idiota?!

— Pra saber quando eu pego você.

Musa rosnou e bateu em seu braço, fazendo o rapaz rir.

Os meninos se separaram das Winx, elas se direcionando para seus dormitórios.

— Vamos tomar banho juntas? — Stella deu um sorriso.

— Sim… mas antes quero saber por que a Musa odeia tanto o Riven. — Aisha cruzou os braços.

— Ele é insuportável! — Ela revirou os olhos.

— Mentira. No fundo você gosta dele. — Flora sorriu.

— Cala a boca… — Ela resmungou.

— Meninas… a Bloom tá demorando muito, não acham? — Tecna mordeu o lábio.

— Ih Tec, relaxa. — Flora deu de ombros. — Bloom é esperta.

— Deve estar pegando alguém. Ela é um tanto safada. — Stella comentou e elas riram, exceto Tecna, que continuava tensa.

— E… se Sky não estiver com Diaspro… e ela estar com a Bloom? — Ela engoliu em seco.

As meninas pararam de sorrir.

— Puta merda… — Aisha passou a mão pelos cabelos, presos num coque. — Essa…

— Precisamos ir atrás dela! — Flora exclamou.

— Espera, vamos primeiro ligar, vamos ver se ela está bem. — Stella pegou o telefone e discou o número da ruiva.

Nada.

— Ela não atende… — A loira engoliu em seco.

— Precisamos ir atrás dela! Ela pode estar com aquelas garotas ridículas! — Flora se exasperou.

— Calma gente… talvez ela esteja com o Avalon… — Stella mordeu o lábio.

— Olha, vamos tomar um banho. Se ela não aparecer, nós vamos atrás dela, ok? — Musa proclamou.

— Ok… tudo bem…

Cada uma foi para seu respectivo quarto pegar a muda de roupa.

— Bloom… — Stella olhou para a cama desarrumada da amiga. — Cadê você…?

. . .

Bloom jamais imaginaria que Sky pudesse fazer um sexo oral tão incrível. Seus lábios iam por todo o comprimento de sua intimidade. Ele parecia tão jovem, mas era tão experiente.

Ela ainda pensava em sua boca lá embaixo, lambendo e mordiscando seu clitóris. Ele se despediu dela com uma piscadela, seguindo para a ala dos dormitórios masculinos. Ela deu um sorrisinho e foi para a ala feminina.

— Bloom! — Ouviu a voz de Stella gritar. Assim que pisou no último degrau, viu as Winx vindo em sua direção, as roupas mais simples para o jantar.

— Oi… — Disse ela, a voz quase saindo como um gemido. Ela pigarreou. — Quero dizer… oi. O que houve?

— O que houve?! — Tecna rangeu os dentes. — Você sumiu! Tem quarenta minutos que você SU-MIU!

— Ah… eu fui chamada… pelo Avalon. — Ela respondeu, dando uma risadinha nem um pouco convincente.

Aisha estreitou os olhos. — Era isso mesmo o que você estava fazendo? Falando com o Avalon? — Ela cruzou os braços sobre o peito.

— Sim. — Ela se apressou para seu quarto. — Vou tomar um banho, vou vemos depois!

E fechou a porta, ofegante.

Tirou uma muda de roupas e observou a foto de Andy. Será que estava exagerando? Que estava fazendo algo errado? Ao olhar sua foto, ela achava que sim.

Pegou a foto do músico e a pôs dentro de uma gaveta. Respirou fundo. Era o certo… não era? Sentia que suas aventuras carnais estavam começando a ajudar a acalmar os nervos sobre sua vida em Los Angeles, sobre ficar longe de Andy e de Selina, sobre a situação com seus pais.

Tentaria ligar para ele no dia seguinte. Não havia conseguido falar com o rapaz durante a semana, mas prometeu a si mesma que tentaria no próximo dia.

. . .

Aisha estranhou a mensagem de Nex. Ele que antes havia a convidado para assistir um filme agora a chamava para a sala de jogos.

Desceu as escadas do dormitório e percebeu que uma chuva pesada caía no lado de fora. Os alunos que iam para casa no fim de semana estavam reunidos no saguão principal com capas de chuva e cobrindo as malas com plástico. A brasileira deu de ombros e seguiu pelo corredor extenso do lado direito.

Abriu a porta e encontrou o menino de cabelos azuis jogando sinuca sozinho. A sala estava vazia. A televisão de led da sala rodava uma playlist do Spotify posta por ele, e ele cantava junto.

— Sippin' on straight chlorine, let the vibes slide over me, this beat is a chemical, beat is a chemical. When I leave don't save my seat, I'll be back when it's all complete. The moment is medical, moment is medical, sippin' on straight chlorine…

— Eu não sabia que você curtia Twenty One Pilots.

Nex quase teve um taquicardia quando ouviu a voz da níger. Ele respirou fundo, deixando o taco de lado e olhando para ela.

— Aisha! Assim você me mata! — Ele reclamou. Ela riu e se aproximou dele.

— Então… você mudou nossos planos? — Ela sentou-se na beira da mesa de sinuca, ao lado dele.

Ele analisou ligeiramente as vestes da jovem: um moletom de listras tricolores, um jeans rasgado, os cachos soltos sobre os ombros e… chinelos. Sempre a admirou por usar chinelos tão abertamente enquanto a maioria usava tênis e sapatilhas. Ela nunca foi parte da maioria, e isso era o que mais o intrigava.

— A sala de cinema estava cheia. Parece que as Nebulosas marcaram de ir pra lá hoje. — Ele deu de ombros, se apoiando no taco. — E… você sabe jogar?

Ela sorriu e desceu da mesa. — Bem, acho que não sei. — Obviamente, ela sabia. Mas queria testá-lo.

— Posso te ensinar. — Ele se ofereceu. Ela assentiu com a cabeça.

Nex se pôs atrás dela. Pegou o taco de bilhar e pôs sobre a mesa. Pegou a mão quente de Aisha e a ajeitou na haste. — Você agora só precisa medir a força para bater na bola branca. — Ele disse, baixo em seu ouvido, a voz soando ligeiramente rouca. Ela mordeu o lábio e fez o que ele disse, mas claro, errou de primeira. Aisha não era boba, queria continuar sentindo o calor do rapaz próximo dela.

— Ops… errei, não foi? — Ela olhou de canto de olho. Ele sorriu e tocou novamente sua mão. Aisha corou quando suas cinturas se encontraram.

— Relaxe. É só imaginar que a única coisa que existe é a bola branca, e o alvo. — Ele sussurrou. Aisha assentiu com a cabeça. — Tente. — Ele se afastou.

Aisha acertou a bola branca e fez três serem engolidas. Nex piscou um tanto perplexo.

— O que… espera… — Ele franziu a testa. — Você sabia jogar!

Ela deu uma risadinha e se virou para ele. — Não consegui te enganar, é?

Ele riu. — Por quê?

Ela deu de ombros. — Não é óbvio? Queria ficar mais perto de você.

A declaração fez Nex piscar, atordoado. Também fez Aisha dúvidas das próprias palavras. Será que era só imaginação, ou também sentia por ele o mesmo que sentia por Nabu?

Os conhecia desde o primeiro ano. Os dois sempre foram gentis com ela, talvez Nabu um pouco mais rabugento, mas isso não importa. Pôr na balança era algo fora de questão.

— Eu… achei que você e Nabu…

— Nex, por que eu estaria com você aqui, sozinha, querendo ficar perto de você? — Ela sentou na beira da mesa de bilhar e cruzou os braços.

Ele engoliu em seco e se aproximou. — Eu… me ajude a pensar.

Ela sorriu. — Idiota. — E ele a beijou. Seus lábios tocaram os dela com paixão, mas também com delicadeza. Sentia seu coração pular do peito. Aisha retribuiu, abraçando seu pescoço, tocando sua nuca aparada, os fios azuis macios brincando com seus dedos.

Eles se afastaram com um selinho e os dois riram. Aisha escondeu o rosto em seu pescoço, sem conseguir acreditar no que havia feito. Nex a abraçou, a mantendo perto dele.

— Você é demais… — Ela murmurou.

— Está se referindo à você, não? — Ela riu.

. . .

Stella entrou sorrateiramente no quarto de Brandon. O moreno trancou a porta imediatamente. Seu companheiro de quarto, Sky, estava ocupado numa suposta ligação de seus pais na sala do diretor. 

— Você está linda, princesa… — Ele a abraçou por trás, beijando seu pescoço. Ela mordeu o lábio e sorriu. 

— Isso é o que eu faço para estar com você. — Ela se virou e seus lábios encontraram com os dela. O hálito de menta de se fundiu com o de hortelã do dela. Os corpos grudaram em uma excitação perfeita. 

— Hm… eu estava esperando por isso… — Ela sussurrou. O moreno sorriu e tirou o vestido discreto que usava, revelando uma lingerie um tanto provocante.

— Stella… ah! Isso é…

— Um presentinho por sua vitória de hoje. — Ela piscou e ele veio a beijar seu pescoço. Ela mordeu o lábio quando o moreno a pegou pelas coxas e a levantou, a levando para a cama.

Você é tão sexy, love… — O sotaque dele se sobressaiu na última palavra, fazendo Stella gemer. Suas mãos desceram as alças de seu sutiã e revelaram seus seios. 

— Não vale, eu sou a única topless aqui. — Ela protestou, cruzando os braços. Ele riu e logo tirou a camisa.

— Direitos iguais… — Ele voltou a beijar seus lábios. 

Desesperadamente, tiraram suas peças inferiores, e ela teve que por a mão sobre a boca para evitar gemidos altos demais, afinal, a última coisa que precisavam era de encrenca.

Ele a penetrou e mordeu o lábio. Seus olhos se encontraram, mel e chocolate. Eles sorriram e Brandon voltou a beijar, evitando que seus gemidos fossem audíveis nos outros cômodos.



Notas Finais


¹) Um tom de vermelho bem escuro na tabela de cores hexadecimal.

Não sei se amanhã teremos capítulo, mas prometo que logo pretendo postar.

Fiz uma hot one shot de Bloom&Diaspro. Se quiser conferir, segue o link abaixo ;)

https://www.spiritfanfiction.com/historia/dream-20120047

Muito obrigada por sua audiência, por sua paciência e por ser essa pessoa maravilhosa!

Beijos, GbMr ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...