1. Spirit Fanfics >
  2. High School Sweethearts >
  3. Queridinhos do Ensino Médio

História High School Sweethearts - Capítulo 1


Escrita por: marimyoui

Notas do Autor


Olá, quanto tempo, não é mesmo? Após longos quase um ano da última fanfic lançada do K-12 finalmente começamos o ciclo com o Odd Eye Circle e espero que dessa vez o ciclo se encerre ainda nesse ano. Queria me desculpar pela demora, esse ano de 2020 me aconteceu diversas coisas que acabaram me afastando da escrita, mas aos poucos estou me reaproximando novamente.

Gostaria de ressaltar que High School Sweethearts não é uma música fofinha sobre romance adolescente. Nos vemos lá embaixo!

Capítulo 1 - Queridinhos do Ensino Médio


Fanfic / Fanfiction High School Sweethearts - Capítulo 1 - Queridinhos do Ensino Médio

"Podemos ser honestos?

Esses são os requerimentos

Se você quer ser meu verdadeiro e único amor

Você precisa provar que me ama

E, porra, se você foder comigo eu juro que quebrarei a porra do seu rosto

Queridinhos do colégio, façam fila

Não desperdicem meu tempo

Queridinhos do colégio, calem a boca

Se não forem o meu tipo"

— Melanie Martinez.


Kim Jungeun não era, nem de longe, a pessoa mais popular da escola em que estudava, mas era conhecida o suficiente para receber cartas de admiradores secretos todos os dias. Era praticamente uma rotina, sempre que abria seu armário milhares de envelopes rosas e brancos caíam no chão fazendo uma enorme bagunça, sempre terminava com a Kim recebendo uma advertência do zelador que estava totalmente fadigado de jogar diversas cartinhas de amor no lixo todos os dias.

Kim nunca chegou a abrir nenhuma, pois só em ver letras garranchadas nos envelopes ou desenhos toscos tinha a total certeza de que aquela pessoa não era para si. Um problema de Jungeun, de fato, mas ela sempre visualizou seu futuro namorado como a pessoa perfeita. Claro que não queria um príncipe encantado, forte e bonito vindo em um cavalo branco, mas era pedir demais um homem que a compreendesse e atendesse suas exigências?

Sua melhor amiga desde o fundamental, Kim Jiwoo, estava lá para dizer-lhe que sim era pedir muito achar uma pessoa perfeita. Não só por garotos costumarem ser idiotas terríveis, na maioria das vezes, mas porque Jungeun exigia uma pessoa que, definitivamente, não existia.

Naquela manhã, porém, a Kim ao abrir seu armário para retirar todas as cartinhas que ali estavam notou que no meio de diversos envelopes rosas e brancos havia um único envelope verde ali. Retirou o envelope com cuidado o analisando, não tinha nenhum termo bastante comum nos outros como "gata" ou "princesa" e isso deixou a garota instigada a abrir.

Fechou o armário decidindo que iria jogar as outras cartas depois e com toda a delicadeza retirou a pequena figurinha que lacrava o envelope, se surpreendendo ao não ter garranchos escritos nem desenhos bobos. Na verdade, sequer tinha algo que se resumisse a "Kim Jungeun eu te amo, namore comigo".

Era apenas uma poesia com alta dose de lirismo e palavras bonitas, até se perguntou se um parnasiano havia lhe escrevido após notar a perfeita métrica e a exuberância daquele texto. Franziu as sobrancelhas sentindo-se ainda mais curiosa em relação aquela pessoa.

Era um garoto romântico e inteligente, talvez?

Seguiu para sala de aula com diversos questionamentos em sua cabeça. Deveria falar com Jiwoo urgentemente sobre a carta, mas seu próximo horário livre seria apenas durante o intervalo. Ela e seus questionamentos teriam que aguardar.

                                  ***

— Não parece ser de um menino. — Jiwoo analisou, dobrando o papel e o colocando dentro do envelope.

— O quê? — Jungeun quase engasgou com o lámen após ouvir aquilo. — Por que uma garota me escreveria? Só você sabe que eu sou bissexual!

— E eu juro que não contei a ninguém! — Jiwoo ergueu as mãos em defesa própria. — É só que isso tá muito piegas para ser um menino e sapatão que é emocionada!

Jungeun riu baixinho, bebericando seu suco logo após e sacudiu a cabeça em negação.

— Um menino não pode ser piegas? — Inquiriu.

— Pode, só não é muito comum. — Jiwoo respondeu, dando de ombros. — E ainda acho que foi uma garota que lhe escreveu.

Jungeun pegou o envelope, analisando a carta novamente e arqueou uma sobrancelha.

— Pode ser, mas por qual razão uma menina escreveria para outra garota que sequer sabe a orientação sexual?

— Talvez ela quis arriscar. — Jiwoo argumentou, alheia a situação e tomando um longo gole de seu chá verde.

Jungeun ficou ainda mais intrigada após a resposta da amiga, pois que garota seria corajosa a escrever para outra menina sendo que provavelmente poderia levar um fora?

                            ***

No dia seguinte, Jungeun esperou que mais uma carta de envelope verde estivesse em seu armário, mas diferente do que imaginara, não havia nada ali, apenas as mesmas cartinhas de sempre dos mesmos garotos que já haviam se declarado para ela diversas vezes não só escrita como pessoalmente e não entendiam o sentido da palavra "não".

A Kim pensou por alguns segundos no que Jiwoo havia dito sobre ser uma garota e por alguns segundos isso pareceu fazer sentido, apesar de ainda duvidar do fato de uma menina se declarar para outra tão abertamente no país em que viviam, dessa vez resolveu arriscar-se e seguir o pensamento da garota. Somente o fato dela não ser insistente havia intrigado-lhe, apesar de não querer uma pessoa que desistisse tão fácil a tal admiradora secreta parecia ciente do significado de um "não" o que já desclassificava totalmente de que fosse um garoto.

— Ela não me mandou nenhuma carta hoje! — Jungeun comentou ao encontrar Jiwoo no corredor, estava um pouco ofegante por ter corrido para encontrar a amiga antes que o alarme tocasse avisando o início das aulas.

— Agora você realmente acredita que é ela? — Jiwoo arqueou uma sobrancelha, sorrindo de forma sugestiva. — Está pensando em dar uma chance para ela?

— Quê? Não! — Jungeun respondeu rapidamente. — Ela sequer mandou outra carta!

— Achei que não gostasse de pessoas insistentes.

— Também não gosto de quem desiste fácil! — Retrucou, dando de ombros e seguindo para sala de aula junto de sua melhor amiga.

— Se continuar desse jeito realmente nunca encontrará alguém. — Jiwoo comentou, séria e levemente preocupada.

— Por que você está dizendo isso? — A Kim mais velha inquiriu, curiosa.

— Porque as pessoas não são perfeitas, Jungeun! — Jiwoo esclareceu. — Tudo bem você querer alguém fiel e que te ame, não te julgue e compreenda sua personalidade, mas querer alguém que esteja cem por cento disponível para você sempre que você quiser e que siga as suas "regras" sem questionar chega até a ser abusivo!

Jungeun não pareceu compreender o que a amiga havia dito, pois a olhou com ainda mais confusão refletida em suas orbes escuras.

— Abusivo? Eu não sou abusiva, Jiwoo!

A outra jovem suspirou, buscando palavras melhores para explicar a situação para amiga.

— Não estou dizendo isso, estou dizendo que você deveria ser menos exigente e egocêntrica, caso contrário nunca vai encontrar seu "primeiro e único amor". — Após dizer isso, Jiwoo entrou na sala rapidamente, deixando Jungeun para trás.

A de fios loiros estava estática mediante va situação, não se achava exigente e muito menos egocêntrica. O que havia demais em querer uma pessoa perfeita? Não queria ter um relacionamento frustrado como tantos que existiam no mundo.

                          ***

Durante o intervalo, algo que Jungeun não esperava aconteceu, uma garota de estatura baixa, usando óculos de armação redonda ede fios medianos e escuros aproximou-se de si antes que ela pudesse seguir para o refeitório. A menina não era da sua turma, deveria ser mais velha, provavelmente do terceiro ano.

— Oi, Jungeun! — A garota cumprimentou a jovem de forma bastante simpática.

— Quem é você? — A loira perguntou, franzindo as sobrancelhas em dúvida depois de ter a conclusão de que não conhecia aquela garota.

— Eu escrevi a carta de envelope verde. — A menina explicou. — Imaginei que você fosse ignorá-la como geralmente faz, mas quando fui deixar outro poema hoje vi que a minha carta não estava mais lá.

— É, eu li sua carta. — Jungeun estava sem uma reação exata no momento, principalmente ao saber que realmente a remetente era uma garota. — Você é bastante criativa e inteligente, mas como sabia que eu gostava de garotas?

— Na verdade, eu não sabia, mas gosto de você desde que entrei nesse colégio. — A garota respondeu. — Minha amiga quem deu essa ideia porque por uma carta você não saberia que foi uma menina quem escreveu e, bom, quando soubesse o pior que eu poderia levar era um não.

Jungeun pareceu bastante inteligente por parte da garota mais baixa, apesar de imaginar que se aquela carta fosse direcionada a uma das meninas populares do colégio com toda certeza elas teriam feito um escândalo e exposto a sexualidade da garota para toda escola e assim ela seria ridicularizada e sofreria preconceito por parte de todos os alunos que não apoiavam pessoas LGBT.

— Muito inteligente da sua parte. — A Kim respondeu. — Qual o seu nome?

— Jo Haseul. — A jovem pareceu um pouco insegura após receber um elogio.

— Certo, podemos conversar sobre isso, você é uma pessoa realmente inteligente e sabe escrever muito bem, mas eu não quero só isso, entende? — Jungeun questionou tendo como resposta um sinal afirmativo, mas levemente confuso por parte de Haseul. — Ótimo, estou indo para o refeitório agora, venha comigo!

                         ***

Havia sido um desastre, Jungeun pensou enquanto caminhava em direção a sua casa, totalmente frustrada com tudo que havia ocorrido na escola. Haseul era uma pessoa inteligente, criativa, gentil e outros diversos adjetivos; contudo, não estava no patamar da pessoa perfeita que Jungeun desejava.

Ela não era alguém que iria estar sempre com ela e iria tirar suas frustrações apenas estando próximo, não era alguém que iria ficar com ela até o fim, que a amaria intensamente e não teria medo de dar-lhe mais, de segurar sua mão publicamente e admitir a todos que a amava e se ela não atendia os requisitos de Jungeun não deveria perder o tempo dela.


Notas Finais


Para todos aqueles que sabem que pessoas e relacionamentos perfeitos não existem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...