História HighSchool DxD: Tengan - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias High School DxD, Naruto
Personagens Issei Hyoudou, Personagens Originais
Tags Ação, Aventura, Ecchi, Harem, Sobrenatural
Visualizações 84
Palavras 11.427
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Ecchi, Harem, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Capítulo 10


 - UUgghh. Me mata ... –

 - Não seja tão dramático Kaku-chan, foi divertido! –

 - Não, não foi ... Ugh... -

 - Por que você odeia tanto festas? Nunca vi alguém que não gostasse. – Serafall perguntou, encostada em uma parede, segurando um conjunto novo de [Evil Pieces] ao lado da porta do banheiro em que Kazuki estava vomitando.

- Primeiro: Você nunca encontra quem você realmente gosta ou você encontra que você não gosta. Segundo: Você é necessário mostrar simpatia o tempo todo, forçando sorrisos para pessoas que você não gosta e que são um estorvo. Terceiro: Sempre tem um bêbado para fazer merda. E por ultimo: Se você é o dono da festa, você é obrigado a arrumar a bagunça depois, vai ter que lavar o chão por que o bêbado vomitou. É um inferno ... figurativamente falando. –

Serafall franziu a testa para a resposta: - Você tem uma visão estranha para festas. –

A comemoração em si foi como todas as outras, mas para Kazuki foi um inferno devido ao tratamento de luxo desnecessário em sua opinião, muita pessoas que ele não conhecia e não se incomodou em conhecer, entre outras coisas, ele também enviou um clone para a escola para que os seus pais ficassem preocupados com ele. E assim que a comemoração acabou ele rapidamente saiu do local, não se importando em falar com os demônios dos outros pilares e rapidamente foi para o banheiro.

 - Eu sou assim mesmo ... melhoro... –

Ouvindo um som de descarga do outro lado da porta do banheiro, Serafall logo o viu abrindo a porta.

 - ... Preciso escovar os dentes ou pelo menos uma bala. – Kazuki falou depois de checar o seu hábito.

 - Ei, Kazu-chan. –

 - Sim? – Kazuki olhou para Serafall que lhe entregou o seu [Evil Piece].

 - Você já sabe quem quer em sua nobreza? –

 - Ninguém. – Kazuki encolheu os ombros.

 - ....Eh? –

 - Eu não quero ter uma nobreza, eu não vou fazer parte de tradições idiotas de demônios egoístas que somente pensão em poder e menosprezam os humanos, os demônios de classe baixa e os próprios filhos se eles não herdaram habilidades de seu clã. Eu não irei reencarnar alguém para esses idiotas zombarem deles ou algo do tipo. –

 - Nem todos os demônios são assim, Kazu-chan. –

 - Mas a maioria são. – Kazuki encolheu os ombros.

De repente o som de um estômago roncando foi ouvido.

 - Ooops~! – Serafall disse, fazendo Kazuki olhar para ela e ver um pequeno rubor em seu rosto. – Seu adorável mestre está com fome~! –

 - Você não comeu nada? – Kazuki perguntou.

Serafall sacudiu a cabeça. – Não~! – Ela exclamou alegremente.

 - Por que você esta feliz com isso? –

Serafall, no entanto, não respondeu, ela estava em uma posição de pensamento adorável, finalmente ela estalou o dedo e olhou para Kazuki com um sorriso. – Eu tenho uma idéia Kazu-chan! Vamos comer alguma coisa no submundo~! –

 - Mas eu tenho que voltar ... –

 - Pfff~! Não se preocupe~! Tudo vai ficar bem! –

Kazuki suspirou. – Tudo bem ... mas é você que está pagando! –

 - Mesquinho! – Serafall fez beicinho. – Você não quer mimar a sua amada Sera? –

 - Você é um Maou, tenho certeza que você tem mais dinheiro do que eu! E a ultima vez que eu paguei custou muito caro! –

Serafall fez um beicinho, mas assentiu. – Okay. Mas o que vamos comer? – Ela perguntou.

 - Não sei, esta é a sua idéia. Eu vou deixar isso para você. –

 - NNNNN! – Serafall fez beicinho. – Eu não posso fazer isso sozinho! Eu preciso da sua ajuda! Eu não quero que o nosso encontro seja chato~! – Serafall exclamou.

 - Bem ... você escolhe desde que você é o  único a pagar, mas certifique-se que seja um lugar com poucas pessoas. Eu não quero chamar muita atenção. – Kazuki falou, não se incomodando com o tema do encontro, ele estava acostumado de ela agir assim.

 - Okay ... Oh! Talvez quando terminarmos de comer, possamos fazer compras e talvez mais tarde possamos ... –

Kazuki suspirou suavemente e balançou a cabeça, era em momentos como esse que ele se lembrava de como a conheceu e as coisas que ela o fazia passar.

 

(Dois anos trás)

 - Eu gosto daqui. – Um garoto que parecia ter no máximo dez anos com cabelos pretos iguais aos olhos, usando uma camisa regata preta com gola alta, um short cinza e uma sandália, falou enquanto olhava para um pequeno lago de água limpa com árvores ao redor por cima de um pequeno barranco.

 - É mesmo? – Disse um homem com cabelos pretos iguais aos olhos, usando um tio de colete marrom, causa preta, uma camisa preta de mangas longas com um emblema nos dois lados do ombro formados por um tipo de estrela com quatro pontas e no meio tinha um tipo de leque cortado no meio com a metade de baixo de cor branca e a superior vermelha e uma sandália com uma proteção de metal que chegava perto do joelho.

 - Pai, me ensina um Jutsu? – O garoto falou descendo o barranco: - Um Jutsu Uchiha que passe por todas as gerações. –

 - Certo! – O Homem que também era o pai do garoto falou enquanto descia o barranco.

Olhando para o homem, o garoto o viu fazendo selos de mãos antes de respirar fundo e soltar a respiração, fazendo fogo sair de sua boca e formar uma  esfera de fogo por um tempo entes de dissipar.

 - Esse é um Ninjutsu Uchiha fundamental ... – O homem se virou para o garoto. – Katon: Gōkakyū no Jutsu (Estilo Fogo: Jutsu Bola de Fogo). Veja, os selos são... –

O homem parou de falar quando viu o garoto se virar para frente e fazer os mesmos selos que ele fez. Respirando fundo, ele soltou a respiração e fogo saiu de sua boca criando uma esfera de fogo em menor escala, mas ela logo ficou maior antes de dissipar.

 - Consegui. – O garoto falou.

 - Hahahahaha. Mas que surpresa. – O homem sorriu para o seu filho: - Esse é o me filho. –

 

*Beep! Beep! Beep!*

 - Ummm. – Kazuki de 15 anos, soltou um gemido de aborrecimento enquanto acordava e pegava o celular. Olhando para o celular ele franziu a testa.

 - Por que o despertador esta programado hoje? É feriado merda. –

 - Ugh. – Soltando um gemido ele voltou a dormir.

 - ... Ótimo, eu perdi o sono. – Kazuki disse se levantando lentamente.

 - Bem ... pelo menos eu sei o que fazer hoje. – Se levantando da cama, ele começou a se preparar. Não era o primeiro sonho que ele tinha que sempre envolveu o garoto que aparecia em seu sonho, ele teve outros falando sobre o básico do Chakra, Ninjutsu, Genjutsu e Taijutsu entre alguns outros. Tudo isso começou quando ele sofreu um acidente de snowboard e seus olhos podiam ficar vermelhos com tomoes dentro.

 

                                                                                           ...

 

Entrando em uma área isolada da cidade, Kazuki colocou sua mochila no chão encostado em uma árvore.

 - Certo, vamos começar. – Se distanciando das árvores atrás dele, ele ficou distantes das árvores ao redor.

 - Era ...Tigre, Carneiro ... Macaco ... Javali, Cavalo ... e ... Tigre? – Kazuki falou tentando se lembrar dos selos em seu sonho.

 - Ou era Cobra e depois Carneiro?... –

 - ... Vou testar o primeiro, se não der certo, eu tento o segundo. –

Respirando fundo, ele começou a fazer a primeira seqüência, antes de respirar fundo novamente e soltar a respiração enquanto fazia o seu Chakra agir, fazendo uma pequena chama sair de sua boca.

Parando de soltar a respiração e de usar Chakra, ele franziu a testa ligeiramente.

 - Bem ... é melhor do que nada. –

Sacudindo a cabeça ele voltou a praticar.

Isso continuou por um tempo. O horário que ele chegou ao local era por volta das 8 horas e neste momento estava perto das 11 horas.

Cancelando a respiração e o fogo que estava um pouco maior do que antes ele respirou pesadamente.

 - Ok ... Só mais uma vês e chega. –

Fazendo os selos novamente, ele inalou o ar e se preparou para soltá-lo.

 - Ne ne, o que você está fazendo? Se você está planejando queimar o bairro, é meu dever, como garota mágica, pará-lo! –

Assustado com a voz repentina atrás dele, ele perdeu o controle do Jutsu criando uma pequena explosão que não o feriu gravemente e queimou a sua garganta a deixando seca.

 - Droga!... – Respirando pesadamente ele olhou para trás e viu uma garota de cabelo preto com olhos azuis e vestindo uma roupa de garota mágica. Enquanto o cérebro dele estava tentando descobrir o que estava acontecendo, a boca dele decidiu agir primeiro.

 - Quem é você? – Perguntando em um tom seco, Kazuki foi em direção a sua mochila e pegou uma garrafa de água para beber.

A garota piscou uma vez, então ela começou a sorrir.

 - Prazer em conhecê-lo, eu sou o Maou Serafall Leviathan. – Ela então começou a girar e fazer uma pose com os dedos em um “V” em frente de seu olho esquerdo.

 - Mas você pode me chamar de Levi-tan. –

 - Levi-tan? – Kazuki perguntou para ela que assentiu.

Tentando saber como reagir a isso, afinal não era todo dia que uma garota aparece e fala que é um Maou. Enquanto estava preso em pensamentos, a boca dele resolveu agir novamente.

 - Eu acho que Sera-chan é melhor para você. Meu nome é Hyoudou Kazuki, é um prazer em conhecê-la. –

 - Ok Kazu-chan, nos vamos nos dar bem. Então, o que você está fazendo aqui? –

 - Treinando, eu não posso machucar acidentalmente alguém aqui, então é perfeito. –

Não adiantava mentir ara ela, já que ela o viu soltar fogo pela sua própria boca.

 - E o que você estava treinando? – Serafall perguntou.

 - Usar Ninjutsu. –

 - Ninjutsu? – Serafall franziu a testa antes que seus olhos se arregalassem ligeiramente. – E como você sabe sobre isso? –

 - Hm ... prefiro não falar sobre isso. –

 - Hmmm... – Serafall estreitou os olhos para ele ligeiramente fazendo Kazuki ficar nervoso e tenso.

 - Okay! –

 - ... Hã? – Kazuki olhou para ela em surpresa, ma ela continuou.

 - Mas por que você esta treinando sozinho Kazu-chan? O seu professor deixou você sozinho? – Ela falou franzindo a testa, algo que Kazuki achou incrivelmente fofo.

 - Eu não tenho um professor, eu treino sozinho. – Kazuki disse enquanto esfregava a parte de trás de sua cabeça.

 - O que?! Pobre Kazu-chan, não seu preocupe, Sera-chan vai lhe ajudar. –

 - Hã? - Kazuki olhou para ela, boquiaberto. Ela a conheceu a menos de 5 minutos e ela quer ajudar ele a treinar?

 

                                                                                                 ...

 

Rolando para o lado, para evitar a clava de um troll que veio em sua direção, Kazuki contra-atacou com um Katon: Gōkakyū no Jutsu (Estilo Fogo: Jutsu Bola de Fogo) do rosto dele. Mas devido à alta resistência dos Trolls, ele não fez muito dano.

Kazuki pulou para trás e lançou uma rocha em direção ao rosto do troll manipulando a pressão do ar com a sua magia de vento, mas foi bloqueado pela clava do troll.

Resolvendo se aproximar do troll, cobrindo o seu punho com Chidori (Mil Pássaros), Kazuki correu e se jogou para frente, entre as pernas dele, socou a parte intima do troll e foi recompensado com um grito de dor quando a fera cambaleou e caiu de joelhos. Pulando, Kazuki agarrou a cabeça dele, segurando-o pelo nariz e com o Chidori ainda ativo, ele fritou o cérebro por dentro com uma explosão de eletricidade.

 - Bom trabalho Kazu-chan, você levou apenas 5 minutos para derrubar aquele Troll e você nem se machucou! – Serafall exclamou.

Kazuki olhou para a pessoa que estava ajudando ele a treinar e que algumas vezes trazia alguns pergaminhos que continha conhecimentos de Jutsus, mas ela nunca falava como os conseguia, ela também foi à pessoa que o ensinou como usar magia e que também o fez lutar contra o troll.

Olhando silenciosamente para ela e esperando que se aproximasse perto dele. Kazuki pulou em direção a ela e empurrou a sua mão que estava coberta de catarro de troll no rosto dela.

 - KYAAAAAAAAA, Nojento! –

*Bash!*

 - Aaaiii ... –  Kazuki não sabia o que doeu mais, seus ouvidos por causa do grito, ou a sua testa, onde o golpe da varinha mágica de Serafall o fez voar com grito de dor.

 Chamar a atenção de Serafall Leviathan é como pisar no chiclete. Uma vez que você o tenha, nunca mais o tirará. Foi assim que Kazuki definiria o seu relacionamento com ela. Ele chegou a perguntar por que ela estava em Kuou e em as palavras dela foi: "Para limpar a cidade de todos os bandidos, porque meu amado So-tan estaria estudando aqui e ela não queria que eles a intimidassem."

 

                                                                                                   ...

 

 - Você está se segurando Kazu-chan. –

Kazuki olhou para Serafall e depois para o campo que estava diante a ele. Os dois estavam em um campo de treinamento pessoal de Serafall no submundo. Quilometro de terreno baldio que estavam longe de qualquer civilização protegidas por poderosas magias, especificamente projetadas para permitir que um demônio de nível satanás treinasse, sem perturbar os outros demônios. Ao redor do terreno tinha diversas crateras espalhadas pelo chão e uma serpente gigante, com diversos cortes pelo corpo, á distancia e parte do campo estava carbonizado e corpos de aranhas gigantes também carbonizados.

 - Para mim parece bom. – Kazuki falou, desativando o Chidori de sua katana e á colocando na bainha.

 - Mohhh, não seja assim Kazu-chan, você nunca usa toso o seu poder. E não ouse mentir para o seu amado Sara-chan! –

 - É... É um segredo. –

 - Kazuki. –

Kazuki olhou um pouco surpreso para ela, já que ela geralmente o chamava de Kazu-chan e viu o olhar sério dela.

 - Você sabe que pode confiar em mim, certo? –

Kazuki ficou hesitante no começou, mas suspirou, fechou os olhos antes de abri-los com o seu Sharingan ativo.

 - Você tem o Sharingan... –

 - Você os conhece? – Kazuki falou se referindo aos seus olhos.

 - Deixe-me contar uma história Kazuki. – Ela respondeu. Logo ela começou a contar a ele sobre Kaguya Ōtsutsuki e o fruto da árvore divina, falou sobre os dois filhos dela e sua luta contra os próprios filhos por inveja que eles tinham herdado seu chakra, mas seus filhos ganharam separando e absorvendo o chakra dela e selaram o corpo dela na lua, um dos filhos foi para a lua para guardar os restos mortais de sua mãe, enquanto o outro ficava na terra para difundir o chakra para a humanidade e lhes ensinar o conceito do Ninshu.

Ela também falou sobre que o que ficou na terra teve dois filhos, um herdou os seus olhos e o outro herdou seu “corpo” a força vital e energia física, o que herdou os olhos ficou irritado com que seu no leito de morte não ter escolhido ele para continuar o seu sonho de estabelecer a paz mundial e lutou contra o seu irmão. Depois da luta, os seus descendentes, formaram o clã Uchiha, todos herdando o Sharingan, embora o clã fosse quase dizimado do mundo depois de um assassinato feito por uma pessoa, o clã ainda permaneceu, mas com pouco muito poucos membros e aos poucos crescendo.

Com a chegada do deus bíblico, ele decidiu moldar o mundo, mas também deixar algumas coisas do mundo que era antes dele, como o chakra, mas poucas pessoas a conheciam, os Kekkei Genkais, o Senjutsu, Ninjutsu, Genjutsu e Taijutsu e também ...

 - Isso é sério?! – Kazuki olhou para Serafall em descrença que assentiu.

 - Sim. –

 - O velhote deixou ás Bijus andando pelo planeta?! –

 - Hm. – Serafall assentiu novamente.

 - Pelos seios caídos de Gabriel! O que ele tem na cabeça?! O Chakra e Senjutsu eu entendo, mas ás Bijus?! –

 - Nem eu sei o que ele pretendia com elas, mas pelo menos elas estão em harmonia, alguns estão dormindo, enquanto outros estão escondidos ... Bem todos estão escondidos, mas alguns estão dormindo e os outros acordados. Mas eles foram importantes para a bíblia e a mitologia xintoísta. –

 - Como assim? –

 - Existem 9 Bijus no total e três deles foram interpretados como Behemoth, Leviatã e Ziz. E através da energia deles foram criados os Youkais, como os Kitsunes, os Nekomatas, os Tanukis e outros. –

 - Ok ... Entendi ... – Kazuki lentamente assentiu antes de franzir a testa.

 - Então não sou o único com esses olhos ... – Kazuki colocou uma mão sobre o olho direito.

 - Exatamente Kazu-chan. Muitas pessoas na história tiveram alguns Kekkei Genkais como o Sharingan ou outros, como por exemplo, os Faraós no Antigo Egito tinham o Kekkei Genkai do Magnetismo. Com isso eles podiam facilmente manipular o pó do ouro em pequenas partículas como se fosse areia para lutar. –

 - Praticamente poder ilimitado. – Kazuki falou, visto que naquela época não havia armamento sofisticado, a não ser o arco e flecha, espadas, lanças, armaduras, catapultas, e outros. Eles praticamente eram invencíveis já que quase todas as armas eram feitas de metais e eles podiam controlá-las. Sem falar que eles também praticamente tinham dinheiro infinito. Era somente usar o Magnetismo para atrair o ouro já que o ouro é um metal.

Franzindo a testa, ele olhou para Serafall confuso: - Se eles podiam manipular o pó do ouro como areia para lutar, como eles perderam a luta contra Alexandre o Grande? –

 - Ele também tinha um Kekkei Genkai, ele podia usar a Lava. E ele era um militar, então quando ele lutou contra eles, ele já tinha vantagem por experiência em outras lutas. –

 - Oh ... – De repente ele foi envolvido em um abraço.

 - Estou feliz que você confia em mim á ponto de mostrar o seu Sharingan Kazuki, obrigado. –

Não tendo certeza do que dizer, Kazuki simplesmente a abraçou de volta. Aproveitando o abraço, ele desejou permanecer nessa posição para sempre.

 

                                                                                                      ...

 

Faz 5 meses desde que Kazuki conheceu Serafall. Durante esse tempo ela o levou para o submundo para treinar, fazia ele lutar contra criaturas e algumas vezes lutava conta ele embora a luta acabasse em menos de 2 minutos.

Junto com isso, depois de um tempo Kazuki se viu apreciando a presença de Serafall por perto. Sempre que ele estava perto dela ele ficava mais feliz e tentava passar bastante tempo com ela quando podia.

Abrindo a porta do banheiro de seu quarto, Kazuki saiu do cômodo com uma toalha em volta da cintura. Se aproximando da mesa do seu computador, ele pegou o seu celular e olhou para o horário: 2 horas da manha.

 - Vou dormir, amanha eu atualizo esse jogo. – O cansaço falou mais alto, visto que ele ficou treinando a maior parte do dia. Ele teve sorte de que era tempo de férias escolares.

Deitando na cama, não se preocupando em colocar uma roupa, ele se aconchegou na cama com a coberta em cima dele. Assim que ele se aconchegou um círculo mágico se formou em cima dele e Serafall Leviathan pousou em seu estomago.

 - Hey Kazu-chan sua amada Sera está aqui! –

Fechando os olhos ele falou. – Sera, eu fiquei treinando o dia todo hoje e enquanto eu gosto e ficar com você, estou muito cansado para agora. –

Houve um momento de silencio antes de sons de farfalhar de roupas serem ouvidas. E a coberta que Kazuki estava usando foi levantada e Serafall se arrastou por baixo e o abraçou.

 - Por que você está nu Sera? – Mesmo com os olhos fechados, ele pode sentir algo faltando.

 - É mais confortável assim! -

 - Então você está planejando ficar? -

 - Sim! –

Se virando para encarar Serafall, ele a olhou por um momento e a abraçou de volta.

 - Eu já te disse que estou feliz por te conhecer? –

Serafall enrijeceu em seus braços. – Não. – sua voz soou mais vulnerável do que Kazuki já ouviu. – Você nunca me disse isso. –

 - Eu sou. O dia em que te conheci foi um dos ias mais felizes da minha vida, mesmo que eu não soubesse disso naquela época. –

Sarafall não respondeu, ela apenas pressionou o rosto contra o peito dele. Enquanto ele acariciava os seus cabelos, ele estava se vendo ficar mais apaixonado pela Maou.

 

                                                                                       ...

 

O som da porta sendo aberta despertou Kazuki.

 - Kaz, acorde! O café da manha está ... –

 - Bom dia! – Os olhos de Kazuki se abriam quando ouviu a voz em cima dele: - Você poderia nos dar um momento? Estaremos acabando em breve. –

A primeira coisa que Kazuki notou foi Serafall, que estava sentada em seu colo, ainda estava nua. O segundo, depois de olhar para a porta, ele viu Issei na porta de sue quarto.

 - Eu vou ... – Issei lentamente fechou a porta com os olhos arregalados: - Eu vou avisar a mãe que você está vindo. –

Olhando para Serafall, depois que Issei fechou a porta ele falou: - Você poderia, por favor, sair de cima de mim? –

 - Eh? – Serafall começou a saltar para cima e para baixo, e Kazuki teve que morder os seus próprios lábios para manter o controle de si mesmo. – Mas o pequeno Kazu-chan parece muito feliz comigo sentado aqui! –

 - Realmente. – Kazuki admitiu. – Mas eu não gostaria que minha mãe nos visse assim. –

 - Puh. – Serafall se levantou, dando a Kazuki uma excelente visão de seu corpo. – Às vezes você não é divertido Kazu-chan. –

Se levantando da cama, Kazuki foi em direção ao seu guarda roupa.

 - Oh! – Serafall, que agora estava vestindo a mesma roupa de garota mágica, bateu palmas. – Antes que eu esqueça. Vamos para um encontro hoje à noite! –

 - ... O que? – Kazuki tentou acalmar o rubor em seu rosto com a idéia de ir a um encontro com ela.

 - Uma revista do submundo vai anunciar os resultados da pesquisa das garotas mais populares do submundo, e eu quero comemorar minha vitoria com você! –

(Realmente tem uma pesquisa assim?) Kazuki pensou, ignorando o fato de que a ultima parte da frase parecesse arrogante.

 - Certo, pode ser divertido. – Ele encolheu os ombros.

 

                                                                                               ...

 

 - Eu vou matar ela! Por que ela era uma opção? É do submundo por uma razão! -

 - Uhm Sera? – Kazuki olhou para ela confuso, em um momento ele estava usando o computador e no outro Serafall apareceu em seu quarto em um círculo mágico, furiosamente.

Os olhos dela se focaram nele por um momento, antes de se jogar na direção dele. – Kazu-Chaaaan, é terrível! Aquele anjo roubou meu título! E eu aposto que ela esta rindo de mim agora! –

 - Fale com calma, eu não tenho idéia do que você está falando. – Ele falou a segurando e olhando para ela.

 - Gabriel. – Ela cuspiu o nome do arcanjo como se fosse uma maldição. – Foi eleita a garota mais popular do submundo! –

Kazuki piscou com isso. – O Arcanjo, a mulher mais forte do céu? – Ele continuou balançando a cabeça. – Por que ela foi permitida nesse concurso? –

Serafall jogou os braços para cima. – Exatamente! Ela deve ter tido subornado alguém para entrar na lista de votação. Ela está fazendo isso só para me irritar! –

 - Sera, ela não é um anjo? Ela não é proibida de fazer isso ou algo assim? –

 - Isso é o que ela quer que você pense! Ela gosta de me ver sofrer, e ninguém acredita em mim! –

 - Ok... –

Não sabendo o que mais falar sobre a situação, Kazuki resolveu mudar o tópico.

 - Então o encontro foi cancelado? –

 - Oh, não, não, não, não, Kazu-chan. – O sorriso doce dela causou arrepios em Kazuki. – Só temos que ajustar nossos planos um pouco. –

 

                                                                                                   ...

 

 - Deixe-me ver se eu entendi direito. –

Kazuki olhou para Serafall que estava digitando em algum tipo de computador. – Você quer que eu te ajude a fazer um tipo de pegadinha com um arcanjo. –

 - Sim! – Serafall o respondeu com uma voz feliz, agora movendo maquinas de aparência estranhas no lugar ao redor do círculo mágico em que ele estava sentado.

 - Para fazer isso, vamos invadir o céu, usando algum tipo de portal que Ajuka desenvolveu para se infiltrar no céu, no caso de uma nova guerra acontecer entre demônios e anjos. –

 - Uhu, Ajuka é muito esperto não é Kazu-chan? Eu tive muita dificuldade em ir para o céu par ir atrás de Gabriel antes que ele inventasse este portal. –

 - Ignorando a insanidade de toda a idéia, como vamos ir para o céu sem ser detectados lá? –

 - Moh. – Serafall fez beicinho para ele. – Você não confia em sua amada Sera? –

 - Você acabou de me dizer que estamos invadindo o céu, então, neste momento, não. –

 - Não se preocupe, Kazu-chan! – Ela entrou uma pulseira que tinha um pequeno frasco conectado, para ele. – Esta é a essência de anjo. Muito difícil de conseguir sem corromper o anjo, mas com isso, podemos evitar que nos detectem. –

Kazuki olhou para o fluido branco viscoso que estava no frasco e decidiu não saber o que exatamente era essa “essência de anjo”.

 - Tudo bem, tudo está pronto! Lembre-se do plano e você ficará bem Kazu-chan! –

Kazuki franziu a testa. – Nós não fizemos um plano Sera. –

 - Oh, certo, desculpe, esqueci disso. Apenas fique perto de mim e faça o que eu fizer. – Ela colocou outra pulseira na mão esquerda dele. – Se você precisar sair rápido, apenas tire a pulseira e será teletransportado de volta para cá, antão não há nenhum perigo! –

 - Ah, e a primeira vez que usar esse portal pode ser um pouco chato, mas não se preocupe, eu vou carregá-lo quando chegarmos ao céu! – Serafall continuou.

 - O quê? Por que eu precisaria ser ... –

Ambos desapareceram em um lampejo de energia mágica antes de Kazuki pudesse terminar a sua pergunta.

 

                                                                                               ...

 

Assim que chegaram ao céu, Kazuki sentiu como se alguém tivesse aberto o seu estômago, arrancassem suas entranhas, fecharam o estomago com uma maquina de pregos e que alguém tivesse chutado a parte mais importante do corpo humano masculino que comprova que você é homem.

Quando a dor desapareceu o suficiente para que ele pudesse se mover de novo, Serafall estava o carregando pelo que parecia uma mansão gigantesca.

 - Kazu-chan. - Serafall notou que ele estava de volta da terra da dor. - Você ficou melhor na hora! –

 - Você poderia ter me avisado sobre isso, sabe? –

Ela inclinou a cabeça. - Mas eu fiz, logo antes do portal ser ativado! –

 - Você disse que seria chato! Não uma agonia! –

 - Oh, não seja um bebê Kazu-tan. – Ela o abraçou por trás, enfiou as mãos debaixo da camisa dele e começou a esfregar a barriga. – Eu irei fazer a dor ir embora~ -

 - Oi. - Kazuki se afastou com um rubor em seu rosto – Não é a hora e nem o lugar para isso! –  

Ela sorriu para ele. - Então você quer continuar mais tarde, Kazu-chan? –

 - Oh, cala a boca! – Kazuki falou desviando o olhar.

 - Você é tão fofo quando é tsun-tsun! –

O olho de Kazuki se contraiu com o comentário. Resolvendo mudar o assunto, ele falou.

- Então, onde estamos exatamente? –

 - Oh, certo! - Serafall o arrastou para uma porta dupla colossal e abriu-a: - Estamos nos aposentos de Gabriel. –

Kazuki se encontrou no que parecia ser uma gigantesca sala de estar. Móveis de luxo, decorações e uma TV que ocuparia uma parede inteira.

Serafall puxou a manga da camisa dele e começou a guiá-lo pela sala.

 - Aqui você tem a cozinha, lá atrás está à sala de jantar e ali você tem lavanderia. Nós temos cerca de meia hora antes que ela termine de tomar banho, então eu vou pegar as roupas dela enquanto você esvazia a cozinha Kazu-chan? –

 - Ok? ... E o quarto lá atrás? – Kazuki apontou para uma porta no lado oposto da TV, ignorando o fato de Serafall saber muito sobre a casa de um anjo.

 - Esse é o quarto dela, mas ela tem uma barreira lá, então eu não posso entrar! –

Se aproximando da barreira por curiosidade, por qual tipo de barreira um serafim poderia criar, ele ficou surpreso quando ele conseguiu tocar a maçaneta da porta sem qualquer tipo de resistência mágica.

 - De jeito nenhum! – Serafall se aproximou do quarto. – Ela esqueceu-se de ativá-lo? –

Essa hipótese se provou incorreta quando Serafall tentou se aproximar da porta, mas foi jogada para trás por uma barreira cintilante a um passo da porta.

 - Owie. – Ela esfregou a cabeça - Ok, não é isso. Talvez ela não pensasse que um humano tentaria entrar em seu quarto? Seja como for, Kazu-chan, vá saquear seu quarto! –

  - É o que - Ela realmente esperava que ele roubasse do quarto de Gabriel? ... Quem ele estava enganando, claro que ela esperava que ele fizesse isso.

 - Será perfeito! - Serafall bateu palmas. - Você entra lá e rouba qualquer roupa que ela tem, e eu vou para a casa de banho e corto a que ela está usando agora. O anjo condenável terá que sair sem calcinha como a cadela que ela é! –

 - Assim que você terminar de quebrar sua braçadeira, ela o transportará para um dos laboratórios de Ajuka. Fique seguro Kazu-chan! - E ela foi embora.

Olhando para a direção em que ela foi ele só podia suspirar. – Eu realmente tenho um interesse amoroso estranho. – Respirando fundo, ele abriu a porta.

 

                                                                                                  ...

 

O quarto de Gabriel era muito menor do que ele esperava, não era nada de grande escala que como a sala de estar ou a cozinha. A única coisa grande era a cama. Havia uma pequena escrivaninha com uma cadeira, um único guarda de roupas e era isso.

 - Devo abrir a gaveta? ... Talvez tenha algo na escrivaninha que Sera goste. –

 A primeira gaveta da escrivaninha estava vazia, assim como a segunda, mas a terceira estava cheia de velhos artigos de jornais. Olhando eles com interesse no começo, e depois com confusão.

Gabriel é eleita a mulher mais popular pelos panteões europeus – Serafall Leviathan ataca  o comitê!

Audiência de "Miracle Levia-tan" cai devido ao programa de TV "Gabriel-watch"

Serafall Leviathan seqüestra a presidente do "fã-clube Arcanjo Gabriel"

 - ... Que porra é essa? –

 - Que linguagem mais vulgar. – Ouvindo uma voz atrás de si. Kazuki congelou. Lentamente, ele se virou para a porta e ali encostado na porta, ele encontrou uma mulher vestida de roupão de banho.

Ele tinha visto muitas mulheres lindas antes, mas a que estava no batente da porta superava todas. Palavras não poderiam dar uma descrição perfeita da beleza da mulher em sua frente, afinal, somente falar que ela tinha cabelo loiro e olho azul era somente o básico. Mas agora, ele realmente não tinha tempo de cantar louvores sobre a beleza da mulher, porque ele precisava sair de lá. Cuidadosamente ele se virou, ele colocou os jornais na escrivaninha e arrancou a pulseira, ou pelo menos tentou.

 Seu braço foi agarrado por uma mão delicada que, no entanto, tinha uma força que ele não conseguia se libertar.

 - Não é muito legal invadir o quarto de uma garota e depois tentar fugir! –

Ele foi revirado à força e ficou cara a cara com a beleza de cabelos loiros.

 - Você acreditaria em mim se eu dissesse que saí para passear e acabei aqui por acidente? – Kazuki falou.

Ela inclinou a cabeça para o lado, com um sorriso divertido no rosto. – Eu não acho que foi isso que aconteceu, é, Kazuki? –

 - Ah. – Kazuki esfregou a parte de trás da sua cabeça com a mão que ela não segurava.

 - Então você sabe quem eu sou Gabriel-sama? – Ele falou. – E você poderia, por favor, soltar minha mão? –

- Como eu poderia não te conhecer? Você sabe que um arcanjo ouve se você invocar o nome dele certo? E promete não tentar correr de novo se eu deixar? Você vai? –

(Eu falei o nome dela? ... Ah merda.) Kazuki falou mentalmente para si mesmo enquanto se lembrava de falar: – Pelos seios caídos de Gabriel! O que ele tem na cabeça?! O Chakra e Senjutsu eu entendo, mas ás Bijus?! –

 - Suponho que eu não seria rápido o suficiente para correr mesmo se eu tentasse, não é? – Ele falou.

 O Serafim inclinou a cabeça em sua direção.

 - Bem, eu prometo que não vou tentar. –

Realmente, não havia sentido fugir se ela era rápida o suficiente para pegá-lo. E mesmo que ele tente tirar pulseira ela o interromperia.

Gabriel sorriu para ele e soltou sua mão. - Maravilhoso! Então, o que te traz para minha humilde casa Kazuki? –

 - Uhm, eu fui forçado a fazer isso por uma garota mágica que parece uma criança hiperativa? –

 - Realmente? Então Serafall finalmente encontrou alguém que satisfaz suas tendências mais infantis? -

 Kazuki fez uma careta. - Você realmente não parece tão preocupada com ela invadindo o céu. –

 O Seraph sorriu para ele novamente. - Não é a primeira vez que isso acontece, e não será a última vez. –

Tradução: eu sei que ela pode invadir e realmente não é um perigo muito grande para o céu.

- Para lhe dizer a verdade, eu acho suas travessuras bastante divertidas. –

Kazuki olhou para a pilha de jornais sobre a mesa - Sim, notei isso. –

 Ela seguiu meu olhar e riu.

 - Oh, não é realmente o que você esperava encontrar lá? –

 - Honestamente? Não. – Kazuki balançou a cabeça.

Ela olhou para ele, claramente divertida, depois se virou, tirou o roupão e colocou-o na cama.

- ... Hã? ... – Kazuki falou em voz baixa olhando para a parte de trás do anjo, a maior parte da cota dela estava coberta pelo cabelo loiro dela, mas a bunda dela só estava escondida por uma calcinha branca.

 Uma de suas mãos se aproximou e jogou o cabelo por cima ombro, revelando a alça do sutiã. Gabriel olhou para trás por cima do ombro.

- Você poderia me ajudar a abrir meu sutiã Kazuki? Eu tenho dificuldade em tirá-lo. –

 - ...Eh? – Kazuki olhou para ela em descrença. Gabriel, o Serafim, a mulher mais forte do céu estava o pedindo para ajudá-la a tirar o sutiã. Enquanto o cérebro dele se recusou a continuar trabalhando enquanto processava essa informação. O seu corpo não parecia se importar e antes que ele percebesse, ele tinha soltado o sutiã dela.

 - Ahhhhh, muito obrigado! Você não sabe como isso é relaxante. –

O cérebro dele tinha acabado de começar a reiniciar quando ela tirou o sutiã e se abaixou para puxar sua calcinha. Então ela se virou e pressionou os dois itens na mão dele.

 - Seja um bom garoto e guarde-os para mim, ok? –

Ele realmente não a ouviu, porque seus olhos começaram a vagar por seus seios perfeitos e pararam bem entre suas pernas.

 - Como você pode ver. - ela parecia divertida novamente. A mão dele foi repentinamente agarrada e puxada para frente até que ela coloca-se mão no seio dela. - Meus seios não estão nem um pouco caídos! –

Foi neste momento em que Kazuki começou a entender o gosto de Issei por seios e também foi o memento em que o Kazuki “oprtunista” nasceu.

Apertando levemente o seio dela, ele voltou à realidade quando ela soltou um pequeno gemido.

 - Ohh, você não é bastante ousado? –

 Depois que o cérebro dele ligou, sentindo o sangue correr para o seu rosto e pulando longe da mulher que deixou tocar seu seio dela de uma maneira tão casual. Ele ouviu uma risada suave soando no ar.

 - Você é realmente fofo quando está nervosa Kazuki-san! –

 - H-Hmm. Você não deveria ser a encarnação da pureza? Eu pensei que nenhum homem deveria te ver nua. –

 - O que estar nu tem a ver com ser impureza? Este é o corpo que meu pai me deu, por que eu deveria ter vergonha de ser visto? –

 - Então, a coisa toda sobre nenhum homem ver você nua é apenas um mito? –

 - Não. - ela balançou a cabeça - É verdade que eu normalmente não mostro meu corpo na frente de uma companhia masculina. Na verdade, eu acredito que você é o primeiro homem desde que meu pai colocou os olhos em minha quando me criou - Ela sorriu para ele. - E certamente o primeiro a ter a honra de tocar meus seios. –

Kazuki piscou. - Ok ... estou claramente confuso aqui. –

Ela suspirou. - Kazuki, você deve entender que o meu corpo invoca uma grande quantidade de desejo na maioria dos homens que o vêem. Se eu andasse nu no céu, então teríamos nossos anjos caindo em toda a parte. E quem mais eu conheço o suficiente para estar confortável em mostrar meu corpo? –

 - O que? – Kazuki falou, ainda segurando a calcinha e o sutiã. – Por que você estaria bem comigo vendo você nua, e tocando os seus seios? Você nem me conhece direito. –

 Gabriel inclinou a cabeça e respondeu com um pequeno sorriso ao redor dos lábios. – Mas eu te conheço, Kazuto. Eu conheço você há muito tempo. –

 - Hm? -

 - Você não se lembra? Você uma vez rezou para mim, quando você era apenas uma criança. –

 - Eu rezei? ... – Kazuki inclinou a cabeça em confusão, tentando se lembra disso.

 - ...Vô... –

 - Vo ... você ... o velho está bem? –

 Há algum tempo atrás, o avô paterno de Kazuki e Issei, Juzo Hyoudou, faleceu devido à idade. Ele provavelmente foi à razão pela a qual o seu pai e Issei serem pervertidos, como ele era um pervertido do mesmo nível que Issei, mas mesmo sendo um grande pervertido, ele era uma boa pessoa e um bom avô e a morte dele chocou muito Kazuki que estava bem próximo dele e quando Kazuki descobriu que seu avô morreu, ele chorou e ficou com o humor para baixo, ele também rezou para Gabriel para levar o seu avô ao céu, já que ele não acreditava em nenhuma mitologia até conhecer Serafall e descobrir que todos os deuses mitológicos existem como os gregos, nórdicos, egípcios, etc.

- Claro que ele esta, eu fiz questão de levá-lo para o céu budista. –

 Kazuki sentiu lágrimas escorrem em seus olhos. - Você fez? –

 Gabriel olhou para ele com um pouco de pena em seu olhar. – Como eu não pude depois de ouvir sua oração sincera? –

Kazuki fechou os olhos e respirou profundamente: - Obrigado, muito obrigado. – Ele começou a limpar as lagrimas de seu rosto.

Tendo o seu rosto puxado para cima ele ficou cara a cara com o Serafim. Ela lhe estudou por um momento e depois sorriu para mim. Um sorriso cheio de calor e bondade que ele nunca vi antes.

 - Não há necessidade disso Kazuki, eu apenas fiz o meu dever. –

Kazuki balançou a cabeça. - Mesmo se fosse seu dever, eu realmente lhe agradeço, eu nem sei como lhe agradecer direito. – 

 - Gabriel. - Uma voz foi ouvida atrás da porta do quarto. – Você está vestida? –

 Gabriel virou-se para a porta, antes de volta para Kazuki e então ela sorriu.

Ela colocou o roupão de volta, sentou-se na cama. - Claro, Michael, você pode entrar! –

Quando a porta se abriu lentamente, Kazuki percebeu como a situação em que ele estava não era normal. Um jovem com cabelo castanho com um par de roupas íntimas em suas mãos, enquanto uma bela mulher de cabelos dourados estava sentada em uma cama só de roupão de banho? Parecia ser uma cena daqueles filmes adultos que ele nunca viu nem mesmo um segundo.

Ele rapidamente colocou a roupa intima dela em um dos seus bolsos, certificando-se de que nenhuma parte da roupa estava para fora e, em seguida, simplesmente ficou lá meio da sala.

A porta se abriu completamente e um homem entrou. Ele tinha longos cabelos loiros, olhos verdes.

 - Gabriel, eu só queria ver se está tudo bem. Serafall Leviathan foi avistado, e eu pensei ... - Naquele momento ele notou Kazuki em pé no quarto e seu rosto ficou um pouco gelado.

 - E quem poderia ser esse jovem? E por que ele está aqui irmã? –

 - Esse é Kazuki. Sobre o porquê ele está aqui, uhm ... – Ela olhou para Kazuki um pouco. – Eu acho que ele disse algo sobre tentar me seduzir? –

(Pensa rápido!) Kazuki ficou congelado quando uma lança de luz feita por Michael estava sendo apontada para ele. (É isso ou nada...)

- Eu sinto muito, senhora, mas a política de onde trabalho afirma que flertar com os funcionários é estritamente proibido. Se você continuar, temo que eu tenha que banir você do nosso salão de massagens. – Ele se virou para Michael. - Sinto muito senhor, mas as sessões de massagem são estritamente particulares, então eu tenho que pedir para embora. –

De jeito nenhum Michael vai acreditar nisso, visto que o olhar de Michael se voltou para Gabriel, que parecia totalmente inocente, mas ela estava se divertindo no fundo. Kazuki implorou com seus olhos enquanto a observava.

 - Era só uma brincadeira irmão. Você não ia machucar Kazuki, ia?"

 - Ah. - O rosto de Michael ficou um pouco vermelho e ele desfez a lança de luz que estava segurando. - Eu sinto muito por isso. Eu apenas entendi mal a situação, eu irei embora imediatamente. - Ele disse e desapareceu pela porta.

Kazuki soltou um suspiro que não notou que estava segurando. – Você está tentando me matar?! –

 - Não precisa ficar nervoso. Foi uma brincadeira. –

 - Que quase me matou! Quer saber?! Eu vou embora! – Kazuki tentou pegar a pulseira novamente, apenas para ser parado por Gabriel novamente.

- Você não pode sair agora do Kazuki. –

 - Lógico que eu posso é só eu tirar a pulseira. –

 - Ora, você ainda me deve uma massagem, não é? –

 - ...Você está brincando comigo? –

 

                                                                                                 ...

 

 - Ohhhhhhhhhhhh! –

 Kazuki cerrou os dentes.

 - Ahhhhhhhhhhh! –

A sobrancelha dele estava contraindo agora.

 - Mhhhhhhhhhh! –

- Ok, é isso, estamos a fazer! –

Kazuki se recuou da cama na qual um Gabriel completamente nu, coberto de óleo de massagem, havia se deitado. Ela estava falando sério quando falou sobre a massagem. Não seria tão ruim se ela não tivesse insistido em fazer todos aqueles barulhos enquanto Kazuki massageava suas costas. Ele era um adolescente, isso realmente não era bom para seus hormônios.

 - Uau. – Gabriel se esticou ainda completamente nua. – isso foi simplesmente maravilhoso! Eu não tinha idéia de que você era talentoso com isso Kazuki. –

 - Se não houver mais nada, vou embora agora. –

 - Kazuki. –

 - Hm? –

 - Quando posso obter minha próxima consulta de massagem? –

Revirei os olhos para o anjo sorridente enquanto tirava a pulseira.

 - Tchau, Kazuki, foi um prazer conhecer você! –

 

                                                                                                 ...

 

Chegando ao que parecia ser um laboratório em algum porão que parecia ser muito futurista, Kazuki foi recepcionado por pelo o que parecia ser uma discussão.

 - Deixe-me ir Ajuka, eu tenho que trazer Kazuki de volta. Eles provavelmente o capturaram! –

 - Raciocine Serafall, você não pode simplesmente invadir o céu e começar a atacar o lugar! –

 - Eu não me importo, eles podem estar torturando Kazu-chan agora mesmo! –

 - Na verdade, estou bem. Um pouco cansado, mas não torturado ou algo assim. – Ele mal havia terminado de falar quando foi derrubada no chão por Serafall.

 - Kazuuuuuu-chan! – Ela começou a esfregar o rosto contra o dele.

 - Eu estava tão preocupado com você! O que aconteceu? –

 -Bem, Gabriel apareceu logo depois que você saiu. –

 - O que! – Serafall praticamente rosnou a palavra - Aquela cadela fez alguma coisa com você! -

Ele balançou a cabeça. - Não, na verdade não. Nós só conversamos um pouco e então Michael apareceu e eu tive que “improvisar”, o que me levou a massagear Gabriel e ... – Ele parou de falar quando Serafall parecia estar congelada ... irônico.

 - Você a massageou? – A voz dela era completamente sem emoção.

 - Você nunca me massageou, mas aquela cadela te obrigou a massagear ela? – Ela se levantou. – Eu já volto, eu tenho mat-ir em um lugar. –

(Ah merda.) Kazuki começou a entrar em pânico quando Serafall começou a se afastar.

 - Hmm, agente não em um encontro Sera? – Kazuki tentou mudar o assunto para chamar a atenção dela e pareceu funcionar já que ela parou de andar.

 - ...Oh, é mesmo! – Ela exclamou em realização. Se virando para ele, ela falou. – Eu já volto Kazu-chan! Eu vou trocar de roupa primeiro! – Criando um circulo mágico, ela foi embora.

E foi assim que Kazuki sofreu o seu primeiro prejuízo financeiro na sua vida em Ithaa Undersea.

 

(Tempo atual)

 

- Eu não falei para ser um lugar com pouca gente? – Kazuki falou. Ele estava usando roupas mais formais, devido a Serafall o levar para um restaurante de luxo que estava com bastante movimentação.

 - Whoopsy~! Eu pensei que estava vazio~! – Sarafall disse com um tom inocente.

 - Claro que sim. – Foi à resposta dele fazendo-a fazer beicinho. – Por que você escolheu este lugar? – Kazuki perguntou olhando ao redor do restaurante.

 - Por que é um encontro! – Serafall respondeu.

 - Ah... – Kazuki disse, vendo se o seu pedido estava chegando. - ... Ei Sera, posso lhe fazer uma pergunta? –

 - Sim? –

 - Quantos anos você tem? –

 - Eh? – Serafall inclinou a cabeça para o lado.

 - Bem, eu te conheço há muito tempo, mas não sei sua idade ...então você poderia me falar qual é? –

 - Vinte e dois. –

 - ... Você está falando sério? – Kazuki olhou para ela duvidosamente.

 - ... Sim. – Ela respondeu.

 - Realmente? Eu pensei que você teria a mesma idade que Ajuka, e visto que ele criou a [Evil Piece] e o bispo de Zeoticus Gremory, Heinrich Cornelius Agrippa, viveu durante a primeira metade do século XVI, isso significa que o [Evil Piece] foi criado durante, ou antes, do século XVI. Sem falar que a Grande Guerra durou por muito tempo, embora eu não quanto tempo o certo, mas eu diria que durou por 100 anos? Eu não sei ao certo, então isso significa que você pode ter 800 anos de idade, ou mais, certo? – (Nota: Um demônio na série DxD pode viver aproximadamente 10 mil anos.)

Os olhos de Serafall se arregalaram e um pequeno rubor apareceu em seu rosto. – O-O que! I-I-I Isso não é verdade! Eu juro que tenho vinte e dois anos Kazu-chan! Você tem que acreditar em mim! –

 - Você mente mal. – Kazuki disse fazendo o Maou olhar para ele em estado de choque.

 - K-Kazu-chan! – Ela sussurrou. – Minha ... Minha rainha não confia em mim ...! E-Eeeep~! –

Kazuki simplesmente olhou para o Maou “triste”. Era obviamente que isso era uma atuação.

Depois de alguns minutos de choros falsos, ela lentamente olhou para ele. – V-Você não se sente mal? –

 - Sim. – Ele respondeu. – Eu me sinto mal pela sua atuação ruim. –

Serafall engasgou e se levantou, mas não disse uma palavra, ela estava apenas olhando para ele em estado de choque.

Finalmente, ela se sentou em sua cadeira e olhou para longe dele com um “Hmm!” escapando de seus lábios.

 - A comida está pronta. – O garçom disse fazendo Kazui se virar para vê-lo com dois pratos nas mãos. Colocando o prato de Kazuki na frente dele, Kazuki observou o garçom fazer o mesmo com Serafall, que ainda está olhando para longe dele.

 - Por favor, aproveite a comida. – O garçom disse se curvando antes de sair. Kazuki apenas assentiu, enquanto Serafall não disse uma palavra.

Suspirando, Kazuki pegou o garfo e a faca, começou a cortar a carne antes de comê-la.

 - Isso é muito bom... – Kazuki olhou para a carne por um momento. Olhando para Serafall, que ainda estava olhando para longe dele.

 - Ei... – Ela a chamou, embora ele não recebesse uma resposta. – Você não vai comer? – Ela apontou para o prato na frente dela com o garfo, somente para receber silencio.

 - Sua comida vai esfriar. –

Ela apenas continuou em silencio e olhando para longe dele.

 - Bem, faça o que quiser. – Ele murmurou cortando a carne.

 - Mmmmm ...! – O som abafado de Serafall fez Kazuki olhar para ela novamente para vê-la olhando para longe dele.

Revirando os olhos, ele voltou a para a sua comida, pegando o pedaço de carne com o garfo, ele foi comê-lo.

 - MMMMM! – Serafall fez outro som abafado, fazendo Kazuki suspirar e olhar para ela.

 - O que? –

Serafall não disse uma palavra e sua comida ainda estava intacta.

 - Olha, se você não comer, você vai ficar com mais fome do que antes, então coma. Sua comida esta esfriando. – Kazuki disse.

Surpreendentemente, Serafall abriu os olhos e se virou para ele com uma expressão cansada. Virando a cabeça para encarar a comida ela, ela fez um beicinho e agarrou o garfo e a faca.

Balançando a cabeça, Kazuki deu uma mordida na comida com um pequeno gole de sua bebida.

*Brrrum!*

Um pequeno som de um trovão ecoou nos ouvidos de Kazuki. Se virando para as janelas do restaurante, ele não viu nenhuma nuvem de chuva, na verdade, ele nem sabe se chove no submundo.

 - Ei Sera, você ouv-Sério? – Ele parou de falar quando viu o que seu mestre estava fazendo.

Serafall ainda estava com um beicinho, usando o garfo para brincar com a comida, mas isso não foi que o surpreendeu, o que o surpreendeu foi que no topo da cabeça dela, havia uma pequena nuvem cinza e chuva com pequenas gotas caindo em cima do cabelo dela, com pequenos relâmpagos caindo aleatoriamente. Não foi uma ilusão, pois ele usou o seu Sharingan para confirmar, era simplesmente magia.

Soltando um suspiro ele resolveu acabar com isso. – Tudo bem, o que eu preciso para fazer você feliz de novo? – Ele perguntou.

Serafall simplesmente olhou para ele com um beicinho, mas rapidamente desviou o olhar, conjurou uma caneta e um bloco de anotações. Serafall começou a escrever no bloco de notas e a olhar para ele a cada segundo, mas depois ela rapidamente desviou o olhar dele. Finalmente, ela colocou o bloco de natos no meio da mesa, deixando-o ler o que ela escreveu no papel.

                                                                               Alimente-me! 

 - ... É isso? – Kazuki perguntou.

A única resposta que teve foi outro papel.

                                                                                     Sim!

Encolhendo os ombros, ele se levantou da mesa e agarrou a sua cadeira, colocando-a ao lado de Serafall, que estava observando os movimentos dele cuidadosamente. Se sentando, ele pegou o garfo e a faca das mãos dela e começou a cortar a carne dela.

 - Não precisava de todo o drama. Era somente perguntar ... – Ele murmurou cortando o pedaço de carne. Pegando a carne com o garfo, ele voltou o seu olhar para Serafal. – Aqui. – Ele murmurou, direcionando o garfo até a boca dela, enquanto usava a outra mão abaixo do garfo, certificando-se de que o pedaço de carne não caísse em suas roupas e nas roupas dela.

Serafall olhou para o garfo por alguns segundos, então para ele, o olhando atentamente através dos olhos dele, e ela continuou repetindo a mesma ação ... finalmente, depois de um minuto de silencio, a atitude de Serafall mudou para o estado alegre novamente, abrindo a boca e comendo o pedaço de carne.

 - Mmm! – Serafall exclamou com alegria com os olhos fechados, saboreando a comida. Logo, ela abriu os olhos e olhou para Kazuki com um sorriso alegre. – É realmente bom! –

 - Não falei? ... aqui, mais um pouco. – Ele disse, direcionando o garfo para ela.

Depois de um tempo alimentando Serafall, Serafall pagou pela comida, agarrou o braço de Kazuki e o afastou do restaurante. Levando-o para as ruas do submundo.

 - O-Oi, se acalma. – Kazuki chamou. Felizmente suas palavras foram ouvidas pelo o seu mestre que parou de correr, com o braço dele pressionado nos seios dela.

 - Onde estamos indo? –

Serafall simplesmente piscou para ele. – Estamos indo para um dos meus lugares favoritos~! –

 - Mesmo? –

 - Sim~! – Foi à única resposta de Serafall, apoiando a cabeça no braço dele e abraçando o braço com mais força.

(Eu achei que só íamos comer...)

 

                                                                                                ...

 

Chegando ao mundo humano através de um círculo mágico, Kazuki se deparou com a sala do clube de ocultismo vazia, ou quase vazia. Serafall não veio com ele ainda pois ela decidiu que seria melhor ir para a casa dele depois da reunião das três facções terminar.

 - Ara, olá Kazuki. –

 - Oi Hime. – Kazuki disse com um pequeno sorriu para Akeno que estava arrumando a sala do clube.

 - Onde estão os outros? – Ele disse observando ao redor da sala.

 - Kiba e Koneko estão fazendo contatos e Buchou, Asia e Issei foram para a sua casa. –

 - Oh ... Ei Hime. –

 - Sim? – Akeno parou de arrumar a mesa de Rias e se virou para ele.

 - Tava pensando sobre agente faz um tempo e ... você quer recomeçar? –

 - ... Recomeçar? – Akeno inclinou a cabeça.

 - Sim, por que ... bem, por que todo o nosso relacionamento foi “carnal”, nós somente flertamos e as vezes temos algumas preliminares, mas eu não quero que continue assim. – Kazuki se aproximou dela.

 - Eu quero poder ficar ao seu lado quando você precisar, eu quero passar a maior parte do meu tempo com você, eu quero um dia poder acordar com você ao meu lado. Eu te amo e gostaria de recomeçar o nosso relacionamento. –

 - E se não der certo? – Ela perguntou.

Kazuki simplesmente sorriu para ela: - A gente vai tentando até acertar. –

 - ... Talvez agente possa ver como isso vai dar. – Ela falou com um pequeno sorriso, fazendo o sorriso de Kazuki aumentar.

 - É só o que eu peço. – O sorriso dele diminuiu. Ele parecia querer falar algo mas não sabia como.

 - ... Hmmm. –

 - O que foi? – Akeno perguntou, observando Kazuki parecer um pouco.

- Bem ... é ... eu vou ser direto, você é filha de um dos lideres dos anjos caídos? – A expressão de Akeno mudou instantaneamente para um de surpresa.

 - Como você ... –

 - Um pássaro observou a luta de vocês contra Kokabiel e me disse. –

 - Rachel ... – Akeno sussurrou o nome da fênix de Kazuki.

- Sim ... então é verdade? –

 - ... Sim. Originalmente eu nasci entre o Anjo Caído Baraqiel e uma humana. –

 - Baraqiel. – Kazuki murmurou para si mesmo antes de Akeno continuar falando.

 - Minha mãe fazia parte de um santuário deste país. Ouvi dizer que, em certo dia, minha mãe salvou Baraqiel quando ele foi ferido e mais tarde ambos se apaixonaram e eu nasci. –

Kazuki observou Akeno soltar as asas de suas costas, uma asa de Anjo Caído e o outro de demônio.

 - Essas asas sujas ... As asas de um demônio e a asa de um anjo caído, eu possuo os dois. –Akeno falou como ela agarrou as penas pretas com as mãos em desprezo, mesmo quando ela continuou.

 - Um dia, eu conheci Rias e me tornei um demônio ... mas o que nasceu foram as penas de um anjo caído e a asa um demônio, uma criatura mais repugna que possuía ambos. Fufufu, isso pode servir para mim que tem sangue sujo fluindo suas veias. –

 - Ok, já chega. Não fale assim. –

 - Kazuki-kun? –

 - Eu não vou pedir mais detalhes sobre o seu nascimento, eu só queria confirmá-lo. Mas lembre-se que o seu 'sangue sujo' tem parte de sua mãe, quanto do seu pai, ela escolheu se apaixonar por ele e se ela não tivesse você não teria nascido. Seu poder é mais um presente dela do que uma maldição de seu pai. E de tudo eu vi sobre você, Hime, me fez amar você, eu não vejo você como uma criatura por herdar o poder de seu pai. Eu sempre vejo a garota linda e inteligente pela qual eu estou me apaixonando cada vez mais. – Kazuki disse colocando uma mão na bochecha dela.

 - Você realmente pensa assim? – Ela perguntou se inclinando para a mão.

 - Você não tem idéia. – Ele disse com um sorriso e se inclinando para beijar a testa dela.

(Autor: Desculpe pela cena não ser muito bonita, mas não sou muito especialista em romance. Ultimamente só estou vendo os filmes da Marvel então não como tem me inspirar.) 

                                                                                                         ...

 

 - Ei, comece a correr. Se você é um Daywalker então deve ser capaz de correr de dia. –

 - Eeeeeeek! Não me persiga enquanto balança a Durandaaaaaaal! –

 - Então ... esse é bispo vampiro de Rias? – Kazuki perguntou observando Gasper fugindo de Xenovia.

 - Sim! – Issei respondeu.

 - Tem certeza que é homem? Parece uma mulher. –

 - Confie em mim ... é um homem. –

 - Apesar de ter sido uma honra conhecer um Bispo-san como eu, nós nem mesmo vimos o rosto um do outro apropriadamente...*soluço*. – Asia parecia arrependida, e também um pouco triste.

 - ... Gya-kun, se comer alho ficará saudável. – Koneko perseguia Gasper ao lado de Zenovia, enquanto carregava um alho.

 - Nãããããão! Koneko-chan está-me mal tratando! –

 - Que barulheira é essa? – Olhando para a direção da voz, ambos Issei e Kazuki viram Saji se aproximando.

 - Oh, é você, Saji. – Issei disse.

 - Yo, Hyoudou. Depois de escutar que havia um servo hikikomori cujo banimento havia sido quebrado, eu vim para vê-lo um pouco. –

— Ah, Ele está logo ali. Ele é aquele que está sendo perseguido pela Xenovia.

—Ei, ei, Xenovia-san, ela está balançando a espada lendária com vontade, sabia? Está tudo bem? hein. Oh! Espere, é uma garota, hein! Sem contar que é uma loira! –

 - Saji. – Kazuki colocou a mão no ombro dele.

 - Sim? –

 - It's a trap. -

Ouvindo isso, Saji parecia estar completamente abatido.

— Bem, isso é trapaça. Além disso, como ele está vestindo roupas de garota, deveria ser para mostrar para alguém, certo? Mas como ele é um hikikomori, seria muito contraditório. Mas que complicado. –

 - É verdade. Esse é um ato de se vestir como mulher incompreensível. Eu também não posso dizer nada se isso é adequado para ele. E, o que está fazendo Saji? – Issei falou.

 - Hm? – Kazuki olhou para trás dele por cima do ombro por um momento antes de revirar os olhos de forma zombeteira e olhar para frente novamente.

 - Como vê. Estou fazendo a manutenção do canteiro de flores. Essa tem sido a ordem da Kaichou desde uma semana atrás. Ei, recentemente tem havido muitos eventos na escola, né? E da próxima vez, Maou-sama e o outros virão aqui também. É o trabalho do peão do conselho estudantil, eu, fazer a escola parecer bonita. –

 - Hm. – Kazuki assentiu antes de suspirar. – você vai aparecer logo ou vai ficar ai parecendo um pedófilo observando menores de idade? – Ele olhou novamente para trás.

 - O que? – O grupo olhou para ele estranhamente.

 - Oi, eu não sou pedófilo. – Um homem com cabelo preto, franja dourada e um cavanhaque preto e olhos de cor violeta. Ele também usava roupas formais com um longo casaco.

 - No entanto você veste um casaco longo e observa menores de idade em uma área vazia ... Pedófilo. – Kazuki falou, causando o homem a esfregar os olhos com os dedos.

 - Eu não sou pedófilo. –

 - Azazel...! –

 - Hm? Oh. Olá, Sekiryuutei. Já faz um tempo desde aquela noite. –

Xenovia estava com sua espada preparada. Asia se escondeu atrás de Issei que fez a [Bosted Gear] aparecer. Saji ativou a sua Sacred Gear.

 - Hy-Hyoudou, você quis dizer Azazel?! –

 - Estou falando sério, Saji. Eu já entrei em contato com ele várias vezes. –

Azazel sorriu amargamente para a postura do grupo.

 - Eu não sinto vontade de lutar. Ei, abaixem suas posturas, demônio de baixa classe. Vocês deveriam saber de alguma forma que mesmo se o bando todo estivesse aqui, vocês não me venceriam certo? Até mesmo porque eu não tenho planos de atacar demônios de baixa classe. Já que eu estaca passeando, e vim visitar os demônios. O portador da espada sagrada demoníaca está presente? Eu vim para vê-lo. –

 - Ele saiu faz um tempo, mas não sei onde ele foi. – Kazuki falou.

—... Sério. Se vocês nem sequer foram capazes de vencer o Kokabiel sozinhos, então não a chance alguma de me vencerem. Entendo o usuário da espada sagrada demoníaca não está presente. Mas que chato. –

Enquanto coçava a cabeça, Azazel se aproximava e apontou para uma determinada árvoreque Gasper estava se escondendo.

 - O vampiro está se escondendo ali. – Enquanto se aproximava de Gasper, o governante dos anjos caídos disse:—Você é o possuidor da [Forbidden Balor View], certo? Se você não puder usá-la apropriadamente, então ela se tornara algo que causara dano aos outros. Como uma Sacred Gear de suporte, se você puder suprir as suas deficiências, ela deve tornar boa, mas... Agora que mencionei isso, a pesquisa de Sacred Gears pelos demônios não progrediu muito. Se você o invocar através dos Cinco sentidos ou se a capacidade do usuário da Sacred Gear for insuficiente então, ele irá se ativar sozinho e se tornará extremamente perigoso. –

Azazel estava olhando para os dois olhos de Gasper. O próprio Gasper estava tremendo, afinal o proprio líder dos anjos caídos estava se aproximando dele.

Azazel se voltou para o grupo e apontou para Saji: - Essa é a [Absortion Line]? Se estiver praticando, tente usar isso. Conecte isso a esse vampiro, se ele o invocar enquanto estiver absorvendo o excesso da Sacred Gear, provavelmente isso era funcionar menos descontroladamente. –

Saji demonstrou uma expressão complexa pela explicação de Azazel.

 - ... M-Minha Sacred Gear, ela pode sugar o poder de outras Sacred Gear também? Eu pensei que ela simplesmente absorvia os poderes do oponente e os enfraquecia. –

Ouvindo isso, Azazel ficou com uma expressão espantada.

 - Sério, por causa disso que recentemente os donos das Sacred Gears não tentam descobrir os poderes de suas Sacred Gears o suficiente. O [Absortion Line] guarda o poder de um dos lendários 5 reis dragões, o dragão prisioneiro, Vritra. Bem, isso foi descoberto graças às pesquisas recentes. Essa coisa pode se conectar a qualquer objeto, e pode dispersar esse poder. Se for por pouco tempo, é possível separar a linha do lado do usuário e conectá-la a outra pessoa ou objeto. –

 - E-Então, a linha do meu lado... por exemplo, eu posso conectá-la ao Hyoudou ou alguma outra pessoa? E então o poder irá fluir para o Hyoudou? –

 - Sim, se você se fortalecer, o número de linhas também irá aumentar. Se fizer isso, o número de saídas de absorção irá aumentar também. –

 - ... - Saji ficou calado. Aliás,se a explicação de Azazel for verdade, então isso não seria uma coisa incrível?

— Para melhorar uma Sacred Gear, a maneira mais rápida é beber o sangue do hospedeiro do Sekiryuutei. Se você deixar um vampiro beber sangue, então ele irá ganhar poder. Bem, façam o resto vocês mesmos. – O governante dos anjos caídos disse isso tudo, e com um único olhar, se virou para deixar o local. Entretanto, ele parou mais uma vez e se virou para Issei.

 - Desculpe-me por Vali. Nosso Hakuryuukou ter entrado em contato com você por conta própria. Eu estou certo de que ficou surpreso certo? Ele é um cara estranho, mas ele não pensa em resolver a rivalidade entre o vermelho e o branco imediatamente. –

 - E você, não vai se desculpar por entrar em contato comigo várias vezes sem me informar sua identidade? –

Azazel mostrou um sorriso malicioso e disse.

 - Bem, esse é meu hobby. Eu não vou me desculpar. –

 - Sim, ele gosta de atrair demônios menores de idade para a casa dele e ainda diz que não é pedófilo quando age como um. Só falta oferecer uma bala. – Kazuki disse com um sorriso vendo a sobrancelha de Azazel se contrair.

 - Kaz! Eu não acho que é bom irritar o líder dos anjos caídos. – Issei disse.

 - Eu só estava brincando, é proibido agora? – Kazuki encolheu os ombros.

 - Você tem um senso de humor estranho. – Azazel olhou para ele: - Ouvi disser que você despertou o Mangekyou, eu posso velos? –

 - Ah não. Eu tenho uma coisa para fazer agora. – Kazuki falou.

 - Como o que? – Azazel perguntou.

 - Coisas. – Kazuki se virou para Xenovia. – Vamos indo, eu tenho que fazer outra coisa hoje. –

Sem esperar, Kazuki se virou e sai do local, com Xenovia o seguindo depois de se despedir do grupo.

 

                                                                                            ...

 

 - Isso vai doer? –

 - Sim, a primeira vez sempre dói. –

 - Entendo ... o que eu tenho que fazer? –

 - Deite aqui e se acalme, quando eu terminar vai continuar doendo um pouco, mas logo a dor passa. –

 - Para eu deitar assim? –

 - Sim, agora se acalme ... antes de começarmos, você tem certeza que quer fazer isso? –

 - Hm. – Xenovia assentiu.

 - ...Certo... vamos começar então... –

 - Ahhhhhh! –

 - Desculpe! Eu devia ter feito você dormir primeiro! – Kazuki estralou o dedo em frente ao rosto de Xenovia usando a sua manipulação mental para fazer ela dormir calmamente.

 - Agora sim, vamos fazer isso corretamente... Isso vai demorar. –

Colocando as mãos na cabeça dela, ele começou a usar a sua manipulação mental nela. Pouco tempo atrás, ela pediu para que ele fizesse com que ela não tivesse dor de cabeça quando orava ou lia a bíblia com a manipulação mental dele, visto que ele não sentia dor quando alguém orasse perto dele ou lia a bíblia. Ele também poderia fazer isso em Asia, mas ele não queria machucar ela.

 

                                                                                          ...

 

 - Agora, então, vamos indo. –

Todos do Clube de Ocultismos acenaram para as palavras de Rias.

 - Você terminou? – Rias perguntou a Kazuki que estava colocando o parecia ser selos de
Fūinjutsu.

 - Quase. – Ele falou colocando outro selo em baixo de um moveu.

 - Por que você está fazendo isso mesmo? – Ela perguntou.

 - Por precaução. –

 - Se por acaso algo acontecer na conferência de hoje, se a conferência quebrar, este lugar pode se tornar um campo de batalha ... – Kiba falou tentando ver o raciocínio de Kazuki, embora estivesse errado. Kazuki estava somente se preparando para o ataque da [Kaos Brigade].

 - Acabei. – Kazuki se levantou do chão, depois de colocar um selo em baixo do tapete da sala. -... Acho que vou começar a estudar mais o Fūinjutsu...Talvez. – Ele murmurou para si mesmo e seguiu o grupo para fora da sala do clube.

 [B-Buchou! Todo mundo!]

Uma caixa de papelão foi deixada no quarto. Com Gasper estava dentro dela.

 - Gasper, a conferência de hoje é importante, já que você não controla o seu poder de parar o tempo da Sacred Gear, você não pode participar, sabia? – Rias falou gentilmente.

Devido a Gasper não conseguir controlar a Sacred Gear dele até hoje, ele vai assistir a tudo da sala do clube.

 - Gasper, seja um bom menino, ok? –

 - S-Sim, Ise-senpai... –

 - Deixei meu vídeo game portátil na sala do clube, assim você pode jogar com isso, há doces, bem, você pode comer eles também. Eu deixei o saco de papel também, caso você se sinta sozinho, use ele para acalmar seu coração. –

 - S-Siiiiiiim! –

 - Ise-kun, depois de tudo que você falou, realmente está cuidado dele. – Kiba murmurou para Issei enquanto sorria.

 - Deixa comigo, eu vou fazer algo sobre meu único Kouhai. – Issei falou enquanto seguia Rias que havia deixado o quarto.

 - O Issei é assim mesmo, ele pode ser um idiota pervertido, mas ele se preocupa com os outros, isso é uma das poucas qualidades dele. – Kazuki disse.

 - ...Obrigado? – Issei não sabia se isso foi um elogio ou um insulto.

 - De nada. – Kazuki falou enquanto ia com os membros do clube de ocultismo para a sala da reunião das três facções.

.

.

.

Finalmente terminei. Esse capítulo é uma forma de me desculpar pelo ultimo capítulo que em minha opinião foi horrível. Então resolvi escrever esse capítulo gigante que revelou algumas coisas, eu também ia mostrar o velho que Kazuki conheceu, mas resolvi deixar mais para frente.

Também sobre á outra história que eu prometi que ia publicar. Eu irei publicar ela no fim do mês que está vindo; ela está entre 8% feito. Demorou muito por causa de pesquisar coisas sobre mitologias, habilidades, o rumo que a história ira tomar, etc.

Também gostaria de saber se vocês querem que eu coloque Grayfia harém de Kazuki. [Ghstt] comentou isso uma vez, e eu comecei a considerar, eu já sei como colocá-la no harém sem afetar a historia, então me digam o que acham.

Eu tenho que ir, estou usando o computador do curso para publicar o capítulo, e logo o professor entra na sala e vê que estou usando a internet, ao invés de estar programando algo para o Arduino.

E é isso. Dark saindo.


Notas Finais


Harém de Kazuki: Serafall, Kuroka, Koneko, Akeno, Xenovia ...
Harem de Issei: Rias, Asia, Irina, Ravel ...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...