História Himawari no Hana! - Capítulo 5


Escrita por: e Nana-Hana

Postado
Categorias Naruto
Personagens Anko Mitarashi, Boruto Uzumaki, Chouchou Akimichi, Hanabi Hyuuga, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Inojin Yamanaka, Kakashi Hatake, Kawaki, Kiba Inuzuka, Konohamaru, Kurama (Kyuubi), Kurenai Yuuhi, Mirai Sarutobi, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Shikadai Nara, Shikamaru Nara, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju, Udon, Yamato
Tags Anime, Boruto, Girlpower, Himawari, Hyuuga, Luta, Mangá, Naruhina, Naruto, Ninjas, Romance, Sakura Útil, Uzumaki
Visualizações 156
Palavras 6.557
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Survival, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Pansexualidade, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - Academia Ninja!


-Himawari, o café está pronto!- Ouvi meu pai gritar enquanto eu coçava os olhos tentando acordar de uma vez.

Estava morrendo de sono, havia passado a noite lendo os livros que Hiroshi havia me indicado e também tirei um tempo para estudar a Arte Ninja Vol.1 que peguei emprestado na biblioteca.

Entrei no banheiro sentindo a água gelada me despertar por completo. Hoje era o dia de introdução à academia ninja, ainda não teriamos aula, mas haveria um discurso do Hokage e saberíamos em qual turmas iríamos entrar.

Hiroshi estava muito animado para as primeiras palestras dos professores e não parava de falar sobre os professores que poderíamos ter e como seriam os outros alunos. Eu perguntei se ele não queria ser o representante, tenho certeza que ele faria um ótimo trabalho e usei o argumento de que seria um bom treino para quando ele fosse representar a família secundária Hyuuga e como esperado ele já está preparando até discurso para sua "candidatura".

Já eu tinha um problema maior para me preocupar: A luta contra meu avô seria hoje depois da aula.

A Okaa-San me ajudou a melhorar a postura do punho suave e já era bem mais fácil para mim fazer os movimentos sem ter que apelar para socos e chutes normais, além disso ela me ajudou a fazer uma espécie de Hakke Kūshō ( Palma de Vácuo) com a sola dos pés, esse era bem mais fraco, mas era um truque legal. Além disso eu aprendi o Kawari no Jutsu (Substituição) e conseguia tocar com os clones também, mas tinhs dificuldade em não fazer selos e quando tentava nem sempre funcionava.

Todas as coisas novas que eu aprendi manti escondidas e não usei nos treinos dentro do clã tudo para ter o elemento surpresa durante a luta de hoje, mas será que isso é o suficiente?

"Se você conseguir encostar em mim eu vou admitir que você tem potencial para criar uma nova técnica para o Byakugan".

"Encostar", não "derrotar".

Essa é minha única vantagem nessa luta, eu só tenho que acertar um golpe, mas isso podia ser incrivelmente difícil. Ele não era o líder do clã atoa, eu tinha que manter isso em mente se quisesse ter uma chance. Se por um segundo eu subestimar ele vai ser meu fim.

-Himawari, desce logo, dattebayo! Vai esfriar!- Meu pai gritou novamente enquanto eu terminava de calçar as luvas, foi então que eu percebi....

Desci as escadas correndo, quase tropeçando nos próprios pés e quando cheguei na sala dei de cara com ele lendo jornal enquanto tomava café em uma caneca que eu dei para ele de presente com um desenho da nossa família pintado na porcelana. Meus desenhos tinham melhorado muito desde o dia que fiz isso, talvez devesse fazer uma nova caneca, mas tudo o que importava agora era ver ele ali em casa com todo mundo junto...

Boruto jogando videogame no sofá e a Okaa-San guardando seu avental para se juntar a nós em um café da manhã em família, o primeiro em quase dois meses.

-Ohayo, Himawari!- ele sorriu, dobrando seu jornal no meio para me olhar melhor.

-Ohayo, Otoo-San!- falei quase explodindo de alegria por dentro.

-Hoje nós temos que ir até a academia não é?- ele coçou a bochecha alternando seu olhar para minha mãe e meu irmão rapidamente.- Eu tenho que fazer um discurso lá, e é seu primeiro dia... Pensei que pudéssemos ir juntos.- Ele engasgou com a própria saliva fazendo um barulho engraçado que me fez rir.- Digo, se você quiser, dattebayo! Só se você quiser! Eu sei que na idade de vocês isso pode ser embaraçoso e...

- É claro que quero!- falei sem pensar duas vezes, seria ótimo sair e conversar um pouco com ele, mas no segundo seguinte me veio na cabeça as consequências que isso poderia trazer: Eu já era a "filhinha do Nanadaime", se me vissem chegando com ele na academia isso só serviria para reforçar essa imagem.

De qualquer jeito teria que resolver isso depois, não ia perder a oportunidade de ficar com meu pai só por medo do que as outras pessoas iriam pensar sobre isso. A verdade é que eu tenho o direito de ser acompanhada por um membro da família como todo mundo, que culpa eu tenho se minha família era composta por heróis? Mesmo se fosse Boruto a me levar as pessoas iriam ficar comentando, não podia me prender a isso.

-Certo, vamos tomar o café e vamos indo então.- ele falou mais tranquilo e nos sentamos juntos na mesa.

-Pegou os livros?- minha mãe perguntou enquanto nos servia e eu confirmei com um aceno.- Cadernos? Lápis? Pergaminhos? Ferramentas Ninjas básicas? Pomada curativa? Cachecol? Dinheiro?

-Cachecol?- franzi o cenho.- Estamos no verão!

-Ah, certo. Mas e as...- ela tentou continuar, mas eu a tranquilizei:

-Mãe, relaxa, eu tenho tudo que preciso na mochila!- Apontei para a mochila branca em minhas costas.- E eu já sou quase uma Ninja agora, não sou mais um bebê!

-Vocês dois vão ser para sempre os nossos bebês, tebayo!- Otoo-San riu apertando minha bochecha.- Mas ela tem razão, Hinata, você está se preocupando demais...

-Talvez eu esteja exagerando, mas com Boruto eu deixei as coisas por conta dele e quando ele voltou para casa seu rosto no monte Hokage estava destruído...- Ela também riu deixando meu irmão corado.

-Foi um acidente!- Se defendeu cruzando os braços, na época ele enfretou nosso pai e a briga deles durou até a Okaa-San chegar, depois disso só faltou Boruto se ajoelhar pedindo perdão.

-Prometo não destruir o rosto de ninguém hoje.- Falei tomando um gole de suco me lembrando que o Onii-San me contou que na primeira aula que ele participou dois garotos implicaram com ele e ele precisou dar uma surra em um para que parassem.- Bem... Eu prometo não destruir o rosto de nenhum Hokage hoje...

Meu pai e irmão riram, mas minha mãe ficou séria e cruzou os braços.

-Você não vai quebrar a cara de ninguém!- falou firme e depois mudou o foco para os dois.- Eles já causaram problemas demais na época da academia, não quero que você siga exemplo. Ao invés disso você podia aprender com o outro lado deles, ser determinada como seu pai e estudiosa como seu irmão.

Eles pararam de rir na mesma hora e eu fiquei confusa com uma coisa:

-Você causava problemas na academia, Otoo-San?- perguntei.- Sarada me contou que você falou para ela que era o primeiro da turma, muito popular com as garotas e nada antipático. Igual o pai dela!

-Você falou isso?- Okaa-San abriu um sorriso divertido olhando para ele o que só serviu para me deixar ainda mais confusa com toda essa situação.

-Bem, Kakashi Sensei sempre disse que eu era o Ninja Imperativo Número 1, era popular para você e nunca fui antipático mesmo...- Ele estava vermelho, deviam estar falando de alguma coisa que só os dois entendiam já que Boruto parecia tão confuso quanto eu, mas era fofo ver os dois assim.

-"Ninja Imperativo Número 1"?- Onii-San perguntou.- O que isso significa?

- Que seu pai é mestre em surpreender os inimigos.- nossa mãe explicou.- Uma vez ele ganhou uma luta contra Kiba-Kun com um...

-Rasengan! Foi um rasengan, dattebayo!- ele levantou da mesa rápido.- Eu vou pegar mais suco! Alguém quer mais suco? Hinata? Boruto? Quer suco, Himawari? Eu vou trazer suco para todo mundo, dattebayo!

E saiu, deixando nós três sozinhos na mesa, estava curiosa para perguntar para minha mãe por que o papai estava agindo assim, mas ela estava ocupada demais rindo para contar o resto da história e Onii-San não deveria saber nada sobre isso também.

Acho melhor deixar isso quieto por enquanto, talvez depois eu pergunte para o tio Kiba o que aconteceu...

************************************

Saímos de casa assim que acabamos de comer. O Onii-San tinha uma missão com o time Sete e minha mãe tinha coisas para fazer também então eramos só nós dois.

Queria saber o que falar numa situação dessas, mas da última vez que saímos juntos eu ainda fazia questão de andar de mãos dadas com ele e até cair e me machucar de propósito eu já fiz para que ele me carregasse nos ombros. Me sentia muito segura assim, sem contar incrivelmente alta... Da primeira vez eu quase arranquei os cabelos deles com a força que os segurava para não cair, mas aprendi a gostar do vento em meu rosto e queria muito ser tão alta quanto ele um dia.

Talvez um pouco menor... Ele é grande até demais...

Mas agora eu queria conversar sobre algums coisa e não sabia como puxar assunto. Não é como se eu pudesse falar sobre minha coleção de ursinhos de pelúcia, eu tinha que mostrar a ele que estava crescendo!

-Himawari, antes de chegarmos lá...- Ele parou de andar do nada.- Eu tenho um presente para você.

-Presente?- Perguntei supresa, não era meu aniversário nem nada, pra que um presente hoje?

-Sim. - Tirou um embrulho de um bolso e o estendeu para mim.- Eu lembro que durante o exame Chunnin do Boruto você estava chateada por causa do seu aniversário, mas naquela época você não falou nada sobre isso.- Peguei o embrulho começando a abrir o mesmo.- Mas quando você viu Boruto usando minha antiga jaqueta você brigou comigo dizendo que queria "ser herói também" e usar o manto de um.- Riu enquanto eu arregalava meus olhos ao ver o presente que ele estava me dando.- Mas o que eu não te disse aquele dia é que você já é minha heroína, qualquer outra criança no seu lugar iria ficar com raiva por ter o aniversário estragado daquela maneira, mas você fez algo incrível: Me perdou na mesma hora em sem pensar duas vezes. Se eu estivesse no seu lugar eu não conseguiria fazer o mesmo, e nem Boruto me perdoou por ter feito aquilo com você. Sua mãe então? Levei uma bronca daquelas... Mas o que eu quero dizer de verdade é que você já é muito forte, e todo herói tem que começar de algum lugar, então...

-É seu visor! Aquele da foto!- falei me referindo a uma foto que minha mãe tinha da turma deles da acadêmica ninja. Nela meu pai estava com a mesma jaqueta que Boruto usou e um visor azul estava em sua testa.

-Eu usava isso por que queria uma bandana, mas não podia ter uma ainda. Isso me marcou muito quando era um estudante da academia, e quando eu finalmente tirei ele e coloquei minha bandana foi como um símbolo de crescimento.- coçou a nunca.- Mas é bem mais útil do que isso, as lentes tem zoom e você pode usar para ver a distâncias incríveis e...

-Pai, eu tenho o Byakugan, lembra?- Sorri de lado deixando o visor em meu pescoço.

-E-eu sei disso, dattebayo!- ele corou igual havia corado quando estava conversando com a mamãe. Estava sem graça...

-Mesmo assim, obrigada pelo presente! Significa muito para mim!- Abracei ele, estava feliz de verdade por ter ganhado algo tão especial assim e mais ainda por ele ter dito que já me achava forte.

-Que bom que gostou, Hime.- Me olhou colocar o visor na testa.- Mas é melhor irmos andando, não é? Se chegarmos atrasado Shikamaru vai falar pra caramba...

-Vamos sim, também não quero ser a última a chegar!- ri, não gostava de me atrasar para chegar nos lugares, mas ele sempre se embolava com alguma coisa no caminho.

************************************

Não fomos os últimos a chegar, mas nos atrasamos um pouco por que no meio do caminho meu pai percebeu que havia esquecido a cópia do discurso e tivemos que correr para casa pegar e isso só para descobrir que o tio Shikamaru já tinha uma segunda via com ele e não precisávamos estar os dois ensopados de suor agora.

Fora isso, a reação dos outros não foi tão ruim quanto imaginei, eu ouvi alguns comentários sobre "a caçula do Nanadaime", mas não eram negativos, só curiosos e eu também tinha Hiroshi do meu lado me distraindo falando sobre a história que pensava em escrever em seu tempo livre.

As turmas já haviam sido formadas em filas horizontais, Hiroshi ficou comigo e estavamos na segunda fileira, mas nosso Sensei não havia sido anunciando ainda e eu olhava para tio Shino curiosa. Será que teria que chamar ele de Sensei agora ou seria de outra turma?

-Parece que ninguém faltou dessa vez.- Tio Shikamaru falou quando terminou de fazer a chamada e assim que fechou a boca direcionou seu olhar para o monte Hokage e em seguida para mim abrindo um sorriso no final.- Hoje é o primeiro dia de uma nova fase em suas vidas. Quando vocês se tornarem verdadeiros ninjas vão se lembrar de hoje como o começo de suas jornadas. Logo vamos anunciar os Jounnins responsáveis por cada turma e vocês terão um tempo para se conhecerem melhor antes do ano letivo começar de verdade, mas primeiro o Nanadaime Hokage gostaria de falar algo.

Meu pai deu um paso a frente e mesmo aqueles que insistiam em conversar enquanto Shikamaru falava ficaram em silêncio para ouvir o que ele tinha a dizer.

-Obrigado, Shikamaru.- Ele agradeu ao amigo antes de falar com os estudantes.- Já faz um tempo, mas antes da guerra, antes de ser reconhecido por alguém e me tornar Hokage eu estive nessa Academia como vocês estão hoje. Eu estudei na turma do Iruka-Sensei e o Shino era da minha sala também.- Se virou para os amigos sorrindo e vou a olhar para o grupo de estudantes em seguida.- Foi nessa época que eu aprendi o que era ser um ninja e se não fosse os ensinamentos do meu professor eu nunca teria chegado onde cheguei. A Acadêmia Ninja é a parte mais importante da formação de um Shinobi, e essa é a hora de vocês começarem a se esforçar para atingir seus objetivos. Escutem o que seu Sensei tem a dizer, tire um tempo para estudar e treinar, descansar, se divertir e fazer novos amigos também é importante.- Aconselhou, seu olhar passeava entre cada estudante e vez ou outra ele olhava para mim também.- Se fizerem isso vão se tornar verdadeiramente fortes e um dia serão aqules que protegem a vila! Onde as folhas dançam e o fogo queima, essa é Konoha e um dia vocês irão entender essas palavras como eu entendi. Se esforcem bastante pessoal, eu conto com vocês!

Ele fez uma reverência em nossa direção deixando todos sem reação, não era de se esperar que o Hokage se curve para aspirantes de ninja, mas ao fazer aquilo ele provou que estava falando sério quando dizia que contava conosco para proteger Konoha.

O Nanadaime esperava mesmo que fossemos grandes ninjas no futuro e demonstrou isso da melhor maneira possível.

Por impulso eu me curvei de volta em sinal de respeito e fui seguida porm outros alunos vendo um sorriso brotar nos lábios do Hokage depois que todos repetirem meu ato.

Shikamaru tomou a frente novamente pedindo que a primeira fileira seguisse seu novo Sensei: Aburame Shino.

Eu pensei mesmo que estaria na turma do tio Shino, mas como estava na segunda fileira acabei ficando com Mitarashi Anko, uma tia gordinha com cabelo amarrado em um rabo de cavalo, a primeira vista ela parecia simpática e guiou nossa turma até nossa sala no segundo andar do prédio. Enquanto andávamos senti Hiroshi catucar minha costela me fazendo olhar para trás para falar com ele.

-Eu não acredito que ficamos logo com a Anko!- Ele falou parecendo nervoso.- De todos os professores ela é a pior possível!

-Como assim?- Perguntei sem entender.

-Meu pai disse que quando fez o Exame Chunnin pela primeira vez ela era a instrutora da segunda fase.- Começou a contar se encolhendo.- Pelo o que ele fala, ela é muito perigosa e não se surpreenderia nada se lhe dissessem que parte dos times reprovados foram mortos por ela...

-Não cheguei a matar ninguém durante os exames que participei como instrutora.- Dei um pulo ao notar que nossa nova sensei apareceu atrás de Hiroshi, e ele ficou tão vermelho que achei que fosse desmaiar.- Pelo menos não que me lembre... O Sandaime e a Godaime eram bem rigorosos com isso.

Todos pararam para ver o que estava acontecendo. Em um segundo a Sensei estava no começo da fila nos guiando e no outro estava com as mãos nos ombros de Hiroshi no meio da fila. Nunca tinha visto alguém tão rápido em toda minha vida, nem sabia que era possível ter uma velocidade dessas, mas Anko estava rindo passando a língua sobre os lábios como se o que acabou de fazer não fosse nada demais.

-Sabe, você me lembra mesmo um garoto que foi reprovado no meu teste...- ela segurou o queixo do Hyuuga o levantando levemente.- Talvez eu tenha jogado uma Kunai nele ou algo assim, mas não se preocupe!- o soltou caminhando para o começo da fila.- Eu não vou fazer essas coisas com vocês. Na verdade estou muito animada com essa turma, tenho certeza que vamos todos nos dar muito bem!

Ninguém teve coragem de falar mais nada durante o trajeto e quando chegamos na sala todos sentaram em silêncio esperando que a Sensei nos falasse o que fazer. Se ela tinha conseguido algo com os poucos minutos que passou conosco era o respeito de todos seus alunos, Mitarashi-Sensei não era alguém para se desafiar e deixou isso bem claro.

-Bem, como vocês devem saber me chamo Mitarashi Anko, mas vocês podem me chamar de Anko-Sensei!- Disse em pé escrevendo seu nome no quadro negro de costas para nós, e depois coneçou a escrever outras coisas.- Nosso ano letivo vai ser dividido em algumas matérias que vocês terão que aprender: Arte Ninja: A Teoria; Ninjutsu; Taijutsu; Genjutsu Básico; Simulação em equipe; Bstalhas individuais e Desenho. - Conforme falava o nome das matérias pareciam no quadro.- Com exceção da última eu irei ensinar todo o resto a vocês, e desenho não será cobrado nas avaliações apesar de ser importante para a vida ninja de vocês. Na aula de hoje vamos nos conhecer melhor, mas a partir de amanhã vamos começar seu treinamento e tudo o que fizerem durante minhas aulas será avaliado. Começando com você!- Ela parou de falar tirando três palitinhos do bolso os fincando numa parede a centímetros de distância do rosto de um garoto.- Quem lhe deu autorização para conversar enquanto eu falo?

Olhei para ele e o coitado estava prendendo a respiração nem conseguia se mexer. Ele tinha mais ou menos a minha altura e o cabelo era curto e liso Além de usar uma camisa azul com botões dourados amarrados entre si. Ele era... Bonitinho...

-Qual é seu nome, garoto?- A Sensei perguntou olhando diretamente para ele.

-T-Tenko, Sensei!- ele gaguejou e eu corei desviando o olhar, estava encarando ele demais, Hiroshi ia acabar percebendo e começar a fazer perguntas sendo que não poderia responder nenhuma, nunca vi Tenko antes.

-Então, T-Tenko...- ela imitou o jeito dele de falar fazendo parte da turma rir.- Fique de boca fechada quando eu estiver falando alguma coisa, sim? Mas agora que os holofotes já estão em você, por que não aproveita a fama e vem aqui na frente se apresentar?

Ele se levantou e foi andando devagar com as mãos enfiadas nos bolsos e cabeça baixa. Podia ouvir as pessoas comentando o que achavam dele, mas parecia que ninguém o conhecia de verdade e eu estava curiosa para ouvir o que ele tinha a dizer.

-Meu nome é Sakai Tenko!- Começou e eu ouvi Hiroshi rir baixinho.

-Sakai? (Poço de Saquê)- sussurou para mim.- Que tipo de sobrenome é esse.

Eu também ri, era engraçado que alguém tivesse um nome desses, mas estava concentrada no que Tenko iria falar a seguir.

-Meu sonho é me tornar Hokage, e as meninas podem me mandar cartinhas de amor mais tarde!- Sorriu piscando em direção a uma garota qualquer me fazendo rir. Ele era bem convencido...

-Que idiota, não é Himawari?- Hiroshi perguntou e eu olhei para ele levantando uma sobrancelha.

-Ele até que parece legal, Hiro.- Respondi.

-Legal? Ele é todo convencido! Deveria ter pelo menos pedido desculpas por interromper a Sensei ao invés de sair falando besteira.- cruzou os braços fuzilando Tenko com o olhar.

-Talvez, mas nós também não pedimos desculpas quando ela chamou nossa atenção na fila.- Lembrei o vendo se encostar na parede.

-Se você quer se Hokage deveria pedir por ajuda nos treinos, não cartinhas de amor.- Anko Sensei suspirou, apontando para um outro garoto.- Você é o próximo, venha aqui e se apresente!

Esse era loiro e o cabelo era maior do que o Tenko, usava um rabo de cavalo e uma pequena franja, suas roupas eram todas pretas e tinha uma expressão séria no rosto.

-Oda Ryuu.- Disse simplesmente e ficou em silêncio parado na frente da turma.

-Só isso?- a Sensei perguntou depois de um tempo.- Não vai falar seus sonhos? Paquerar as garotas igual o outro idiota?

-Não.- respondeu dando de ombros.

-Eu não sei com quem eu me decepiciono mais...- Colocou a mão na testa.- Vamos chamar uma menina, você aí com o Cachorrinho!

Uma menina de pele bronzeada apareceu com um carrorinho de pelo marrom e barriga branca. Seu cabelo castanho tinha pontas rebeldes e em suas bochechas cetas vermelhas como ao do tio Kiba, ela não precisou dizer nada para que eu entendesse que pertencia ao clã Inuzuka.

-Yo, pessoal! Eu sou Inuzuka Kaori, e esse aqui é o Momo!- ela levantou um braço comprimentando a todos e seu cachorro latiu.- Um dia vamos ser da força policial, então é melhor não mexerem com nós dois, certo Momo?

Mais latidos, os dois pareciam uma boa dupla...

-Bem...Em comparação aos outros você até que se saiu bem.- A sensei colocou a mão no queixo analisando Kaori.- Vamos ver, o garoto de visor agora!

Esse era meio esquisito, o cabelo era raspado nas laterais o que me fez lembrar de Kawaki e ele tinha um topete. Não conseguia ver seus olhos por causa de um visor negro que os tapavam e ele usava um caso azul com o que parecia ser um inseto estanpado nas costas.

-Meu nome é Aburame Yuudai, sou do clã Aburame e gostaria de viajar o mundo algum dia.- Disse com um sorriso de canto na boca.

-Aburame é? Então você é o primo de segundo grau do Shino Sensei? Me pergunto por que não te colocaram na turma dele...- A sensei o olhou de cima a baixo e depois olhou em minha direção e por um segundo pensei que fosse minha vez, mas ao invés disso ela apontou para Hiroshi.- Você, Hyuuga, sua vez!

Dei espaço para ele passar, apoiando os cotovelos na mesa esperando ele falar, Hiroshi é meio tímido me pergunto o que ele vai dizer estando de frente para tantas pessoas...

-Meu nome é Hyuuga Hiroshi, é um prazer conhece-los!- ele falou rápido demais com o rosto parecendo um tomate maduro, mas pelo menos não gaguejou.

-Olha, e não é que tem alguém educado no meio desses pivetes?- a Sensei abriu um sorriso.- Eu te nomeio Representante da Turma! Meus parabéns!

-Hey, não era para ter uma votação?- Tenko gritou do fundo da sala.- Isso não é justo.

-Primeira lição: O mundo ninja não é justo, lide com isso!- Riu, ela parecia se divertir botando medo na gente.- Sua vez, baixinha.

Fiquei em silêncio olhando para os lados esperando alguém levantar mas percebi que todos estavam olhando para mim.

-Baixinha?- repeti me levantando indo até a sensei. - Eu não sou baixinha, dattebanyah...

-Se aprensente!- ela mandou e eu lhe acertei um Hakke Kūshō mentalmente.

-Uzumaki Himawari, espero que podemos ser todos amigos, dattebanyah!- Falei sentindo meu rosto esquentar por ter usado aquele tique verbal duas vezes seguidas. Eu tenho que aprender como parar com isso...

Eu via as pessoas surrando uma com as outras e torci para me achassem legal e que pudéssemos todos conversar sem que me tratassem como alguém superior, e como nem todos haviam se apresentado ainda eu voltei para meu lugar ao lado de Hiroshi recebendo sorrisos enquanto andava.

Um por um meus colegas de classe se apresentaram, e eu percebi que mesmo dentro da academia haviam aqueles que não tinham certeza se queriam ser ninjas o que era meio estranho. Meus pais falam que na época deles todo mundo queria estudar na academia, era quase encontrar uma família onde ninguém era um shinobi e o que eu estou vendo é bem diferente do que eles contam.

-Hima, aquela garota tá me dando medo...- Hiroshi sussurou para mim indicando com olhar Kaori que olhava para nós com Momo deitado em sua cabeça.- Ela tá olhando pra cá desde que nos apresentamos!

-Relaxa Hiroshi, ela só deve querer conversar com a gente.- o tranquilizei acenando para ela.

-Eu não sei Himawari... Tanto ela quanto aquele Tenko parecem estranhos.- enquanto ele falava eu analisei Kaori rapidamente, ela não tinha nada de diferente e parecia ser simpática, mas algo me veio em mente.

-Não me diga que você se sente ameaçado por gente bonita?- Ri, se Kaori e Tenko tinham algo fora do comum era a beleza, fora isso eles pareciam o tipo de pessoa que eu gostaria de ser amiga.

-Claro que não Himawari! Eu nunca me intimidei como você e você é...- Tapou a boca antes de terminar de falar e eu fiquei sem reação.

-Você acabou de dizer que eu sou bonita?- Perguntei abrindo um sorriso sem graça, sentia minhas bochechas esquentarem levemente.

-Bem, você não é feia...- desconversou e eu dei um soquinho no ombro dele rindo.

-Acha que eles são fortes?- Perguntei sobre a parte que mais me interessava, queria encontrar ali alguém para treinar comigo e Hiroshi de igual para igual.

-Talvez, aqui tem pessoas de clãs famosos... Aburame's e Inuzuka's são os melhores ninjas rastreadores da vila e aquele cara, Oda Ryuu, parece forte também.- falou, ele era de analisar muito as pessoas quando ela despertavam seu interesse, mas não concordava com ele sobre Ryuu. De qualquer maneira não tinha como saber, a única coisa que ele falou foi o nome, não tinhamos como saber nada só com isso.

-Será? Ele não parece grande coisa para mim...- Comentei.- O Aburame Yuudai parece bem mais forte, e se ele é mesmo primo do tio Shino pode ter aprendido jutsus com ele.

-Himawari, eles são do mesmo clã, são todos primos em algum grau uns dos outros. Se fosse para pensar assim então Hyuuga Hanabi deveria ter me ensinado jutsus!- fechou os olhos por um segundo.- Mas ouvi dizer que as técnicas deles com insetos são fortes. Também me disseram que os Inuzuka's usam jutsus com seus cães... Acha que deveriamos ter bichinhos também? Eles parecem tão úteis...

Eu já quis ter um cachorro, mas quando pedi aos meus pai eles me deixaram sobre os cuidados do tio Kiba por uma tarde, e cuidar dos nove filhotinhos do Akamaru foi uma experiência meio traumática...

Depois eu descobri que eu passei tarde lá para escolher um dos filhotes para mim, mas naquela altura eu já havia desistido. Hoje em dia o único bichinho que eu teria é um peixinho dourado, no máximo, mas estou curiosa para ver como aqueles dois usam animais como armas...

-Acho que o Byakugan é o bastante para nós dois.- Fiz careta sem conseguir tirar a imagem dos filhotinhos destruindo travesseiros e fazendo xixi em tudo.- Mas e sobre o Tenko? Acha que ele pode ser forte?

-O Poço de Saquê? Himawari, tem certeza que não achou ele nem um pouco retardado?- perguntou franzindo o cenho.- Tipo, nem um pouquinho mesmo?

-Retardado não, mas ele parece... Ser bem confiante.- Olhei de canto de olho para Tenko, ele conversava com algumas garotas como se tivesse certeza que todas fossem se apaixonar por ele. Eu achava graça disso, mas Hiroshi parecia querer socar a cara do garoto.

-Confiança não tem nada haver com isso.- bufou.- Nós estamos aqui para aprender a ser ninjas, não ficar de papo furado com garotas! Aposto que venceriamos ele em dois segundos!

-Você acha?- Perguntei interessada.

-Tenho certeza!- confirmou, e eu me levantei andando em direção a Tenko.- Hey, Himawari, o que você está fazendo?

Quando cheguei perto do grupinho dele todos ficaram em silêncio me olhando e antes que eu pudesse falar qualquer coisa ele se adiantou.

-Nossa, eu não pensei que alguém fosse acabar de escrever uma cartinha tão rápido... Pode deixar em cima da mesa, como você foi a primeira eu vou te dar prioridade.- Sorriu me olhando da cabeça aos pés me fazendo bufar. Ele parecia ser legal, mas aquela atitude me irritava um pouco.

-Não foi dessa vez, Romeu.- Briquei tentando descontrair.- Eu e meu amigo Hiroshi estamos querendo lutar com você, você pode chamar alguém vamos fazer uma batalha em duplas, o que acha?

-Eu? Lutar contra uma menina?- Riu alto chamando a atenção de todos.- Sem chance, não quero te machucar! Mas pode falar com seu amigo que aceito o desafio dele.

Senti meu estômago revirar, ele estava fazendo pouco caso de mim só por que eu era um garota, mas aceitou lutar com Hiroshi sem pensar duas vezes...

Bem que meu amigo havia dito que ele era babaca e tudo o que conseguia sentir era vontade de socar a cara dele até deixá-lo feio.

-Como é?- falei sentindo minhas mãos tremendo. Fechei o punho para controlar elas e o olhava esperando no mínimo um pedido de desculpas antes que eu o nocauteasse na frente da turma toda.

-Eu disse que aceito o desafio do Hiroshi. - Ele se levantou, ficando cara a cara comigo.- É aquele Hyuuga não é?- Apontou para meu amigo.- Quero ver como é o Byakugan de perto.

Oh, você vai ver o Byakugan de perto, mas provavelmente vai ser a última coisa que vai ver em vida...

-Cuidado com o que deseja, pode se tornar realidade.- Ativei meu doujutsu, cruzando os braços.- E fui eu quem te desafiou, Hiroshi só estava vindo junto para que pudéssemos nos divertir um pouco, mas acho que agora quero acabar com sua raça sozinha.

-Você é a filha do Nanadaime não é?- ele perguntou.- Talvez seja mais forte que as outras, mas sem chance de uma Kunoichi ser melhor que um Ninja! Vocês no máximo são boas em Ninjutsu médico! Por que não me deixa lutar com seu amiguinho enquanto termina de escrever sua carta se declarando para mim?

Meu sangue fervia, eu sentia mais algumas veias do meu Byakugan saltando e meu maxilar doía de tanta força que eu fazia trincando os dentes numa tentativa de me acalmar.

Quando ele me mandou sair do caminho e ir escrever cartinhas de amor foi a gota d'água: Peguei ele pelo colarinho e concentrei chakra na outra mão pronta para fechar todos os pontos de chakra dele para fazê-lo calar a boca e me levar a sério, mas a sensei veio por trás de mim e me segurou. Eu havia visto ela chegar, podia ter saído do caminho antes que tocasse em mim, mas não queria comprar briga com ela, meu problema era com Tenko e mais ninguém.

-Você não pode socar ele aqui, Himawari.- ela falou e eu desativei meu Byakugan frustrada por não ter dado nem um tapa naquele idiota.

-Sensei, ele estava tirando uma com a minha cara!- protestei.

-Eu disse que você não pode socar ele aqui, não que não pode soca-lo.- enfatizou.- Se querem brigar vamos a um lugar mais apropriado para isso.

-Eu já disse que não lutar contra ela! Que tipo de homem bate numa mulher?- Ele cruzou os braços.

-Ah você vai lutar com ela sim... E se se recusar quem vai lutar com você serei eu! Acha que pode contra mim, Tenko?- perguntou e eu senti que ele ficou paralisado, quase como se tivesse medo da Sensei.

-Hnf, vamos acabar logo com isso então.- Bufou. Olhei rapidamente para Hiroshi que bateu na própria testa em sinal de desaprovação, provavelmente quando ele falou que poderíamos derrotar Tenko facilmente não estava esperando que eu quisesse conferir, mas agora era tarde demais para me arrepender, tinha que dar uma surra nele e continuar batendo até que ele retirasse tudo que disse antes sobre as Kunoichi.

************************************

-As regras são: Himawari, não mate ele e evite hospitalizar também ou eu vou ter que fazer alguns relatórios....- Anko sensei falou como se a vitória já fosse minha e aquilo me deixava ainda mais confiante.

-Como se ela fosse conseguir encostar em mim!- Tenko tirou dois pergaminhos vermelhos da bolsa.- Eu vou acabar com isso com um jutsu!

-Comecem quando quiserem, eu estarei na arquibancada comendo dango, se possível não tentem não fazer muito barulho.- a Sensei disse andando calmamente para junto dos outros alunos que nos olhavam da arquibancada.

Fechei meus olhos ativando o Byakugan quanto ele me observava com cuidado.

-Você disse que queria ver o Byakugan de perto, me pergunto o que você sabe sobre esse doujutsu...- Falei entrando em posição de ataque.

-É um dos dois doujutsu de Konoha, dizem que pode ser tão forte quanto o Sharingan de Uchiha Sasuke, mas esse não deve ser seu caso.- Zombou.

-O Byakugan pode ver todos os pontos de chakra e não existem pontos chegos...- dei uma explicação básica sorrindo de lado - Você disse que vai acabar isso com um jutsu, mas acha mesmo que pode me acertar?

-Você só pode está de brincadeira.- trincou os dentes.- Se achando desse jeito por causa de um doujutsu idiota...- guardou os pergaminhos de volta na bolsa.- Contra você eu nem vou usar esse jutsu!

-Não me subestime!- Gritei com raiva, mas não avancei contra ele, ao invés disso foquei em controlar minha respiração me lembrando dos ensinamentos do vô Hiashi.

"Fique calma, Himawari! A folha dança com o vento, não contra ele. Mantenha sua mente no presente e faça apenas o necessário, se conseguir fazer isso seus inimigos caíram sozinhos enquanto você sequer se esforçou."- ele dizia. O punho suave era como uma dança e eu precisava seguir o ritmo.

-Se você não atacar eu vou!- Tenko gritou de volta pegando um pedaço de papel com um selo.- Kaifūjutsu: Shuriken! (Técnica de Desmatamento: Shuriken!)

Dez shurikens sairam do papel voando rapidamente em minha direção fazendo barulho contra o vento. Coloquei meu pé esquerdo para trás e recuei minha mão direita focada em manter a postura correta, concentrando chakra na Palma da mão o liberando todo de uma vez depois realizando o Hakke Kūshō (Palma de Vácuo) e com a onda de chakra que se formou eu não só refleti as shukirens como fiz Tenko se desequilibrar e quase cair.

-Eu disse para não me subestimar!- repeti agora bem mais calma.- Se quer provar que Kunoichi são mais fracas vai precisar vir com tudo o que tem.

-Hnf... Refletir shurikens com chakra... Até que você não é tão ruim quanto imaginei.- suspirou e começou a correr em minha direção.- Nesse caso vou pegar um pouco mais pesado!

Ele fez selos e eu percebi um desenho na palma de sua mão, ele estava invocando algo, mais especificamente uma Kusarigama: Uma corrente longa com uma foice com cabo de madeira em uma ponta e um peso de metal na outra. Enquanto corria Tenko girava a ponta com o peso e empunhava a foice, graças ao Byakugan eu via cada movimento com clareza e quanto ele jogou o peso de metal em minha direção eu simplesmente me inclinei alguns centímetros para o lado vendo a corrente passar direto por cima do meu ombro.

Em um salto ele se aproximou ainda mais de mim puxando a corrente com força mantendo a ponta com o peso sempre girando tentando me cortar com a foice e jogando constantemente o peso em minha direção. Eu só me dava o trabalho de desviar, Hiroshi tinha razão sobre esse cara não ser forte, não estava nem suando contra ele apesar de admitir que ele usava muito bem aquela arma.

Pov's Himawari Off:

Hiroshi observava a luta da amiga de longe com um sorriso estampado em seu rosto. Ele conhecia Himawari o bastante para saber que se ela estava lutando apenas com Taijutsu aquilo devia ser uma grande brincadeira para a Uzumaki.

Perto dele Anko Sensei explicava para os alunos o motivo de ter permitido aquela luta: Ela não havia gostado da maneira que o garoto falava sobre as ninjas femininas e lembrou a todos de que era uma Jounnin experiente mais forte que muitos homens por aí. Ela iria parar a luta caso as coisas ficassem sérias, mas queria usar a oportunidade para mostrar a todos que mulheres e homens tem o mesmo potencial nas artes ninjas.

Aquilo fez o jovem Hyuuga adimirar sua Sensei, apesar daquele jeito agressivo de antes ela estava se mostrando mais responsável do que parecia e queria que Himawari pudesse ver isso também.

-Quem podia imaginar que a filha do Nanadaime tem o Byakugan?- ouviu alguém comentar.- Ela deve ser mesmo forte, desviando daquela foice daquele jeito.

-Isso não tem nada haver com ser filha do Nanadaime!- Falou chamando atenção de todos para ele.- Himawari tem treinado muito, mesmo que não estivesse na academia ainda ela se esforçou para aprender a usar o Byakugan da maneira correta. Tenko não tem a menor chance contra ela!

-Você está subestimando ele.- Oda Ryuu, o menino que quase não havia falado desde que o dia começou se pronunciou encostando as costas na grade.- Tenko é um idiota com garotas, mas não é fraco. Ele só está pegando leve.

-Você o conhece?- Hiroshi perguntou curioso.

-Pode se dizer que sim...- respondeu dando de ombro.- Nos esbarramos algumas vezes.

-Ryuu não é? Deixe-me repetir: Himawari não vai perder essa luta.- reforçou.- Não é como se ela estivesse lutando com tudo o que tem, e mesmo que ele invoque um Dragão de três cabeças ela vai derrota-lo.

-Como pode ter tanta certeza?- perguntou e o Hyuuga abriu um sorriso.

-Ela quer ser uma Kunoichi tão forte quanto um Kage... Tenko zombou desse sonho e Himawari não é do tipo que deixaria uma coisa assim passar.- Se lembrou do dialogo que a amiga teve com Uchiha Sarada dias antes.- A determinação para seguir um sonho é a diferença entre os dois.

-Hnf...- Ryuu sorriu de lado, se perguntando se aquela determinação seria o suficiente se Tenko resolvesse usar seu jutsu contra ela.

Pov's Himawari:

Quando ele jogou o peso em mim novamente decedi que estava na hora do contra ataque: Assim que Tenko puxou a corrente de volta eu a segurei puxando ela em minha direção o que arrastou o garoto junto e um movimento rápido o acertei na barriga com a sola do pé o fazendo recuar alguns passos.

Ainda estava pegando leve, mas tinha que admitir que aquilo estava ficando perigoso... Em um momento a foice passou tão perto do meu rosto que chegou a cortas alguns fios de cabelo e conforme o tempo passava ele estava melhorando seus ataques, mesmo que eu pudesse prevê-los era difícil acompanhar a velocidade que ele manipulava aquela arma. Além disso eu havia blefado sobre não existir pontos chegos e tinha que me esforçar para manter as aparências mesmo que fosse impossível que ele descobrisse algo assim.

Se eu quiser vencer vou ter que parar de brincar e lutar sério.

-Tenko...- Chamei vendo que a respiração dele começava a ficar descompassada, aquele chute no estômago não foi impensado, eu atingi um ponto de chakra importante, porém não letal.- Você quer se tornar Hokage não é?

Foi o que ele disse ao se apresentar, que queria ser um Hokage poderoso superando seus antecessores. Mas tinha um porém:

-Eu sinto muito...- continuei fechando os olhos por um segundo.- Mas não vou permitir que se torne Hokage!

Meu pai, o mano Konohamaru, Sarada, meu avô... Essas são pessoas que tem o que é preciso para ser Hokage. Elas querem ficar forte com todos e para todos, mas Tenko mesmo dizendo que vai se tornar Hokage me menosprezou daquela maneira. Alguém que se acha superior assim não pode se tornar Hokage!

-Quem você pensa que é para me impedir?- Riu e pegou novamente os pergaminhos do começo da luta.- Eu vou mostrar a você um Jutsu impossível de desviar!


Notas Finais


MANO! Quase esqueci de postar capítulo hoje! Kknkkkkk O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...