História Himitsu no okoku - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Visualizações 7
Palavras 2.097
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Ecchi, Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Capítulo 1


O barulho dos pingos de água caindo das pedras a cima da minha cabeça, fazia pequeno sons que se espalhava pelo ambiente escurecido e silencioso da caverna em que me encontrava, minha lanterna quase esgotada já não clareava absolutamente nada em minha frente e a cada passo que eu dava eu sempre acabava tropeçando em alguma pedra, até pensei em voltar porém o desejo de explorar aquele lugar falava bem mais alto de que o medo de ficar perdida no escuro, sem dúvida eu era a primeira a explora-la e meu espírito aventureiro me fazia segui em frente, sem pensar mais vezes continuei a andar em direção ao fundo me apoiando nas pedras algumas vezes que tomava.  Senti meus pés pisar sobre algo macio que eu acreditava ser areia, iluminei o chão com a fraca claridade que a lanterna me proporcionava avistando uma grade quantidade de areia branca espalhado pelo chão, segui a diante esperando encontrar uma fonte ou algum lago subterrâneo porém acabei dando de encontro a uma grande parede de pedra. Estranhei o fato de não ter nenhum resquício de água por perto , procurei por alguma passagem em todos os lados porem não encontei nada, um tanto decepcionada resolvi voltar para a entrada da caverna porém a luz resplandecente que começou a emanar do cristal em meu pescoço me fez parar. Peguei o objeto na mão surpresa e ao mesmo tempo assustada pelo fato de nunca ter acontecido esse fenômeno antes des de quando o recebi da minha falecida mãe, comecei a andar em direção a grade pedra, era como se ele estivesse me atraindo para aquela direção. Ao me aproximar o suficiente tentei ilumina-la com a ajuda do cristal resplandecente e em um simples piscar de olhos a grade rocha foi se desintegrado como uma parede de tijolos desabando um após um. Meus olhos chegaram a arder com a grande quantidade de luz que adentrou o ambiente escurecido. Obsevei surpresa a paisajem que acabará de surgir em minha frente me questionando como aquilo havia acontecido e se eu não estava delirando, um tanto insegura segui em passos lentos atravessando a abertura que havia surgido e me deparando com um imenso lago azul, ao meu ver parecia um mar por conta da sua extensão, meus olhos nem mesmo conseguia alcançar o seu fim. Me ajoelhei próximo a mangem pegando uma quantidade do líquido nas mãos e tocando a língua, sentir o mesmo sabor que as águas das nascentes costumam ter. Me ergui novamente afloita com a descoberta, retirei todas as minhas coisas ficando apenas com peças íntimas e corri na direção do lago me atirando sobre o mar cristalino, senti como se meu corpo estivesse flutuando e uma corrente de ar quente o cercasse, analisei a superfície e avistei algo identico a uma cidade em ruínas mais ao fundo, segui um escada de pedra avistando uma crateras profunda mais a frente. Quando o ar faltou eu tentei voltar a superfície para respirar porém eu pisei em falso e acabei caindo no buraco escuro, tentei nadar para fora mais meu corpo estava pesado e uma forte pressão me empurrava para baixo, sem suporta mais a dor em meus pulmões busquei por ar e para minha surpresa eu consegui respirar mesmo estando de baixo da água, sem mais força para retornar ao lugar onde eu estava antes permitir que meu corpo fosse levado ao fundo junto com a corrente. 

...

Dava para ouvir algumas vozes próximo a mim mesmo estando com os sentidos distante. Abri os olhos vendo algumas imagens e embaraçada em minha frente cocei os olhos com as costas das mãos olhando na mesma direção outra vez e avistando com mais clareza dois jovens rapazes e uma garota de cabelos ruivos de pé. Olhei o local onde eu estava e parecia como uma piscina redonda, me encolhi diante dos olhares surpresos da parte dos rapazes e irritadiço vindo da garota ruiva. 

"O que está acontecendo?" Perguntei confusa.

"Eu que perguntou o que você veio fazer aqui, e como chegou aqui! Ela quase gritou e os jovens a olhou assustados. 

"Eu não faço a menor idé...parei de falar ao ver uma garota loira correr em nossa direção carregando um tercido em mãos.

"Se afastem e vocês dois tapem esses olhos" ela falou me estendendo a mão.

"Obrigada" sorri gentilmente me levantando e subindo as escadas. Ela me cobriu com um roupão berger e só nesse momento eu percebi que estava com muito frio.

" Vou leva-la até o mestre Kakashi" a garota falou me guiando para fora do ambiente que parecia uma estufa pela grande quantidade de plantas que havia lá. 

"Você pode me dizer onde eu estou?" Perguntei olhando surpresa o grande jardim com belas árvores e flores de variados tipos, mais a frente uma pequena ponte que levava a um casarão que ficavs do outro lado.

"Você está em arghata" ela disse me guiando pelos degraus e logo em seguida abrindo a porta para que eu entrasse. "Esse é o castelo do príncipe sasuke" 

"Eu nunca ouvir falar desse lugar" observei o corredor iluminado por  diversos abajus, as paredes de um tom marrom escuro possuía várias pintura extravagantes do começo até o teto.

" os humanos não conhece e normal que você não saiba" ela fez menção para segui-la.

"Como assim humanos, você não são humanos?" Perguntei confusa.

"Não, eu sou aprendiz de uma mago e os outros que você viu também, o príncipe sasuke também é um, apesar que todos o conhece como demônio deus..."

"Como assim demônio deus?" Quase gritei e ela tampou minha boca.

"Não grite enquanto estiver aqui dentro, ele exige que fizemos silêncio enqanto estiver dormindo. Sasuke-sama faz parte da primeira linhagem da família uchiha, um clã poderoso de deuses demônios porém o príncipe prefere ser reconhecido como mago" 

"Ele dorme durante o dia" sussurrei pensativa enquanto subia os degraus porém ela conseguiu ouvir.

"Exatamente, ele costuma passar a noite fora e durante o dia ele volta e para descansar,  só quando temos hóspedes importantese que o príncipe costuma ficar no castelo. Você uma humana não está assustada com tudo isso?" Ela perguntou me analisando.

"Com tudo que já aconteceu comigo hoje eu não duvido mais de nada, apesar de esta um pouco assustada" ela sorriu parecendo sastifeita com a minha resposta. 

"O incrível e que os humanos são um pouco parecido com nos. Bom, chegamos agora entre em eu ficarei te esperando aqui fora" ela abriu uma grande porta dando a visão de um corredor cumprido e mais ao fundo outra porta. Segui em passos lentos em direção a porta de madeira escura temendo o que viria dessa vez, bati duas vezes e logo em seguida a maçaneta girou sozinha sem que ninguém a tocasse. 

"Pode entrar" uma voz masculina falou e eu a obedeci. Ao dar alguns passo para frente a porta voltou a se fechar sozinha. Observei o homem com cabelos grisalhos sentado em uma cadeira que aparentava bastante confortável, em sua frente havia um mesa com vários livros espalhados os quais ele parecia estudar. 

"Então você veio da terra dos humanos" ele falou erguendo o rosto para me observar. Só nesse momento eu pude ver seu rosto com clareza. A pessoa que eu imaginava encontrar era um velho assustador mais na verdade aquele a quem a garota chamou de mestre era nada mais que um homem jovem e bonito.  

"Sim, o senhor poderia me ajudar a retornar para minha terra ?" Ele me analisou por algum instante e voltou a olhar o grande livro que estava aberto.

"Você sabe vir e não sabe voltar?" Perguntou deslizando a ponta dos dedos sobre a página escrita.

"Eu não sei como vir para aqui" 

"Não cabe a mim fazer isso, você surgiu dentro do palácio do príncipe então ele que irá decidir o que fazer, no entanto eu duvido que ele deixará você retornar. Em todos os casos eu lhe aconselho pedir emprego no castelo para evitar ser transformada em estátua" o olhei assustada e ele pareceu se divertir com a minha expressão.

"Então eu nunca mais poderei retornar?" Perguntei aterrorizada.

" Isso eu não poderei responder, agora vá, senhorita ino irá lhe dar algo adequado para vestir e quando o príncipe acordar ela te lavará até ele" afirmei me virando em direção a porta" Boa sorte senhorita" ele falou antes que eu saísse. 

 ...

"Qual seu nome" a garota perguntou  amarrando o laço do lindo vestido berger. 

"Me chamo sakura, esse príncipe irá me transformar em pedra ou era só uma brincadeira do seu mestre?" o que o homem havia falado não sai da minha cabeça.

" possa ser que sim, porém eu acredito que ele prefira devorar seu coração" a olhei assustada e a Ino sorriu achando graça da minha reação.

"Esse homem  deve ser um monstro, aquele seu mestre não deveria ter me mandado ir até ele" falei horrorizada.

" Se o mestre Kakashi mandou eu te levar ao príncipe significa que ele possa ter uma noção do que irá acontecer. Eu te aconselho a insistir bastante por esse emprego, as outras garotas que ousou invadir o castelo acabaram sendo transformada em animais e outras em estátua, a única diferença é que elas não eram humanas" ela falou pensativa como se estivesse se lembrando do rosto das vítimas."eram nada mais que garotas apaixonada pelo príncipe" 

"Como alguém é capaz de se apaixonar por um demônio?" Perguntei franzindo as sobrancelhas.

"Você pode tirar suas conclusões quando ve-lo, isso se ele não estiver transformado em alguma fera" a cada momento eu me sentia ainda mais aterrorizada.

"Melhor você descansar, quando anoitecer eu te levarei até ele" ela organizou os travesseiros sobre o colchão macio e indicou para que eu me deitasse logo em seguida se retirou me deixando sozinha no grade quarto elegante. 

Acordei ouvindo a voz da garota me chamando distante, abri os olhos ainda sonolenta avistando ela parada em frente a cama a me observar. 

"Já anoiteceu, o príncipe já está acordo a essa hora, e melhor irmos o mais rápido possível antes que ele saia do castelo" afirmei me levantando e a seguindo em direção a porta. Segui todo o caminho em silêncio me preparando para o que viria a seguir, após subir várias escadas e passar por vários corredores finalmente Ino parou e me indicou com uma porta com um brasão identico a um leque esculpido em sua madeira maciça.

"Você deve bater antes de entrar"  afirmei e segui em direção ao lugar onde estaria o tal príncipe. Bati três vezes na madeira e em poucos segundos a maçaneta girou me dando espaço para que eu entrasse, observei a sala pouco iluminada procurando pelo homem mais não o avistei em nenhum lugar. 

"Você vai ficar plantada nessa porta" ouvir uma voz grave surgir. Dei alguns passos para dentro do comodo e em seguida a porta bateu com força me fazendo pular de susto. Foquei os olhos na poltrona em frente a lareira de onde a voz havia saído, um homem vestido com roupas negras se ergueu do assunto caminhou até a mesa do outro lado da sala e me observou com seus olhos negros profundos.

"O que uma humana faz no meu castelo?" Ele perguntou ainda me encarando.

"Eu não sei como cheguei aqui" falei encarando o chão a baixo dos meus pés.

"Tem certeza? Então você simplicidade surgiu aqui em um passe de mágica" dava pra ver a ironia em seu tom.

"Eu estava explorando uma caverna, em um momento meu colar começou a brilhar e uma passagem surgiu, encontrei um lago estranho resolvi me banhar nele, acabei me afogando e quando acordei estava aqui" ele observou o colar em meu pescoço e parecia surpreso.

"Onde achou essa diamante?" 

"Minha mãe me deu ele de presente antes de morrer" 

"Em que devo transforma-la?" Ele perguntou a se propio. 

 "Eu gostaria de trabalhar aqui caso não me deixe retornar ao mundo em que vivo"

"Não dou trabalho a humanos" ele parecia aborrecido.

"Por favor eu prometo ser útil, sei cozinhar e amo cuidar de flores" 

"Não preciso de mais servos" 

"deve haver algo que eu possa fazer" ele se levantou e seguiu em minha direção sem dizer nada, parou em minha frente e passou a me observando de cima. Ele possuia cabelo negros igualmente seus olhos e sua cor de pele era extremamente palida, o rosto era tão bonito quanto os dos atores de Hollywood. Eu realmente estava diante de um deus?

"Sabe tocar algum instrumento?" 

" sei tocar harpa e flauta" 

"Tocará para mim quando eu desejar até que encontrem algo que possa fazer" afirmei sentindo a tenção desaparecer.

"Eu não posso retornar..."

"Não" falou retornando ao seu assento próximo a lareira."Agora saia antes que eu mude de ideia" afirmei seguindo em direção a saída.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...