1. Spirit Fanfics >
  2. Hiperventilação - Repostada. (Underverse) (Undertale) >
  3. Respire, expire... E se Inspire.

História Hiperventilação - Repostada. (Underverse) (Undertale) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


uwu

Capítulo 5 - Respire, expire... E se Inspire.


Fanfic / Fanfiction Hiperventilação - Repostada. (Underverse) (Undertale) - Capítulo 5 - Respire, expire... E se Inspire.

...O moreno se focou ali, passando a língua na extensão do pescoço tatuado ate o ombro distribuindo beijos também, o de mechas tombou o rosto para o lado, dando mais espaço para as carícias. Os olhos estavam fechados e o rosto num fortíssimo rubor colorido.

Os selinhos que Error dava se transformaram em mordidas e chupões um pouco mais violentos, Ink grunhiu e o maior parou olhando o albino que estava um pouco ofegante.

— E-Error~ eu sei que você ta animado, m-mas pega leve ai, amigo.. - A voz estava alterada, o moreno tombou a cabeça para o lado.

— É sua primeira vez? - Comentou com um sorriso de canto.

— Hummm não. – Informou Sorrindo — Mas eu sempre fiquei com caras mais... Submissos, saca? Então é a primeira vez que eu “tomo no cu”.– E piscou um dos olhos para o moreno, Error riu por um momento.

— Wow, então você já teve suas 'aventuras' no outro periodo é? Como era? - A voz era travessa, e Ink sentiu o coração acelerado, emburrando a cara e empurrando o moreno de leve enquanto ouvia mais de sua risada

— Serio?! realmente interessa agora? A gente vai transar ou vai discutir as relações sexuais um do outro? - Ink se impôs, puxando Error e o beijando instantaneamente, logo se separou e o moreno piscou algumas vezes sem muita reação e sentindo o rosto arder. — Qual é cara, me fode logo! – O rapaz lhe encarou por mais alguns momentos relaxando a expressão e estalou a língua no céu da boca.

— Tisc. Ta bem. - Deu de ombros voltando a atacar o pescoço alheio. O albino voltou a gemer, as mordidas e os chupões se tornaram mais fracos devido o pedido de Ink. Error terminou de desabotoar a camisa social, abrindo e vendo o peitoral inteiramente tatuado. observou a arte por alguns minutos, para um artista, ele era ate um pouco definido, magro porém Atlético, passou a língua no peitoral albino vendo o menor estremecer abaixo de si.

Ink era, realmente, muito, sensível. Passou a mão na lateral do corpo e sentiu as mãos do menor, timidamente, subirem pela sua nuca a arfando. Foi para os mamilos, fez círculos com a língua, e isso funcionou muito bem porque o gemidos aumentaram e os leves arranhões foram para as costas do moreno se tornando mais violentos e profundos, mesmo que por cima do tecido da camisa social, Error ignorou se focando nas ‘preliminares. Parou com o círculos mordendo de leve a área rosada e delicada.

Ink estremeceu, a área era muito delicada. Error fitou a expressão do de mechas coloridas que permanecia com os olhos fechados e um fortíssimo rubor na face. O moreno sorriu de canto, era bom saber que estava fazendo o menor se sentir bem com os carinhos. Passou a língua pelo corpo albino e tatuado desceu e parou onde começava a calça colocando a mão sobre o volume que se aplicava ali e apertando fazendo o menor gemer, abrindo olhos estrelado com um forte rubor na face e um sorriso indecente, enquanto mordia o lábio inferior em forma de provocação.

"Biiip."

É, e ele sabia provocar!

Apressadamente, o moreno arrancou as calça e a box, mostrando o pênis ereto, não perdeu tempo, abocanhou de uma vez!

O menor sorriu gemendo e descendo as mãos ate a cabeça do moreno ajudando nos movimentos de ir e vir enquanto Error permanecia olhando fixamente a expressão prazerosa do albino. Continuou os movimentos com a cabeça, vez ou outra tirando o membro de sua boca e passando a língua pela circunferência e pela glante, voltando a colocar tudo na boca e repetindo a ação varias vezes, começando a deixar o menor um pouco impaciente, afinal só ele estava sem roupas ali. Quando colocou tudo na boca pela sétima vez acelerou os movimentos já sentindo o pré-gozo em sua boca indicando que em breve Ink iria gozar. As mãos do artista voltaram ajudando nos movimentos, os gemidos aumentaram, o albino tencionou a coluna com a pressão, com o ultimo gemido se desmanchando a boca do maior que deixou que um pouco escorresse pelo canto da boca, mas engoliu tudo, fez uma expressão de amargor, o gosto não era nem um pouco bom.

Com uma das mangas limpou o que escorreu. Subiu próximo ao rosto do menor que ofegava, sentiram suas respirações se colidindo, a de Ink descompassada e a de Error calma. Quebraram a distância, colando as bocas em um beijo com luxuria, as línguas travavam uma batalha por espaço, essa sendo vencida pelo albino que ria entre o beijo.

As mãos apressadas de Ink foram para a camisa social a descendo pelos braços do moreno. E jogando longe da cama, em nenhum momento desconectaram as bocas. As mãos do albino desceram, novamente, deslizando nos músculos e indo até a fivela do cinto. O ar faltou fazendo com q os pulmões doessem pelo abuso da respiração, o aparelho no pulso apitava.

— Ah, quer saber?! Que se dane! - Error se sentou entre as pernas de Ink tirando o aparelho e tacando na parede com toda a força que tinha. A pressão estava altíssima e já era para ter tomado seus remédios, mas não queria que aquela sensação passasse, não queria deixar de sentir o coração acelerado e a adrenalina. O barulho irritante parou, o moreno respirou fundo e aliviado. Pousando o olhar no albino que sorria travessamente. Passou a língua molhando os lábios e tirou o cinto, desabotoando a calça se levantando, a abaixou sacando aquele jaba de meio metro pra fora, o albino arregalou os olhos sentindo a boca salivar.

Se ajoelhou na cama e passou a língua pela glande fazendo círculos. Error gemeu com o ato e se sentia ate bem constrangido, porque... Não queria se gabar, mas se Ink queria colocar inteiro dentro de sua boca... Teria que a abrir muito, muito mesmo, pra poder “engolir” aquilo tudo. E ele tentou uma, duas, três vezes. Não conseguiu indo apenas ate a metade, o moreno desviou o olhos e segurou o sorrisinho que a boca queria dar, afinal, olhando daquele ângulo, ate que era engraçado.

— Uh... Deixa eu ver se consigo te ajudar com isso. - Riu baixinho, mas não sendo nada delicado no ato, puxou a cabeça do menor com força e lhe obrigando a engolir tudo, continuou os movimentos, ate soltar. Ink se afastou tossindo um pouco.

— PORRA ERROR! – Tossiu. — Quer me matar??? - Disse engasgado ainda, a risada do maior foi ouvida e ele se abaixou dando selinhos no artista como pedido de desculpas. — Hunf, Idiota...

— Haha, Desculpa lindo. - Sorriu.

— Pufff, ta! Só anda logo com isso. - Ink comentou.

— Então vira. - Pediu de certa forma morrendo de vergonha e o menor, sem nenhum problema com aquilo, virou. E la estava a bunda de Ink praticamente na cara de Error, expondo totalmente o ânus... E o moreno, completamente avergonhado mas disposto a continuar, - já estamos no inferno, bora abraçar o capeta. – colocou uma mão de cada lado nas nádegas as abrindo um pouco, aproximou o rosto, abriu a boca tirando a linda de la e a inserindo dentro do Ânus de Ink.

Por essa vocês não esperavam!

Ink afundou a cara no travesseiro sentindo a língua do maior entrando ali enquanto as mãos apertavam sua bunda. A vergonha só não era maior que o prazer que sentia. Os gemidos eram abafados enquanto a língua macia entrava e saia do anus, as vezes entrando totalmente e se mexendo de forma desconcertante. O moreno olhava as albinas costas tatuadas sem parar o trabalho, e no fundo torcia para Ink ter feito chuca nos ultimos dias....

Tirou a língua vendo a saliva escorrendo da entrada, mordeu o lábio inferior, aproximou o rosto novamente e passou-a por cima dali, em seguida se afastou novamente e colocou dois dedos em sua boca, em seguida, colocando dentro do menor. Era uma espécie de "preparação" pra penetração com o pênis, se bem que com... O GRANDE dote que Error tinha e sem devidamente um lubrificante, ele poderia colocar o punho ali. Mas foi com o dedo mesmo.

O de mechas fechou os olhos, a dor era horrível, algo muito desconfortável e incomodo. Abriu os olhos quando sentiu o início da movimentação dos dedos devagar, sem pressa, inserindo outro dedo e os usando como tesoura e abrindo-os para tentar alargar um pouco a área. Ink reclamou contraindo o anus e mexendo o corpo mais a frente, se contorcia um pouco, era muito desconfortável.

— Ah! C-Chega! Chega, cheg-ga! Ungh!... D-Da pra pular e-Essa parte não?! – Resmungou e continuou a se contorcer e a apertar o ânus, dificultando ainda mais o que Error estava fazendo, então ele parou e ergueu o corpo, já que Ink queria que pulassem aquela parte...

— To tentando evitar uma catástrofe dentro de você - Error comentou ate um pouco irritado, posicionando o pênis na entrada — MAS, já que você quer TANTO que eu te DESTRUA por dentro, ta bem! Não vem chorar depois se não conseguir andar!

— O-Oqu.. AAAaaAhhH!!! – E entrou, de uma vez só. — Aahh! M-Merda E-Error, Hm! Vo-Você taah, me–Me ras-rasgando hmm! P-por dentro! Ah! Ugh!

— Uh, e-eu avisei você! Eu tava te Ah!, preparando, m-mas você reclamou! Agora Uh, aguenta! - Justificou tentando se ajeitar no interior molhado do companheiro. — Puta que Uh, paril Ink! N-Nem o meu quarto no orfanato era tão apertado assim!

— V-VOCÊ VEM COMPARAR UM QUARTO COM O MEU CU?! É SERI-AAah!! - Uma forte estocada foi dada, o moreno havia ignorado que o menor havia lhe dito conseguindo se encontrar no pouco espaço que tinha.

Começou a estocar com força tentando achar a próstata, sem muito sucesso, ainda era muito apertado. Os gemidos de Ink eram de dor, junto com as lagrimas que transbordavam de seus olhos que permaneciam fechados e apertados tentando aguentar a dor. As estocadas continuaram no mesmo ritmo, fortes e aceleradas, e nada da próstata. Passou a estocar mais nas laterais, ainda tentando encontrar a danada. E nada. As mãos apertarem o quadril do albino lhe puxando para trás fazendo com que o pênis fosse mais fundo. Os gemidos se tornaram mais altos.

...

Enquanto isso, no quarto ao lado:

"AAHH!! AAHH, UUH!! ERROR! AaAAH!!"

— .......... - Epic estava com o travesseiro encima do rosto uma poker face coradíssima.

...

Os gemidos eram de prazer enquanto as estocadas eram mais profundas.

— AAAAhaaAg! - Gemeu o menor. Error arregalou os olhos surpreso

Sorriu curvando o corpo por cima do de Ink.

— Achei.

Deu outra estocada ali e ouvindo o mesmo gemido, passou a se focar naquele mesmo ponto. As estocadas eram tão fortes que a cama batia contra a parede, iriam a quebrar se continuasse daquele jeito. As estocadas aumentaram o ritmo, os dois estavam exaustos e queriam gozar logo. A tensão veio em ambos, que gemeram alto, gozando juntos. Ink na cama, sujando os lençóis e Error em seu interior lhe preenchendo por completo.

Caíram, exaustos, o maior por cima, a respiração ofegante demais e completamente suados.

Ao sair do interior se jogou no lado do albino.

— Isso... É incrível! ... Uffa... Como eu nunca fui passivo antes?! - Comentou Ink olhando Error com estrelas nos olhos, o moreno sorriu.

— Talvez porque o destino quisesse que você fizesse comigo. - Riu, o menor também riu se aproximando e deitando sobre o peito do maior.

— É, quem sabe - Concordou e os dois entrelaçaram as mãos. — De qualquer forma, foi legal conhecer você!

— Tisc*, também foi bom te conhecer. - Fecharam os olhos e após algum tempo, adormeceram.


Notas Finais


Ai, minha vista dói de ter que ler isso. qwq


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...