História Hipotermia - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Homem-Aranha, Inumanos, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Anthony "Tony" Stark, Dr. Bruce Banner (Hulk), Edward "Eddie" Allen Brock (Venom), Eugene "Flash" Thompson (Venom / Agente Venom), Gwen Stacy, Harry Osborn (Duende Verde), John Jonah "JJ" Jameson, May Parker, Medusalith Amaquelin Boltagon (Medusa), Miss Marvel, Norman Osborn (Duende Verde), Personagens Originais, Peter Parker (Homem-Aranha)
Visualizações 14
Palavras 3.131
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


EU SOU UMA ANTA E POSTEI DOIS CAPÍTULOS ERRADOS PORQUE FALTAVA ESSE ENTÃO ESTOU POSTANDO DE NOVO ENTÃO MIL DESCULPAS PELA MINHA BURRICE.
Pra explicar melhor... Eu posto essa história no Wattpad e depois posto aqui, das ultimas vezes que atualizei não estava tão atenta então copiei os arquivos errados. Então acabei postando duas vezes o mesmo capítulo e não postei esse, então ficou um mega furo na história. Por isso estou postando outra vez.
Espero que entendam a confusão. Mais uma vez peço desculpas.

Capítulo 4 - Amigos Importantes


Fanfic / Fanfiction Hipotermia - Capítulo 4 - Amigos Importantes

No dia seguinte, Harry pretendia passar no hospital antes da aula, mas o pai que estava tomando café da manhã bem cedo em casa o impediu. Disse que passaria no Colégio depois da aula para pegar Harry, e juntos, iriam ver Bonnie.

John tinha ligado e disse que a garota estava mais estável e que já acordara.
Harry estava feliz por ela começar a melhorar. Queria vê-la logo.

Quando chegou no Colégio, encontrou Ned, Michelle e Peter conversando com uma garota loira perto do armário de Peter.

Eles estavam conversando animadamente enquanto Peter mostrava para as duas algo no telefone.

-Isso é incrível, Peter! - a garota loira exclamou.

-O que é incrível? - Harry perguntou. Michelle sorriu imediatamente ao ver Harry e ele sorriu de volta para ela.

-Minha fotos do Homem-Aranha estão no Clarim Diário-Peter disse animado, passando o celular para Harry.

[-Minha fotos do Homem-Aranha estão no Clarim Diário-Peter disse animado, passando o celular para Harry]

-Ele está De Volta - Harry leu e rolou a página -Na Teia da Destruição. Homem-Aranha retorna a New York após incidente com Barca e Destruição em Long Island. Quanto mais danos o cabeça de teia causará antes que a policia cuide da situação?

-O que?! - Peter exclamou.

-É sobre isso que é a matéria - Harry disse entregando o celular a Peter para que ele lesse

-Foi pra isso que vendi minhas fotos? - Peter comentou desesperado -Ele está difamado o Homem-Aranha.

-Você não pode escolher para que fim eles vai usar as fotos - Ned disse.

-Isso é tão injusto - Peter disse desapontado.

-As fotos ainda são muito boas - Gwen disse apertando o ombro de Peter que abaixou os olhos, cabisbaixo.

-Quem é essa? - Harry sussurou para Ned.

-É a Gwen, ela almoçou com a gente ontem, não lembra?

Harry negou. Estava distraído demais falando com o pai e a Sr. Frase mo telefone.

-Bonnie não ia gostar de ver minhas fotos numa matéria assim - Peter disse -A ideia de vender as fotos foi dela.

-Falando na Bonnie - Harry disse e a atenção de todo o grupo se voltou para ele -O pai dela ligou para o meu pai hojr de manhã. Ela acordou, vai poder receber visitas apartir de hoje!

Todos sorriam e festejaram, Ned dava pulinhos, Peter espirava mais aliviado, Gwen apenas observava a alegria de todos, feliz por alguém que ela nem conhecia. Michelle pulou nos braços de Harry, abraçando-€ animada e ele retribuiu o abraço com o mesmo entusiasmo. Peter e Ned torcaram um olhar de surpresa mas não disseram nada.

-Meu pai vai passar aqui pra me pegar depois a da aula para vê-la. Eu liguei para a Sra. Fraser no caminho pra cá e acha melhor vocês aparecem por lá amanhã em vez de hoje, Bonnie ainda está fraca e precisa descansar.

-Você vai hoje - Peter disse -Por que nós temos que esperar?

-Hoje a visita é para a família- Harry apontou.

-Vocês não são parentes - Peter apontou.

-Ela é como irmã pra mim - Harry argumentou-Nós conhecemos desde sempre. A Sra. Fraser sempre diz que eu sou como um filho pra ela. E meu pai vai,  então eu também vou.

-Isso não é justo - Peter reclamou.

-Você nem se importa tanto assim - Harry disse -Só esta se sentindo culpado pelas coisas que disse pra ela no sábado.

-Harry! - Michele exclamou.

-O que? - ele disse virando as costas r saindo.

-Sinto muito, Peter - ele não quis dizer isso. Tenho certeza que não. Ele...

-Deixa quieto MJ - Peter disse e garota correu atrás de Harry.

***

Estava tão frio e escuro, Bonnie queria abrir os olhos, mas algo parecia puxá-la para dentro de si mesma.

Ao longe ela conseguia ouvir vozes que pareciam familiares, e bipes eletrônicos.

Ela se lembrava da ligação de Peter e da névoa e de um sonho estranho com neve do qual ela não conseguia acordar.

Pode ser contagioso, então mantenhas as máscaras.

Contagioso? Máscaras? O que aquilo significava, de quem eram aquelas vozes?

Com muito esforço, lutando contra o frio que a envolvia, seus olhos abrindo devagar, sendo atingidos pela forte claridade do cômodo branco.

-O que... O que aconteceu... Onde... Onde estou? - ela perguntou, sua voz trêmula e fraca. Estava com tanto frio.

-Ah meu Deus Bonnie! Você acordou - Elizabeth disse correndo para o leito da filha com lágrimas em seus olhos.

-Não sabe o quanto estamos aliviados - John disse sorrindo para a filha.

-Pa... Pai? - a garota perguntou surpresa -O que está acon...tecendo? Onde estamos? Estou com tan...tanto frio.

-Vai ficar tudo bem querida- Elizabeth garantiu.

-Estamos no hospital - John explicou -Em New York. Você se lembra de alguma coisa?

-Eu... Eu estava no telefone, como Pe... Peter, tinha uma névoa entrando pela janela eu me levantei pra fechar e...

-E? - John perguntou ansioso.

-E não me lembro de nada além do frio depois disso.

-Tem certeza, tente se lembrar - John disse -Toda informação é importante pra ajudar a descobrir o que tem de errado.

-Não a pressione - Elizabeth disse -Ela já disse o que sabe, deixe a descansar.

-Eu só estou tentando ajudar, Elizabeth - John exclamou. Ele respirou fundo, tentando se acalmar -Ok, você tem razão. Bonnie, descanse. Venho vê-la mais tarde.

John saiu do quarto, deixando a esposa e a filha sozinhas.

-Minha garotinha - Elizabeth chorava-Você está viva, e logo tudo vai ficar bem.

***

-Está pronta para sua primeira visita? - Elizabeth perguntou.

Bonnie assentiu. Estava com saudade dos amigos. Ficaria feliz ao ver quem quer que passadse por aquela porta.

-Harry - Bonnie disse sorrindo ao ver o amigo entrando no quarto.

Harry não pensou duas vezes antes de abraçar a amiga. A pele dela estava tão fria que parecia queimar a dele, e mesmo assim ele demorou para soltá-la.

-Eu estou tão feliz que você tenha acordado - ele disse -Isso é um sinal de que está melhorando e que logo tudo vai ficar bem.

Bonnie não sentia isso. Ela estava com medo, tanto medo. O frio era tão intenso que ela mal conseguia sentir as mãos e os pés. E em alguns momentos ele tomava conta de sua consciência e a levava para longe, para um lugar frio e sombrio  dentro de si mesma,

-Os outros vem visitar você amanhã- Harry disse -Sua mãe queria que você descansasse hoje e achou que muitas pessoas não seria uma boa ideia.

Bonnie estava dividida quanto a receber visitas. Queria ver os amigos. Quem sabe eles fizessem ela ser mais positiva quanto a seu estado? Mas ao mesmo tempo não queria que eles a vissem daquele jeito.

-Eu trouxe flores, mas as enfermeiras não me deixaram entrar com elas - Harry disse.

-Obrigada mesmo assim, Harry - Bonnie disse com um pequeno sorriso.

A garota estava prestes a perguntar sobre Peter quando alguém bateu na porta e entrou logo em seguida.

-Bonnie querida, como se sente? - Norman Osborn perguntou entrando.

-Cansada - Bonnie admitiu -Obrigada por tirar um tempo para me ver Sr. Osborn.

-Você é da família - Norman disse -Estamos cuidando de tudo para que você tenha o melhor tratamento e se recupere logo.

-Eu agradeço muito Sr. Osborn- Bonnie disse -Vocês são como uma família para mim também.

-É melhor irmos, você precisa descansar para se recuperar logo - Norman disse -Mas antes gostaria de falar com você a sós por um minuto. Harry, pode me esperar lá fora?

O garota assentiu.

-A gente se vê depois - Harry disse e saiu.

-Como eu disse - Norman começou -Considero você da família, Bonnie. E apoio muito o... relacionamento que você e Harry tem. Você é muito importante para ele.

Bonnie não entendia onde ele queria chegar.

-Vou ser sincero com você, os médicos ainda não sabem o que tem de errado com você - ele admitiu -Mas tenha certeza de que vamos fazer tudo o que estiver a nosso alcance para ajudá-la. Não vai ser fácil e pode ser muito doloroso, mas você é parte da família e os Osborn não abandonam a família.

-Muito obrigada Sr. Osborn - Bonnie disse. Sua garganta estava seca, seus lábios tão ressecados que arranhavam enquanto ela falava. A garota sabia que Norman se preocupava com Harry apesar do relacionamento conturbado que os dois tinham. Norman exigia demais de Harry, Bonnie sabia disso, mas ele apenas queria o melhor para seu único filho.

-É melhor eu ir agora - Norman anunciou -Descanse, logo tudo voltará ao normal.  

***

Harry não gostou nada quando a professora de Calculo colocou a garota nova sentada aseu lado na aula. Harry nem a conhecia mas já não tinha gostado dela. Peter e Ned já pareciam ter substituído Bonnie por ela. Rindo e brincando como idiotas enquanto Bonnie estava no hospital.

Ela tentou puxar assunto com Harry, mas ele apenas respondia com frieza, isso quando se dava ao trabalho de responder. No fim da aula, ela o seguiu no corredor. Queria saber o que tinha feito de tão errado para que ele a tratasse daquele jeito.

-Você acha que pode chegar do nada e tomar o lugar dela, mas não pode - Harry disse -Não comigo. Não me importa que Ned, Peter e até mesmo a Michelle gostem de você - ele disse -Pare de tentar ser minha amiga, porque não vai acontecer.

A garota o encarou, parecendo muito ofendida, sussurrou um está bem e se afastou, deixando-o sozinho em seu armário. Era do almoço, mas a garota não queria ir para mesa onde almoçou no dia anterior com Peter e os outros, então pegou seu almoço e foi para o patio, sentando-se sozinha.

Peter  e os outros que estavam na mesa viram quando ela saiu.

-Por que ela não veio almoçar com a gente? - Ned perguntou -Será que já arrumou amigos melhores e populares?

-Deve ter percebido que não era bem vinda - Harry disse bebendo seu suco.

-Mas ela era bem vinda - Peter comentou.

-Não por mim - Harry retrucou -Vi que vocês ficaram muito felizes em substituir a Bonnie.

Peter respirou fundo e se levantou, levando sua bandeja consigo. Ia sair se dizer nada, ma\s pensou mais uma vez e voltou.

-Todo mundo está sofrendo pelo que aconteceu - Peter disse -Sei que você conhece ela a mais tempo que nós, mas isso não faz com que nós a amemos menos. E agir como um babaca não vai fazer com que ela melhore, só vai afastar todos de você.

Peter então partiu, deixando uma Harry irritado para trás. Ned também se levantou e seguiu Peter.

-Ele tem razão, sabe... - disse antes de sair.

-Não vai com eles? - Harry perguntou virando-se para Michelle.

-Eu devia - Michelle argumentou -Porque eles estão certos, mas não vou, mesmo que você mereça.

***

Peter e Ned estavam procurando por Gwen quando a viram, estava sentada ao lado de Flash Thompson que tagarelava sem parar. Ela parecia ligeiramente incomodada mas respondia Flash educadamente, e o dispensou para ir falar com Ned e Peter 

-Deviam estar almoçando com Harry - ela disse.

-O Harry não tem sido uma companhia muito satisfatória - Ned comentou -O que aconteceu ferrou um pouco com ele.

-Isso não é desculpa - Peter comentou -Sinto muito se ele disse algo que te fez se afastar. Harry não fala por nós. Nós gostamos de você.

[Peter corou e Gwen também]

Peter corou e Gwen também.

-Obrigada - ela disse e os três se dirigiram a mesa onde ela estava antes. 

***

Bonnie tinha acabado de comer quando uma enfermeira anunciou no telefone que ela tinha visita. Depois do que Harry e a mãe disseram, você não esperava receber mais visitas naquele dia.

-Oi, Peter - Bonnie murmurou quando ele entrou no quarto usando uma máscara.

Os médicos diziam que era por segurança. Que a imunidade da garota estava baixa por causa da hipotermia. Que qualquer doença só pioraria seu estado.

Mas ela sabia a verdade. Tinha escutado a médica conversando com seus pais quando achavam que ela estava inconsciente. Eles não sabiam o que a garota tinha. Não sabiam se era contagioso... Por isso as máscaras.

-Eu trouxe seu dever de casa - Peter disse.

-Harry trouxe flores - Bonnie comentou -Mas as enfermeiras não deixaram ele entrar com elas. Injusto elas deixarem você entrar com meu dever de casa.

-Eu também trouxe jujubas que são totalmente ilegais, mas fáceis de esconder usando um suéter largo.

Ele então tirou o pacote de jujubas de debaixo do suéter.

-Você é o melhor, Peter - comentei.

Era a primeira visita de Peter, ia até  lá, e ele estava fazendo com que Bonnie sentisse como se estivessem apenas conversando depois da aula no apartamento da Tia May, ou na cobertura dos pais dela.

Todos os outros a olhavam como se ela estivesse prestes a morrer, que era exatamente como ela se sentia, mas Peter agia exatamente como o normal, e Bonnie era muito grata por isso.

Até que ele tirou a máscara.

-Bonnie eu sinto muito pelo que disse 
- ele começou -Eu fui um idiota. Não estava esperando aquilo e reagi do jeito errado.

-Peter - Bonnie falou -Coloca isso de volta. É perigoso.

-Eu não me importo - ele disse.

-Eles não sabem o que está errado comigo - Bonnie disse -Só sabem que algo me induz a um estado constante de hipotermia. Pode ser contagioso.

-Eu não vou colocar a mascara ok? - ele disse sentando-se numa cadeira ao lado da cama -Como você está? Melhorou desde que veio para cá?

-Tudo o que conseguiram foi estabilizar minha temperatura o bastante pra eu não entrar em coma ou morrer. Fora isso eles realmente não sabem o que fazer comigo.

-Eu... Eu... - Peter tentou -Eu vou falar com o Sr. Stark. Tenho certeza que ele tem acesso a médicos melhores. Ele pode ajudar.

-Você sabe o que meu pai pensa do Tony Stark - Bonnie comentou, enrolando-se mais no cobertor. O frio começava a aumentar assim como o sono.

-Aposto que ele não vai se opor nesse caso - Peter disse alcançando a mão da garota e segurando-a. Ele acariciava seu polegar, a sensação era tão boa, mas Bonnie já estava quase dormindo. Não consegui dizer nada, nem manter os olhos abertos, apenas se deixou levar pela onda de sono que a levou para um lugar ainda mais frio.

***

Peter estava com medo de visitar Bonnie. Estava com medo de ver o quão mal ela estava.

Foi muito difícil entrar no quarto e vê-la tão pálida. Seus lábios estavam azuis, seu nariz e olhos envoltos por uma coloração roxa. Ela mal parecia conseguir manter os olhos abertos.

Mas Peter tinha que ser forte por ela. Então decidiu agir como agiam normalmente. Como se estivessem apenas conversando depois da aula.

E é claro que ela entrou no clima. Por mais que estivesse em uma situação ruim, ela continuava sendo a mesma Bonnie.

Ela pegou no sono enquanto Peter segurava a mão dela, que estava tão fria que parecia queimar sua pele.

Ela precisava de ajuda. Ajuda que nem a Oscorp conseguiu achar. Mas que talvez o Sr. stark pudesse conseguir. Peter tinha que falar com ele.

O garoto saiu do quarto para avisar as enfermeiras que Bonnie tinha dormido, como elas pediram que fizesse se aquilo acontecesse.

Harry estava sentado na sala de espera, MJ estava sentada ao lado dele e segurava sua mão, os dois conversavam baixinho e pararam quando Peter se aproximou.

-Como ela está? - MJ perguntou preocupada -As enfermeiras não me deixaram entrar. Uma pessoa por vez...

-Conversamos por alguns minutos antes de ela apagar - Peter perguntou

Harry se levantou rápido.

-Eu já avisei a enfermeira, pode ficar mais calmo - Peter assegurou.

-Ficar calmo - Harry repetiu -Não consigo fazer isso, não quando a Bonnie tá lá dentro congelando por causa de uma névoa aleatória e ninguém sabe o que fazer pra ajudar ela.

Peter sentia a mesma coisa... Espera... Névoa?

-Névoa? - ele perguntou confuso  -Que névoa?

-Aparentemente o que está acontecendo com a Bonnie tem a ver com uma névoa misteriosa que foi liberada em Jersey City por sabe-se lá quem.

Peter se desculpou com Harry por ter que ir, nem esperou uma resposta, apenas saiu do hospital pela porta dos fundos e tirou as roupas. Ele tinha aprendido que era mais prático usar o traje por debaixo das roupas normais, pelo menos era melhor do que ficar só de cueca em um beco qualquer do Queens.

Colocou a máscara e começou a se mover em direção a seu destino. Tinha que falar com o Sr. Stark e tinha que ser naquele momento.

***

Agora que Peter era oficialmente um Vingador, tinha acesso ao QG e um quarto no prédio no Norte do Estado, assim como todos os outros. Mas ainda morava com a Tia May, o quarto era pra emergências.

Peter tinha acesso mas tinha ordens pra não contatar o Sr. Stark a menos que fosse algo muito importante, e aquilo era super importante.

Mas pra variar, ele não estava em Nova York.

Peter procurou por ele em toda parte até alguém perguntar o que ele queria e avisa-lo que ele estava na Europa. Parecia que teria que ligar então. Era o que estava fazendo quando virou em um corredor e esbarrou com o Dr. Baner.

-Peter, o que está fazendo aqui? - ele perguntou.

-Dr. Baner, eu estava procurando o Sr. Stark, Dr - falou meio sem jeito.

-O Tony não está - ele apontou -Está na Europa resolvendo assuntos dos Vingadores.

-Eu sei Dr. Baner, senhor - continuou -É uma emergência, preciso muito falar com ele, Dr.

-Emergência? Que tipo de emergência? - ele quis saber -E pode me chamar de Bruce, filho.

Mas é claro que ele podia falar com o Dr. Baner... Bruce. Ele era muito amigo do Sr. Stark, e era um cientista muito famoso. Talvez soubesse como ajudar.

Então Peter contou a ele sobre Bonnie. Sobre a névoa misteriosa em New Jersey, sobre como agora ela estava em um estado crônico de hipotermia e que nem mesmo os médicos da Oscorp sabiam o que estava acontecendo com ela.

-Você pode ajudar? - perguntou por fim.

-Nós tivemos conhecimento de que uma segunda bomba Terrígena tinha sido liberada em Jersey City recentemente - ele comentou.

-Espera... Bomba o que? - Peter perguntou confuso.

-Não sei muito sobre os efeitos da bomba - Baner disse -Mas conheço alguém que pode ajudar sua amiga.

Alívio tomou conta de Peter. Sabia que ali era o lugar certo pra encontrar ajuda. Bonnie ia ficar bem.

-Não se preocupe, vamos cuidar de tudo - Dr. Baner assegurou -Agora vá pra casa filho



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...