História História de uma desconhecida. - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Família, Fotos, Lar Desfeito
Visualizações 5
Palavras 885
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Tenham uma boa leitura.

Capítulo 5 - Narração 5 : popular : por finn


Fanfic / Fanfiction História de uma desconhecida. - Capítulo 5 - Narração 5 : popular : por finn

         
       Sabe quando você é orgulhoso demais e pensa que ninguém ama você mais tem sempre aquele alguém que você quer mesmo ter algo a mais, eu tive chances na vida eu sempre tive tudo na mão, mais era vazio eu via todos se esforçarem para passar de algo ou achar garotas, principalmente situações financeiras, mais eu nunca passei por isso, eu fui mimado tive todas as lindas mmeninas que qualquer um daria a vida pra ter, mais porque era tão fácil eu só queria ter dificuldades para me tornar melhor e mais forte, eu nunca fui zuado tirando o nome isso nem me encomoda mais o fato de ser bonito torna a vida melhor, eu queria ter um desafio para seguir e as vezes falhar e chorar frustrado por não conseguir mais ai iria me reerguer e dizer foda se e começar de novo, eu gosto muito de ler eu sou popular mais isso não te dá o direito de me julgar, confesso ja zuei e zouo não sou um anjo, ninguém é eu sou assim preciso um pouco disso atenção, mais com o tempo eu percebi que as meninas desta escola são muito a tiradas eu nem consigo pensar sem uma me seduzir. 

      - finn, esta lindo como sempre!

Marisol era tem algo que me faz ter medo ela pode ser linda com seu cabelo ruivo e riso que era radiante igual o sol eu não aguento isso, ela vive babando, e falando das garotas que são mais quietas, eu não me importo com quem é quem ou sua aparência, desde que me deixe em paz, ela me olha como se fosse me devorar, isso me da calafrios, mais alem de tudo ja faz uma hora que procuro o livro de anne Frank e não acho que merda, eu preciso ver algo nele e parece que ja pegaram, quem teria interesse em guerra mundial? Pela primeira vez, Marisol pode me ajudar, ela está me olhando de longe, eu sei que ela é paranóica, mais fazer o que preciso do livro. 

  - mari, oi preciso que me ajude. 

Ela abre um sorriso toda animada, ela me olha de cima a baixo, eu juro que ela está com pensamentos sujos em sua cabeça, me livre disso. 

   - sim, claro, fala.

Eu olho em volta pensando em voltar a atrás mais eu não podia ignorar ela ,mesmo que ela seja paranóica, eu posso compreender que não é fácil pra ela .

   - sabe de alguém que goste de guerras mundiais, fatos históricos?

Ela faz o sorriso sumir, ela sabia a resposta mais a pessoa que era ela odiava dava pra ver em seus olhos, ela suspirou e abaixou a cabeça. 

     - sim a única pessoa que gosta disso é a sara ela vive neste negócio, ela acha mais legal que garotos. 

Ele deve estar falando da menina de óculos grandes e cabelos estranhos, ela parecia gostar de ler também, eu ja a vi na biblioteca mais de uma vez ela gosta de la como se fosse um refúgio de zoações, tipo a do almoço, eu não conseguia pensar em nada só olhava alguém a xingar e ela tão firme junto ao namorado, bem eu acho que era ja que estavam de mãos dadas. 

    - ok, muito obrigado mari, nos vemos por aí. 

Ela sorrio e parecia ansiando por esse novo momento que ela criava na mente dela com toda certeza, eu não queria iludir, ela era tão legal e fofa comigo. 

   - até. 

Eu a ouvi dizer e sai andando depois de sorrir pra ela, eu andei pelo pátio e depois subi as escadas, vi ela e o namorado tirando fotos de pássaros que pousavam na grade eu pensava que eles gostavam disso, ela abrirá um dos sorrisos mais radiantes que eu vira andei até eles e sorri.

  - oi, Desculpa atrapalhar mais você está com o livro de anne Frank?

ela se virou fazendo o vento passar por seus cabelos e trazer seu cheiro a mim eu inspirei e senti que meu coração acelerou. 

   - estou sim, mais ainda não terminei. 

Ela olhou pra mim junto ao namorado e abriram um sorriso, ela tirou outra foto e colocou a câmera de volta no pescoço. 

  - a ok quando terminar sabe poderia me emprestar?

Ela assentiu e olhava fixamente pra mim como se guardasse os detalhes pra si. 

  - desculpa mesmo, eu não queria atrapalhar o casal. 

Os dois se entre olharam e riam feito bobos me senti idiota e comecei a rir sem saber porque. 

   - calvin e eu? Somos só amigos.

Algo em mim se aliviou eu sorri ela encarou confusa pelo meu involuntário sorriso, já ele abriu um sorriso ainda maior. 

   - eu sou calvin, parece que não me conhece, só pra ser extrovertido, da fruta que ela come eu como até o caroço. 

Eu percebi, e sorri sem jeito, ela olhava pra mim me deixando mais nervoso, ele era gay, eu não podia ser tão idiota de não ver. 

  - a am eu ja vou Tchau não esquece o livro. 

Eu corro dali os deixando confusos e a mim mesmo, eu podia me dar bem naquela escola, só por ser popular mais nada, queria fazer sentindo, eu seria um cara bonito com a vida fácil mais e os outros encontraram as dificuldades de uma vida dura tipo a sara. 

Notas Finais


Então?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...