História Historia dos god of war - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias God of War
Personagens Ares, Athena, Hades, Kratos, Zeus
Visualizações 3
Palavras 1.370
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


kratos quer a vingança vingança dele contra o ares

Capítulo 3 - Kratos vs aries


Fanfic / Fanfiction Historia dos god of war - Capítulo 3 - Kratos vs aries

início do jogo, vemos Kratos se posicionando na beira de um penhasco, dizendo que os deuses do Olimpo o abandonaram e que não havia mais esperança para ele, que então se joga do penhasco com a intenção de suicidar-se. O jogo então retrocede para três semanas antes, quando Kratos está em um navio no Mar Egeu que está sendo atacado pela temível Hidra. Após avançar e assassinar a Hidra, ele entra em uma sala onde corpos mutilados de tripulantes jaziam. Aquilo trás a Kratos flashbacks de um passado brutal do qual ele nunca se esqueceria.

Após a derrota da Hidra, vemos Kratos navegando em direção à lugar nenhum, e quando o mesmo tem outro pesadelo relacionado ao seu passado, ele chama a deusa Atena, que se comunica com ele através de uma estátua dela mesma. Kratos pergunta a ela quando essa visões acabarão, pois ele já serviu os deuses por dez anos e nunca fora liberto. Atena então o explica sobre Ares, o deus da guerra, que havia invadido a cidade de Atenas, e que Zeus proibiu os deuses de entrarem em guerra entre si e por isso ela não poderia fazer nada, então ela envia Kratos em uma missão para derrotar Ares e salvar Atenas. Ele então parte para a cidade, e a encontra em ruínas, devastada pela destruição que Ares e seus soldados causavam. Quando ele presencia a guerra, ele vê o gigantesco deus da guerra, e jura que Atenas será o túmulo de Ares pelo que ele fez "naquela noite".

Kratos toma conhecimento da Oráculo, uma mulher que se comunicou com Kratos através de um holograma e disse que poderia ajudar o espartano em sua missão assassina. Ele vai até a Oráculo, que se encontra presa em uma corda e a resgata. É nesse momento em que a Oráculo diz a ele que apenas um item em todo o mundo contém o poder para assassinar um deus: a Caixa de Pandora, que está escondida no Deserto das Almas Perdidas, cuja entrada fica próxima dos muros de Atenas. O protagonista não perde tempo e se dirige até o local, onde encontra outra estátua de Atena, que se comunica com ele e o diz que a Caixa de Pandora está escondida em um templo cheio de armadilhas e quebra-cabeças complexos, templo esse que está acorrentado e preso nas costas do último titã vivo, Cronos. Ela também diz que há um caminho seguro até o titã, mas para achá-lo, Kratos deve assassinar as três sirenes que estão espalhadas pelo deserto, e uma porta se abriria para ele, revelando o tal caminho.

Assim, ele encontra as sirenes, desbloqueia a passagem e no seu fim, encontra um berrante que atrai Cronos e o leva até Kratos. Assim, o Fantasma de Esparta pula em Cronos e se agarra em uma corrente, e escala as costas do titã durante três dias até chegar na entrada do Templo de Pandora. O mesmo entra no templo, onde inicia uma série de desafios preparados por Atlas e pelos deuses Hades e Poseidon, desafios esses que incluem resoluções de quebra-cabeças, assassinato de muitos inimigos, sacrifícios humanos e até mesmo a derrota de um gigantesco minotauro. Enquanto passava pelos desafios do templo, Kratos teve uma série de flashbacks que revelavam muito de seu próprio passado.

É revelado que Kratos, antes um general no exército espartano, utilizava de técnicas brutais, porém eficientes para vencer suas batalhas. Em um dia, um gigantesco exército de bárbaros entrou no caminho dos espartanos liderados por Kratos, e os dois exércitos travaram uma batalha, mas a disciplina e o treinamento dos espartanos não eram páreo para violência e o exagero dos bárbaros, e um Kratos rendido pelo Rei Bárbaro estava preparado para morrer, quando, em um ato de desespero, clamou pelo deus da guerra, oferecendo sua vida em troca da derrota dos bárbaros. Ares, então, desceu do Olimpo e realizou o desejo de Kratos, dando ao espartano as Lâminas do Caos, forjadas nas profundezas do Hades, que eram amarradas em correntes que se prendiam nos antebraços de seu usuário, e assim foi feito. As harpias trouxeram as lâminas a Kratos e as correntes recém-forjadas queimaram os antebraços de Kratos, se fixando nos mesmos. Dessa forma, Kratos conseguiu desferir um golpe mortal no Rei Bárbaro, decapitando-o.

Após isso, Kratos passou a servir fielmente o deus da guerra, realizando todas as tarefas que o mesmo mandava e matando quantas pessoas fossem necessárias para completar tais tarefas. Uma dessas tarefas era a de destruir uma vila que glorificava a deusa Atena, e Kratos se juntou a alguns espartanos para trazer ruína à vila. Quando Kratos se preparava para adentrar no templo da vila, uma mulher interferiu, dizendo que os perigos no templo eram piores do que Kratos imaginava, mas ele não deu ouvidos e prosseguiu. Ele adentrou o templo e assassinou todos lá dentro, porém, Kratos não percebeu duas das suas vítimas eram sua própria esposa e filha, e quando notou, era tarde demais.

Kratos, quando finalmente chegou chegou no último estágio do Templo de Pandora, encontrou uma sala com estátuas dos três maiores deuses do Olimpo, e a Caixa de Pandora. O espartano se apossou da caixa e um elevador o levou para a entrada do templo, onde começou a empurrar a caixa, porém, em Atenas, Ares sabia que Kratos havia obtido sucesso e sua missão pois uma harpia o contou que Kratos estava no templo e assim ele pega uma viga quebrada que estava no chão e a arremessa na direção do Templo de Pandora, e a viga acerta o peito de Kratos. Em seus últimos momentos, ele volta a ter um flashback, que revela que foi o próprio Ares que manipulou os acontecimentos para Kratos assassinasse sua própria família e se tornasse um guerreiro ainda mais forte, e que a mulher que Kratos deixou viver antes de entrar no templo era a Oráculo da vila, que jogou uma maldição sobre Kratos, fazendo com que as cinzas de sua esposa e filha ficassem atreladas a sua pele, e nunca poderiam ser removidas, por isso Kratos tinha a pele de cor branca. Após o flashback, ele viu as harpias de Ares levarem a Caixa de Pandora, enquanto a vida deixava seu corpo. Sua alma, então, foi transportada para o Hades, para cair no rio Estige, porém, ele consegue se segurar em uma plataforma e sobe para a superfície, por meio de um portal criado em um túmulo que o coveiro disse que foi feito "especialmente para ele".

Escapando do Hades, Kratos parte em sua última viagem e encontra Ares, segurando a Caixa de Pandora e se gabando de tê-la, chegando a ameaçar que usaria ela contra o Olimpo, porém Kratos utiliza o Raio de Zeus para derrubar a caixa e consegue abri-la, liberando o poder dos deuses e ficando gigante, do tamanho de Ares, e os dois travam uma batalha muito intensa. Ares chega a transportar Kratos para uma ilusão, onde ele luta contra clones de si mesmo em prol de defender sua família. Ares, porém, tira as Lâminas do Caos e as magias de Kratos e mata a sua família. Quando ele sai da ilusão, é quase morto por Ares, mas ele rapidamente vê que a ponte que conectava Atenas à uma gigantesca estátua de Atena era uma espada, a Lâmina dos Deuses. Ele então a pega e utiliza-a para assassinar Ares.

Porém, as visões e os pesadelos de Kratos ainda permaneciam, e ele suplica para que Atena o livre delas, mas ela diz que os deuses nunca prometeram a liberdade de seus pesadelos, apenas o perdão. Então, ele se dirige ao penhasco em que vemos ele no início do jogo. Ele se joga do abismo, para que aquele tormente finalmente termine. Porém, os deuses não permitem que alguém que realizou tamanho serviço a eles, pereça pelas próprias mãos, então, uma estátua de Atena que se localizava ao lado de uma estranha estrutura abre a tal estrutura, que se revela ser um portal para o Monte Olimpo, e ela diz que agora há um trono vazio no Palácio dos Deuses, e que um novo deus da guerra era necessário, então, ele entra no portal e se dirige ao trono, ascendendo como o novo deus da guerra.


Notas Finais


ares morreu pelas mão do kratos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...