História Histórias macabras - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 13
Palavras 367
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Harem, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Orange, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 13 - Você não pode se esconder...


12 de Maio, 1996.


A polícia encontrou este bilhete em uma casa onde houve uma chacina com uma família de 4 integrantes, dentro de um armário onde um garoto foi encontrado morto, e neste bilhete ele aparentemente relata os acontecimentos pouco antes de sua morte.

"São exatas 2:59 da manhã, enquanto escrevo esse bilhete, não tenho mais para onde correr, não posso ligar para ninguém, só posso me esconder da 'coisa', que me persegue.

Esse ser não parece humano, mas também não parece algo muito distinto de um... Não sei o que é, e muito menos quero saber!

Estou chorando agora, pois eu pude ver... Eu pude ver esse 'troço' matando meus pais e minha irmã violentamente! Sem piedade, se divertindo, brincando com cada membro decepado, como se fosse o dia mais feliz de sua vida. Eu pude correr antes que me visse, mas as expressões de meus pais mortos não sai da minha cabeça.

Meu maior desejo agora é viver, mas não tem como, estou escondido no quarto da minha irmãzinha, no armário, chorando! Se eu tentar pular a janela eu morro com a queda, ele de alguma maneira desativou o cabo de energia da vizinhança. Eu fui usar meu celular para ligar para a polícia, mas logo após colocar a mão no bolso, lembrei que o deixei no criado-mudo, em meu quarto... COMO EU PUDE O ESQUECER?! Os risos incontroláveis da 'coisa' pararam... Ela acaba de dizer algo... Ela disse... 'Não se engane, se acha que me esqueci de você! Eu sei onde você está, e estou indo brincar com você logo, logo!', Deus me ajude! Essa voz agonizante, essas risadas horríveis... EU NÃO QUERO MORRER! Estou ouvindo passos, juntamente a um grunhido que dá vontade de arrancar minhas orelhas fora.

A 'COISA' ENTROU EM MEU QUARTO! Ela está parada... Não, espera! Está escrevendo algo com o sangue de meus familiares nas paredes... Não quero ler... Estou com muito medo! Mas a curiosidade... É muito grande! Chega! Eu vou tomar coragem e ler o que 'isso' escreveu... Está escrito...


'Você não pode se esconder...' "


No resto do bilhete foi encontrado apenas rabiscos e sangue.


A polícia ainda não obteve resultados sobre esse caso, que ainda é um grande mistério. 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...