História Histórias macabras - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 8
Palavras 657
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Droubble, Ecchi, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Harem, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Orange, Policial, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Slash, Sobrenatural, Steampunk, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 20 - A chamada da morte


Um policial recebe a missão para entregar alguns arquivos em um vilarejo, que não fica a mais que duas horas de viagem. Seu superior aguarda a sua chegada.


 

➖ Superior: Olá, Bruno. Está na escuta?

 


Quando o policial escuta o chamado do rádio de comunicação, acaba atendendo.


 

➖ Policial: Sim, senhor. Estou saindo agora da central, chegarei aí em breve.

 


 

➖ Superior: Só há um detalhe, rapaz. Na metade do seu percurso, caso o rádio de comunicação apresente barulhos ou toques, tente ignorar, OK?

 


 

➖ Policial: Como assim, senhor? Por que eu não atenderia ao rádio?

 


 

➖ Superior: Só faça o que mandei, rapaz.

 


O policial fica confuso com a ligação de seu superior, mas a ignora, continuando com a viagem. Logo, vê uma trilha que seria parte de seu percurso e acaba entrando nela. Depois de algum tempo dirigindo, o rádio de comunicação começa a tocar e a fazer barulhos, como tinha sido alertado por seu superior. Os barulhos e sons persistem por quase toda a viagem. O policial perde a paciência e acaba atendendo ao rádio de comunicação, ignorando as ordens de seu superior.


 

➖ Policial: Olá, tem alguém na escuta?

 


 

➖ ?: Sim, preciso de ajuda, por favor!

 


 

➖ ?: Estou em minha casa, não posso sair daqui! Caso você esteja dirigindo nesse momento pela trilha de areia, logo irá ver uma árvore grande com uma placa verde. Nela, tem um nome vermelho borrado, daí vire à direita. Preciso de ajuda, urgentemente!

 


A ligação cai e o policial acelera o carro. Encontra a árvore com as descrições que a mulher lhe havia dito e acaba seguindo à direita, saindo de seu percurso. Depois de alguns minutos dirigindo, depara-se com uma casa. Sai do carro e bate à porta. Continua batendo, mas ninguém aparece.


Preocupado com o bem-estar da mulher, o policial acaba entrando na casa. A mesma se encontrava toda bagunçada, parecendo que, há anos, ninguém pisava ali. O policial procura por algum sinal de vida na casa até escutar alguém o chamando: "AQUI, ME AJUDE!" Ele acaba subindo as escadas rapidamente e encontra uma mulher sentada em uma cama velha.


O policial acaba se aproximando da mulher e pergunta o que ela tem. A mesma estica os dois braços, mostrando os os pulsos cortados, e fala as seguintes palavras:


 

➖ Ele está aqui e agora! Ele matou a minha família e levou nossas almas. Ele quer a sua... Saia daqui agora!

 


Quando a mulher fala isso, começa a gritar intensamente. O som faz com que o policial coloque as mãos nos próprios ouvidos, que começam a doer e sangrar. Ele também começa a gritar, até que um silêncio predomina. Abre os olhos e não encontra mais a mulher. Pega o celular para tentar pedir ajuda a seu superior.


 

➖ Policial: Senhor, aqui é o Policial Andrades, está na escuta? Preciso de sua ajuda, urgentemente!

 


 

➖ Superior: Entendi! Em que localização você se encontra agora, policial?

 


 

➖ Policial: Não sei explicar. Quando eu recebi uma ligação, vim correndo para ajudar uma mulher. Ela sumiu, encontra-se gravemente ferida. Tirarei algumas fotos da casa onde estou e enviarei pelo WhatsApp.

 


Instantes depois, o superior retorna a ligação. Sua voz estava diferente e ele parecia estar assustado. Então, alerta ao policial:


 

➖ Você atendeu ao rádio de comunicação na trilha de areia, não é mesmo? Saia daí agora, policial! Esta casa é amaldiçoada! Tem algo sobrenatural aí que matou uma família. Nunca tinha visto algo tão tenebroso em minha vida. Em sua última foto, apareceu uma coisa assustadora na janela!

 


O superior começa então a escutar gritos do policial e disparos de arma. Tudo dura alguns segundos até ficar em silêncio e a ligação cair.


Algumas horas depois, os policiais chegam aonde estava Andrades. Ele foi encontrado morto, de o corpo duro e com uma cara de pânico. A única pista do possível assassino foi uma foto que registrou uma imagem assustadora, deixando todos os policiais de cabelo em pé.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...