1. Spirit Fanfics >
  2. Histórias para o Senhor C >
  3. Redenção

História Histórias para o Senhor C - Capítulo 46


Escrita por:


Notas do Autor


EMOÇÕES FORTES EM GENTE SE PREPAREM

Capítulo 46 - Redenção


Fanfic / Fanfiction Histórias para o Senhor C - Capítulo 46 - Redenção

(...)

 NARRADORA

 

Correndo em direção ao laboratório do lugar Selina procurava desesperada por Helena que até o presente momento, ainda não tinha entrado no prédio...  uma troca de tiros entre os guardas do prédio e a mulher começa, por mais que os guardas fossem treinados para matar, Selina estava nesse ramo a anos, basicamente desde o dia que nasceu, sua vida criminosa começou ainda cedo, diferente dos guardas locais que apenas receberam treinamento para lidar com situações como essa, Selina já estava em situações como essa a mais de 10 anos. Gritos de desespero são ouvidos pelos corredores do lugar enquanto a mulher desviava de corpos ensanguentados por todo piso…

 

Encurralada em uma sala de medicações e testes a mulher observa atentamente cada cabeça de meta humano preso ao formol nos tubos da sala, o horror era evidente e a medida que a mulher caminha entre a sala se assusta ainda mais,desviando dos cacos de vidro jogados no lugar ela observa os corpos de bebês capturados para experiências, provavelmente a mando do Doutor Jeremias.

 

- Que merda é essa! - a mulher diz baixo observando os relatórios na mesa a frente, todos os dados de meta humanos estavam presos nesse lugar, até que a letra H é exposta a mulher que fica horrorizada ao perceber que a imagem de sua filha estava estampada na primeira ficha - Helena...

 

Um barulho chama a atenção da mulher que se abaixa próximo ao balcão na qual estava observando a ficha dos presos, a medida que a sombra se aproxima da porta de entrada do local, Selina reconhece o homem à sua frente, Batman estava parado analisando aquela sala, provavelmente assustado com o que enxergava… saindo de trás do balcão Selina encara o morcego que a analisa a mulher minuciosamente.

 

- Você sabia disso, sabia de tudo isso e não fez nada? Olhe tudo isso a sua volta, como pode financiar essa monstruosidade? - o ódio subia no peito de Selina que respirava com dificuldade

 

- Selina eu não sabia disso… - sua fala sai com dificuldade, era difícil permanecer ali dentro sem se emocionar

 

- MENTIRA BRUCE, VOCÊ SEMPRE SOUBE DISSO, ESSE PRÉDIO É SEU, O DINHEIRO INVESTIDO NISSO TUDO É SEU, COMO TEM A CAPACIDADE DE DIZER QUE NÃO SABIA? - seus olhos marejados encaram o homem paralisado na sua frente - eu tenho nojo de você sabia? Nojo.

 

- Esse lugar realmente é meu, mas vocês estavam sob os cuidados do Doutor Jeremias… eu jamais permitiria algo assim Selina, você me conhece… olhe pra mim, por favor… - sua voz fraca demonstra o choque na qual o morcego estava presenciando - Selina, por favor...

 

- Por que tanta raiva dos meta humanos Bruce? Por que nos colocar aqui? - a mulher pergunta encarando o homem que ainda permanecia em choque

 

- Eu não tenho raiva deles…

 

- Mentira! É mentira e você sabe disso, quem está querendo enganar Bruce?! O seu ódio começou desde a época que o Coringa surgiu - Selina sai de trás do balcão com uma pasta em mãos, a mulher atira a pasta para o homem que encara os papéis confuso - A sua filha ia ser presa aqui… provavelmente iria perder a cabeça se ser estudada em um desses tubos. - a mulher se aproxima do homem que a encara espantado com a notícia 

 

- Filha?! Você teve uma filha naquela época?! - Bruce encara a Selina na sua frente 

 

- Não Bruce, nós tivemos uma filha, sua filha nasceu meta humana por uma feliz coincidência do destino, arrependido de ter criado um frigorífico para sua própria filha?! Como você vai encará-la? A verdade será dita por você ou por mim?! - as lágrimas escorre pelo rosto de Selina descontroladamente.

 

- Por que nunca me disse? Não poderia ter escondido isso de mim Selina! - A voz grossa do homem surpreende Selina

 

- Esconder? ESCONDER BRUCE?! EU TE DISSE SE LEMBRA? VOCÊ ME ABANDONOU, NUNCA MAIS ME PROCUROU PRA SABER O QUE TINHA ACONTECIDO, DISSE QUE IA ME PRENDER SE EU FICASSE NA CIDADE. - Selina grita com o homem despejando sobre seu peito socos que apenas são observados por ele - onde estava quando eu mais precisei de você? Onde estava quando ela mais precisou de você?! A culpa não é minha se você escolheu isso Bruce, a culpa não é minha se hoje você se sente culpado por nunca ter se aproximado dela, esse peso que você está sentindo não é minha culpa, esse remorso todo faz parte daquilo que você criou Bruce, a culpa não é minha. - Selina busca no chão uma folha com a ficha de testes que seriam feitos em Helena, o homem encara o papel perplexo - Seu dinheiro estava financiando a morte da sua filha!

 

Caminhando até a porta de saída do lugar a mulher seca as lágrimas na manga da blusa, o sentimento de preocupação com Helena só apertava mais o peito da mulher.

 

- Porque nunca me disse que ela era meta humana? - Bruce se vira para a porta encarando Selina paralisada ainda de costas se virar pra ele com lágrimas nos olhos

 

- O que muda Bruce? Muda alguma coisa a sua filha ser diferente de você? De mim?! Não muda em nada, não era algo que eu via necessidade de contar já que você nunca se importou de saber como ela era. 

 

Apenas sua sombra é avistada pelo morcego que encarava toda a situação sem saber o que fazer ou dizer, a aparência dos membros dos mortos expostos nos tubos de vidro assustavam Bruce que sempre se considerou um homem de bem, um super herói… as lágrimas caem de seus olhos ao notar que seu dinheiro financiou uma barbaridade.


 

I'm trying but I keep falling down

I cry out but nothing comes now

I'm giving my all and I know peace will come

I never wanted to need someone

 

Yeah, I wanted to play tough

Thought I could do all just on my own

But even Superwoman

Sometimes needed Superman's soul

 

Help me out of this hell

Your love lifts me up like helium

Your love lifts me up when I'm down down down

When I've hit the ground

You're all I need (...)


 

(...)

Com uma metralhadora nas mãos, Canário disparava contra todos os guardas do corredor junto a Hera que enforcava os homens com suas raízes… quando um dos guardas se aproxima de Hera por trás com uma arma, Diana quebra seu pescoço com as mãos chamando a atenção da mulher que sorri para ela como agradecimento.

 

- Hera, a saída para o outro andar é por aqui! - Canário informa a amiga que corre junto a mulher maravilha  

 

- Mas e os outros? Tem gente presa nos andares abaixo. - Diana diz as mulheres que se entre olharam estranhando a atitude da heroína.

 

- Diana… são criminosos presos, sabe disso não é?! - Hera diz a mulher enquanto a amiga atira disparadamente para novos guardas que entram no corredor atirando

 

- Não me importo, aos olhos deles nós também somos. - a mulher diz beijando Hera que se espanta com a atitude - chega de disfarces, não é mesmo?! - as duas conectam os olhares através da ponta do nariz.

 

- Vocês são lindas juntas mas precisamos sair daqui, precisamos encontrar a Harley. - Canario diz as amigas que se entre olham correndo apressadas escada abaixo

 

Never was a leader

Never had a thing for fairytales

Not really a believer, nah noh

Small voice in the quiet

Guess I never dared to know myself

Can my heart beat quiet?

No

 

But then there was you

(But then there was you)

Yeah, then there was you

Pull me out of the crowd

You were telling the truth

(You were telling the truth)

Yeah (yeah, yeah)

I got something to say now

'Cause you tell me that there's no way I couldn't go

 

(...)

 

Com a mulher nos braços, Joker corre entre os corredores até colocar Harley em cima de uma maca, à sala onde os dois estavam era a enfermaria do lugar, buscando nas gavetas a frente, o homem procura qualquer coisa na qual possa ter algum parentesco com a bomba na qual atacou a garota.

 

- Merda, não tem nada nesse lugar… - Joker busca nas gavetas algum tipo de antídoto para Harley que a cada minuto, piorava.

 

Sem perceber por estar de costas para a garota, Helena surge como uma alma observando Harley desmaiada na maca, sua pele antes branca demais, estava agora arroxeada…

 

- Arlequina… - a menina diz como em um suspiro, encostando então a mão na mulher, a teletransportando dali

 

- Achei querida… - Joker se vira com um vidro pequeno em mãos, assustado ao ver que a mulher não se encontrava na maca - ARLEQUINA? - O homem percorre a sala procurando a mulher que havia desaparecido, ao ver uma mulher, provavelmente enfermeira do lugar, Joker aponta uma arma para a mesma que grita de desespero, um tiro certeiro acerta a testa da mulher que cai no chão com os olhos abertos, criando em sua volta uma enorme poça de sangue - Se esse veneno não te matar, eu mesmo vou arlequina.


 

(...)

 

Segurando a cabeça da amiga Helena balança Harley sem parar, a medida que sua pele começa a voltar ao normal a garota sorri contente, seu plano tinha dado certo…

 

- Arlequina? Sou eu. Está me vendo?! Sou eu, Helena! - a menina diz balançando os dedos para a garota que se levanta aos poucos com as mãos na cabeça - Deus, você está viva! - a menina abraça Harley que ainda tentava assimilar as coisas

 

- Pirralha? Como você está comigo… eu fui atingida dentro do prédio… - Harley ainda tentava assimilar toda a situação

 

- Eu entrei… sabe, eu sei que não poderia entrar mas ouvi tiros… fiquei com medo que não estivesse bem e segurei sua jaqueta de fitas… - a garota diz a mulher que veste a mesma no instante que a vê, era sua jaqueta favorita - então eu te encontrei estranha… Harley, você estava roxa...

 

- Certo, mas como você passou pelos seguranças?! - Harley observa a vestimenta estranha das pessoas a sua volta juntando suas sobrancelhas

 

- Não passei… aprendi a me teletransportar para outros lugares… Harley foi incrível, não sabia que conseguia fazer isso… - a garota diz orgulhosa e sorridente da conquista - esqueci de falar, eu injetei o soro de Hera em você… por isso está melhor, você estava morrendo arlequina… essa era a hora de usá-lo.

 

- Obrigado Helena, você salvou minha vida… mas onde estamos?! - Harley pergunta intrigada para a garota que apenas balança o ombro sem saber - Certo… vamos descobrir… MOÇO! - Harley grita para um homem que passa entre elas com roupas normais - Onde fica esse lugar exatamente?! - o rosto confuso do homem encara as duas 

 

- Nós estamos na Índia senhorita! - o homem se afasta das duas com medo 

 

- INDIA? HELENA NÓS ESTAMOS NA ÍNDIA? - Harley se espanta com a notícia do homem - Helena, tira a gente daqui agora...

 

- É que não vai dar Harley… - Helena se afasta da mulher que e encara com os olhos arregalados - eu só aprendi a chegar em um lugar… não a sair dele.


 

main teree aankhon ka saahil

main tere dil ke hee kaabil

too musaafir, main teree manzil

ishq ka dariya hai bahata

"doob ja, " tujhase hai kahata

haan, meree baahon mein aake mil

haan, vo sharaabee kya sharaabee dil mein jisake gam na ho?

lut gaya samajho sharaabee paas jisake ham na ho

(saakee, saakee, sa...)

o, saaqee-saaqee, re, saaqee-saaqee

aa, paas aa, rah na jae koee khvaahish baakee

o, saaqee-saaqee, re (...)

 

 

 


Notas Finais


E ai gostaram?! Emoções fortíssimas como eu disse a vocês xuxus.
O que foi a Selina jogando na cara do Bruce a situação toda? Hera a Diana, o que foi aquela revelação meu povo?! E a Harley na india com a Helena?! Meu deus

Musicas do capitulo: O Saki Saki - Batla House
Helium - Sia
Capital letters - Hailee


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...