1. Spirit Fanfics >
  2. Histórias para o Senhor C >
  3. Crazy Love

História Histórias para o Senhor C - Capítulo 47


Escrita por:


Notas do Autor


Oi xuxus cá estamos nós no antepenúltimo capítulo dessa história, que na boa? Eu amei pra caralho escrever. segue capitulo novinho :) espero que gostem e boa leitura a todos.
Não esqueçam de comentar o que estão achando, é sempre muito importante mesmo nessa reta final…. Peguem a pipoca e se preparem que tá acabando

Capítulo 47 - Crazy Love


Fanfic / Fanfiction Histórias para o Senhor C - Capítulo 47 - Crazy Love

 

Deitada sobre o chão de mármore do castelo Taj Mahal, observo Helena fracassadamente tentar arrumar uma saída para nós duas, por mais experiente que ela fosse e por mais que seu dom fosse forte, ela ainda não havia aprendido a se teletransportar para o lugar que queria… meus dedos brincavam com as pontas do cabelo enquanto as pessoas passavam entre nós.

 

-  Harley, eu acho que consegui! - meus olhos arregalados a encaram feliz, íamos sair daquele país não tão moderno

 

- Pirralha, vamos logo, já não aguento mais o sol desse lugar. - Digo a ela me abanando, só pela sensação térmica eu poderia jurar que estava fazendo uns 40 graus.

 

- Tudo bem, segure em mim! - Helena me diz enquanto somos puxadas por uma forte luz 


 

A sensação era de estar dentro de um furacão imenso sendo arrastada pela claridade a frente que mais parecia ser o próprio Sol… nossos corpos se batem durante o caminho, e sou capaz de sentir como Helena ainda não tinha tanta experiência para se teletransportar, isso realmente era uma sensação desagradável, a todo momento pensava que iria voltar… em segundos sou jogada com toda força contra a neve, contraindo cada pelo do meu corpo, as montanhas de neve eram enormes e toda a situação só me assustava ainda mais, estávamos bem ferradas.

 

- Helena, onde estamos? - com os dentes sendo pressionados pelo frio, sou capaz de sentir meus pelos congelarem

 

- Naquela placa está escrito Alasca Harley. - a voz trêmula da garota indicava que ela também estava com frio

 

- ALASCA? - eu realmente queria matar aquela garota 

 

- Bem, pelo menos agora você não pode reclamar que está com calor. 


 

(...)

 

NARRADORA

 

Correndo entre os corredores a frente Selina dispara tiros contra policiais que invadem o prédio todo o cercando, entre uma troca e outra de munição a mulher se saia muito bem… antes de ser atingida por um tiro, Selina se joga no chão fazendo uma ponte entre ela e a bala a frente que passa por centímetros de distancia de seu rosto.

A troca de tiros só ficava cada vez maior à medida que a saída do lugar se aproximava, sabendo que não teria como sair, a mulher corre em direção oposta daquela que estava seguindo, como todo o prédio estava sendo cercado por policiais, a sua única alternativa seria fugir pelo terraço, porém como?.

Observando uma sombra a frente se aproximar, a mulher encara com a arma apontada para a sombra que cada vez ficava menor na parede a frente, indicando que a pessoa estava próxima… Jeremias encara a mulher com uma barra de ferro em mãos assustado, a última pessoa na qual ele gostaria de encontrar agora seria a mulher na qual ele abusou.

 

- Olá Doutor Jeremias, que bom te rever! - Selina dispara em sua direção enquanto o homem corre sentido oposto do corredor a frente

 

- Por favor, não me mate… - a voz fraca do homem suplica para a mulher que apenas sorri para ele

 

- Matar? Quem disse que eu vou te matar? - retirando da parede a frente um machado de emergência, Selina sorri para ele diabolicamente - estique as mãos!

 

- Senhorita Kyle, por favor, eu tenho filhas… - o homem chora para a mulher que grita 

 

- Estique as mãos agora! - sua fala é então entendida pelo homem que estica os braços no chão, em segundos suas mãos são decapitadas por Selina que apenas observa o homem gritar. - retire as calças! - sua fala é agora mais firme

 

- Estou sem as mãos Selina, por favor… - as lágrimas de dor caem por todo rosto de Jeremias

 

- Eu mandei tirar as calças! 

 

Gritando de dor e com dificuldade de retirar as calças por estar sem as mãos, o homem tenta de toda forma, mesmo com apenas os braços, retirar a calça jeans velha… sem pensar duas vezes Selina atinge sua região íntima com o machado diversas vezes, até o homem cair no chão sem forças, sua região íntima havia sido destruída.

 

- Você vai morrer bem lentamente Doutor… te vejo no inferno! - O sorriso da mulher é encarado para o homem que já estava nos últimos minutos de vida, antes de uma nova troca de tiros começar entre novos guardas, Selina corre corredor a frente em direção ao terraço.

 

Com as mãos contra a barriga, Joker se diverte com toda a situação que havia sido assistida por ele, aquela com certeza foi uma piada engraçada para o psicopata que encara então o homem se engasgar com o próprio sangue.

 

- Mulheres são tão temperamentais, não é mesmo?! Nunca brinque com o sentimento de uma mulher Doutor, pode acabar perdendo seu poder… - uma carta de baralho retirada por ele entre as mangas da blusa, cortam a garganta do homem o matando -  que noite mais agradável - caminhando até o terraço do lugar Joker assovia uma canção de ninar bem conhecida.

 

(...)

 

- Estou me sentindo naquele desenho caverna do dragão… - Digo enquanto caminho de camelo entre as dunas de areia do Marrocos - mestre dos magos, já pode aparecer viu? QUEREMOS VOLTAR PRA CASA - o sol escaldante voltava a queimar minha cabeça enquanto as moscas nos rondavam

 

- Eu to gostando daqui… - Helena diz enquanto brincava com seu camelo - Harley, acha que meus pais me deixariam ter um camelo?

 

Resmungo enquanto observo Helena dizer algo interessante, eu poderia descontar minha raiva do Batman deixando sua filha ter um camelo, por essa ele não esperava.

 

- Sabe que é uma grande ideia Pirralha? Eu acho que seu pai ia adorar criar um camelo, vamos levar os dois com a gente! - digo sorridente para Helena que bate palmas de alegria, eu estava disposta a fazer o morcego pagar por tudo. - vamos tentar voltar de novo Helena, mais uma vez.

 

(...)

NARRADORA

 

Tiros são disparados a uma velocidade absurda até que uma das mulheres observam na janela abaixo homens fantasiados subirem corredor acima, a quantidade de homens que o Coringa tinha era maior que os policiais e seguranças do lugar.

 

- Não vamos conseguir sair por aqui Hera - Diana diz a mulher que observa preocupada o barulho se aproximar 

 

- São os homens do Coringa! - Selina afirma enquanto as amigas correm de encontro a ela - ele não vai sair daqui sem ela, Hera minha filha está com ela, preciso a encontrar antes que o Coringa encontre.

 

- Calma Selina, Harley nunca deixaria ninguém machucar Helena, sabe disso. - Hera diz a amiga

 

- Não é sobre a Harley Selina, o Batman está aqui… assim que eles se encontrarem a situação vai sair do controle… precisamos sair daqui, eu preciso achar minha filha. 

 

- Olha, se vocês querem achar alguém vivo é melhor correr! - Canário negro aponta então para a escada mostrando a fumaça verde que subia - é o gás do Coringa!

 

Sem cerimônias as amigas sobem pela única passagem que havia aberta no momento, as escadarias que a levariam para o terraço…

 

(...)


 

- Certo… agora eu realmente não sei onde estamos Helena… o que é isso?

 

O som alto de forma diferente me assustava, as mulheres dançavam de uma forma que eu jamais havia visto…

 

- Quem é DJ juninho portugal Harley?! - Helena me encara assustada em cima do camelo 

- Por favor, onde estamos?! - observo então uma placa grande logo a frente, indicando o lugar, para nossa sorte a tradução estava logo abaixo - Brasil, estamos no Brasil HELENA! 

 

- Estamos na Bahia Harley, show da banda Djavú e Dj juninho portugal… aqui chama bar do litrão… - Helena me encara assustada enquanto meu grito de desespero é direcionado a ela, estava exausta

 

- SOCORRO!!!

 

Eu acho que vou me apaixonar,

Meteoro, de mansinho que chegou para ficar

Me chama que vou me apaixonar,

Meteoro que fascina e faz agente delirar… 


 

(...)

 

  NARRADORA 

 

No terraço os helicópteros disputam espaço para conseguir filmar toda a situação acima, as quatro mulheres disputam a pequena área verde com uma refém nos braços, uma das enfermeiras foi encontrada nos corredores pelas mulheres que a fazem refém de toda a situação…

 

‘’ Agora falando exclusivo do jornal diários de Gotham podemos ver a mulher maravilha apontar uma arma para a cabeça da funcionária dos laboratórios Wayne’s, vocês estão vendo isso? Nossa super heroína acaba de fazer uma mulher refém o que será de Gotham com essa incrível revelação de personalidade?! Mas parece que ele já está observando tudo, Batman se aproxima das mulheres, será que teremos um conciliação?! Fiquem atentos.’’

 

- Batman fique fora disso! - Hera diz para o homem que parece estar anestesiado com a situação a frente 

 

- Selina, onde ela está?! - o morcego diz enquanto sem perceber uma bala atravessou seu peito o fazendo cair no chão assustando a todos, Batman havia sido atingido 

 

- BATMAN!! - Selina grita correndo em direção ao homem

 

Gargalhadas são ouvidas de todos os cantos, as mulheres se entre olham enquanto o observam se aproximar, com sua capa roxa e cercado de homens, Coringa aparece no terraço com sua aparência totalmente teatral

 

- Boa noite senhoritas, onde está minha mulher?!.

- Harley não é sua mulher Coringa! - Canario diz ao homem que revira os olhos

- É ai que se engana passarinho Harley sempre será minha mulher.



 


Notas Finais


E ai gostaram? Eu ri com a banda djavu, me perdoem kkk foi a primeira coisa que imaginei


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...