1. Spirit Fanfics >
  2. Histórias que você não acreditaria. >
  3. O lobo.

História Histórias que você não acreditaria. - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


ainda n sei, fds

Capítulo 3 - O lobo.


"Sonhos próximos, difíceis de alcançar."

-???

03h21min, Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

 

Fiquei realmente deprimida ao ouvir aquelas coisas dele...Mas ele com certeza tinha seus motivos pra dizer aquilo, e eu sei muito bem quais são...

Não demorei muito para pegar no sono, afinal, nunca tive dificuldade pra capotar completamente. Naquela noite, tive pesadelos que envolveram ele e meu passado, duas coisa que eu não quero mais me lembrar.

No dia seguinte, acordei bem mais cedo que o normal, pois por algum motivo estava chorando. Talvez fossem meus sentimentos não correspondidos aparecendo só agora. Não que eu me importe com isso agora, já passou e provavelmente não voltará tão cedo. Sinceramente...Tenho medo do que ira acontecer se aparecer de novo...Contudo, fui para escola.

No caminho, esbarrei com o cara mais simpático e interessante que já conheci. Gioshi. Um lobo marrom que, apesar da aparência, é muito amigável. Obviamente, puxei assunto com ele.


06h45min, Quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020


Graspielle:
— Eii!! Você aí!!
Gioshi:
— Ahn? Quem me chamou?
Graspielle:
— Euu!!
Gioshi:
— Ah. Oie! Fiquei sabendo que tinha voltado de Kataricas. Como foi lá?
Graspielle:
— Eae cara. Então, não foi nada de mais, haha!
Gioshi:
— Entendi, hehe.
Graspielle:
— Mas então, como anda as namoradinhas?
Gioshi:
— Que pergunta é essa?
Graspielle:
— Tô só te zuando.
Gioshi:
— ...
Graspielle:
— Se eu fosse você iria me apressar, estamos atrasados.
Gioshi:
— Caramba...Verdade!
Graspielle:
— E-Ei!

Por algum motivo, eu fico muito irritada quando vejo alguém saindo na minha frente e me deixando para trás...Talvez eu tenha motivos pra isso também. Mas eu sabia um atalho que dava direto nos fundos da escola, com certeza ele não sabia e assim, chegaria antes dele.


07h30min.


Gioshi:
— Caramba...Não sei se vão me deixar entrar na sala.
???:
— Então bata na porta, e descubra.
Gioshi:
— Mako?
Mako:
— Bom dia, Gioshi.
Gioshi:
— Ah, bom dia.
— Você nunca chega à essa hora...Aconteceu algo?
Mako:
— Preocupado como sempre, isso é bonito em você, mas não exagere com essa preocupação, ela pode ser um incomodo para muitas pessoas...
Gioshi:
— Desculpe...
Mako:
— Bem. Vamos entrar.

Mako sempre foi uma garota forte e confiante...Queria ter a mesma confiança dela. Muitos animais evitam contato comigo por ser um lobo, é como se o meu rosto ou minhas expressões assustassem os outros ...Isso é horrível, em toda minha vida, nunca quis causar medo em alguém, mas já acostumei com isso.

Eu não tenho muitos amigos nessa escola, sou praticamente um "novo aluno". Meus únicos amigos são a Mako e o Michelito. 
Conheci a Mako durante o treino de Futebol-americano, ela me encorajou a continuar jogando, pois viu em mim o "potêncial" ideal para o time. Já o Michelito...Tirei ele de umas enrascadas, duas vezes. Desde então, passamos a compartilhar os nossos gostos, e temos bastante coisa em comum, principalmente o gosto musical. Então, a partir daí, passamos a ser quase melhores amigos, mas, só quase.
Michelito havia faltado as aulas, então fiquei sem ninguém para conversar praticamente, pois a Mako ficava com o time e seu grupo de amigas.

Eu ficava com o Michelito, mas ele não foi a aula hoje...Porém! Não era momento para pânico, essa era a hora certa para fazer novas amizades, então no intervalo, fui conhecer novos animais.


10h34min 


Gioshi:
— Caramba...— foi a primeira coisa a se passar pela minha cabeça ao ver tantos animais reunidos em um único lugar.
Graspielle:
— Ei, paspalho.
Gioshi:
— Hm?!
Graspielle:
— Olha cara, da próxima vez que tu não me achar, vou dar uma bomba nas suas bolas. Poxa você não é tão alto e eu não sou tão baixa assim...
Gioshi:
— Ah, desculpe hehe.
Graspielle:
— De boa. O que ta fazendo?
— Procurando o Michelito?
Gioshi:
— Como sabe?
Graspielle:
— Leio mentes~
Gioshi:
— Aaham...

Depois da aula, fui até a residencia do Michelito para ver como meu amigo estava, como devem saber...Eu me preocupo muito com meus dois únicos amigos...


19h20min.


Gioshi:
— Então é por isso que nada funcionava nele.
Michelito:
— Sim, porreta. Todas essas armadilhas precisam de cobre, senão elas não serão construídas. Capiche?
Gioshi:
— Aham. E o que é isso? Hahaha!
Michelito:
— Isso é chique.
Gioshi:
— Entendi, be-
Michelito:
— Oh mãe!!
— Traz umas batatas pra gente!!
Gioshi:
— ... — fiquei espantado ao ver como era a forma que ele se comunicava com a mãe...Se eu faço isso com a minha, ela com certeza me coloca para fora de casa.
Michelito:
— Estava dizendo...?
Gioshi:
— Ah! Sim! Você viu a música nova do DJ-platinumfoxy?
Michelito:
— Vi sim, não gostei.
Gioshi:
— Poxa, é mó legal hehe.
Michelito:
— Falando nisso...Tenho uma amiga que também curte esse cara, vou te apresentar a ela amanhã.
Gioshi:
— Tá, Beleza.

Eu estava um tanto animado para conhecer essa garota, não sei porque, mas estava bem animado. No inicio foi díficil de dormir, mas depois, dormi igual a uma pedra.


08h20min, Quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020.


Michelito:
— Olha só. É aquela ali.
Gioshi:
— Ah, legal, quando vamos falar com ela?
Michelito:
— Agora.
— Ô Raooh!!
Gioshi:
Meu deus que escândalo...— cobri o rosto fingindo que não era amigo dele, me senti mal por ter feito isso, mas na hora, foi muito vergonhoso...
Raoh:
— O que você quer?
Michelito:
— Quero te mostrar um cara.
Raoh:
— Hm.
Michelito:
— Esse é o cara.
Gioshi:
— ...Oi...

Bem na minha frente, estava um pequeno animal de olhos grandes e brilhantes, esverdeados igual a uma esmeralda, seu pelo amarelado com manchas escuras, era tão belo quanto os fogos-de-artificio no Ano Novo. Uma raposa.

Ela parecia ser diferente, não estava toda arrumada, apenas com o uniforme, mas ainda assim, era linda. Ela não usava maquiagem, mas os seus olhos com certeza não precisariam de delineador. Ela não usava batom, mas os seus lábios eram tão rosados como um pirulito de iogurte. Ela era tão...


Raoh:
— Quem é esse sem noção?
Gioshi:
— !...
Michelito:
— Caraio mano, esse aí é o Gioshi. Ele gosta do DJ-Farofinha também.
Gioshi:
— "DJ-Farofinha"?
Michelito:
— Longa história nossa.
— Mas então, essa é minha amiga. O nome dela é Raoh.
Gioshi:
— Ah, prazer. Me chamo Gioshi.
Raoh:
— Ahn..Prazer.
— Do que você curte?
Gioshi:
— Ah, videogame, animes e aquele cara que vocês chamam de DJ-Farofinha...
Raoh:
— Que fascinante.
Gioshi:
— Eh...
Michelito:
— Bom, vou mete o pé porque, porque sim.
Gioshi:
— Que?! Aonde você vai??
Michelito:
— Aula.
Raoh:
— Ele tá mentindo.
Michelito:
— Tá falou ae Raoh. Falou ae Gioshi.
Raoh:
— Falou, Mic.
Gioshi:
— Até mais cara.

Por fim, ficamos sozinhos. Não tinha ideia do que dizer pra ela...Eu estava em uma enrascada.

Raoh:
— Então..."Gioshi", né?
Gioshi:
— Ah, sim sim, mas pode me chamar do que quiser haha. — na verdade eu não sei do que mais ela poderia me chamar sem ser o meu nome...
Raoh:
— Okay então, Gioshi.
— Me conta mais de você, de onde cê é? Pelo jeito parece ser novo por aqui.
Gioshi:
— Ah! Na verdade eu vim de outra província.
Raoh:
— Serio?! Me conta como era!
Gioshi:
— Bem hehe, não era muito diferente, mas se quiser posso te contar como era por lá.
Raoh:
— Fala fala fala!

Depois que o Michelito partiu, ficamos apenas eu e ela, conversamos por quase um dia inteiro. Sem ser durante as aulas, ela ficou a todo momento me pedindo para contar sobre a minha província, não era muito diferente, mas era bem menor que essa em que me encontro. Kampintahara é uma cidade pequena, embora seja quase do lado de Son Paruruho.

Depois da aula, fiz questão de leva-lá até em casa.


18h30min.


Gioshi:
— Que estranho essa mudança de temperatura, né?
Raoh:
— Neeh! Por aqui o tempo muda bastante mesmo, o pessoal daqui está mais acostumado com o frio, até no verão!
Gioshi:
— Entendi...Lugar bem movimentado esse, né?
Raoh:
— Essas horas geralmente os adultos estão voltando de seus trabalhos, então diria que qualquer lugar é movimentado dependendo da hora.
Gioshi:
— Entendo...Lá na minha casa antiga, quase nunca tinha movimento assim.
Raoh:
— Mesmo?
Gioshi:
— Bem... — bem na frente da minha casa tinha um bar desgraçado que todos os dias tinha festa lá...então eu estou mentindo em confirmar...
— Sim! Era bem calmo por lá.
Raoh:
— Aahh! Que sonho.
Gioshi:
— Ué? Pensei que gostava da cidade.
Raoh:
— Não, não gosto muito de lugares urbanizados.
Gioshi:
— Entendo...
Raoh:
— Atchim!!
— Caramba...
Gioshi:
— Ah, você vai pegar um resfriado se continuar assim. Aqui. Pegue o meu casaco.
Raoh:
— Não precisa, eu tô bem.
Gioshi:
— Vamos, não seja boba.
Raoh:
— Bem...Obrigada.
Gioshi:
— De nada, hehe.
Raoh: 
— Você não vai se resfriar?
Gioshi:
— Não, lobos são acostumados com o frio. Raposas também, né?
Raoh:
— Algumas...

 

Por algum motivo, nunca havia me sentido tão bem conversando com alguém desse jeito, era como se o mundo todo tivesse parado e só nós estivéssemos ali, acordados.

O meu casaco era grande demais para ela, mas ainda assim podia conforta-la, pelo jeito, mesmo sendo uma raposa, o frio fazia algum mal à ela.


Raoh:
— Bem...Chegamos.
Gioshi:
— Que casinha bonitinha! Você mora com seus pais?
Raoh:
— ...
Gioshi:
— ?
Raoh:
— ...não.
Gioshi:
— Entendi...Bem, chegamos né.
Raoh:
— Eh...Obrigada pelo papo, e por ter me acompanhado até em casa.
Gioshi:
— Ah que isso, haha! Foi um prazer vir com você até aqui.
Raoh:
— De qualquer forma obrigada. Boa noite, Gioshi.
Gioshi:
— Boa noite, Raroh.
Raoh:
— É "Raoh".
Gioshi:
— Ahn...Desculpe.
Raoh:
— Tudo bem, haha. Meu nome é esquisito mesmo.
Gioshi:
— Ah ele é bonito.
Raoh:
— ...
Gioshi:
Merda. Pensei alto de novo.
Raoh:
— Bem...Até amanhã.
Gioshi:
— Até!

 

Na frente da porta de casa, ela se virou e acenou para mim com um sorriso no rosto, só aquele sorriso teria feito o meu dia perfeito. Contudo, ela parece solitária...


23h54min.


Michelito:
— Oh, mano.
Gioshi:
— O que foi?
Michelito:
— Porque a tua cauda tá balançando?
Gioshi:
— Ahn...

 

Durante toda a noite, fiquei pensando naquela raposa...O papo dela era ótimo, com certeza melhor do que o de muitos animais por aí. Ela tinha uma sinceridade nas palavras, no olhar...Ela era diferente dos outros animais...

Sempre que penso nela, minha cauda balança, eu não entendia isso...Mas agora, sei o por quê. Fico feliz quando estou do lado dela. Quero vê-la novamente amanhã.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...