1. Spirit Fanfics >
  2. Hogwarts, a Story! >
  3. A.D - Final

História Hogwarts, a Story! - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Aqui está a parte final da história, espero que gostem!!! comentem que personagens vocês querem ver por aqui!!! e com quem!!
BOA LEITURA!!

Capítulo 6 - A.D - Final


Fanfic / Fanfiction Hogwarts, a Story! - Capítulo 6 - A.D - Final

Ronny respirou fundo antes de entrar no escritório, a frase de Arthur ainda escova na sua cabeça:

"Se ele não deixar sua bunda vermelha o suficiente para você aprender a lição, eu irei deixar"

Arthur chegou cedo naquele dia, para os desgostos dos filhos mais novo na verdade, eles amavam muito o pai, entretanto quando se tratava de disciplina dos meninos ele era bem Severo. Ele ficou extremamente desapontando quando soube o que suas quatros crias presentes na escola aprontaram, ele sempre ensinou defesa aos filhos, mas ele sempre deixou claro que eles só podiam duelar na frente de um adulto.

Para Ron ter que ser castigado por Alvo era um alívio, todos os outros que foram castigados hoje levou apenas algumas palmadas, os gêmeos levaram mais porque já tinham sidos avisados antes, também né? Os gêmeos sempre se metem em confusão. Ron sabia muito bem que se ali fosse seu pai ele estaria tendo um belo contato com a cinta, porém Alvo já tinha mencionado para o trio de ouro que se mais alguma vez eles se colocassem em risco de propósito (como quando saíram se aventurando pela pedra filosofal) eles iriam ganhar mais do que uma dúzia de palmadas.

Ron respirou fundo e olhou o homem velho em sua frente, Dumbledore deu sorriso calmo para acalmar a criança preocupada.

— Roupas abaixadas e meu colo senhor Weasley. -Ele bufou baixo, claro que ia ter que ficar pelado, as meninas sempre tiveram privilégios.

Ron abaixou a calça jeans surrada que estava usando e logo em seguida sua cueca vermelha, corou rapidamente e colocou as mãos cobrindo o pênis, como se Alvo nunca tivesse visto um pênis adolescente, o homem revirou os olhos para a vergonha da criança.

— Venha meu jovem. -Ron obedeceu e deitou de bruços no colo do homem.

— Acredito que com a palestra de seu pai você já compreendeu o seu erro, estou correto? -Mais cedo naquela noite, após os gêmeos já terem sidos castigados, Arthur e Lupin deram uma palestra cheia de sermões nas crianças, para que eles entendessem o quanto estavam errados.

— Eu compreendi sim, senhor. -O garoto fala suspirando pesado. Dumbledore levanta a mão e acerta algumas palmadas bastante fortes no traseiro de Ron.

 Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass  

— Senhor Weasley essa não é a primeira vez que estamos tendo está conversa, eu acreditava que tinha deixado bem claro a mensagem no primeiro ano.

Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass

— Ai… desculpe-me senhor. -Ron implora segurando o choro, ele precisava ser forte, aliás ele já era um rapaz, não um menino.

— Eu desculpo sim Ronald, entretanto tudo se tem consequências, meu menino. -Ele naquele exato momento com um aceno da varinha convocou um chinelo de couro antigo, que de acordo com Sirius pertenceu a gerações de Black e começou desferir tapas nas nádegas de Ron.

Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Ron não conseguiu ficar quieto e começou a tentar sair do colo do homem disciplinador, Alvo segurou o garoto e lhe deu apenas uma chinelada forte no meio de suas nádegas.

SWAHT!!!

— Não saia da posição, ainda não terminamos Sr Weasley. -Ele avisou baixo e sério, no mesmo minuto Ron caiu em lágrimas silenciosas.

Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat

— Espero que essa seja a última vez que nos encontramos assim, falta apenas dois anos para você terminar os estudos. -Ele levantou os joelhos e deixou algumas chineladas caírem na junção de bunda com cocha de Ron.

Não demorou muito para que o menino chorasse bastante, Alvo alisou as costas da criança de bumbum vermelho em seu colo e ficou falando palavras de conforto.

— Desculpa, senhor...-Ron murmura ainda entre lágrimas e Alvo com um movimento de varinha faz as roupas voltarem até a criança.

— Está tudo bem, você já foi perdoado Ron. -Levantou a criança e lhe deu um beijo na testa.

— Diga a senhorita Granger que é a vez dela, vá descansar ok? -a crianças confirmou com a cabeça e retirou da sala.

Alvo respirou fundo, só faltava mais duas, a Hermione que sempre era a mais dura na queda entre as meninas, seu ego era muito forte, era necessário ele dizer a menina que estava decepcionado, para ela entender que as ações dela estava errada. E Harry que estava extremamente impossível esse ano.

Quando Ron avisou a Hermione que ela poderia ir, ela respirou fundo, soltou um sorriso a Harry e Ron subiu para o quarto que dividia com Harry, Arthur fez questão de ir atrás do menino, ele bem sabia o quanto doía ser castigado pelo ancião dos bruxos e seu filho precisava de um pouco de carinho, Molly já estava fazendo isso com Gina e os gêmeos estavam ocupados fazendo alguma brincadeira com Sirius e deixando Severus emburrado de tédio.

Hermione entrou no escritório segura de si, em seus cincos anos de grifinória já se encontrou mais de uma vez no colo do diretor, a primeira foi quando ela ainda era primeiro ano e resolveu se aventurar pela pedra filosofal e logo depois no ano seguinte por ter roubado instrumentos de poções do professor Snape e fazer uma poção polissuco.

Entretanto o homem sempre deixou bem claro o que ele achava sobre crianças arriscando suas vidas, e ele deixava de uma forma bem dolorosa seu ponto de vista.

Alvo suspirou e olhou a menina.

— Pelo que eu fiquei sabendo a ideia foi sua, senhorita. -Hermione suspirou pesado e confirmou com a cabeça.

— Eu não pensei direito que...- Alvo levantou a mão para que ela calasse a boca.

— Eu sei, eu sei que você não pensou direito. Entretanto você já é uma moça Hermione, você já tem quinze anos, você é uma bruxa muito inteligente, tem um futuro brilhante, mas você pode perder esse futuro se continuar se arriscando assim. -ele avisa sério e Hermione abaixa a cabeça, ela quase nunca deixou o velho desapontado e ela finalmente conseguiu fazer isso, que exemplo ela estava dando para os mais novos?! ela era uma péssima monitora.

Esse pensamento fez seus olhos encherem de água ela odiava tanto desapontar quem ela sempre deixava orgulhoso.

— Venha, nós precisamos acabar com isso. -O velho chamou para sua frente e a menina obedeceu sem muito reclamar, ela ainda estava sentida por decepcionar o mais velho.

Dumbledore deitou Hermione em seu colo e diferente das outras meninas ele abaixou sua calça, lhe deixando vestida apenas pela calcinha rosa, começou acertar tapas fortes em suas nádegas.

Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass

–Eu espero muito não ter essa conversa com você novamente, onde está a Hermione que todos conhecemos? Você sempre deu exemplo aos outros e não incentivou eles a fazer loucura. -Ele aplicou mais algumas palmadas e Mione mordeu os lábios para não mostrar que estava sentindo dor.

Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass

Hermione deixa as primeiras lagrimas silenciosas começarem cair, ela não queria chorar na frente do mais velho, ela era uma bruxa forte e inteligente, não ia ser umas palmadinhas que iria fazer ela chorar assim.

Alvo por sua vez levantou os joelhos um pouco e começou acertar nas partes de sentar de Hermione.

Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass

–Chega de se colocar em risco Hermione, você é muito inteligente para os estudos, porém parece que não tem o mesmo quando se trata de sua vida. -O homem disse sério o bastante para fazer o choro de Mione aumentar.

–Espero que essa mensagem fique bastante clara para você. Lógico que nós precisamos de você nessa guerra, Hermione, mas de você viva. -Ele abaixou a calcinha dela e a mesma afundou sua cabeça no braço da poltrona, morrendo de vergonha.

–Senhor eu não sou mais criança para ficar assim.... -Ela choraminga.

 –Sim, Hermione. Você é sim uma criança, apenas uma criança. -Alvo avisa pegando a mesma chinela que outrora usou em Ronald e começar acertar as nádegas já rosadas da jovem bruxa.

Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat

–Espero não ter que fazer isso com você novamente. -Ele avisa terminando o castigo ao perceber que suas nádegas estão vermelhas, sobe a roupa da menina e ajuda ela levantar de seu colo.

Hermione ainda chorosa abraçou o velho que tinha idade de ser um avô para seus pais.

–Me desculpa senhor, me desculpa. -Ela funga baixo ele retribui o abraço alisando as costas da bruxinha.

–Está tudo bem Hermione, você está perdoada. -Ele sorri acalentando a mais nova.

–Mas... eu decepcionei você.

–Você me decepcionou por se colocar em perigo, minha jovem. Mas a sua iniciativa de chamar outros alunos para lutarem nessa guerra me deixou bastante orgulhoso. -Ele afirma beijando o topo de sua cabeça.

–Eu... eu posso ir? -ela questiona soltando-o e lhe olhando.

–Pode sim, vá descansar, eu acredito que a semana foi longa. -Ela confirma com a cabeça e logo se retira da sala.

Harry respira fundo e entra com raiva na sala, encarando o velho.

–Harry, eu acredito que você já reconheceu erro e sabe o porquê está prestes a ser castigado. -Dumbledore começou e o pirralho apenas deu de ombros. –Eu quero uma resposta auditiva, meu jovem. -O velho ordenou e o menino revirou os olhos.

–Tanto faz. -Harry avisou irritado.

–Não Harry, não é tanto faz. -Dumbledore suspirou cansado, ele só queria acabar tudo isso e descansar. –Você não reconhece que errou?

– Errei onde? – o menino riu debochado. –Em ensinar as pessoas se protegerem daquele maldito?!

–Você errou em colocar sua vida em risco. -Dumbledore tenta começar explicar, mas Harry gargalha e sua parte Voldemort começa se rebelar, Harry em instantes começa andar pela sala.

–Eu faço isso desde que nasci, desde que entrei naquela escola. Desde que eu conheci você! Seu velho inútil. -Ele murmura as ultimas palavras, mas não passa despercebida por Alvo, que levanta no mesmo instante e caminha até Harry.

–O que você pensa que está fazendo, meu rapaz? Você está apenas piorando seu lado. -O homem pegou a criança pelo braço e lhe arrastou até a poltrona.

–ME LARGAAAAAAA!! Para com isso!

–Eu nem comecei ainda, você está ultrapassando meus limites. -Dumbledore sentou na cadeira e colocou Harry por cima de seu colo, o menino no mesmo segundo começou a se debater, Dumbledore pegou sua varinha e fazendo um feitiço não verbal paralisou a criança e abaixou suas roupas, pegou a chinela ao lado e começou acertar no bumbum nu de Harry.

Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat

–Você pense bem antes de me xingar. Eu que você não consegue controlar seu lado pertencente a Tom ainda, mas você aprenda a me respeitar.

Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat

–Eu sou mais velho que você, você respeita os mais velhos.

Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat

Harry começa chorar baixo pedindo para que ele pare, pois as chineladas estavam doendo bastante.

–Tá doendo? É para doer Harry, quem sabe assim você começa a aprender que a vida de milhares de pessoas depende de você se manter vivo. Eu não quero mais saber de você se arriscando como se não houvesse amanhã, chega disso.

Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat

–Chega também de você mexer nas coisas sem permissão. -Ele começa a falar sobre os atos de Harry em relação a Snape. –Você não deveria ter invadido a privacidade de alguém que só quer lhe ajudar.

Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat Shawat Shawt Shawat Shawat Shawat Shawat

–Eu não confio nele!

–Mas eu confio e lhe garanto que ele só quer o seu bem. -Alvo colocou a chinela no chão e começou dar palmadas nas nádegas já vermelha.

Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass

–Você irá levantar se vestir e pedir desculpas ao professor Snape e pedir para que ele volte com as aulas o mais rápido possível. -Ele falou finalizando.

Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass

–Estamos entendidos, moço? -questionou dando apenas mais uma sequência nos pontos de sentar.

Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass Plass

–Est-Estamos sim, senhor. -Harry transbordava em lagrimas, Dumbledore retirou o feitiço e subiu suas roupas. –Pode ir Harry. -Ele tentou dar um abraço na criança, mas o mesmo apenas se afastou e saiu pela porta.

Harry secou suas lágrimas e fungou baixo ao perceber que estava sozinho na sala de estar, andou até cozinha e siriús estava conversando com Remo e Snape, Severus estava contando a eles sobre Potter saber de sua “amizade” com os marotos.

–Harry. -Sirius sorriu ao ver o afilhado e logo suspirou pesado ao ver a cara de choro da criança. Harry respirou fundo e olhou Snape.

–Senhor... Professor eu acho que preciso... -ele tentou pedir desculpas, mas era tão difícil, Snape lhe olhou de braços cruzados, aquela criança precisava apenas de um colo e dormir.

–Vá dormir, Potter. Você precisa descansar. -O velho morcego ordenou e a criança respirou fundo.

–Vamos Harry, eu fico com você. -Almofadinhas avisou pegando o afilhando pela mão e subindo as escadas, Remo e Severus se olharam e suspiraram.


Notas Finais


GOSTARAM???????
Vocês tem Kwai??? se não cê quer ganhar dinheiro? me conta aí!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...