História Hogwarts e Dupont - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter, Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alvo Dumbledore, Alya, Cedrico Diggory, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mestre Fu, Nino, Remo Lupin, Ronald Weasley, Severo Snape
Visualizações 20
Palavras 2.112
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Por enquanto os alunos estão só se conhecendo.
Esse capitulo só é um "oi" entre eles.

Capítulo 9 - Cada um na sua


Fanfic / Fanfiction Hogwarts e Dupont - Capítulo 9 - Cada um na sua

Dumbledore e ele trocaram algumas palavras e depois Dumbledore Ergueu sua taça novamente apresentando o bruxo que havia entrado pelo salão de forma abrupta.

D: - E este é Alastor Moody, grifinória o novo professor de DCAT.

Moody que ainda estava em pé inclinou levemente a cabeça para todos os presentes em um breve cumprimento e sentou-se na cadeira ao lado de Dumbledore. O salão continuava em silêncio neste momento e muitos alunos olhavam para Moody se perguntando o que poderia ocorrer com um bruxo para que tivesse essa aparência. Mas Dumbledore continuou a falar.  

D: -Como eu ia dizendo Hogwarts será sede de um outro evento este ano, os detalhes já vem sendo discutidos há quase um ano. Este ano teremos a honra de sediar o primeiro torneio bruxo do último século. Em suas outras versões tratava-se de um torneio tribruxo, porém, este ano a Dupont também irá participar!

Mal acabou de falar em uma enorme comoção se espalhou pelo salão principal. Muitos alunos perguntavam entre si sobre o evento e vários sabiam do que se tratava, pois tinham lido em livros. Dumbledore continuou explicando que há setecentos anos o torneio ocorria entre Durmstrang, Hogwarts e Beauxbatons. Era escolhido um campeão de cada escola que competiam entre si  de forma amistosa em três provas. O torneio era periódico a cada cinco anos e era uma ótima forma de estabelecer contato entre bruxos e bruxas de diferentes nacionalidades até que por conta da alta taxa de mortalidade ocorrida no evento sua realização foi interrompida.

Uma parte dos alunos silenciou após esta informação, diversos do Dupont, que ainda tinham fresco na memória os ataques do Dupont e a morte dos professores. Mas a maior parte do alunos parecia estar em êxtase com a possibilidade de competir em um torneio como esse.

D: - Então através dos esforços dos Departamentos de Cooperação Internacional em Magia e de Jogos e Esportes Mágicos foi possível a organização para realização do torneio e trabalhamos muito durante o verão para garantir que, desta vez, nenhum campeão seja exposto a um perigo mortal. Além, disso, como parte dos esforços de segurança, desta vez a idade para participação será limitada a alunos maiores, com mais de dezessete anos. Decidimos desta forma porque as tarefas podem ser complicadas demais para alunos que ainda não estejam no sexto ou sétimo anos e potencialmente perigosas, por mais precauções que tomemos.

E novamente teve um burburinho geral, a maior parte dos alunos que parecia insatisfeito eram realmente do sexto e do sétimo anos, só que ainda não haviam completado dezessete. Nem dava para dizer que não teriam uma pontinha de razão, um corte simples e seco por idade! Mas as verdadeiras reclamações começaram depois que Dumbledore contou sobre as outras escolas e falou também do prêmio de mil galeões. Era notável que Fred e Jorge, assim como outros já pensavam em alguma forma de driblar a inscrição por idade!

Draco: -Mas que droga! De todos os alunos de Hogwarts, só os sonserinos terão que respeitar essa regra!

Pansy: -Ora Draco, não faça escândalo. Você sabe que Snape faz vistas grossas as nossas transgressões da mesma forma que os outros diretores de casas… - Chlóe e Marinette apenas ouviam. Os diretores de casas faziam vistas grossas às regras em Hogwarts? Mas as regras ou eram necessárias ou não deveriam existir!

Mas era exatamente isso que Draco sabia muito melhor do que Pansy. Snape era seu padrinho e ele sabia bem que as vistas grossas eram em relação a traquinagens e brigas estudantis. Draco ainda se lembrava perfeitamente das as detenções no primeiro ano depois daquela noite que Hagrid os levou para a floresta proibida cumprindo uma detenção. “Você é um sonserino, Draco, não um estúpido que age por impulso e não liga para o perigo! Pouco me importa que Hagrid  o guarda-caça disse que a detenção seria acompanhá-lo na floresta, você tinha que saber melhor que isso! O sonserino sabe como sair de enrascadas, ou não se meter nelas!” Os horários rígidos e visitas surpresas a sala comunal da sonserina durante todo o segundo ano. E punições e “chamadas” depois do incidente com o hipogrifo no ano anterior. E claro, naquele ano Snape se aproveitou do incidente com o hipogrifo usando ele para causar problemas para Hagrid em uma vingança pessoal muito ardilosa... Draco gostava de pensar que o padrinho se importava, mas era muito difícil de dizer. Os pontos das casas, com facilidade dados a sonserina e tirados da grifinória eram só a superfície. Efetivamente Snape não repreendia infrações comuns da sonserina, porém, se um aluno da sonserina se metia numa furada arriscada o castigo vinha. E de uma forma tão discreta, mas rigorosa, que todos os outros alunos de Hogwarts tinham certeza que Snape era o diretor de casa mais tendencioso dali. Notas, trabalhos, sermões, comunicados aos pais, algo planejado, impessoal de forma que o recado chegasse.

Draco: -Pansy a questão é que você nunca fez o suficiente para provocar o prof. Snape. Eu acho que ter menos de dezessete e se inscrever no torneio é algo que o faria demonstrar o que ele é capaz. - Disse com um sorrisinho irônico. - Quer mesmo saber? É só  tentar...

Pansy: -Não seja obtuso Draco, não lhe cai bem. Se eu tivesse dezesseis e fosse fazer dezessete poderia pensar nisso, mas quem seria louco o suficiente no quarto ano para querer enfrentar desafios é pé de igualdade com competidores de dezessete? É pagar mico para a escola inteira!

O jantar chegava ao final e os alunos iam para suas respectivas salas comunais aos poucos. Os monitores das casas acompanharam alguns alunos do Dupont apenas para assegurar que se instalassem sem problemas em seus dormitórios.

Cedrico acompanhou Mylene, Rose, Nino e Adrien e alguns alunos dos outros anos. O caminho do salão principal até a sala comunal da lufa-lufa era simples e curto, a entrada era próxima da cozinha de Hogwarts. Chegando lá, Cedrico mostrou os dormitórios para os garotos do Dupont. Em Hogwarts era muito comum que cinco alunos da mesma idade ficassem nos quartos até  final dos estudos no sétimo ano, pois um novo quarto era formado quando entravam os novos alunos porém, não havia tantos alunos do mesmo ano no Dupont. Então Nino e Adrien ficaram no mesmo quarto que dois alunos do terceiro ano e um do quinto. Rose e Mylene ficaram no mesmo quarto que três garotas do terceiro ano.

A impressão geral causada pela sala comunal da lufa-lufa foi agradável. As janelas eram todas altas, agora eles não sabiam mas logo descobriram. O alojamento da lufa-lufa era abaixo do solo sendo quase um porão, as janelas altas ali dentro eram, na verdade próximas ao chão do lado de fora. As portas de cada um dos dormitórios eram circulares em diferentes alturas. No na sala comum a todos os quartos havia uma grande lareira que mantinha a temperatura da sala agradável. Os móveis eram todos de madeira rústica, funcionais, sólidos e amigáveis tinha muitas plantas decorando o ambiente e o monitor contou a eles que isso era coisa da diretora de casa, a Profa. Sprout que era a professora de herbologia.

Adrien, Nino Mylene e Rose ficaram por ali bastante tempo conversando com alunos da lufa-lufa Justino, Ernesto, Ana e Susan. Eram todos do quarto ano. Os alunos de Hogwarts perguntavam sobre o que havia ocorrido em Paris, como era a Dupont e como eram os professores franceses, enquanto Adrien, Nino e as garotas perguntavam sobre como era estudar em um internato, como funcionava e para que servia o esquema de casas. Falaram também sobre quadribol, Cedrico que estava por ali se lamentou que esse ano não haveriam jogos. Ele era o capitão do time, e era seu penúltimo ano, gostaria de poder jogar.

Na grifinória Alix, Kim e Alya conversavam com Harry, Hermione, Rony, Longbotton e Gina. Simas e Dino também estavam por ali, mas mais ouviam do que falavam alguma coisa. Alya já foi logo perguntando sobre o jornal dos alunos, pois no Dupont havia um jornal da escola, era semanal, de dois pergaminhos no máximo mas ela participava da edição. Ficou decepcionada quando descobriu que em Hogwarts não havia jornal dos alunos. Alix e Kim quiseram saber sobre a competição das casas mas os grifinórios mais antigos explicaram que provavelmente esse ano, o torneio tetrabruxo iria ser muito mais importante que a velha competição entre casas. Fred e Jorge conversavam sobre as possibilidades que Dumbledore poderia usar para impedir a inscrição de alunos com menos do que dezessete anos.

Fred: -Ah, mas é óbvio que eles esperam que tentemos burlar essa regra, se não fosse assim nem teriam avisado logo de cara. Um aluno esperto o suficiente para burlar o sistema de idade será considerado apto a competir!

Kim: -Cara, se tiver um jeito eu vou tentar! Não fico fora de uma competição por nada.

Alya: -Sabemos disso, seu idiota, um dia você vai acabar se matando tentando… Você não conhecem as notícias dos eventos anteriores? A Beauxbatons perdeu vários alunos no torneio antes que a periodicidade fosse interrompida.

Alix: -Pelo visto o chapéu errou de casa com você Alya! Achava que a grifinória era a casa dos corajosos! - Vários alunos ali riram do comentário de Alix, menos Hermione que também tinha lá suas preocupações.

Gina: -Eu aposto que terão várias tentativas de alunos sem muita noção tentando se inscrever mesmo sem ter a idade necessária. Poderíamos fazer um bolão para ver quantos, de qual casa, de cada ano diferente. Tem que se achar demais para crer que irá conseguir ganhar de alunos do último ano. Acho que os mais novos serão da grifinória. Vocês acham que alguém do terceiro ano irá tentar?

Rony: -Só se for você, maninha. Vai se unir ao Fred e ao Jorge nas tentativas, hum?

[...]

Cassius Warrington, monitor da sonserina, acompanhou os alunos do Dupont para a sala comunal. Proporcionalmente menos alunos da Dupont foram para a casa sonserina. Mas quando chegaram à sala comunal não poderiam ficar menos extasiados. Agora a noite, as janelas permitiam que uma luminosidade muito fraca fosse visível, o suficiente para perceberem que se voltavam para baixo da água. Não era tão estranho assim de entender, afinal os dormitórios da sonserina ficavam nas masmorras próximo ao lago. O ambiente era agradavelmente aquecido e o mobiliário era suntuoso. Pansy, Draco, Milicent, Theodore e Blaise estavam curiosos em relação aos alunos do Dupont do quarto ano. A partir de amanhã teriam aulas juntos até o final do ano. Era estranho considerar isso, nenhum deles sabia as famílias puro sangue mais famosas da França. Nunca haviam parado para pensar o quão “bairrista” era um ministério da magia até hoje.

Pansy: -Que dia huh? Quantas novidades no primeiro dia do ano! Vocês acham que muitos alunos vão se inscrever no torneio?

Cassius: -Eu vou, provavelmente todos os alunos do último ano irão. Com toda certeza terão vários de outras casas que irão tentar quebrar a regra de idade.

Pansy: -Você acha que alguém na sonserina irá?

Cassius: -Para responder para o Snape? Difícil… Esse é o tipo de coisa que ele não deixaria passar.

Pansy: -Hei, Chlóe o que você pode dizer dos professores da Dupont? As aulas deles serão todas opcionais eles são bons professores o prof, Agreste e o prof Damocles?

Chlóe: -Ah o prof Agreste é muito … competente, no dupont nós tínhamos DCAT com ele, mas ele é exigente, demais para o meu gosto pede trabalhos quase sempre individuais. Vocês estão acostumados com duelos?

Pansy: - Tivemos há dois anos atrás, mas foi muito confuso e pouco produtivo.

Chlóe: -Na Dupont nós tínhamos desde o primeiro ano, fazia parte das matérias correntes.

Pansy: Huh loirinha! Então você sabe duelar graças ao Agreste?

Marinette: -Não exatamente. Na Dupont duelos era supervisionada por outro professor… - Disse um pouco desconfortável. - Damocles é um professor tranquilo, dá menos tarefas e tenta ser compreensivo, mas Aritmancia não é para todo mundo! A professora Bustier… -Mas foi interrompida por Blaise.

Blaise: - Nem precisa falar dela, nenhum aluno da sonserina faz aulas de Estudos dos Trouxas, não nos importamos com eles.

Marinette: -Oh sim, desculpe, mas na Dupont ela dava aula de História da Magia, é uma boa professora, não é, Chlóe?

Chlóe: -Sim! É uma pena que ela vá ensinar Estudos dos Trouxas, é tão aquém de sua capacidade! Um desperdício!

Draco: -Realmente é uma pena, não seria nada mal que alguém substituísse o prof. Binns! Fantasmas não deveriam ser professores.

Marinette: -Vocês tem aulas de História da Magia com um fantasma?.

Draco: -Bem… se ele fez parte da história, pelo menos deve saber falar algo sobre ela…



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...