1. Spirit Fanfics >
  2. Hogwarts lendo; As quatro rainhas de Hogwarts >
  3. Nós Apresentamos Hogwarts Aos Novos Alunos

História Hogwarts lendo; As quatro rainhas de Hogwarts - Capítulo 10


Escrita por: e KamillaVGoulart


Notas do Autor


Capítulo escrito por @KamillaVGoulart

Capítulo 10 - Nós Apresentamos Hogwarts Aos Novos Alunos


Fanfic / Fanfiction Hogwarts lendo; As quatro rainhas de Hogwarts - Capítulo 10 - Nós Apresentamos Hogwarts Aos Novos Alunos

Quando todos voltaram para a leitura, Hermione Granger pegou o livro, abriu e disse:

__ O capítulo se chama: Nós Apresentamos Hogwarts aos Novos Alunos.

Jason e os do futuro começam a rir, enquanto Kayla fica levemente corada, mas ria.

__ Vai ser interessante esse capítulo.__ Milly olha para Kayla maliciosa.

__ Nem vem.__ Kayla responde corando mais.


P.O.V Kayla Clarkson

→←✯✿✯→←


No dia seguinte, quando acordamos, ainda na sala, seguimos para o salão principal. Se tivéssemos sorte, ninguém teria percebido nossa falta.

__ Disse bem.__ George concorda.

__ Se tiverem sorte.__ Fred termina.

Nós havíamos conversado sobre a sala e como seria usado a estufa e as outras salas. A estufa ficaria sobre minha responsabilidade e eu plantaria nela algumas plantas raras e que Sol poderia usar para suas novas poções quando estivessem prontas para serem usadas. E uma das salas seria para treinamentos.

Milly não parava de me atormentar com as meninas por causa de Jason.

__ Mas elas estavam certas.__ Jason dá de ombros, fazendo Kiara rir das bochechas coradas de Kayla.

Claro que ele era lindo e tudo mais, mas... Ele me tirava do sério.

__ Obrigada, sei que sou lindo.__ Jason diz sorrindo.

Sempre me provocando de maneiras... Ahm... como se diz?... Ah, esquece. Melhor esquecer.

__ Melhor mesmo.__ Alguns concordam.

Enfim, eu nem ligo para as provocações dela, algo me diz que poderei provocar ela bastante daqui alguns dias.

__ E estava certa.__ Dênis concorda distraído com a filha.

Não me pergunte como sei disso.

Por termos acordado meio tarde, chegamos no café da manhã atrasadas.

Uma mesa havia sido adicionada para os alunos que estão fazendo intercâmbio. Era cerca de 10 alunos de cada escola e haviam oito escolas presentes.

__ Sabe, essa ideia de intercâmbio é maravilhosa.__ Albus Dumbledore diz pensativo.__ Quem sabe ela comece no próximo ano letivo...

Eu havia ajudado Minerva a arrumar um lugar para visitantes ficarem, mas eu não sabia quem ficaria lá. Eu havia usado um feitiço de expansão, criando um corredor extra no sétimo andar e adicionei dormitórios, 8 femininos e 8 masculinos, meninas a direita do corredor, garotos a esquerda.

__ Finja que não estão nos olhando.__ Andy sussurra quando entramos no salão e todos olharam para nós.

__ Difícil.__ Alguns respondem rindo.

__ Meio difícil.__ Respondo.__ Vamos.

Fomos até a mesa da Luffa-luffa e nos sentamos, mas uma menina pergunta:

__ Onde as senhoritas passaram a noite?

__ Lá vem confusão.__ Os gêmeos dizem rindo.

Minha mente trabalhava a mil, para inventar uma desculpa. As meninas estavam pálidas e pareciam tentar o mesmo que eu.

__ Eu encontrei uma passagem secreta que levava a uma estufa de plantas.__ Começo insegura.__ Nós estávamos lá e não percebemos o tempo passar. Como lá tem um dormitório, ficamos lá. Não é, meninas?__ Encaro elas.

__ Mente muito bem.__ Alguém elogia.

__ Claro.__ Milly concorda.

__ Uma passagem secreta?__ Filch pergunta desconfiada.

__ Sim. Por que? Acha que estou mentindo?__ Pergunto com uma ofensa forçada.

__ Sim, eu acho.

__ Ótimo, não é o primeiro a achar.__ Respondo firme e me viro para minha comida, ignorando o olhar dele.__ E se não quiser segredos revelados, melhor não me olhar assim.

__ Maldita Legilimência!__ Ele resmunga saindo do salão.

__ Caramba...

Sol me encarava seria.

E se quiserem ver a sala para verem se estamos falando verdade? Ela pensa, ciente de que eu escutaria.

Coloco a mão na mesa e escrevo com a ponta do dedo:

DAREI UM JEITO NISSO.

Ela abre um sorriso e pergunta sussurrando, depois de ninguém nos olhar mais.

__ Aquele te encarando é o Jason, o seu namorado?

__ Namorado?__ Jason pergunta.__ Naquela época ainda não.

Viro o rosto com tanta rapidez, que minha visão fica levemente embaçada.

Jason me encarava e por segundos, vi um sorriso no seu rosto, como se dissesse: "Sei que você mentiu."

Encaro ele com os olhos semicerrados e digo mentalmente, com plena certeza que ele ouviria: "Se disser alguma coisa, corto sua língua fora."

__ Agressiva.__ Jason sussurra no ouvido de Kayla.__ Você fica maravilhosamente linda assim.

A mesma cora, mas a leitura continua.

Eu havia descoberto que uma pessoa com meus dons, quando pratica Legilimência pode compartilhar pensamentos.

Não fiz com a Sol porque ela está muito perto, não consigo fazer assim tão perto.

Ele ergue a sombrancelha e dá de ombros, voltando a se concentrar em sua comida.

Quando olho para a frente, as três me encaravam desconfiadas.

__ Na digam nada!__ Aponto o garfo na direção de cada uma, que concorda rindo.

__ Fiquei até com medo.__ Milly diz debochada.

Algumas corujas entram no salão, trazendo cartas e pacotes, mas uma em especial chama minha atenção.

Uma grande coruja branca, com penas cinzas em volta do pescoço e algumas pretas no alto da cabeça. Ela carregava um pacote muito grande e desabou no chão, exausta, mau aguentando voar mais.

__ Coitada.__ Alguns dizem.

__ Lira!__ Exclamo preocupada, me levantando e correndo até onde ela caiu.

Tiro as asas dela de debaixo da caixa e a pego com cuidado, mas mesmo assim ela solta um pio de dor.

__ Você não deveria carregar algo tão pesado.__ Digo a ela pegando minha vidinha e usando meu feitiço de cura nela.

Ela empulhera em meu braço e bate as asas feliz, mordisca minha bochecha, me fazendo rir e voa até as meninas, que lhe dão biscoitos e água.

A caixa tinha o emblema do ministério da magia e estava endereçada a mim. A pego e volto para meu lugar, mas meu caminho foi seguido pelos olhares curiosos.

__ O que é isso?__ Milly pergunta depois de uma colherada de pudim.

__ Comentei com o Harry que eu precisava de livros de Astronomia para um projeto e ele ficou de ver se achava alguns pra mim.__ Respondo ainda de pé, colocando a caixa na mesa.

__ De nada?__ Harry pergunta inseguro.

__ Que projeto?__ Sol pergunta confusa.

__ Pergunte a ele.__ Aponto Derick Madson, professor de Astronomia desde a segunda guerra.

Ele sorri e explica.

__ Alguns alunos da sétima série foram desafiados a criarem mapas estelares. Serão apresentados no jantar.

__ Será interessante.__ Um grifinório diz rindo.

__ E por que exatamente você precisa desses livros?__ Uma sétimo anista da Corvinal pergunta com desdém.

__ Aquela cobra.__ Kayla resmunga irritada.

Ela era Scarlett Ruffolo. Odeio ela tanto quanto Harry Potter odiava Draco Malfoy. Todos sabiam disso.

__ Então é bastante mesmo.__ Draco e Harry respondem juntos e se olham irritados.

__ Isso não é da sua conta.__ Respondo sentindo meus olhos cinzas.

__ Olha só, a filha dos Comensais sabe responder.

__ Posso matar?__ Alguém pergunta irritado.

__ Quem você pensa que é, pra chamar meu pai assim, sua cobra? Vá destilar seu veneno em outro canto.

__ Isso!__ Vários gritam.

__ Concordo com ela.__ Jason se manifesta.__ O pai dela não é nenhum Comensal. Ele é o diretor de Ilvermorny, a minha escola e não permito que o chame assim.

__ Como é que é?!__ A garota quase grita.

__ Por que acha que o nome dela é Kayla Clarkson?__ Milly pergunta apontando o garfo para a garota, de boca cheia de pudim, deixando a voz dela um pouco diferente.

__ Eu amo o pudim da mesa da Luffa-luffa.__ Milly diz sorrindo.

A garota me olha cheia de repulsa, mas ainda destila seu veneno:

__ É tão imprestável que não sabe nem se defender sozinha.

__ JÁ CHEGA!__ Minerva grita, mas a garota continua.

__ Provavelmente foi abandonada pelos pais e descobriu agora quem eles eram e os ameaçou.

__ Pesado demais.__ Teddy diz junto com a mãe e com o pai.

Todo o salão fica em silêncio, esperando para verem minha reação.

Sol estava prestes a libertar sua parte demoníaca e me defender, mas aponto o chão e digo com um olhar mortal e com o tom de quem ter de ser obedecido, um tom que nunca usei antes.

__ Ninguém mexe com meus amigos.__ Sol cruza os braços.

__ Venha aqui agora.

Ela se levanta, incapaz de desobedecer e para diante de mim. Ela abre a boca para dizer alguma coisa, mas cerro meu punho direito e lhe dou um soco no nariz. O impacto foi tão forte que voou metros para trás, com o nariz sangrando.

Vários ficam espantados, mas riam.

__ Não preciso de uma varinha para quebrar seu nariz.__ Digo a encarando.

__ Como foi que o Rony disse no primeiro ano mesmo?__ Harry pergunta a Hermione.

__ Acho que foi: "Jogue a varinha fora e meta-lhe um soco na cara".__ Hermione respondeu com um sorriso e voltou a ler, deixando o ruivo corado.

Todo o salão estavam em choque.

__ Uau.__ Jason diz rindo.__ Foi impressionante, Pimentinha.__ Ele me encara com um sorriso.

__ Lá vem os apelidos.__ As outras três rainhas reclamam.

__ Calado, Jason.__ Respondo.

__ Prefere Anjinho?

__ Jason Grace!

__ Ui, que garota agressiva.

Os alunos nos encaravam desconfiados.

Minerva se levanta e diz irritada.

__ Isso são maneiras de darem boas vindas aos novos alunos?

__ Não.__ Alguns respondem.

__ Ela começou.__ Respondo.__ E alguns gostaram.

__ O que?__ Um garoto, Yan Aleksandrov, pergunta rindo.__ Claro que não.__ A mentira era evidente.

__ Debochado.__ Andy diz rindo.

__ 150 pontos a menos para a Corvinal e 50 a menos para a Luffa-luffa. Scarlett, detenção as oito.__ Minerva diz rígida.

__ Por que o pudim da Luffa-luffa é melhor do que o da Grifinória?__ Milly pergunta, fazendo todos rirem.__ Me dá?__ Ela pede o de Sol.

Vários começam a rir.

__ Não, você comeu quatro inteiros.__ Sol responde séria.

__ Que calúnia!__ Ela responde cruzando os braços.

__ Se deixar, ela come tudo.__ Sol reclama.

Minerva suspira pesadamente apontando eu e as meninas.

__ E as senhoritas irão mostrar Hogwarts aos novos alunos.

__ Ah, tudo bem.__ Milly dá de ombros e pega o pudim de Sol, fazendo a mesma protestar indignada.__ Nem vem, tô com fome.__ Ela aponta o garfo ameaçadoramente na direção de Sol.

__ Brincou com fogo.__ Alex diz rindo.

__ Você roubou o meu?!__ Sol pergunta indignada.__ Devolva!

__ Não!

Um menino se levanta, Alex Cooper, caminha até nós e pergunta olhando para Sol e Milly:

__ Elas são sempre assim?

__ Sempre.__ Kayla suspira.

__ Você nem imagina.__ Andy responde desanimada, nos fazendo olhar para ela.__ O que foi?

Encaro ela com a sombrancelha arqueada e ela pensa:

Por favor, não faça isso. 

Olho interrogativa para ela e ela explica pensando.

Só fiquei enjoada depois de beber aquele suco.

Ela aponta um copo vazio.

Pego o copo e o examino diante do olhar de todos. Havia um líquido branco no fundo do copo e ele não deveria estar alí. Cheio o copo e no mesmo momento deixo ele cair, assustada.

__ Veneno, com certeza.__ Neville Longboottom diz.

Encaro Andy, que começava a ficar pálida.

Com um aceno de varinha, faço minha correspondência sumir e falo para Minerva, enquanto puxa Andy para fora do salão.

__ Voltamos daqui a pouco.

__ Aonde vamos?__ Andy pergunta confusa.

__ Para a enfermaria.__ Respondo passando por cima de Scarlett, que ainda estava no chão.

__ Eu disse.

__ Por quê?__ Sol vem correndo atrás de nós com Milly, estavam preocupadas.

__ Raiz de Azevinho Dourado é totalmente tóxico quando misturado com açúcar.__ Respondo puxando ela para longe do salão.__ Tinha extrato de raiz de Azevinho Dourado naquele suco.

__ Já ouvi falar.__ Madame Promfrey pensa.

__ Vou morre?__ Andy pergunta assustada.

__ Não se chegarmos logo na enfermaria. Vi uma planta lá que pode cortar o efeito disso que você bebeu.

__ Segurem-se.__ Sol pede.

Nos damos as mãos e logo em seguida vem a mesma sensação que sentimos quando viajamos para o ministério da magia, no dia anterior, para encontrarmos a mãe de Andy.

A enfermaria estava silenciosa, não havia ninguém alí.

Corro até um armário e pego um pó, feito de uma planta chamada Hortelã de Fogo. Ela é rara, só floresce em lugares em que há neve, como Alasca por exemplo.

__ Meu chá.__ Madame Promfrey sorri.

Aparentemente Madame Promfrey ganhou aquele pote de um amigo, que cultiva aquele tipo de planta. Madame Promfrey o usa em seus chás, por causa de seu alto índice de propriedades medicinais.

Se eu estivesse certa, mesmo seca, as células daquela planta poderiam originar uma planta nova.

Conjuro um vaso de plantas, faço neve aparecer dentro dele e derramo um pouco de pó em cima da neve, como se estivesse plantando uma semente. Coloco minha mão em cima e respiro fundo, imaginando raízes aparecendo e depois um caule, folhas e depois as minúsculas flores brancas.

As raízes surgem e afundam na neve, depois finos caules aparecem e as folhas verde brilhante, literalmente, brotam dos caules e então as flores brancas, feito diamantes, desabrocham.

__ Uau.__ As meninas dizem impressionadas.

Conjuro uma pequena nuvem sobre a planta, que começa a nevar sobre ela, a mantendo viva.

Suspiro aliviada e colho três folhas, caminho até Andy e digo mostrando.

__ Mastigue isso e engula, pode ser meio... Frio, depois de alguns segundos.

Ela concorda e coloca na boca, mastigando com uma careta.

__ É gelado.

__ É, eu sei.__ Respondo rindo.

Quando ela engole, ela fecha os olhos, estremecendo como se estivesse com frio e volta a abri os olhos, melhor do que antes.

__ Melhorou?__ Sol pergunta.

__ Sim.__ Andy responde balançando a cabeça positivamente.__ O enjôo sumiu e minha cabaça não está mais doendo. Obrigada, Kayla.

__ Graças a Merlim.__ Sírius e Stefany suspiram aliviados.

__ De nada, querida. Agora vamos, preciso guardar isso aqui na nossa sala e voltar para o salão.__ Respondo pegando o vaso.

__ Me dê isso.__ Sol pega ele.__ Vou deixa na mesa da sala.

E ela some, mas reaparece pouco mais de um minuto depois.

Quando voltamos aos salão, só havia os professores e os alunos novos, que quando nos vêem, pedem explicações.

__ Raiz de Azevinho Dourado.__ Respondo simplesmente.

Eles ficam espantados, mas continuo.

__ Felizmente eu consegui cortar o efeito da substância.

__ Ah, é?__ Jason pergunta desconfiado.__ Como exatamente?

__ Folhas de Hortelã de Fogo. A madame Promfrey tem um pote de pó daquilo na enfermaria, usei meu dom com plantas para... Ahm... Criar uma nova, por assim dizer.

__ Impressionante.__ Neville Longboottom, professor de Herbologia, diz impressionado.

Neville Longboottom estava espantado por ter virado professor de sua matéria favorita, em Hogwarts.

__ Agora vamos, o castelo é enorme.__ Milly exagera.

__ Exagerada.__ Sol reclama.

__ Vamos, gatinha.__ Jason enlaça meu braço, me guiando para fora.

__ Vou sumir.__ Kayla diz ficando vermelha.

__ EU DISSE!__ Milly pula animada.

__ Jason, por favor...__ Peço sentindo meu rosto esquentar.

__ Ah, o que foi? Você é minha amiga, não posso te chamar assim?__ Ele pergunta maroto.

__ Amiga... Aham, acredito.__ Sol responde rindo.

__ Ah, o que foi?__ Jason pergunta com uma falsa indignação__ Ela não pode ser minha amiga?

__ Não foi isso que eu falei.

__ Que bom. Vamos.__ Jason me puxa para fora do salão, fazendo os outros nos acompanharem rindo.

__ Parabéns.__ Olho para ele com deboche.__ Você conseguiu.

__ Consegui o que?

__ Aposto que elas estão elaborando perguntas para me fazerem depois.

__ Claro que não, imagina...

__ Isso quer dizer que você fala de mim pra eles?__ Ele pergunta sorrindo.

__ Claro, por que não?__ Pergunto debochada.

Me solto dele e paro. Estavamos no corredor do primeiro andar. Me viro para os outros e digo:

__ Acho que deveríamos explicar um pouco de Hogwarts antes de nós continuarmos.

__ Concordo.__ Andy concorda sorrindo.

Caramba. Alguém pensa.

Olho cada um, até encontrar Yan Aleksandrov encarando Andy. Ele a olhava como se estivesse olhando para uma jóia rara.

Yan e Andy coram.

Andy percebe meu olhar e olha na mesma direção que eu, ficando com as bochechas levemente coradas.

__ Certo. Vamos lá.__ Começo, chamando a atenção de todos.__ Hogwarts foi fundada por volta de 993 d.C. por dois bruxos, Godric Gryffindor e Salazar Slystherin, e duas bruxas, Helga Hufflepuff e Rowena Ravenclaw. Cada um deles continha um aspecto de personalidade que queriam nos novos alunos. No entanto, pouco depois da escola ser fundada, Slystherin discutiu com os outros fundadores a respeito da pureza de sangue. Slystherin quis admitir apenas os alunos de puro sangue, enquanto os outros três fundadores discordaram. Slystherin deixou a escola logo depois de construir em segredo a Câmara Secreta. Quando seu verdadeiro herdeiro, o Herdeiro de Slystherin , voltasse à escola, ele ou ela seria capaz de abrir a Câmara e libertar o monstro que lá havia em função de purificar a escola de todos os alunos Nascidos trouxas.

__ O brasão de Hogwarts mostra o animal símbolo de cada casa e as cores da mesma. São eles, em sentido horário do superior à esquerda: o leão da Grifinória, a cobra da Sonserina, a águia da Corvinal e o texugo da Lufa-Lufa. Algumas salas da escola tendem a se mover, assim como os degraus da Grande Escadaria. Alvo Dumbledore afirmou uma vez que não conhecia todos os segredos do castelo, já que o local testemunhou séculos de magia antiga. A escola tem uma quantidade considerável de feitiços e encantamentos ao seu redor para que não seja possível de se encontrar por um trouxa. Certas pessoas não podem ver a escola, eles veem apenas ruínas e vários sinais de aviso. Bruxas e bruxos não podem aparatar ou desaparatar em Hogwarts, exceto quando o diretor retira o encantamento.__ Sol continua.

__ Cerca de três anos após a fundação da escola, o Torneio Tribruxo teve início entre as três mais prestigiadas escolas mágicas da Europa - a Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, a Academia de Magia Beauxbatons e o Instituto Durmstrang. O torneio foi considerado a melhor maneira de bruxas e bruxos de diferentes nacionalidades se conhecerem e se socializarem. O torneiro continuou por seis séculos, até que o número de mortes ficou muito alto e o torneio sem continuação.__ Andy explica.

__ Mas ele não aconteceu entre 1994 e 1995?__ Um garoto de Ilvermorny pergunta.

__ Sim, mas acabou com a morte de um aluno da Luffa-luffa, Cedrico Digory.__ Respondo concordando.

__ Entendi. E quanto a guerra?

__ Com a tomada do Ministério por Voldemort em 1997, a educação em Hogwarts tornou-se obrigatória para todas as crianças bruxas. Novas solicitações, como a prova de pureza de sangue, foram requeridas. O Estudo dos Trouxas constituiu-se por ensinar como os trouxas eram nojentos e se tornou uma matéria obrigatória, enquanto isso, Defesa Contra as Artes das Trevas tornou-se apenas Artes das Trevas, que incluía ensinar aos alunos maldições ilegais. Severo Snape tornou-se o diretor da escola. Foi uma época de terror em que não se podia confiar em ninguém. Depois da Batalha de Hogwarts, no fim do ano letivo, a escola começou a se reestruturar.__ Milly responde séria.

__ O que fizeram com nossa escola.__ Molly diz indignada.

__ A escola levou dois anos para ser reconstruída, mas as perdas não foram superadas. Perdemos muitas pessoas na guerra.__ Concluí.

__ Quais... Eram os nomes deles?__ Uma menina pergunta cuidadosa.

__ Bom, foram vários, mas entre eles estavam Alastor Moody, Albus Dumbledore, Ted Tonks, Ninfadora Tonks, Remus Lupin, Colin Creevey...

Os citados ficam tristes, mas deixam que continuem.

Dora e Lupin choravam abraçando Teddy, que estava com os olhos cheios de lágrimas.

__ Meu pai.__ Andy adiciona.

__ Sim, seu pai e... O Fred Weasley.

__ O que?!__ Molly exclama pálida e começa a passar mal, enquanto chorava desesperadamente.

Ela agarra o filho e começa a chorar abraçada a ele. George se segurava para não chorar. Hermione decide continuar.

__ O Fred das Gemialidades Weasley?__ Thalia, da Beauxbatons, pergunta.

__ Abrimos nossa loja?__ George pergunta ainda abalado pela perda do irmão.

__ Sim. Fred e George Weasley foram os criadores da Gemialidades Weasley, uma das maiores lojas de logros do mundo bruxo.__ Sol concorda.__ O Fred morreu durante a segunda guerra, aqui em Hogwarts.

__ O tio Harry costuma dizer que o Fred morreu sorrindo.__ Andy dá um sorriso nostálgico.__ Um dos maiores propósitos deles não eram darem bombas a crianças, para enlouquecerem professores. Era dar sorrisos, fazer outras pessoas sorrirem.

__ É exatamente isso.__ Os gêmeos concordam tristes.

__ E conseguiram.__ Jason sorri.__ Muitas crianças amam aquela loja.

__ Ela é fantástica.__ Concordo.__ George deu a seu filho com a Angelina o nome de Fred II.

__ Oi?__ Angelina pergunta.__ Casei com ele?__ Ela aponta George.

__ Como fazem a seleção das casas?__ Lara, Koldovstoretz, pergunta, mudando de assunto.

__ O Chapéu Seletor é colocado em cima de um banquinho Salão Principal, após o que canta uma canção de sua própria composição sobre os quatro fundadores de Hogwarts e as qualidades procuradas pelos suas respectivas Casas, esta canção é diferente a cada ano.__ Milly começa.

__ O Chapéu Seletor também pode dar avisos aos estudantes sempre que detectar uma necessidade, pode-se presumir que a Chapéu obtém suas informações do escritório da diretora, como ele vive lá.__ Sol conclui.

__ Entendi.__ Lara sorri.

__ Agora, vamos começar a explorar.__ Digo sorrindo.__ Primeiro o castelo, depois os arredores, se dermos sorte, consigo com que o Hagrid nos mostre os bebês unicórnios que nasceram na noite passada.

__ Bebês unicórnios.__ Hagrid diz com os olhos brilhando.

__ Como sabe disso?__ Sol pergunta desconfiada.

__ Ahm... Ontem cedo ele disse que os bebês unicórnios nasceriam durante a noite.

__ Entendi.

E assim foi por algumas horas.

Andamos por Hogwarts, apresentando várias salas, corredores e fantasmas aos alunos.

Também contamos algumas histórias que sabíamos da escola e várias curiosidades, mas também algumas regras que os próprios alunos criaram, além das normas da escola.

Como por exemplo: Nunca irrite o Pirraça, o Poltergeist do castelo; Também há uma de não andar sozinho pelos corredores, ou pode acabar perdido, já que tudo em Hogwarts está em movimento, inclusive escadas.

__ Verdade.__ Vários concordam.

Assim que terminamos de andar pelo castelo e pelos arredores, passava do horário do almoço, mas ninguém estava com fome, então seguimos até a cabana de Hagrid.

De longe era possível escutar os latidos de Canino, o cachorro de Hagrid.

Bati na porta e Hagrid logo abriu a porta, com Canino logo atrás, curioso com as visitas.

__ Olá, Hagrid.__ Eu e as meninas dissemos.

__ Olá, crianças.__ Ele responde com seu sorriso amigável.

__ Pessoal, esse é o Hagrid.__ Digo.__ Ele é guarda-caças e guardião das chaves de Hogwarts.

Todos acenam para Hagrid e me viro para ele.

__ Os bebês unicórnios já nasceram?

__ Ah, sim.__ Ele concorda feliz.__ Nasceram a noite, como lhe falei ontem. Os Hipogrifos e os Centauros ficaram agitados por causa disso.

__ Poderia levar a gente pra ver eles?__ Sol e Milly pedem com cara de anjo.__ Por favor?

__ Ah, claro.__ Hagrid concorda rindo das meninas.

Ele pega um arpão e diz caminhando rumo a floresta.

__ Vamos.

Nós acompanhamos ele rumo a floresta e durante todo o caminho, ele explicou algumas coisas sobre os bebês unicórnios e sobre algumas criaturas que viviam na floresta ou ainda vivem.

A floresta estava calma e os pássaros cantavam longe.

Nós nos aproximamos da uma clareira e Hagrid diz apontando três unicórnios bebês.

__ Os bebês ficam aqui, a mãe deve estar andando pela floresta. Um unicórnio adulto não permite a aproximação de garotos, mas os bebês não se importam.

Algumas meninas se aproximam deles e os bebês logo permitem carícias em seus pelos. Ficam receosos com os meninos, mas permitem também.

Pouco mais de duas horas depois nós voltamos o salão principal, onde a diretora estava com os diretores e algumas outras pessoas.

Eles olham para nós, mas me viro para as meninas e o restante.

__ Bom, eu preciso ir agora. Preciso fazer meu projeto de Astronomia, vejo vocês no jantar. E juízo.__ Olho para Sol, Milly e Andy.

__ Sim, senhora.__ Fazem continência com um sorriso.

Sorrio para elas e saio do salão.

O que eu planejava não era simples, requeria bastante conhecimento com Feitiços, de Astronomia e também paciência.


→←✯✿✯→←


O jantar sempre começava as sete e eu nunca me atrasava, mas dessa vez...

Me atrasei por exatamente 10 minutos e tudo por causa de Pirraça, que havia me confundindo e levado para longe do salão.

__ Ele sempre nos atrasa.__ Vários reclamam.

Quando entrei, fui alvo de todos os olhares e geralmente não me importaria, mas dessa vez foi diferente.

A mesa dos professores estava enorme, duas vezes maior e havia alí sentados, além de Minerva e dos professores, diretores de outras escolas e outras pessoas que eu não conhecia. Meu pai me encarava com a sombrancelha arqueada.

__ A senhorita está atrasada.__ Minerva diz séria.

Respiro fundo e olho diretamente para ela, respondendo.

__ O Pirraça usou algum truque e me levou na direção oposta, para longe do salão. Demorei encontrar o caminho.

__ Ah, estraga prazeres.__ Pirraça aparece ao meu lado.__ Por que contou? Eu pretendia fazer isso com outras pessoas.

__ Ele concordou?__ Alguns pareciam espantados.

__ O senhor não fará isso com ninguém, ou será punido.__ Minerva fuzila Pirraça com os olhos, o fazendo estremecer e desaparecer em pânico.__ Vá se sentar, querida.__ Minerva me pede sorrindo, me deixando assustada por sua súbita mudança de humor.

__ Sim, senhora.__ Concordo e sigo até minha mesa.

Bella pula para o chão e corre até meu pai, o fazendo abrir um sorriso e pegá-la.

__ A diretora estava explicando sobre os alunos das outras escolas estarem aqui para intercâmbio.__ Maria, minha dupla nas aulas me explica, enquanto eu me servia.__ E sobre o desafio do professor de Astronomia.

__ E os bruxos com ela, os outros diretores e os professores de Hogwarts?__ Pergunto olhando para a mesa dos professores.

__ Eles me intrigam.__ Dumbledore diz pensativo.

__ Ela não disse nada, nem parece querer dizer.

__ Entendi. Obrigada, Mari.

__ De nada.__ Ela sorri e volta a conversar com os outros.

__ Bom, como eu já expliquei e a senhorita Clarkson já está a par de tudo o que expliquei, acho que já podemos ir com as apresentações dos alunos escolhidos para o desafio.__ Minerva diz.

__ Ah, sim.__ Derick Madson concorda.__ Rosália Ananque, Sonserina.__ Ele chama.

A garota morena, considerada uma deusa para os Sonserinos, se levanta e caminha até lá na frente com um pergaminho. Ela tinha um sorriso arrogante no rosto.

Ela abre o pergaminho e uma miniatura do que foi desenhado aparece logo acima do pergaminho. Era ótimo, mas algumas informações estavam erradas. Como por exemplo nomes de estrelas e as nebulosas não eram daquela forma.

__ Legal.__ Alguns dizem.

Além disso, não foi ela quem fez, eu via isso em sua mente.

Derick Madson parece também perceber, pois ergue a sobrancelha desconfiado, mas dá um sorriso forçado e agradece.

Cerca de cinco alunos foram chamados. Suas ideias eram ótimas, mas alguns não foram feitos por eles, foi por outras pessoas.

Alguns, como o de Scarlett, simplesmente explodiram, causando risos por todo o salão, apenas a mesa dos professores estava em silêncio.

__ Não estão satisfeitos.__ Um sonserina fala baixo, mas é escutado por todos.

Derick Madson parecia desesperado.

Ele suspira e chama.

__ Kayla Clarkson.

Me levanto e caminho até o centro do salão.

__ E a princesinha vai fazer sua apresentação.__ Scarlett diz debochada, mas simplesmente ignorei e tirei uma esfera de diamante do bolso.

Olho em volta, procurando os olhares de minhas amigas. Elas estavam na mesa da Grifinória e sorriam encorajadoras para mim.

__ Vai, Kayla!__ Milly exclama, me fazendo rir.

Jason também me olhava com encorajador, como todos sentados na mesma mesa que ele.

Você consegue, gatinha. Ele pensa, sabendo que eu ouviria.

__ Você não contou isso!__ Milly protesta olhando Kayla.

Tento controlar minhas emoções e então coloco a esfera entre as mãos, a tampando completamente.

Começo a girar ela e então a luz do salão começa a ser absorvida pela esfera, deixando o salão completamente escuro. Assim que toda luz é absorvida, a esfera esquenta sobre minhas mãos e começa a emitir luz.

__ Um...__ Começo a contar e minha voz ecoa pelo salão.__... 2... 3.

Tiro minha mão esquerda de cima da esfera e há uma explosão de poeira dourada e prateada, mas essa explosão não causou desastres e nem machucou ninguém, no entanto...

Ninguém dizia nada, estavam concentrados na discrição.

A poeira dourada e prateada se espalhou pelo salão e começou a tomar várias formas diferentes.

Luas, estrelas, planetas, meteoritos e até mesmo galáxias e nebulosas aparecem no ar, de tamanhos e formas diferentes, espalhados pelo salão.

Girando ao arredor de cada um haviam letras douradas, formando o nome de cada corpo celeste que apareceu. Era a minha letra.

Alguns esticam suas mãos e tocam alguns planetas, completamente encantados.

Eu havia levado bastante tempo para fazer aquilo. Tive que inventar alguns feitiços, examinar cada livro a procura de mais informações sobre os corpos celestes...

Os corpos celestes voltam a ser a poeira dourada e prateada, então voltam para a esfera como pequeno raios de luz e então uma forma difusa sai da esfera, tomando a forma de uma fênix. A fênix voa a minha volta, voa uma volta completa pelo salão e então voa até o teto e se desfaz, então a luz do salão volta a ser exatamente como era antes.

Todos estavam espantados, assim como no livro.

Todos me encaram espantados, até mesmo minhas amigas, me fazendo corar e dizer quase sussurrando:

__ A fênix não estava nos meus planos.

Ninguém dizia nada. Todos estavam de queixos caídos e Derick Madson estava tão pálido quanto um fantasma.

Meu pai? Estava espantado, mas sorria.

__ ISSO FOI ESPETACULAR!__ Milly grita sorrindo, com os braços para cima.

Vários concordam.

__ Co-como... Fez isso?__ Derick Madson pergunta gaguejando, ainda pálido.

__ Ahm... Eu escolhi esfera de diamante porque é uma pedra pura e bastante resistente.__ Começo.__ Então criei alguns feitiços e usei outros que eu já conhecia, para preparar essa esfera. Coloquei cópias de algumas lembranças de planetas e outros corpos celestes que já vi pelo telescópio e então examinei os livros que recebi mais cedo, para concluir isso aqui. Todas essas imagens foram criadas cuidadosamente e adicionadas dentro da esfera, já que... Bom, nenhuma estrela, planeta ou qualquer outro são iguais. Adicionei um último feitiço e... Terminou.

__ E os nomes?__ Jason pergunta.

__ Eu escrevi cada um. Levei quase uma hora só nisso.

__ Você testou antes?__ Derick Madson pergunta agora recuperado do susto.

__ Não deu, faltava pouco para o jantar, tive que guardar minhas coisas e vir pra cá.

__ E a Fênix?

__ Eu não sei. Devo ter adicionado alguma coisa a mais ou... Ela surgiu no final do processo, pra devolver a luz do salão.

Derick Madson olha paro todos na mesa dos professores, parecia procurar ajuda.

__ Concordo com suas amigas, filha.__ Camillus, meu pai, sorri.__ Foi realmente espetacular.

__ Obrigada.__ Sorrio de volta, com as bochechas coradas pelo elogio.

Foi realmente espetacular. Mandou bem, gatinha. Jason pensa, sorrindo.

Obrigada, gatão. Agradeço e volto ao meu lugar, tendo o maior prazer por deixar Jason corado.

E vários a encaram, que estava corada pelo que disse.

A maioria alí tentava entender o que aconteceu, até que Moody entra no salão e logo atrás dele vinha uma garotinha loira, de olhos azuis e pele branca, mas havia alguns pequenos hematomas em seu corpo e alguns cortes. Ela usava um simples vestido violeta, mas estava sujo. Ela parecia tímida, diante de todos os olhares.

Aquela visão fez todos arfarem incrédulos, inclusive as mães naquele salão.

Kayla se levanta, caminha ao encontro da garotinha e se ajoelha diante dela, a garotinha se encolhe com medo, mas digo sorrindo.

__ Não vou te machucar, Kayla.

A garotinha se aproxima e toca no cabelo da mais velha.

__ Você é igual a mim.__ Ela diz com sua voz doce.

__ Eu vim do futuro.__ Kayla diz como se fosse segredo.__ Eu sou você.

__ Impossível.__ A garotinha nega.

__ Veja.__ Ela levanta o cabelo e mostra sua marca de estrela na nuca.

__ Você é eu?__ Ela pergunta com os olhos cheios de lágrimas e pula em seus braços, chorando.

Kayla a pega no colo e diz a todos, enquanto a garotinha estava agarrada a ela, com o rosto enterrado na curva de seu pescoço, chorando.

__ Acho melhor continuarmos amanhã. Meninas, expliquem ao Alastor sobre o último capítulo e pra ele o que está acontecendo.__ Kayla aponta Camillus, que havia chegado a poucos segundos.

Alguns as olhavam com pena e algumas mães com os olhos lacrimejantes.

__ Jason, Kiara, venham comigo, por favor.__ Kayla pede e é seguida por Jason, que carregava a filha deles nas costas.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...