1. Spirit Fanfics >
  2. Hogwarts: Nossa história >
  3. 2. Dourado, redondo e brilhante

História Hogwarts: Nossa história - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, essa é a minha primeira história sendo publicada no Spirt, entretanto escrevo desde 2016 em outro site de histórias originais (Wattpad), onde tenho mais algumas obras disponíveis num perfil de mesmo nome (@MissNeptunw). Como podem ver, trata-se do universo mágico criado por J.K. Rowling, e espero que o amem tanto quanto eu. Pretendo postar de sexta feira, provavelmente durante a noite.

Eis aqui o segundo capítulo, espero que aproveitem a leitura :)

Capítulo 3 - 2. Dourado, redondo e brilhante


"Todas as crianças no nosso mundo vão conhecer o nome dele!" — Minerva McGonagall

Quando chegaram no estádio, todos pararam para olhar para a família Potter e agregados, fazendo os mesmos comentários que sempre faziam: "Veja só! O menino que sobreviveu!"; "Esses são os salvadores do mundo bruxo"; "Aquela é a ministra da magia britânica"; "Gina Potter? Sou a maior fã dela!".

Lilian se escondia atrás de Teddy, tímida como sempre. James inflava o peito para sair mais bonito nas fotos, Harry andava de mãos dadas com Gina, acenando timidamente para as crianças que o olhavam. Gina sorria tão lindamente quanto um pavão, orgulhosa da bela família que formava. Alvo andava como se já estivesse acostumado com a atenção, mesmo que isso ainda o incomodasse um pouco. Rony andava fazendo palhaçada para as criancinhas, encorajando o jovem Hugo a acenar para elas. Hermione andava com elegância enquanto estava de mãos dadas com Rosa. A família Scamander andava mais lentamente, um pouco mais atrás por terem encontrado alguns conhecidos do ministério. Mickey e Liz andavam escondidos no meio dos filhos dos Potter, rindo de alguns fanáticos que tentavam a todo custo chamar a atenção do trio de ouro, mas sem efeito algum.

— Espero que você não tenha ficado brava sobre hoje mais cedo, lá na casa de James — Disse para a menina quando começaram a subir a escadaria que os levaria para seus lugares, a menina apenas resmungou um "Hm", como se esperasse uma justificativa de Mickey para tal ação. Estavam liderando o comboio Potter, por isso os demais não poderiam escutar o que diziam — Eu e ele estávamos fazendo piada de Alvo, e sabemos que você não gosta disso, por isso mudamos de assunto quando você terminou de descer a escada. Não queríamos te excluir.

— Não... tudo bem. Eu não ligo — Disse a morena apoiando-se numa grade, olhando para trás esperando a orientação de Harry, que fez movimentos com a boca como se dissesse para ela subir até o último nível de escadas — Mas cuidado para ele não ouvir essas piadas. Ele fica magoado.

— Pois é... — Disse o moreno indo atrás da amiga — Mas e você e o Lorcan? O que está rolando? — Perguntou.

— Nada. Ele só é animadinho. Você sabe que ele puxou os genes da Luna nessas questões. Na verdade nós mal nos falamos em Hogwarts. — Disse a menina que entrou no corredor de cadeiras do último nível de escadas e começou a procurar pelas cadeiras marcadas com o nome dos Potter.

Quando achou, foi até a última e sentou-se. Admirou o estádio. Era lindo demais. Conseguia imaginar-se jogando quadribol naquele campo depois de se formar, já sentia o vento balançar seus cabelos como se estivesse a busca do Pomo de Ouro, numa partida internacional, a torcida inteira gritando "MC'SATTERLEE! MC'SATTERLEE!". Sorriu com o que imaginou. Talvez, seguir a profissão que Gina queria para ela não fosse tão ruim, afinal, se identificava muito com quadribol. Só saiu de seu devaneio após ver Alvo balançando as mãos na frente dos olhos da menina, com os dedos sujos de tinta colorida.

— Liz?! — Perguntou.

— Oi, desculpa. Estava pensando em quem ia ganhar o jogo — Mentiu.

— Você vai torcer por quem? Estou fazendo a pintura facial da família.

— Hm... deixe-me pensar... — Disse passando a mão pelos cabelos — Para quem James está torcendo? - Perguntou na intenção de irritar James Sirius.

— Ucrânia — Respondeu Alvo com desinteresse.

— Nesse caso, eu torço para a França. Por favor, faça a bandeira da frança na minha bochecha. — Disse e Alvo sorriu. Liz torceria para o mesmo time que ele.

Os dois times entraram em campo e foi a coisa mais linda que Liz tinha visto, James a admirava de longe, praticamente sem falhas. Fogos de artifício formavam as imagens de bandeiras dos países, e no telão era apresentada cada seleção. Elizabeth se encantou com a apresentação do mascote francês: Pomorins dourados que voaram circulando o estadio, animando a torcida. Os mascotes ucranianos eram Bezerros apaixonados e uma lua cheia flutuante, o que provocava a dança de tais seres, esplendida, sem dúvidas, e muito conhecida por ser o preludio de acasalamento, James tenta se aproximar de Elizabeth, provavelmente para dizer que era um sinal do destino ou algo assim, mas logo que começou a se movimentar, o jogo foi iniciado.

Após algum tempo, a partida começou uma fase frenética, a cada cinco minutos um dos times marcava gols, de forma que o placar estava constantemente empatado, ao ver profissional de Liz, a única solução era que os apanhadores achassem logo o pomo dourado.

Por instinto, Elizabeth fez o mesmo que fazia em Hogwarts e desligou-se das coisas que aconteciam a seu redor para começar a buscar pelo pomo. Não estava nos cantos inferiores do campo, então haveria possibilidade de ser feita uma finta de Wronski por um dos apanhadores. Buscou por todo o campo inferior e médio, quando algo começou a flutuar em sua frente. Afastando-se um pouco, sua visão focou e pode ver: O pomo, brilhante e lindo, parado em sua frente, invisível para os demais. De repente, um dos apanhadores aparece sorrateiramente ao seu lado, fingindo procurar o pomo no campo inferior. Liz o analisou melhor. Cabelos castanhos claros e olhos azuis cristalinos, leves sardas. Liz tinha a impressão de que já tinha visto o rapaz de perto em algum lugar, mas não se lembrava quem era, até que o vento soprou a camisa do rapaz de forma que Liz conseguisse ler o nome "Garnier" escrito logo acima de um número 4 enorme. Oliver Garnier, tinha o visto na floreios e borrões. Correção: Tinha dado um fora nele na floreios e borrões.

— Não vai pegar o pomo, senhor Garnier? — Perguntou Liz ainda olhando para a esfera dourada a sua frente.

— Porque a pressa, senhorrita? Vamos deixar os ucranianos terrem uma esperrança de vitórria — Perguntou posicionando-se na frente da menina, iniciando uma conversa. Os outros integrantes de seu time o olhavam como se fosse louco. Talvez fosse um pouco — Muito me agrrrada a sua companhia. Não notou como o meu inglês melhorrou desde nosso último encontro?

— Ah, então o senhor se lembra — Comentou com um tom de surpresa na voz. Os telões focavam neles agora. E o narrador do jogo já comentava como Garnier era um cortejador

— Não se esquecem olhos como os seus facilmente, senhorrita. — Respondeu aproximando o rosto do de Liz.

— Não sabia que você tinha idade para jogar na seleção de seu país, Senhor Garnier — Comentou ao ver que toda a sua família a olhava, Gina com estrelas nos olhos e James com a mais pura fúria enciumada. Lily puxava a manga da camisa de Harry para que o mesmo olhasse, e Alvo e Mickey riam da cara de James. Tudo como deveria ser.

Oliver deu uma risada discreta e Liz o olhou nos olhos — Fiz 17 dois meses atrás, mas ainda estou estudando. Porr isso só jogo nas férrias. Sabe como é, último ano em Beauxbattons. Mas a senhorrrita não comentou que erra uma Potterr.

— Não sou. Pelo menos não de sangue. Estou mais para uma agregada da família. — Respondeu — Se eu fosse você, pegaria logo esse pomo. O apanhador Ucraniano já notou, está vindo pela esquerda.

— Pode ser. Com uma condição — Começou — Querro que a senhorrita me guie esse ano em Ogwarts.

— Porque eu deveria acatar sua condição? — Perguntou Liz olhando para o apanhador ucraniano, que subia o campo com uma velocidade impressionante.

— Orras... a senhorrita esta torcendo pela França. — Deu seu sorriso mais galante, e Liz, aterrorizada com a possibilidade do apanhador ter que frear muito em cima de sua família e acabar machucando alguém, apenas disse:

— Está bem! Só pegue o pomo e suma, o mais rápido possível.

— Sua companhia foi um deleite, senhorrita. — Dito isso, Oliver agarrou o pomo e voou em direção ao meio do campo, fazendo gestos de comemoração a vitória e logo em seguida, apontando para Liz, os telões focaram na menina, que estava corada com o gesto, mas ainda assim, sussurrou um "exibido" rindo discretamente. 



 

(CAPÍTULO SEM REVISÃO)

 


Notas Finais


Muito obrigada por dar uma chance a minha história
Obrigada e tenha um bom dia/ boa tarde/noite.
:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...