História Hogwarts, O reerguer das 4 famílias - Capítulo 30


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Harry Potter, Hogwarts, Magia, Marotos
Visualizações 13
Palavras 1.474
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Seinen, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Um cap mais curto só para encerrar de vez o arco da família de Blois.

Ein.
Zwei.
Drei.

Capítulo 30 - De volta ao lar


Pov Álice

Eu acredito que foi o choque devido ao que Jacob havia me dito, talvez isso somada a minha exaustão por ter usado demais a magia de sangue mas logo após Jacob se declarar por assim dizer eu perdi a consciência.

Acordei sentindo algo prendendo os lençóis, quando olhei para minha esquerda percebi que era Jacob, ele dormia tranquilamente com metade do corpo na cama, não pude evitar de lembrar que isso já aconteceu antes, no dia em que fugimos das acromântulas na floresta proibida.

Eu novamente passei a mão nos cabelos negros de Jacob enquanto ele dormia só que dessa vez acabei acordando ele, nesse momento eu recuei e senti meu rosto esquentar devido as coisas que ele tinha dito.

-Já acordou é ? Ele perguntou com o mesmo rosto entediado enquanto se ajeitava na cadeira.

-É. Eu disse evitando olhar em seu rosto.

-Ei, por que você ta me evitando ? Tem noção de que eu viajei 600 quilômetros para vir te buscar ?

-C-como você espere que eu fique perto de você depois do que você disse ? Eu disse não conseguindo conter certa vergonha na voz.

-Sei lá, talvez me de uma resposta, e um sincera por que não é justo eu ser o único a falar a verdade. Ele disse exibindo um sorriso, com certeza ela ficava melhor assim do que quando estava irritado, aquilo foi muito assustador.

-Eu fiquei muito feliz, e eu sinto o mesmo por você. Eu disse de cabeça baixa de forma quase inaudível.

-Sério que bom ! Ele disse com um sorriso convencido no rosto. -Nesse caso eu acho que deveria ser justo com você e te contar tudo.

-Eu não tenho lembranças de ter vivido com a minha família, minha lembrança mais antiga é o despertar dos meu poderes, nessa época eu já morava em um orfanato, onde por causa das bizarrices que eu fazia acabava sendo preso no porão do lugar, onde eles me batiam e torturavam, sempre que minha magia fazia algo eu acabava ficando sem comida ou levava algum castigo como ter meu pés e mão presos por estacas. Jacob me conta enquanto ergue a manga de sua camisa e mostra as cicatrizes em seus pulsos. -Por conta disso eu tive que reprimir minha própria magia e bom o resultado não foi dos melhores, por reprimir minha magia eu acabei me tornando um Obscurial, após isso meu avô conseguiu entrar em contato comigo e mesmo de longe ele me ensinou sobre o mundo da magia e sobre como manter o Obscurus inativo, já que ele já os estudou na juventude, acho que é basicamente isso.

-Desculpe por fazer você se lembrar de coisas tão horríveis. Eu disse de cabeça baixa.- Mas obrigada, por me deixar saber mais de você. Completei sorrindo, o que fez que o rosto dele ficasse um pouco vermelho e ele evitasse me olhar.

Ele não disse nada só ficou olhando para mim, e pouco tempo depois me puxou para um abraço, de início eu não soube como reagir, mas logo correspondi ao ato.

-Eu senti saudades. Jacob disse enquanto ainda estávamos abraçados.

-Eu também. Respondi.

Nós ficamos ali abraçados em silêncio por algum tempo até que o silêncio foi quebrado por alguém que entrou pela porta.

-Estou interrompendo alguma coisa ? Perguntou Oliver.

Eu rapidamente soltei Jacob e senti meu rosto esquentar, Jacob só olhou com raiva para Oliver porém depois ele voltou para sua tradicional falta de expressão.

-Na verdade sim. Ele respondeu encarando Oliver, logo ele se levantou e se encaminhou para a saída do quarto. -Descanse bem Álice, o nosso trem para voltar para Londres vai partir essa noite.

O resto do dia se passou com as consequências da traição de Wallace, Sabrina e os outros sobreviventes da facção inimiga foram presos, e Wallace foi renegado da árvore genealógica da família não tendo nem mesmo um enterro, o único dos traidores que teve um enterro digno foi Aaron, a pedido de Gabriel que o reconheceu como o maior adversário que ele já havia enfrentado.

Durante o resto do dia Jacob se isolou dentro de um quarto fazendo sei la o que, Gabriel ficou em repouso devido aos ferimentos da batalha contra Aaron e Pandora ficou me fazendo companhia.

Quando a noite caiu, meu pai e Oliver nos acompanharam até a estação de Paris.

-Cuida bem da minha princesinha em garoto. Disse o meu pai em tom de advertência para Jacob, me deixando obviamente constrangida.

-Pode deixar sogrão. Respondeu Jacob em tom de deboche obviamente me provocando e entrando no trem antes de ver a reação dos outros.

Por alguma razão meu pai se emocionou e começou a chorar aumentando ainda mais a estranheza da cena, eu me despedi do papai e do meu irmão e embarquei no trem, aparentemente como meu pai havia acabado de voltar eles ainda não reataram as ligações com o ministério da magia então teríamos que usar o trem para voltar, durante a viagem eu expliquei para Pandora o que tinha acontecido durante a luta dela e sobre a teoria de Jacob a respeito do poder criado por Helga Lufa Lufa.

-Então o Jacob pensa que esse poder é relacionado a essa lenda ? Perguntou Pandora.

-Sim, você não sabia sobre isso ? Perguntei.

-Não, eu nunca me interessei muito pela história da família. Ela respondeu sorrindo como sempre.

Nós iríamos continuar a conversa quando alguns chiados nos atrapalharam, era Jacob, ele havia pegado no sono junto com Gabriel e acabaram cochilando encostados um no outro, e ele estava como sempre falando em língua de cobra enquanto dormia, era de certa forma assustador, mas pelo tom dele o sonho estava sendo bom.

Nós terminamos a viagem em duas horas e entramos no ministério da magia onde havia uma lareira que daria em Hogwarts, uma vez chegando lá nós saímos no escritório do diretor, que não estava lá, como estava na hora do jantar nós rapidamente nos trocamos, colocando nossos uniformes e fomos em direção ao grande salão, o que não esperávamos  era que ao entrar seríamos recebidos com aplausos de todos no salão, provavelmente pelo fato de que desde que solucionamos o mistério da câmara secreta era a primeira vez que aparecíamos na escola , alguns sonserinos que ficaram de cara fechada evitaram nos aplaudir, cada um de nós se encaminhou para sua mesa, e na mesa da Sonserina eu percebi que esses que evitaram nos aplaudir estavam encarando Jacob com um olhar de raiva, Jacob não parecia se importar na verdade seu olhar estava vazio e cansado.

Depois de tudo, como o jantar, falar com nossos colegas sobre os ocorridos e até mesmo um agradecimento especial de Dumbledore a nós, cada um foi para sua respectiva sala comunal, passou-se algum tempo e eu resolvi ir me deitar, mas não consegui dormir, provavelmente eu ainda não estou acostumada com essa sensação de segurança sabendo que tudo chegou ao fim, então resolvi me levantar para dar uma volta.

Estava andando sem rumo pelo corredores quando vejo ninguém menos do que Jacob, ele estava indo para o banheiro feminino e por alguma razão ele caminhava com dificuldades se apoiando na parede, uma vez lá dentro ele reabre a câmara secreta e pula dentro daquele abismo, fiquei preocupada e ao mesmo tempo curiosa então resolvi segui-lo, e depois de passar por todo o caminha eu o encontrei caído no chão com uma das mãos sobre o olho direito que estava completamente negro, uma aura assustadora de energia negra se formava ao redor dele e seu olhar mostrava que ele estava incrivelmente assustado.

-JACOB! Gritei chamando sua atenção enquanto me aproximava dele e colocava minha mão em seu rosto. -O que aconteceu ? Você está bem ? Perguntei assustada pela forma a qual ele se encontrava.

-Á-Álice, s-saia d-daqui ! Ele disse me afastando.

-Não, oque houve com você ? Perguntei vendo a aura negra diminuir um pouco.

-Desde a luta na catedral está mais difícil de controlar essa coisa, eu fui atacado por alguns alunos que não gostaram de eu ter atrapalhado Voldemort e parece que essa coisa está reagindo a qualquer estímulo no meu emocional... AAAARRGHH! Ele parecia tentar terminar de falar quando a aura negra aumentou novamente e um grito de dor de Jacob ecoou pela câmara.

-Shhh, você precisa se acalmar, não se preocupe eu estou aqui com você. Eu disse abraçando Jacob enquanto acariciava seus cabelos.

A aura ao redor dele começou a diminuir até que sumiu completamente, mas Jacob ainda parecia estar em choque devido a possibilidade de enlouquecer ali mesmo, ele estava tremendo e continuou abraçado comigo.

-Eu não quero me tornar um monstro. A voz dele saiu baixa e parecia triste.

-Você não vai, não se preocupe, eu estou aqui com você e sempre vou estar. Eu disse apertando mais ele no abraço.

 

 

Continua...

 

 

 

 

 


Notas Finais


E chegamos ao fim de mais um capítulo, agora uma pergunta, você gostariam de ver o quadribol inserido na história ?
Comentem ai.
Até mais


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...