História Hogwarts, o reerguer das 4 famílias - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Dumbledore, Ariana Dumbledore, Gellert Grindelwald, Lord Voldemort, Personagens Originais, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter
Tags Harry Potter, Hogwarts, Magia, Marotos
Visualizações 29
Palavras 2.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Seinen, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um cap entregue, e com isso se inicia o arco do torneio.
Aproveitem.

Ein.
Zwei.
Drei.

Capítulo 31 - O prelúdio de um novo desafio


Fanfic / Fanfiction Hogwarts, o reerguer das 4 famílias - Capítulo 31 - O prelúdio de um novo desafio

Pov Jacob

Durante o final de semana eu retornei ao St. Mungus junto com Dumbledore para fazer alguns exames, foi o que ele sugeriu quando eu contei meu problema de auto controle por assim dizer.

Depois de várias análises e exames o médico deu o seu veredito sobre a minha situação atual.

-Isso pode ser um pouco problemático, como não sabemos muito sobre os Obscurus ainda não temos como tirar isso de você, porém você estar conseguindo manter essa força sob controle na atual situação é impressionante. Disse o médico.

-Na atual situação ? Perguntou Dumbledore.

-É, por conta do estresse que você passou e da instabilidade emocional ele se manifestou com uma força imensa, tão grande que aumentou sua sincronização com esse poder, por um lado o Obscurus está ficando mais forte, crescendo junto com você, por outro ele vai ficar cada vez mais difícil de se controlar, até que chegue ao ponto crítico.

-Ponto crítico ? Perguntei.

-Sim, quando sua sincronização com essa coisa ultrapassar o 100% você vai perder o controle, e o pior de tudo, se com aproximadamente 12% de sincronização que é o que você tem agora, você já se torna um perigo eminente, muitas vezes mais forte que um Obscurial normal, imagine com 100%, acredito que apenas o professor Dumbledore conseguiria te impedir. Respondeu o médico de forma apreensiva enquanto cerrava os punhos. -Será melhor se você evitar usar esse poder, até em situações de vida ou morte, quanto mais o Obscurus for usado ou até mesmo ameaçar sair de controle, mais rápido vocês irão sincronizar, me perdoe mas isso é tudo o que podemos fazer.

Eu soltei um longo suspiro, eu já esperava que o meu descontrole na catedral e a minha dependência desse poder teriam alguma consequência, mas todas as vezes que eu usei eu consegui proteger aqueles a quem eu me apeguei, assim está bom, eu não tenho nenhum arrependimento.

-Quanto tempo eu tenho até a sincronização atingir o ponto crítico ? Perguntei.

-Se você conseguir se controlar bem e não tentar mais usar o poder do Obscurus terá mais ou menos 5 anos. Respondeu o médico.

-Então não tem por que se preocupar. Disse Dumbledore com a mão em meu ombro. -Até lá nós encontraremos uma solução para isso, a medicina e as pesquisas sobre a área podem evoluir muito em 5 anos. Ele completou com seu sorriso reconfortante.

-Não, tudo bem, 5 anos é o suficiente para que eu mesmo resolva isso, eu vou encontrar a solução parar deter a sincronização. Eu disse com um olhar determinado no rosto.

Quebra de tempo

Setembro

Depois de tudo o que aconteceu nesse terceiro ano de escola, os eventos da câmara secreta, a batalha na casa de Blois, o resto do ano passou voando, nós fizemos aulas complementares para suprir os dias em que faltamos e durante as provas finais Álice conseguiu ficar na minha frente fechando o ano com todas as notas perfeitas, eu acabei por não conseguir nota em estudos dos trouxas e adivinhação, por causa do James Potter e os amigos dele fazendo merda a casa de Grifinória perdeu uma quantidade imensa de pontos, deixando-os em último no placar, Sonserina não estava mal, porém acabamos perdendo o torneio de Quadribol para a Lufa Lufa, o que garantiu que os Lufanos ficassem disputando a taça das casas com a Corvinal, no fim Dumbledore anunciou que o ponto de desempate foi ganhado pelos Corvinais, 10 pontos para Álice por ter tirado nota máxima em todas as provas, assim garantindo a taça das casas para as águias.

Durante as férias eu, Gabriel e Pandora viajamos para a França novamente, Álice queria ajudar seu pai e irmão a arrumar as coisas então acompanhamos ela nisso, em uma viajem de 1 mês e meio onde conhecemos muito da França e o lugar onde Álice cresceu.

Lá na França eu, Álice e Gabriel fizemos uma festa surpresa para Pandora, já que o aniversário dela era no dia três de Agosto, foi muito divertido e devido ao fato de que Pandora ficou o tempo todo com Gabriel e até deu o primeiro pedaço de bolo para ele ficou bem óbvio a maneira pela qual ela se sente, o único idiota que não percebeu isso foi o Gabriel, Pandora fica só provocando ele mais ainda na esperança de que ele tome alguma iniciativa, mas o medo dele fala mais alto fazendo com que eu me divirta muito observando isso, Álice não gosta disso, segundo ela eu deveria apoiar mais o meu melhor amigo, desde que esses dias de paz começaram eu não tive mais nenhum surto, o que é uma coisa muito boa, eu realmente espero que continue assim.

Já estou com 14 anos, nossa o tempo voa mesmo quando a gente está se divertindo, durante as férias do ano que vem eu vou colocar meu plano em prática, devido a minha condição eu deveria ficar quieto pensando em uma solução, mas já está mais do que na hora de me encontrar com aquela pessoa.

Pov Álice

Estamos nós quatro nesse momento em uma cabine do expresso que nos levará a escola, finalmente estamos começando nosso quarto ano, Pandora está aqui do meu lado discutindo com Gabriel sobre como os meio-gigantes como Hagrid nascem, tenho que admitir que é no mínimo curioso, porém existe outra coisa chamando minha atenção, Jacob está olhando pela janela, seu olhar está distante e ele parece perdido nos próprios pensamentos.

-Jacob, você está bem ? Perguntei a ele tirando-o de seus pensamentos.

Ele pareceu ter despertado de um transe quando olhou a mim e para os outros dois que deram a ele o mesmo olhar de dúvida.

-Ah, estou bem. Ele disse com um sorriso que não chegava a ser falso, porém parecia estar encobrindo algo. -Só estou traçando planos futuros.

-Tipo o que ? Perguntei.

-Tipo nosso casamento. Ele respondeu de forma natural e quando viu que eu comecei a ficar vermelha deu um sorriso de canto.

Gabriel ficou tão vermelho quanto eu e Pandora se uniu a Jacob dando risada da situação, eu estava pensando em alguma resposta quando fomos interrompidos pela senhora que vende lanches no trem.

-Querem alguma coisa crianças ? Perguntou a bruxa com um sorriso simpático.

Nós quatro saímos da nossa cabine em direção ao carrinho.

-Coé tia me vê uma empada e o troco me da aquele sapo de chocolate ali. Disse Gabriel animado.

-Vou querer uma empada também. Eu disse entregando o dinheiro.

-Quero 3 mini tortinhas de abóbora. Disse Pandora. -E você Jake ?

-Sei lá, tava pensando em esperar chegar no castelo, to com vontade de comer pastel. Ele respondeu pensativo.

-Não acho que os elfos domésticos vão fazer pastel para o banquete de abertura. Disse Gabriel.

Jacob tinha aberto a boca para responder quando alguém o abraçou pelas costas se pendurando em seu pescoço.

-JAAAACOB !!! Era a voz de uma garota, nessa hora foi como se tivesse um animal dentro de mim virando minhas tripas ao avesso, foi uma sensação horrível.

Jacob retirou os braços da garota de seu pescoço de forma bruta e rápida, mas a mesma pareceu não se importar.

-Que merd... .Ele estava prestes a completar a frase quando fitou o rosto da menina, ela era mais baixa que Jacob, tinha cabelos curtos e vermelhos em um corte meio repicado e olhos verdes como esmeraldas e um rosto realmente bonito eu a conhecia, dos meus tempos em Beauxbatons.

-Emi !? Jacob aparentava ter visto um fantasma, logo detrás da garota outras pessoas surgiram era um grupo composto por outra garota que eu nunca tinha visto e dois garotos que eu já conhecia.

-Já achou seu amigo de infância Emi ? Um deles com uma expressão descontraída e cabelos loiros perguntou, era Harrison, um antigo colega. -Ah, e aí Álice, já faz tempo em.

-Tch ! O segundo garoto estalou a língua demonstrando irritação, ele era alto, tinha um rosto bonito mas que parecia irritado, cabelos negros e longos que passavam de seus ombros e umas marcas como se fosse tatuagens abaixo dos olhos, esse era Ricardo, outro antigo colega da minha ex escola. Jacob pareceu ter percebido a misteriosa irritação de Ricardo pois passou a encara-lo com o mesmo olhar sem expressão habitual.

-Ta olhando o que ? Perguntou Ricardo irritadiço. 

Jacob apenas deu um sorrisinho cínico e balançou a cabeça em negação ignorando o moreno, logo após isso ele virou seu olhar para a garota de cabelos vermelhos que o encarava com fascinação, novamente me deixando estranha.

-Por que você está aqui ? Ele perguntou incisivo.

-Eu sou uma bruxa também. Ela respondeu sorridente se abraçando ao braço direito dele. -Descobri um ano depois que você desapareceu do orfanato.

-Eu não desapareci, eu me mandei é diferente.

-Eu sei, procurei por você o tempo todo, quando exatamente um ano depois da sua partida uma mulher chamada Olympe Maxime me visitou no orfanato alegando que eu era uma bruxa, depois que tudo foi esclarecido eu fui para Beauxbatons onde descobri sobre você nos jornais, quem imaginaria que você era um príncipe, sem bem que eu já sabia desde o início. Disse a garota apertando o abraço.

-Por que não vem para a nossa cabine, parece que vocês dois tem muito assunto para colocar em dia. Disse o loiro.

-Já estou acompanhado. Respondeu Jacob ainda sem expressão.

-Não, eu quero que eles venham também, nós queríamos muito conhecer os famosos herdeiros de Hogwarts. Disse Emi.

Nós nos ajeitamos na cabine dos estudantes de Beuxbatons , ficamos nós quatro de frente para eles.

-E então, quando se tornou oclumente Emi ? Perguntou Jacob enquanto examinava um pedaço de pergaminho.

-OQUE !? Como você soube ? Perguntou a garota de forma surpresa.

-Eu não consigo ler sua mente. Respondeu Jacob sem interesse.

-Você é legilimente ? Perguntou Harrison.

-Aham, sou de nascença, porém o poder só despertou em Dezembro. Comentou Jacob. -Inclusive essa sua hostilidade e os seus xingamentos mentais estão me incomodando, será que pode parar ? Disse Jacob se referindo ao moreno estourado.

-Pare de ler minha mente moleque ! Exclamou Ricardo irritado.

-Eu não tenho o menor interesse na sua mente, mas parece que você me detesta tanto que seus pensamentos são como um rádio ligado no máximo. Respondeu Jacob encarando o rapaz. Afinal por que você me odeia ?

O clima estava ficando tenso, o moreno cerrou os dentes encarando Jacob com hostilidade, Jacob alternou seu olhar para Emi e depois para Ricardo de novo.

-Ah, já entendi. Ele disse de forma calma arrancando um riso do loiro que sentava entre Emi e Ricardo.

-Já faz tempo que não nos vemos também não é Álice ? Emi se dirige a mim.

-Sim, já faz bastante tempo, 2 anos para ser mais exata. Eu falei fechando um livro que lia.

-Você ficou bem mais bonita nesses 2 anos. Comentou Harrison.

-Obrigada. Respondi sorrindo, pelo canto dos olhos deu para ver uma faísca de hostilidade no olhar de Jacob.

-Mas e então, por que estão em um trem para Hogwarts ? Perguntei incisiva.

-Ué vocês não sabem ? Perguntou Emi.

-O diretor de vocês não avisou durante a cerimônia de fim de ano ? Perguntou Harrison.

-Nós não estávamos na cerimônia de fim de ano. Respondeu Gabriel com a boca cheia de empada.

-É e a culpa é de quem ? Perguntou Pandora irritada.

-O que aconteceu ? Perguntou Emi.

-Os dois idiotas aqui botaram fogo na ala leste do castelo e pegaram suspensão, já que estávamos com eles ficamos suspensas também. Respondeu Pandora.

-Em minha defesa eu estava no meio de um experimento. Respondeu Jacob escrevendo em um pergaminho. -Eu queria ver se dava para fazer com que poltergeists sentissem dor.

-Eu queria só duelar contra o Pirraça mesmo. Respondeu Gabriel.

-O que está fazendo ? Perguntou Emi se aproximando para ver o que Jacob escrevia, porém ele já havia terminado e já estava enrolando a carta.

-Uma carta. Respondeu indiferente.

-Para quem ? Perguntou Emi.

-Ninguém em especial, só um velho desocupado. Respondeu Jacob pegando a gaiola de seu morcego.

-Ah Jacob, somos amigos de infância, não guardamos segredo um do outro. Disse Emi com o rosto quase colado ao de Jacob, e novamente a sensação ruim veio em mim.

-Não só guardamos como tem alguns que eu nunca vou te contar, e tenho certeza que você também, se não sua oclumencia seria inútil. Ele respondeu de forma indiferente enquanto entregava a carta ao morcego e o levava até a janela. -Sabe o que fazer. Ele disse ao morcego antes do mesmo alçar voo.

Jacob se sentou novamente, dessa vez cruzando os braços e mantendo os olhos fechados.

-Voltando ao assunto, por que vieram ? Vocês ainda não responderam. Eu disse de forma séria.

-É mesmo, os jogos mundiais da magia estão para começar e esse é o imbatível time de Beuxbatons. Disse Harrison mostrando seus colegas.

-Imagino que vão participar também, vocês quatro não é ? Perguntou a garota de cabelos azuis claro curtos que tinha ficado em silêncio até agora.

Gabriel chegou a se levantar de tanta empolgação, Pandora abriu um sorriso desafiador no rosto e Jacob apenas arqueou a sombrancelhas e deu um mini sorriso quase que imperceptível, mas era óbvio que nós quatro estávamos nos sentido da mesma forma, empolgados com o novo desafio.

 

 

Continua...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Comentem.
Favoritem.
Até mais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...