História Hogwarts, Uma História - Pós-guerra - Capítulo 303


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Andromeda Tonks, Angelina Johnson, Arthur Weasley, Astoria Greengrass, Blásio Zabini, Carlinhos Weasley, Cho Chang, Daphne Greengrass, Dino Thomas, Draco Malfoy, Fleur Delacour, Gina Weasley, Gui Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Jorge Weasley, Lilá Brown, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Percy Weasley, Ronald Weasley, Simas Finnigan, Theodore Nott
Tags Amor, Draco Malfoy, Dramione, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Hinny, Hogwarts, Pos Hogwarts, Pos-guerra, Sexo
Visualizações 1.066
Palavras 2.640
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi meus amores!!!

A escolhida para a foto de hoje é a Rose! Não se esqueçam de votar no personagem de amanhã, hein?

Por falar na nova geração, vocês já favoritaram a nova temporada? O link está nas notas finais e eu estou escrevendo à todo vapor.
Lembrando que assim que eu acabar aqui, posto o primeiro lá! Espero revê-los!

Sem mais delongas, aqui vai o capítulo de hoje!

Boa leitura!

Capítulo 303 - 303 - Beijo de Bom Dia


Fanfic / Fanfiction Hogwarts, Uma História - Pós-guerra - Capítulo 303 - 303 - Beijo de Bom Dia

 

LEIAM AS NOTAS INICIAIS E FINAIS

POV Vic

A claridade do sol entrou pela fresta das cortinas da casa na árvore e eu abri os olhos, estranhando um peso na minha barriga. Mas quando eu vi uma cabeleira azul ao meu lado, eu assimilei todo o acontecido da noite anterior e abri um sorriso, me virando de frente para ele e fitando os seus olhinhos fechados e a sua expressão tranquila. Desci os olhos para os seus ombros largos e seus braços definidos mas não extremamente fortes, na medida certa, assim como o seu peito e sua barriga e depois suas pernas perfeitas, que estavam entrelaçadas nas minhas.

- Se você quiser, eu posso tirar uma foto e te mandar. – Ele disse sorrindo zombeteiro, ainda sem abrir os olhos e eu corei.

- Vai me mandar uma foto sua pelado? – Eu perguntei com as sobrancelhas erguidas e ele finalmente acordou, com um sorrisinho ladino.

- Posso mandar, se você quiser. Só com a mão tapando... ou sem a mão também... você que sabe...

- Pra que a foto se eu posso ver ao vivo? – Eu sorri e deslizei a mão por seu peito. – E tocar...

- Você é muito safadinha, já te disseram isso? – Ele zombou, pegando a minha mão e dando um beijinho no dorso. Ri de sua fala sonolenta.

- Precisamos descer... – Eu disse enquanto me esticava na cama preguiçosamente e bocejava, me espreguiçando.

- Você é muito gostosa. – Ele disse do nada e eu o olhei, com o cenho franzido. – Com todo o respeito...

Eu gargalhei disso e rolei para cima dele, apoiando meus antebraços em seu peito, deixando-o com os olhos arregalados.

- Vi... O que você...

- Eu nem acredito que a gente transou. – Eu disse sorridente.

- Pois é... e eu já quero transar de novo. – Ele sorriu e deslizou as mãos carinhosamente pela lateral do meu corpo, deixando-as apoiadas em meu quadril, acariciando o local com os seus dedões.

- Ah... eu adoraria, mas agora não dá, lindo. Daqui a pouco meu pai aparece e se ele vir a gente assim, sem roupa nenhuma no corpo, as portas do inferno vão se abrir. – Eu sorri e beijei o seu queixo repetidas vezes, ouvindo o seu resmungo de reclamação. – Mas eu prometo que eu vou te compensar em Hogwarts, vou te compensar muito.

- Vou ficar esperando. – Ele fez um biquinho muito fofo, que eu tive vontade de morder. – Mas me dá um beijo de bom dia pelo menos, vai?

- Quantos você quiser, meu amor.

Eu sorri e me estiquei para beijar a sua boca e ele logo embrenhou os seus dedos em meu cabelo, aprofundando ainda mais o beijo delicioso, enquanto a sua outra mão ia diretamente para a minha bunda e apertava, me fazendo gemer.

- Teddy, o meu pai... – Eu tentei falar entre o beijo, mas fui interrompida por um gemido quando ele apertou a minha coxa.

- A porta e as cortinas estão fechadas. Ele não vai pegar a gente... Relaxa. – Ele sussurrou, beijando o meu pescoço.

- Mas ele pode ouvir. – Tentei mais uma vez com a voz falhando miseravelmente.

- Abafiatto. – Ele disse em resposta e eu gemi mais uma vez com o seu beijo descendo pelo meu ombro.

- A gente vai perder o café da manhã. – Tentei de novo, quase me entregando à ele de bandeja. Ah... Como eu queria fazer aquilo de novo, Merlin, mas eu precisava ser racional. Precisava. Nossa família inteira estava na Toca nesse exato momento.

- Eu contrabandeei comida pra cá ontem, lembra? – Ele respondeu risonho, beijando a minha orelha e me mostrando as suas mãos livres, que não estavam mais em meu corpo. – Eu não estou te segurando, linda. Se você quisesse mesmo sair, já teria saído.

- Droga! Eu não tenho mais desculpas... – Me rendi, apoiando a minha cabeça em seu peito e ele gargalhou.

- Ótimo... a gente pode transar agora? – Ele sorriu e eu assenti, mordendo o meu lábio inferior enquanto ele rolava para cima de mim, atacando meus lábios com os dele. Eu enrosquei minhas pernas em seu quadril, mantendo nossas intimidades em contato e gemi, já sentindo a umidade entre as minhas pernas.

- Ah, Teddy... – Eu suspirei puxando o seu cabelo e ele rosnou descendo os beijos para os meus seios, prendendo um dos mamilos entre os dentes, de forma sensual, enquanto me lançava um olhar “estraga calcinha”. – Isso é tortura! – Eu reclamei e ele riu, chupando o mesmo mamilo e descendo os beijos para a minha barriga. Ele deu mordidas na lateral da mesma, me fazendo rir e depois desceu ainda mais as caricias, beijando a minha virilha carinhosamente, antes de ataca-la com sua língua ágil e quente. – AH, TEDDY, POR MERLIN! – Eu gritei, me agarrando no lençol da cama e ele riu, sem parar os movimentos, me fazendo ficar arrepiada pelo ar que saia em sua risada e entrava em contato direto com a minha pele.

- Você já está toda molhada. – Ele sorriu vitorioso e eu fechei os olhos, tentando recuperar o controle. – Quer que eu te faça gozar?

- Aham. – Pedi em um fio de voz e ele começou a estimular o meu ponto de prazer com os dedos. Talvez fosse por que ele era um exímio guitarrista ou talvez não, mas no primeiro toque ele me fez urrar de prazer, arqueando as costas. Ele foi me tocando cada vez mais, cada vez mais enquanto sussurrava coisas obscenas no meu ouvido. Quando eu já estava gozando ele penetrou dois dedos, estimulando o meu ponto G e esse foi o meu fim. Eu gozei deliciosamente em sua mão, com um gemido longo. – Wow!

Ele lambeu os dedos e piscou um olho pra mim, com um sorrisinho malicioso. Eu larguei o meu corpo na cama, tentando recuperar o ar. Ele me deu um selinho rápido e colocou uma mecha de cabelo para trás da minha orelha.

- Fica por cima. – Ele pediu, se deitando ao meu lado e eu sorri, rolando para cima dele e o beijando até que eu senti suas mãos, que estavam em minha bunda subirem para os meus seios e os massagearem, me arrancando um gemido.

Eu o encaixei dentro de mim com cuidado e sentei lentamente, sentindo o seu membro me alargar um pouco e ele gemeu, me fazendo ficar orgulhosa de mim mesma. Dei uma reboladinha para me ajeitar e ele deu mais um grunhido de prazer e então, com este incentivo, eu comecei a sentar, aumentando o ritmo conforme eu pegava prática, com as minhas mãos apoiadas em seu peito e sentindo as dele impulsionarem o meu quadril para cima e para baixo. Eu fechei os olhos, me concentrando em não desfalecer sobre ele e dizendo seu nome repetidas vezes enquanto ouvia a sua voz rouca falar o meu. Aquilo estava tão bom e era um momento tão nosso que eu mal controlava os meus gemidos e pedidos desesperados por mais. Era tanto amor e tanto prazer que eu perdi a noção de tudo o que estava à nossa volta.

- Vi, abre os olhos. – Ele pediu. Eu o obedeci na mesma hora. A primeira imagem que eu foquei foi o Teddy me olhando profundamente, com um sorriso extasiado nos lábios e com a testa brilhando de suor. Ele estava tão sensual daquela forma que essa foi a minha deixa para me apoiar nos antebraços e apenas rebolar em seu membro, buscando mais contato entre os nossos corpos. O calafrio da noite anterior voltou ainda mais forte e atingiu cada milímetro do meu corpo, me fazendo apertar os olhos e dar um gemido longo de prazer. Ele apertou fortemente as minhas coxas, rosnando, e eu senti o seu líquido me invadir antes que eu caísse sobre ele, completamente sem forças.

- Santo Merlin... – Eu arfei, depois de um tempo que eu fiquei alí, tentando recuperar o meu ar e ele acariciou a minha nuca com a ponta de seus dedos.

- Eu queria que os meus olhos tirassem fotos.

- Por que? – Eu apoiei meu queixo em seu peito e ele sorriu de forma carinhosa, passando seu dedão pelo meu lábio inferior.

- Pra você ver como você é perfeita. Eu te amo.

- Não fala assim que eu me derreto toda... – Eu escondi meu rosto com as mãos e ele gargalhou, segurando-as.

- Quer ir tomar um banho e se arrumar? – Ele olhou no celular. – Ainda são nove da manhã... o pessoal acorda mais de dez, temos tempo.

- Você quer vir comigo? – Eu convidei, corada e ele sorriu.

- Tomar banho? – Suas sobrancelhas se ergueram, em surpresa.

- Bem... é... – Encolhi os ombros e ele riu.

- Claro... vamos! – Ele se levantou, segurando as minhas coxas e eu enlacei minhas pernas em seu quadril enquanto ele me levava para o chuveiro da casa da árvore, aos beijos. Tomamos um banho com algumas caricias mais quentes, mas não chegamos a transar. Depois que saímos do chuveiro, Teddy vestiu uma cueca e o seu shorts de piscina, se jogando na cama enquanto eu vestia o meu biquíni lilás sob o seu olhar atencioso. Escaneei o quarto, a procura da loção protetora e a encontrei sobre uma prateleira. A derrubei em minha mão e comecei a passar em mim.

- Ta aí uma coisa que a gente não vê todo dia: uma mulher gostosa passando protetor solar. – Teddy riu e eu revirei os olhos, com um sorrisinho nos lábios.

- Você devia passar também, sabia? Tá muito sol... depois você se queima e me liga reclamando.

- Eu não gosto... fica tudo melecado. – Ele franziu o rosto em uma careta.

- É porque você não tem paciência de espalhar, espertinho. – Eu rebati. – Se você me deixasse...

- Nem vem. – Ele cruzou os braços com um biquinho de birra nos lábios e eu mordi o meu lábio inferior, colocando poção na mão e avançando sobre ele, espalhando-a em seus braços. – NÃO! NÃO! ISSO É NOJENTO! PARA! VICTORIE! EU NÃO GOSTO DESSE NEGÓCIO... NÃO VOU PASSAR ISSO! PARA!

- Vai passar sim! – Eu gargalhava e ia espalhando nele, que tentava se debater inutilmente. – Se você ficar quietinho é mais fácil.

- Mas eu não quero... – Ele protestou, segurando os meus pulsos com suas mãos.

- Prefere ficar ardendo? – Ergui as sobrancelhas.

- Prefiro!

- Então depois não reclama! – Eu rebati e em um movimento súbito ele me colocou deitada na cama e atacou os meus lábios com um beijo delicioso, se afastando quando precisamos de ar.

- Eu reclamo se eu quiser! – Ele sorriu.

- Ok, mas se você me ligar pra choramingar durante a noite, eu não vou te atender.

- Passa essa merda, vai! – Ele disse irritadiço, bufando e eu sorri vitoriosa, colocando-o sentado na cama e passando a poção em seus ombros, aproveitando para fazer uma massagem em suas costas. Quando eu acabei, dei um beijinho em seu pescoço. – Vou deixar você passar isso em mim sempre, se for ganhar massagem. – Ele sorriu e eu balancei a cabeça, inconformada.

- Doeu passar a porra do protetor? – Eu disse desafiadora e ele riu.

- Não... na verdade foi bem prazeroso. Se toda vez for assim, vou ficar bem contente.

Eu gargalhei disso, dando um tapinha em seu ombro e peguei um shorts de crochê na cômoda, para não ir só de biquíni tomar café da manhã. Para finalizar, fiz uma trança no meu cabelo que acordou mais bagunçado que o de costume.

- E aí, vamos? – Eu chamei e ele logo me abraçou pelos ombros e saiu comigo, me guando para o jardim. A mesa do café já estava posta e nela estavam o tio Harry, a tia Gina com o Al e a Lilly, minha mãe com a Domi, o Draco com a tia Mi e a Molls com o seu caderno de desenho.

- Bom dia! – Teddy disse todo sorridente, não conseguindo nem disfarçar nada. Um coro de saudações foi ouvido e ele se sentou em uma cadeira, me puxando para sentar em suas pernas.

Minha mãe me lançou um olhar significativo e eu corei, me apressando para servir um pote de salada de frutas e comer, na tentativa de disfarçar e não chamar muita atenção para nós.

- Pelo jeito a noite foi boa! – Draco zombou e a tia Mi deu uma cotovelada nele.

- Todo mundo já sabe do que aconteceu, não sei por que vocês estão tentando esconder. – Molls disse sem desviar os olhos do caderno e todo mundo explodiu em gargalhadas.

- Sua traidora, eu achei que você fosse minha amiga. – Eu disse indignada.

- E eu sou... – Ela encolheu os ombros.

- É mesmo... ela negou até a morte. – Tia Gina falou, defendendo-a e em seguida fez uma careta de dor. – Mas o seu pai viu quando o Teddy entrou na casa da árvore e percebeu os feitiços feitos. Ele gritou pra todo mundo ontem o que estava acontecendo.

- ELE VIU? – Eu e Teddy berramos ao mesmo tempo, desesperados.

- E cadê ele, que ainda não veio me falar um monte de baboseira? – Eu perguntei sem nem pensar no que estava falando, de tanta preocupação.

- Ficou tão bravo que foi trabalhar. – Foi o tio Harry que respondeu e eu arregalei os olhos.

- Posso embarcar mais cedo pra Hogwarts? – Eu fiz uma careta.

- Creio que não. Mas eu já falei com a sua mãe e, se você não quiser enfrentar o seu pai hoje, pode passar essa noite lá em casa e amanhã nós embarcamos você. – Tia Gina ofereceu.

- Sério? – Eu a olhei, pensando seriamente na proposta. Eu não queria encontrar meu pai sabendo que ele havia descoberto o que eu tinha feito. Ele realmente me deixava apavorada quando estava bravo.

- Sério. – Tia Gina sorriu. Senti os braços de Teddy em minha cintura e um beijo demorado em meu rosto, tentando me acalmar inutilmente.

- É uma boa ideia, sabe? – Ele sussurrou para que apenas eu ouvisse. – Lá eu estarei por perto para te proteger caso ele surte. Não gosto de te deixar sozinha nessas situações.

- Obrigada, amor. – Eu tentei sorrir, mas tenho certeza que o máximo que eu consegui foi fazer uma careta. – Mae... eu posso?

- Pode, filha. – Ela colocou sua mão sobre a minha. – Eu vou tentar falar com o seu pai e acalmar os nervos dele. Nós sabíamos que isso ia acontecer mais cedo ou mais tarde, é da natureza do núcleo veela de vocês, não sei porque ele ficou tão bravo. De qualquer forma, eu acho melhor você ficar com o Teddy enquanto eu converso com Gui e amanhã nós te encontramos na plataforma para nos despedir.

- Então eu vou aceitar. Não quero embarcar depois de discutir com o meu pai. Não ligo se receber um berrador depois, quando já estiver lá.

- Então vá para casa e arrume o seu malão, leve tudo para a casa da tia Gina e volte aqui para conversarmos um pouco e aproveitarmos o resto do dia juntas. O seu pai só volta de noite, fique tranquila. – Minha mãe mandou. – Teddy, vá com ela querido, por favor!

Nós assentimos e levantamos para fazer exatamente o que ela tinha pedido. Eu não queria nem saber o que aconteceria caso eu me encontrasse com o meu pai. Teddy segurou a minha mão e aparatou comigo para o meu quarto, me ajudando a pegar o malão e a organizar todas as minhas coisas para o ano letivo.

- Ei... – Ele puxou minha mão depois que acabamos de fechar tudo. Eu o olhei, ainda tensa e preocupada, mas tudo melhorou quando ele me puxou para um forte abraço. – Eu estou com você, linda. Vai ficar tudo bem, eu prometo.

Eu o apertei em meus braços e beijei seus ombros.

- Eu te amo, Teddy. Fique perto de mim.

 

LEIAM AS NOTAS INICIAIS E FINAIS

 


Notas Finais


E aí? Gostaram??? Comentem!

O que será que vai acontecer, hein???

Vamos aos recadinhos.

1) Quem quiser entrar no grupo do wpp é só mandar mensagem no privado com o NOME INTEIRO, DDD e o número do celular COM O DDD no seguinte formato: (xx) xxxxx-xxxx para ajudar a titia.

2) Deem uma olhadinha nas minhas outras fanfics, quem ainda não leu. Segue os links:

- Amor e Música (em andamento)
https://spiritfanfics.com/historia/amor-e-musica-9039399

- Hogwarts, Uma História - Wolfstar e Jelly (terminada)
https://spiritfanfics.com/historia/hogwarts-uma-historia--wolfstar-e-jilly-8354218

- Hogwarts, Uma História - Nova Geração (próxima temporada)
https://spiritfanfics.com/historia/hogwarts-uma-historia--nova-geracao-10508064

- Um Belo Erro (Dramione em andamento, com a maravilhosa da Milla!)
https://spiritfanfics.com/historia/um-belo-erro-10516863

3) Não deixem de comentar! Eu amo ler e os comentários são bem importante.

4) Ainda falta um pouquinho pra acabar, mas nada de pânico, porque o link da terceira temporada já foi criado e está logo acima. Então não perca tempo e já deixe o seu favorito lá!

Espero que tenham gostado!!!

Beijos e Nox!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...