1. Spirit Fanfics >
  2. Holofotes >
  3. Capítulo 1

História Holofotes - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Aproveitem a história!
É isso!
❤❤❤❤

Capítulo 1 - Capítulo 1


Luz!
Câmera!
E ação!
Corta!
Alguém viu o pirralho do Arthur?

Eu escutava isso cada vez que gravavamos uma cena da série, lembro que era o capeta em forma de criança. São lembranças boas, apesar de ter acabado há mais de quinze anos. Ah, mas não fiquem assustados, sou um jovem rapaz de vinte e cinco anos, e que convenhamos, é muito bonito.

Mas o que tenho de bonito, tenho de fudido.

- Você é um puta fracassado, cara. - Falo pra mim mesmo no espelho do meu banheiro. - Mas é bonito, e isso que importa.

Tô quase desistindo de tudo para me casar com uma senhora de oitenta anos e quando ela morrer por causas "naturais", irei ficar com todos os seus bens. É uma boa, posso falar que eu era o ídolo do neto dela.

Perfeito.

Enfim, mais um dia. Escovo os dentes e coloco uma bermuda e uma regata. Arrumo minha mochila com toalha, garrafinha e os airpods. Na cozinha, apanho duas bananas da fruteira e pego meu celular.

O dia está lindo como sempre.

...

- Como assim aumentar a mensalidade?

Olho incrédulo para meu amigo, Josh. Ele veio todo cheio de manha pro meu lado para me dizer que eu estava pagando muito pouco para usar a academia dele. Cara, eu só tô fortão pela sua generosidade.

- É, cara, aumentei a academia mas as contas não ficaram na mesma. - Ele responde singelo, enxugando seu rosto suado na toalha.

- Eu entendo, mas a gente é irmão. - Lancei incrédulo. - Por favor, eu não posso deixar de malhar!

O maior dá de ombros.

- Arthur, entendo que você é meu braço direito, mas não dá, nós devemos evoluir de qualquer maneira.

- Disse tudo e nada, cara. Lição de moral não vai fazer meus músculos crescerem.

Ele ri da minha cara e eu o observo sem entender.

- Eu dou valor pro meu dinheiro, diferente de você. - Josh coloca a mão no meu ombro, como se desse sermão. - Assim, vai viver pra sempre na merda.

- Vai se foder, Josh. - Me afasto e lanço o dedo do meio, indo até o armário da pequena sala de equipamentos pegar minhas coisas. - Enfia no cu sua academia de bosta!

- Tchau pra você também, amigão!

Debochado do cacete.

Vou embora de lá sem olhar para trás. Não precisava ser tão sincero e devia ter considerado a ideia. Sou seu irmão, um cliente VIP, além de viver convidando ele pras coisas.

Eu não torrei todo o dinheiro, apenas aproveitei e comprei o que queria.

Mais um dia onde algumas pessoas acenam do nada pra mim na rua, elas devem ter uma memória boa para rostos. Ao mesmo tempo que sou um ator esquecido, sinto que na memória de muitos adultos, devem ter um pequeno fio de nostalgia.

Entro no meu apartamento e checo o correio. Cartas de algumas admiradoras, chaveirinhos de urso segurando um coração gigante escrito "eu te amo" e contas da casa. Bufo. Eu tinha o hábito de não ligar para as contas e ler as cartas, mas ultimamente, essa ordem mudou.

O elevador está lotado, tenho que esperar um pouco pra entrar. Não tenho nada pra fazer mesmo. Com isso, sento em uma das cadeiras da portaria e começo a mexer nas redes sociais. Instagram. 25.000 seguidores. Facebook. Mesma coisa. Twitter. 45.000 por que virei meme num pequeno nicho.

- Olá campeão!

Essa voz é do dono do apartamento, senhor Chan. Merda. Tô devendo duas parcelas. Ele só conversa comigo quando lhe devo algo, típico homem interesseiro. Tento atravessar esse assunto a qualquer custo, mas como sou um ator nato, lanço um sorriso.

- Olá! Como vai, senhor Chan?

Aperto sua mão. Eu quero que você se foda.

- Estou ótimo, obrigado. - Responde educadamente dando um sorriso ladino.

Apesar de ser um idoso, se vestia como um cafetão. Pelo que ouvi de más línguas, alguma moça, provavelmente amiga da filha, o chamou de velho caduco. Então ele passou a usar camisas e blazers chamativos, seguido de chapéu e corrente amarela, que nem de ouro é.

- Não se preocupe com a conta. Receberei final do mês e lhe entregarei em dinheiro vivo. - Afirmo.

- Não se preocupe com o dinheiro.

Ué.

- Por quê, senhor Chan? Eu sempre lhe paguei no prazo e...

- Vendi o prédio. - Ele responde.

O QUÊ?

Parece que hoje meu dia virou uma poça de bosta. E olha que a manhã nem acabou. O fito surpreso, por pouco não deixo meu celular cair no chão.

- Então quer dizer que...

- Sim, daqui uns dias lançarei o ordem de despejo pra todos os moradores.

Merda. Só o que me faltava, sem academia e agora sem onde dormir. Eu poderia voltar para a casa dos meus pais, mas isso é muita humilhação. Eles me receberiam de braços abertos, ou não, não sei, meu irmão já mora lá. E ele nem terminou o ensino médio. E eu já tenho idade pra ser pai.

Ah, meu Deus. O que farei?

Já sei, ir a uma festa, pra esquecer os problemas.










 


Notas Finais


Favoritem e comentem!!😊🥰🥰🥰


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...