História Home - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Visualizações 85
Palavras 1.291
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey meus amores, boa noite! Sei que já está bem tarde, mas o dia foi cheio. Então a noite é uma criança ksksks (Brinks, já estou quase caindo de sono ksksks).
Como o prometido, venho trazer para vocês a finalização de "Laços de sangue". Não será uma fanfic grande como as que estou acostumada a escrever, mas garanto que lhes trará muitas explicações dentro de "Blood secret", além de encerrar "Laços de sangue" com uma trajetória para cada personagem.
Além do mais irá dar impulso para as algumas fics que pretendo escrever futuramente.
Essa fic começa três anos depois do ponto aonde paramos em laços de sangue. Espero que gostem♥️♥️♥️

Capítulo 1 - O tempo não para


POV Joey

— Alex vai tomar banho. –Advirto pela enesima vez em menos de quinze minutos.

— Ah não papai.. Está frio. – Murmura meu filho deitado no sofá todo embolado na manta.

Rodo os olhos, nem parece que esse menino já tem 21 anos.

— Alex não importa se está frio ou não. Você precisa tomar banho todos os dias filho. – Murmuro como se de fato estivesse falando com uma criança.

— Nah... Eu estou limpo.

Respiro fundo e desligo TV.

— Se você não estiver debaixo do chuveiro em cinco minutos eu irei te levar pela orelha. – Ameaço cruzando os braços. Alex bufa levantando irritado.

— Eu não sou criança!

— Então pare de birra e vai tomar banho. – Respondo como toda resposta.

— Tô contando os dias para ir morar sozinho! – Indaga alto.

Respiro fundo, odeio pensar nisso. Em pouco menos de um mês Alex estará se mudando de casa. Ele está quase terminando a faculdade, e como o prometido deixarei que ele cante comigo.

Mas Alexander quer ser independente... Quer ter a experiência de morar sozinho. Então está arrumando umas coisas antes de se mudar para seu apartamento de forma definitiva.

Ah eu costumava reclamar quando as crianças aprontavam... Quando os gêmeos não paravam de brigar. Eu sinto falta disso tudo. Sinto falta dos gritos, das desculpas esfarrapadas quando eu os pegava no flagra. Sinto falta das artimanhas que minhas crianças viviam fazendo.

Sinto falta da bagunça, da desordem que eles faziam.

Melissa decidiu se mudar com Kyle um ano depois que os gêmeos nasceram. Ou seja, só vejo minha filha nos fins de semana. Alex e Jack ficaram comigo, Alex é um companheiro e tanto na música. Ele é brincalhão, divertido. Minha relação com o meu filho apenas melhorou durante esses últimos anos.

Acho que porque agora ele já é um homem. Aparentemente tem apenas um ano a menos que eu. Temos os mesmos gostos, os mesmos assuntos.

Já Jack está com 18 anos. Ele continua sendo o meu bebê... Mesmo não tendo mais tamanho para isso ainda é bem infantil e eu estou tentando preservar isso o máximo possível.

Meu ruivinho está no último ano escolar já. Pelo visto logo logo seremos só nós dois e Emília.

Hillary ainda vem me visitar, mas não é a mesma coisa que morar comigo.

— Fique provocando e eu juro que te proíbo de ir. – Ameaço desejando só fundo do meu coração realmente ter esse poder.

Alex para no meio das escadas e me olha de forma divertida.

— Você sabe que não pode me impedir Joey. – Murmura rodando os olhos.

Cerro os olhos para ele.

— É papai para você. – Respondo como toda resposta – E não me provoque porque você sabe muito bem que eu posso.

Alex me encara durante alguns segundos.

— Pai... Você não está falando sério não é? – Pergunta confuso e um tanto sério agora.

Forço um sorriso.

— Vai tomar seu banho pretty... Vai esfriar mais se ficar enrolando .

Alex assente subindo rápido. Respiro fundo e me jogo no sofá notando que a TV está ligada em um canal de notícias.

Vejo que estão falando da última entrevista que dei a respeito da decisão do meu filho de se mudar em breve. Nela eu digo que meu irmão – É assim que apresento Alex já que não posso dizer que é meu filho por conta da nossa idade. As pessoas não sabem a verdade, não sabem o que somos. Sempre disse que os gêmeos eram meus irmãos mais novos. Mas que eu lhes criava como filhos.

Na época isso foi bem aceito.. Afinal eles eram menor. Agora eles cresceram.. E eu não mudei praticamente nada. O público pensa apenas que minha genética é boa... E que o dinheiro faz milagres.

Na entrevista estou dizendo que chega um momento no qual todos precisam encontrar seu caminho e Alex chegou nesse momento. Rodo os olhos quando os reportes começam a falar e falar...

— Vocês não sabem de nada... – Murmuro baixo trocando de canal.

— Hey amor... – Sorrio ao ver Emília entrar na sala e se sentar ao meu lado. Ela está de cabelos curtos, está vestindo uma calça jeans e uma blusa preta de moletom.

Sorrio e lhe abraço.

— Hey querida, voltou rápido. – Sorrio lhe dando um selinho.

— Bem rápido por sinal. Acredita que Jack já estava na metade do caminho??

Me surpreendo a olhando com mais atenção. Como assim?!

Hoje pedi para Lia ir buscar nosso caçula no colégio já que eu queria passar a tarde com Alex, geralmente sou eu quem vou já que não deixo meu filho dirigir ainda.

Sei que Alex e Mel possuem carro desde os 16, mas eles tinham mais maturidade que o meu caçula. Jack é muito ingênuo e inocente, eu não confio em deixá-lo sozinho dirigindo pelas ruas perigosas de Los Angeles.

Encaro Jack que está de pé perto da porta me olhando com os olhos vidrosos.

Geralmente ele chega e já vem me abraçando, hoje está quietinho.

— Jacob quer me explicar isso? – Questiono arqueando uma de minhas sobrancelhas.

O ruivo apenas nega com a cabeça.

— Jacob eu não estou brincando.

— Papai... Eu só queria vir sozinho. Isso não é errado...

— É errado quando você está proibido de vir sozinho. Jack você sabe que essas ruas são perigosas!

— Mas os meus amigos sempre andam sozinhos por aí papai! – Indaga visivelmente bravo.

— Você não é os seus amigos. – Falo sério – Vêm cá.

— Joey... Não castigue o menino por isso. Uma chamada de atenção basta. – Murmura Lia em meu ouvido.

Respiro fundo e seguro a mão do meu filho assim que ele se aproxima o suficiente.

— Escute... Que seja a última vez que você faz isso filho. – Falo calmamente notando o meu ruivinho de olhos verdes concordar com a cabeça.

Suspiro baixo e lhe puxo para um abraço.

— Você anda bem teimoso ultimamente hein bebê? – Olho ele lhe balanço suave enquanto lhe sento em meu colo.

Jack é baixinho para a sua idade, e como sou um híbrido sou muito mais forte do que qualquer pessoa normal, portanto aguento perfeitamente com o meu filho.

— Não ando não.. Eu sou bonzinho sempre. – Murmura apoiando a cabeça em meu ombro.

Sorrio levemente e lhe abraço mais.

— Vamos ver... Você tem lição de casa?

— Tenho um projeto de ciências papai.

— Uh então vai tomar um banho e desça para comer alguma coisa. Depois papai irá te ajudar com o projeto uh? – Sorrio sem solta-lo. Sempre ajudei meus filhos com esses assuntos do colégio.

— Sobre isso... Hoje eu vou pedir para o Alex me ajudar. Pode ser?

Olho Jack estranhando.

— Por que?

— Eu quero aproveitar o máximo de tempo com ele papai.. – Murmura com um biquinho fofo nos lábios. Digamos que meu caçula ainda não aceitou muito bem essa história do irmão querer se mudar. Acredito que o motivo de Alex querer atrasar um pouco a mudança seja o irmãozinho caçula. Os dois são muito próximos.

— Oh... Tudo bem meu anjo. – Sorrio levemente depositando um beijo em seus cachos cor de fogo.

Faço Jack levantar e sorrio dando uma palmadinha de incentivo em seu traseiro.

— Agora vai lá tomar um banho uh? Não fique muito tempo na água, senão vai pegar resfriado. – Aviso já sabendo que ele ama banhos demorados.

Jack solta um risinho baixo e corre escada acima. Sorrio e volto a abraçar Emília.

— Ele já é um homenzinho. – Sorri ela orgulhosa.

— Nah.. Ele é o nosso bebê. O homenzinho da casa é o Alex. – Murmuro sorrindo. Lia concorda com a cabeça e me beija apaixonadamente, quando estou com ela esqueço totalmente dos problemas e das preocupações ao meu redor... 


Notas Finais


O que estão achando amores?? Favoritem e comentem mostrando a opinião de vocês ♥️
Qualquer dúvida, basta perguntar :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...