História Home - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Visualizações 121
Palavras 1.485
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Uh mais um capítulo para vocês amores ❤️

Lá estava eu pesquisando sobre os candidatos à presidência do Brasil (Porque mal começou as aulas na faculdade e já pediram um trabalho sobre isso rsrs) quando essa ideia surgiu. Confesso que não ia escrever capítulo hoje, mas se a ideia vêm não pode-se ignorar ksksks

Enfim, espero que gostem :)

Capítulo 3 - Confusão


POV Joey

São três e meia da manhã e Alex ainda não chegou em casa. Já tentei ligar em seu celular mas ele não se dignou nem a atender. Mandei mensagem mas ele não chegou a visualizar.

Alex se acha grande demais, mas na verdade não passa de uma criança com vontade de ser adulto.

Sei que ele já tem idade, mas sinceramente não vejo tanta maturidade assim.

Eu sei muito bem aonde Kristal mora, confesso que já pensei em ir bater lá e trazer meu filho para casa nem que seja a base de palmadas para ele aprender a não me desobedecer.

Mas isso não iria resolver muita coisa já que só serveria para Alex ficar revoltado comigo.

Suspiro e me jogo no sofá cansado.

— Joey... Vem para cama amor. – Ouço Emília. Vejo a mesma descer as escadas com cara de sono.

— Lia... O que está fazendo acordada amor?

— Alex também é o meu filho. – Murmura ela sorrindo fraco. – Além do mais senti falta do meu marido ao meu lado.

— Ah amor... Esse garoto está pedindo uma surra a gritos. – Murmuro emburrado.

— Ele está com a namorada.

— Então porque não me atende??

— Joey você conhece o Alex.

Rodo os olhos sabendo que ela tem razão. Quanto mais eu corro atrás mas Alex me provoca.

— Vou buscar ele. – Digo me levantando já sem paciência.

— Não vai não. Uma hora ele vai chegar, para que sair e criar uma cena Joey?

Suspiro e a encaro. Lia tem razão.. Não há motivo para causar. Uma hora ele vai ter que chegar e aí sim teremos uma seria conversa.

Emília me abraça forte e eu retribuo subindo com a mesma pouco depois.

O problema começou verdadeiramente na manhã seguinte, acordei e fui direto para o quarto do meu primogênito. Geralmente quando meu filho sai e não chega no horário estipulado, ele sempre chega antes da mãe ou a eu acordarmos.

Ao contrário de outras vezes o quarto de Alex encontra-se completamente vazio.

O procuro pela casa pensando que ele pode estar em outro cômodo, mas não lhe encontro.

Ok, agora sim estou de fato preocupado. Tomo um banho rápido e me visto adequadamente, hoje não tenho nenhuma entrevista ou compromisso, eu deveria estar aproveitando minha folga e não com tanta preocupação me consumindo. Alex me paga!

Opto por vestir uma calça jeans e uma camiseta preta. Coloco a jaqueta de couro por cima e um par de coturnos masculinos. Confesso que sou demasiado vaidoso.

Vejo que Lia ainda dorme placidamente e decido não despertá-la. Peço para uma das funcionárias preparar o café da manhã e me dirijo ao quarto de Jack enquanto tento ligar para Alex. Nada do pirralho atender.

— Jack acorda filho. – Murmuro lhe balançando suavemente. Jacob está dormindo pesado. Por tanto preciso chamá-lo mais um par de vezes para conseguir despertá-lo.

— Papai.. Bom dia. – Sorri meu ruivinho ao me ver. Sorrio levemente.

— Bom dia bebê... Hora de levantar.

Jack faz careta e nega com a cabeça.

— Não quero ir para o colégio hoje papai.

— Você nunca quer ir. Agora levanta anda.

— Não quero.

— Jack...

— Não não não!

Arqueio uma de minhas sobrancelhas, hoje definitivamente não é um bom dia para me irritar.

Tenho uma ideia, sorrio e começo a fazer cócegas no meu bebê. Ele não demora para render-se aos risos.

— Só vou parar quando você me obedecer rapazinho. – Advirto e ele aguenta por alguns segundos mas logo pede trégua. Rio e lhe libero de minha "Tortura".

Assim que Jack se tranca no banheiro volto a tentar ligar para Alex. Dessa vez nem mesmo chamou e foi direto para a caixa postal.

Desço e vejo que o café da manhã já está posto. Não estou com fome, por tanto trato de aguardar Jack que não demora em descer já arrumando para o colégio.

Espero meu filho tomar o café da manhã enquanto conta animadamente sobre o sonho que teve essa noite.

Confesso que não prestei muita atenção depois da segunda frase sobre "casa de praia"... Minha cabeça está ocupada demais com Alex para se concentrar em outra coisa.

— Você não me escuta! – Ouço Jack dizer depois de um tempo.

— An.. Desculpa filho. Papai está distraído hoje. Já terminou o café?

Jack assente com a cabeça.

— Ótimo. Vamos indo.

— Mas ainda é cedo papai...

— Eu tenho que resolver uns assuntos pendentes amor.

— Mas eu não quero ir tão cedo. Nenhum dos meus amigos chegou à essas horas ainda. – Murmura manhoso.

— Logo logo eles chegarão. Vamos indo, preciso encontrar o seu irmão.

— Ele só está namorando papai...

— Jack pega a mochila. – Falo lhe ignorando.

— Não são nem sete horas!

— Não grita. O tempo vai passar rapidinho você vai ver. – Falo rodando os olhos. Ele entra às oito, não é tanto tempo assim.

— Papai é muito ruim ficar sozinho esperando... Você fica comigo? – Pergunta um tanto infantil. Só que hoje não estou com paciência para isso.

— Eu já disse que tenho que encontrar seu irmão!

— Mas...

— Jack eu estou saindo agora. Ou você vem comigo ou fica e um motorista te leva no horário! – Falo sem um pingo de paciência. Jacob me olha irritado:

— Você nunca tem tempo para mim! É só Alex e Alex. – Fala chutando o pé da mesa com força. Ação essa que faz o móvel quebrar derrubando tudo no chão.

Não é que a mesa seja fraca, pelo contrário ela é muito reforçada, mas Jack possui uma força anormal. Sendo um híbrido de demônio, bruxos, vampiros e lobisomens meu filho possui uma força física incrível embora na maioria das vezes aparente ser frágil.

Olho a bagunça, tudo está quebrado no chão. Os alimentos não tem mais salvação. Jack está tão ou mais surpreso do que eu. Ele me olha com os olhinhos verdes arregalados.

— Papai eu não... – Lhe interrompo antes que o mesmo continue, puxo Jacob pelo braço e começo a tirar o cinto me sentindo muito mais irritado do que eu estava minutos atrás.

— Quem você acha que é para fazer isso?! – Questiono com a voz mais alta que o normal. Não costumo aumentar o tom com Jack, mas hoje definitivamente não foi um bom dia para fazer birra.

Termino de tirar o cinto e sem lhe dar tempo para nada acerto com força em suas pernas.

ZASS AAAII

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS

Distribuo as cintadas alternando entre as pernas e as nádegas cobertas pelo uniforme do colégio.

— Está vendo a bagunça que você fez?!

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS Aauu! Tá doendo!!

Jack já está chorando a mares, ele não está acostumando a apanhar sério. Afinal sempre tive muita paciência com o meu caçula.

— Eu perguntei se você está vendo Jacob!

— ESTOU PAPAI!!! – Grita o que só serve para me irritar mais. Lhe tombo sob o sofá e continuo com o castigo.

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS

— Eu não quero saber de birras sem motivos! Aprenda a se controlar!

ZASS ZASS ZASS

Jack tenta se proteger com as mãos, Bufo e afasto ambas sem dificuldade nenhuma.

ZASS ZASS ZASS ZASS ZASS Eu não vou fazer mais...

Não sei muito bem como meu filho consegue se esquivar. Só vi quando ele tentou pular para o outro lado do sofá, tentativa que não deu muito certo visto que o mesmo acabou caindo com tudo no chão. Acredito que por estar confuso e com pressa meu caçula não mirou muito bem.

— Jack!! – Murmuro rodeando o sofá e vendo o mesmo deitado no chão com a mão na cabeça e chorando ainda mais.

— Saí...

Ouço sua voz em meio ao choro sentido e aos soluços altos. Meu filho está tossindo muito e isso me faz cair na real.

Solto o cinto surpreso com o que fiz. Jamais dei uma surra de verdade em Jacob. Jamais usei o cinto com ele. Foi a primeira vez... Embora não tenha sido tão duro sei que para ele foi o fim do mundo.

Eu sou muito idiota!! Embora Jack tenha 18 anos ele é muito sensível. É como uma criança... Eu lhe criei assim.

Algumas palmadas e um belo sermão teriam bastado.

— Jack... Você se machucou? – Me abaixo perto do garoto realmente preocupado pelo tombo.

— Vai ficar com o Alex. – Indaga se levantando com o rosto banhado em lágrimas.

Fecho os olhos ouvindo ele se afastar rapidamente. Eu sou um imbecil.

E ao invés de ter ido consolar o meu pequeno eu sai para ir atrás de Alex. Eu não faço ideia de onde ele está e isso me faz parar de pensar sensatamente.

   Ao invés de consolar o meu Jack eu decidi sair a procura do meu Alex... E eu não poderia imaginar o tamanho do arrependimento que isso me causaria apenas algumas horas mais tarde.


Notas Finais


E então, o que acharam? O que acham que ria acontecer??

Amores o próximo capítulo provavelmente saia semana que vêm, ou antes. Quem sabe ksksks

Comentem se puderem ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...