1. Spirit Fanfics >
  2. Home >
  3. Capítulo 8

História Home - Capítulo 8


Escrita por: cat_ghost

Notas do Autor


Oi gente! Esse mês eu tive um bloqueio criativo tão chato, passei todos esses dias escrevendo o capítulo. Sinceramente, não estou muito confiante, mas eu realmente espero que gostem!

Boa leitura!💜

Capítulo 8 - Capítulo 8


Fanfic / Fanfiction Home - Capítulo 8 - Capítulo 8

— Mas que porra.. Yoongi?!












     Yoongi estava literalmente ferrado. "Como ele foi ficar daquele jeito?". Essa pergunta pairava na minha cabeça enquanto eu o levava para minha casa. Era tarde da noite e o hospital estava muito longe para levá-lo, mas eu com certeza o levaria nem que fosse no dia seguinte. Terei que faltar aula.

— Ei, aguenta mais um pouco, tá? Estamos perto. — Ditei baixo quando ouvi um grunhido vindo de Min, ele parecia estar com muita dor.

Eu queria chorar, eu queria chorar muito. Mas eu precisava ajudá-lo primeiro.

Mais uns poucos minutos e eu estava abrindo a porta de minha casa, jogando a chave em qualquer canto quando entrei, fechando a antes citada com o pé.

Deitei o Yoongi com cuidado no sofá, me sentando no chão diante dele em seguida, o fitando enquanto pensava no que fazer.

— Okay, Jeon.. você consegue. Vai ficar tudo bem. — Falei comigo mesmo, quase num sussurro, indo para o banheiro.

Peguei alguns itens de primeiros socorros e uma toalha pequena. Corri até cozinha e pus água para esquentar, talvez funcionasse para limpar os ferimentos dele. Nos filmes sempre funciona.

— Tá bom, vamos lá. — Andei novamente até Min, ficando em pé diante de si. — Droga.. vou ter que tirar as roupas dele.. talvez eu amanheça morto. Talvez eu devesse ligar para a Momo..

Peguei meu celular, discando o número de minha melhor amiga, aproximando o aparelho da orelha enquanto esperava a mais velha atender.

Oi, o que foi? — Ela ditou do outro lado da linha.

— Oi! Então.. eu estava indo pra casa, e encontrei um... amigo? Enfim, eu o encontrei num beco escuro, e ele está bem machucado. Parece que ele foi espancado..

Minha nossa.. e o que você fez? — O tom de voz dela mudou de entediada para preocupada.

— Eu o trouxe pra casa. Preciso ajudar, mas não sei o que fazer. Me ajuda?

Okay.. você precisa dar um banho nele. Para limpar os hematomas e cortes que ele possa ter no corpo. Assim não vai ter nenhuma infecção nem nada do tipo.

— Ele vai me matar.. tá bom, espera aí, não desliga. — Deixei o celular sobre a mesinha de centro, correndo para o banheiro.

Liguei a torneira da banheira para descer água morna, assim corri de novo para a sala, indo em busca de Yoongi.

— Preciso te levar para o banheiro, não fique bravo comigo, tá bom? — Falei mesmo que ele provavelmente não fosse me ouvir.

Balancei um pouco a cabeça, decidindo pegar Yoongi nos braços. Assim que o peguei, respirei fundo e andei até o banheiro novamente.

Ele era bem pesado, mas já estava inconsciente e eu não o faria andar novamente.

Ao que cheguei ao outro cômodo, sentei o corpo alheio na privada enquanto fechava a torneira. Respirei fundo e logo tirei as roupas sujas do outro.

— Desculpa.. — Sussurrei, pondo-o na banheira quando terminei.

Busquei meu celular novamente e voltei, suspirando pesado.

— Pronto, Momo. Ele tá na banheira, o que eu faço?

Lavar ele, obviamente. Você quer que eu vá aí te ajudar? — Ela falava nervosa.

— Lavar, certo. — Fui até o armário embaixo da pia e peguei um sabonete embalado. — Não precisa vir, você não iria querer ver um desconhecido sem roupas.

É, você tem razão. — Ela soltou um riso em meio ao tom preocupado.

— Vou terminar isso e te mando uma mensagem depois. Obrigado pela ajuda, te amo.

Okay, também te amo. Se ficar urgente, me liga. — Logo após assentir, eu desliguei.

— Certo.. vamos acabar logo com isso.








[...]







Estava ao lado da minha cama, sentado no chão, enquanto Yoongi estava deitado sobre ela. Eu estava chorando. Mesmo que eu tenha limpador ele e dado roupas limpas, ele ainda parecia péssimo. Eu estava chorando por vê-lo assim, por saber que pessoas fizeram isso com ele. Eu não consegui dormir, já era de manhã, acho que umas sete da manhã. Eu certamente não apareceria na escola.

— O que..? Onde eu estou? — Ouvi Yoongi gemer baixo, parecia que ainda estava com dores. Me virei para ele, secando meu rosto.

— Oi, oi. Sou eu.. você tá bem? — Ele me olhou por alguns segundos e logo sua expressão mudou para uma confusa e brava.

— Jeon?! Que porra é essa? — Ele iria se levantar, mas eu o impedi.

— Ei, calma. Você tá machucado. Toma isso aqui. — Peguei um copo com água e um remédio em comprimido. — Toma que eu explico tudo, tá bom?

Yoongi me encarou por pouco tempo antes de pegar o copo e o remédio de minhas mãos e beber.

Ele voltou a se deitar, enquanto me olhava, esperando que eu dissesse tudo.

— Okay, eu tava voltando do trabalho e ouvi um barulho estranho vindo de um beco.. eram uns caras conversando, daí quando eu fui, lá estava você. A princípio eu não sabia que era você, mas de qualquer forma não podia te deixar ali..

Não conseguia olhar pra ele, ficando cabisbaixo o tempo inteiro. Meus lábios tremiam, eu queria chorar mais, porém estava tentando me acalmar.

— Entendi.. — A voz dele parecia mais calma depois que expliquei. — Por que está chorando? — Perguntou.

Depois disso não consegui me conter, apenas abaixei a cabeça ainda mais, afundando o rosto no acolchoado.

— D-Desculpa... — Apertei um pouco o tecido que cobria a cama, sentindo meu peito apertar. — Você se machucou.. é por isso que estou c-chorando.

Consegui ouvir um suspiro baixo vindo do outro antes de sentir sua palma encostar meus cabelos e fazer um carinho ali.

— Obrigado... por me ajudar. — Movi um pouco minha cabeça, assentindo. — Agora para de chorar, vai.

Ergui meu rosto, limpando-o em seguida, mas mantendo meu olhar abaixando, fitando minhas mãos.

— Essas roupas são suas? — Ele perguntou. Confirmei. — Então você me lavou? — Confirmei novamente. — Certo.

— Desculpe, eu não tive escolha. Você estava péssimo e se ficasse sujo, poderia piorar.. — Mexi meus dedos, um tanto nervoso.

— Tudo bem. Eu vou deixar passar.

— Certo.. Vou fazer algo pra você comer. — Iria me levantar, mas ele me segurou.

— Você tá com uma cara péssima. Você dormiu de noite? — Neguei.

— Fiquei cuidando de você.. Por que está preocupado se eu dormi ou não? Eu sei que não gosta de mim.. — Yoongi me soltou e cruzou os braços.

— É, mas já que cuidou de mim, estou tentando ser simpático.. como agradecimento. — Acabei sorrindo um pouco, finalmente olhando-o.

— Tudo bem. Eu vou fazer algo pra você comer. — Me levantei e fui direto para a cozinha no andar de baixo.


Por algumas horas... por apenas algumas horas eu esqueci de Taehyung. E por um mínimo segundo, eu consegui sorrir. Sei que Yoongi me odeia, sei que Taehyung não lembra mais de mim, sei que meu pai deve estar feliz com uma outra família no outro lado do mundo. Sei que estou terrível. Eu sei perfeitamente de tudo isso. Mas sorrir por um segundo me fez esquecer de todas essas coisas estupidamente dolorosas. Quero sorrir mais vezes.. por mais de um segundo.



"Demorará um pouco.. para fazer você sorrir"













[...]












     Depois que terminei de fazer o café da manhã, fui até meu quarto - onde eu havia deixado Yoongi -, entregando-lhe a bandeja com comida para que ele pudesse se alimentar. Me sentei no cantinho do quarto, distante da cama, escrevendo em meu diário enquanto esperava Min terminar.

— Ei. — Parei de escrever assim que ouvi a voz do de cabelos pretos, levantando a cabeça para olhá-lo. — O que tá fazendo?

— Ah, isso? Eu tô.. escrevendo. Foi algo que comecei a fazer depois de ir numa terapeuta. — Ele murmurou um "ah", olhando para cima como se procurasse o que dizer.

— Você terminou? — Apontei para a bandeja quando ele me olhou novamente.

— Ah, sim. Terminei sim. — Me levantei após fechar meu pequeno caderno, indo até a cama. Segurei a bandeja, olhando Yoongi por mais alguns segundos.

— Você.. tem notícias do Taehyung..? — Desviei o olhar, apertando meus dedos contra a madeira da bandeja.

Ele riu um pouco, olhando para a janela de meu quarto, negando com a cabeça em seguida.

— Não.. Eu pensei que você tivesse, já que é o melhor amigo querido dele. — Deixei a bandeja sobre a cômoda ao lado da cama, suspirando.

— Eu não sei dele há um ano. Talvez um pouco mais, nem eu sei. — Olhei para baixo, mexendo em meus dedos.

— Que merda.. — Ele murmurou, mas ainda consegui ouvir.

— Você acha que aconteceu algo com ele? — Voltei a olhá-lo, respirando fundo quando comecei a me sentir ansioso.

— Ele deve estar se matando de estudar pra ter um futuro por causa do pai dele.

— O pai dele? Mas ele é tão legal.. — Ergui um pouco meus ombros quando vi um sorriso enraivecido no rosto de Yoongi.

— Você que pensa. Ele tem aquela máscara de homem bom, mas a maioria das coisas ruins da vida de Taehyung é culpa daquele merda. Não consigo saber como ele conseguia ser tão feliz mesmo com aquele lixo do pai dele existindo.

— Ele.. ele nunca me disse nada.. — Encostei o rosto sobre o acolchoado novamente, pondo meus braços sobre minha cabeça.

— Ele certamente não queria te preocupar. Se eu não soubesse disso, ele também não contaria pra mim.

— Entendi..

— Ei, moleque.

— Hm?

— Obrigado por me ajudar.

— Não há de quê..







"Nós não temos brilho, é tão escuro sem você.."









.


Notas Finais


Foi isso! Os próximos capítulos vão explicar mais sobre a situação de Yoongi e sobre o pai de Tae! Vou tentar fazer novos capítulos mais rápido, o colégio me ocupa muito. Mas prometo não demorar dessa vez.

Agradeço à todos que esperaram pacientemente pelo novo capítulo, e prometo que os próximos virão!

Músicas do capitulo: Space song/Lover is a Day.

Até o próximo capítulo!💜💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...