História Home - Capítulo 44


Escrita por:

Postado
Categorias Girls' Generation, Red Velvet
Personagens Irene, Jessica, Seohyun, Seulgi, Yeri, Yoona, Yuri
Tags Seulrene, Yoonhyun, Yulsic
Visualizações 517
Palavras 5.827
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ter capitulo pronto é a melhor coisa! Você só precisa fazer algumas ajustes e postar. Acho que agora vai hein! Vou aproveitar essas férias pra recuperar o ritmo.

Desculpe qualquer erro e boa leitura. O capitulo está grande porque não consegui dividir.

Capítulo 44 - O Beijo Da Vitória


Seulgi arregalou os olhos e encarou Irene sem acreditar. Nunca, em toda a sua vida imaginou que fosse a amiga a dar o primeiro passo. Desde o acerto de contas no acampamento, a Kwon estava planejando um jeito de pedir a companheira em namoro. Obviamente agia com cuidado, pois sabia de todos os problemas que Irene estava passando. Seulgi só não esperava que seria ela quem tomaria a frente, e estava tão chocada que sequer conseguia responder, apenas olhava para Irene assustada.

– Eu vou entender se você não quiser aceitar. – Falou ela sem jeito ao perceber o silêncio da amiga. – Eu te machuquei muito Seulgi, mas eu também quero ter a chance de te fazer feliz.

– Eu seria muito idiota se não aceitasse. – Seulgi voltou a si, dando um sorriso para Irene. – Isso tudo é o que eu mais queria, só não esperava que fosse você quem iria pedir.

– Ainda é tudo novo para mim, mas eu não posso negar o que sinto aqui dentro. - Levou a mão ao peito. – Eu não quero cometer mais erros.

- Mas você já cometeu. – Seulgi disse divertida, recebendo um olhar confuso da Kim. – Você me pediu em namoro e agora terá que me aturar por um bom tempo.

Uma gargalhada escapou dos lábios de Irene que abraçou Seulgi fortemente. Ela mal dormira a noite pensando naquele momento e seu coração estava aquecido por saber que no fim, não foi tão ruim como imaginava. Amava Seulgi como amiga e como mulher. Pedí-la em namoro era uma passo que precisava dar, e estava orgulhosa disso!

– Parece que tudo está dando certo pra mim hoje. – A Kwon disse animada.

– Então só pra você, olha!

Seulgi seguiu o olhar de Irene, arregalando os olhos com a cena no campus. Seohyun vinha se arrastando com um olhar furioso, enquanto Yoona, que curiosamente estava abraçada em sua perna, era puxada com o movimento.

Ficou claro que com o acontecimento no estacionamento, o zero de Yoona era certo. Mesmo explicando para a professora e chorando a seus pés diante de toda a turma, a mais velha não conseguiu evitar o zero no trabalho por conta de sua falta de responsabilidade. Pra piorar a situação, Yoona acabou tendo uma DR com Seohyun no meio da sala de aula, pois não tivera compromisso com um trabalho importante e ainda mentira para ela. Não bastasse isso, o fato de aquele ser o primeiro zero em todo o histórico escolar da Kim contribuía muito para que Yoona tivesse que batalhar para conseguir seu perdão.

– Seororo, eu já pedi desculpas! – choramingou alto, impedindo que Seohyun escapasse de seu estranho abraço.

– Eu não quero mais ouvir suas ridículas desculpas.

– Mas Seororo

– Não, Yoona! – Seohyun tentou puxar sua perna novamente, mas a namorada não desistia de segurá-la. – Você prometeu que levaria a sério o trabalho, mas no fim era mentira. Deixou que a Sinb cuidasse da nossa filha e ainda matou ela!

– Quem matou foi a Yuri! – Yoona defendeu-se desesperada. – Foi uma tragédia.

Seohyun bufou e continuou seu caminho pelo campus. A cena era um tanto cômica o que arrancou risadas de muitos estudantes em volta. Yoona não estava nem aí por se humilhar em público, o que mais lhe importava era conseguir o perdão da namorada.

[...]

Jessica levou a mão à nuca e mexeu o pescoço de um lado para o outro querendo aliviar a dor. Amava seu trabalho e a oportunidade de poder conhecer outros lugares do mundo, mas não podia negar o quão cansativo era viajar de um lado para o outro. Esperou o elevador se abrir e empurrou as malas para dentro da sala. Não se surpreendeu ao ver que o primeiro andar do apartamento estava uma loucura! Sempre que viajava, era como se um furacão tomasse conta do lugar. A modelo não conseguia entender como Yuri, sendo a mais rígida entre as duas não conseguia colocar ordem na casa. Catou algumas roupas jogadas pelo chão da sala. O apartamento encontrava-se silencioso, visto que as meninas ainda estavam no colégio, mas a bagunça era marcante ali.

A modelo preferiu não esquentar a cabeça e seguiu para o escritório atrás de Yuri. Curiosamente a esposa não estava ali, o que a fez achar que a companheira havia ido buscar as meninas. Entrando em seu quarto em busca de um belo cochilo, Jessica se surpreendeu ao encontrar a morena largada na cama dormindo. Não evitou o sorriso ao vê-la com a boca aberta. Por conta da asma, era muito comum Yuri dormir assim, pois segundo o médico, quando não conseguia respirar pelo nariz, seu cérebro buscava por um outro meio de adquirir oxigênio, e por isso ela insconcientemente abria a boca. A cena era fofa, e a modelo ficou alguns segundos parada admirando-a antes de decidir deitar ao lado da esposa.

O movimento na cama arrancou Yuri de seu levíssimo sono. Ela abriu os olhos preguiçosamente, deparando-se com o sorriso divertido de Jessica direcionado para si.

– O soninho foi bom?

– Amor...

Yuri girou o corpo e agarrou a cintura de Jessica, escondendo o rosto em seu peito. Apesar de ter se acostumado com as diversas viagens que a companheira fazia, a morena não podia negar a saudade que tomava seu coração sempre que ficava dias sem vê-la.

– E mais uma vez a casa ficou uma bagunça sem mim, certo? – Jessica disse divertida, acariciando a cabeça de Yuri.

– Você não faz ideia. – A morena resmungou, abraçando a esposa com mais força. – Yoona e Sinb foram pra escola chorando.

– O que foi que você fez?

– Matei a filha delas.

– A boneca? – Jessica murmurou surpresa.

– Sinb e Yoona ficaram brigando por causa dela. A boneca caiu atrás do carro, eu não vi e passei por cima dela. – Yuri explicou voltando a mesma posição de antes. – O caminho todo até o colégio foi das duas chorando.

- Pelo menos dessa vez saberemos que um zero da Yoona foi por sua causa.

Jessica soltou uma gargalhada e dessa vez, foi ela quem abraçou Yuri. Adorava ficar abraçadinha com a companheira, deitadas na cama, em um maravilhoso silêncio. Era difícil os momentos que tinham uma para a outra, pois na maioria das vezes precisavam cuidar das meninas, da casa e de Sinb, que sempre aparecia nas horas mais íntimas.

– A casa está vazia. – Yuri comentou como se lesse seus pensamentos. – Não temos ninguém para nos atrapalhar.

– Está pensando o mesmo que eu?

A modelo apenas deu um sorriso, permitindo que a esposa invertesse as posições. Seus lábios foram capturados por Yuri, e seus braços envolveram carinhosamente o pescoço da morena. Um toque aqui, um toque lá. As duas finalmente estavam aproveitando o momento a sós que tinham, longe de toda confusão, longe de toda grita...

JESSICAAAAAAAA! CADÊ O ALMOÇO DESSA CASA?

No susto, Yuri saiu de cima de Jessica, surpresa com o grito do lado de fora do quarto. O casal se encarou sem entender, não acreditando que havia outra pessoa ali dentro além delas.

– Mas o que? Essa voz...

– JESSIC- Ah, você está aí!

Krystal entrou no quarto despreocupadamente, encarando a irmã e a cunhada sentadas na cama.

– Krystal, por que você está aqui? Você não ia para China? – Jessica perguntou chocada com a presença da mais nova.

– Eu ia, mas de última hora decidi vir pra cá porque a Victoria ia pra casa da família dela e eu não queria ficar sozinha. – A mais nova dos Jung se jogou na cama, deitando entre Yuri e Jessica. Ela cruzou os braços atrás da cabeça e encarou a irmã, percebendo que assim como Yuri, Jessica vestia apenas suas roupas íntimas. – Ih, eu atrapalhei alguma coisa?

– Não Krystal, imagina. – Yuri forçou um sorriso, frustrada com a interrupção.

– Que bom! Cama confortável a de vocês, viu? – Krystal se ajeitou no colchão, alheia ao tom irônico da cunhada. Voltou seu olhar para a irmã que ainda a encarava sem acreditar. – E aí, não vai preparar o almoço?

Bufando alto, Jessica saiu da cama, pegando suas roupas jogadas pelo chão. As vezes, era como se o mundo conspirasse para que ela e Yuri não tivesse um momento juntas. Quando não era o trabalho, era a briga das meninas. Quando não era a briga entre elas, era Sinb querendo colo. E quando não era Sinb, era Krystal que aparecia do nada sem ao menos ser convidada. A última vez que conseguiram passar tanto tempo juntas foi no acampamento, mas nem puderam comemorar muito, pois Sinb não conseguiu ficar tanto tempo assim longe delas.

– Sica, a sua irmã dormiu na nossa cama. – Yuri resmungou entrando na sala e seguindo para a cozinha, onde Jessica já preparava o almoço.

– Parece que é difícil ter um momento a sós. – A modelo riu, sendo abraçada por trás pela esposa.

– Estamos sozinhas agora.

– Chegamos! – O grito de Yeri ecoou assim que a porta foi aberta.

– Estávamos.

– MAMÃE!

Jessica se afastou de Yuri e abaixou-se para receber Sinb de braços abertos.

– Oi amor, senti saudades.

– Eu também, mamãe.

– Você levou todas essas malas com você? – Yoona encarou as bagagens largadas pela sala. Eram muitas para alguém que só ficaria três dias fora.

– Krystal está em casa.

– Tia Krys vai ficar conosco? – Yeri perguntou animada.

– É o que parece. – Yuri resmungou.

– Mamães, eu tenho uma ótima notícia! – Seulgi disse animada. – Eu fui escalada para o time que irá participar do campeonato interescolar.

– Seulgi, isso é incrível! – Jessica colocou Sinb no chão para abraçar a mais velha. – Parabéns!

– E você? – Yuri encarou Yoona, que apenas deus os ombros e virou a jarra de água na boca.

– Eu sou a melhor jogadora, óbvio que seria escalada.

– Vocês irão nos assistir não é? – Seulgi perguntou com os olhos brilhando. Aquela seria sua primeira vez participando de um campeonato e ela queria muito ver sua família torcendo.

– Claro, quando começa?

– Daqui a duas semanas!

– Duas semanas? – Yuri perguntou surpresa.

– O que foi amor?

– Eu tenho alguns eventos para participar. – Coçou a nuca sem jeito, vendo toda a animação de Seulgi ir embora. – Não sei se poderei ir.

– Eu provavelmente também terei, mas aí a gente cancela. – Jessica deu os ombros.

– Sica, você sabe que eu estou correndo pra terminar meu próximo livro, a editora está no meu pé por causa disso. Estou cheia de evento pra fazer antes do lançamento!

– Nada de surpreendente, você nunca pode não é? – Yoona debochou jogando-se no sofá e ligando a televisão. Já imaginava que a irmã não pudesse ir.

– Bem, é você quem perde. – Jessica deu os ombros, voltando sua atenção ao almoço.

– Está tudo bem mamãe, sei o quanto o trabalho de vocês é importante. – Seulgi forçou um sorriso, antes de subir correndo para o segundo andar.

[...]

– Ah, eu estou tão animada! Uma semana inteira sem aula. É melhor que vocês tragam o troféu pra nossa escola esse ano! – Falou Wendy, caminhando animada pelo campus junto a Yoona e Amber. – Onde será o campeonato esse ano?

– Pelo o que eu entendi, cada partida será feita em uma escola. – Yoona respondeu coçando a cabeça. – A final vai ser aqui!

– Ótimo, não tem coisa melhor que ganhar e ganhar na nossa escola. – Amber vibrou. – Esse lugar vai lotar!

– Os ingressos já estão sendo vendidos. Nosso colégio é enorme, mas também não a ponto de caber os alunos e familiares da nossa e de outras escolas. - Yoona explicou. Seriam dez colégios competindo naquele ano.

– Vou comprar os ingressos de todos os jogos. – Amber avisou. – Estou confiante que ganharemos.

As três entraram na quadra, encontrando Seulgi sozinha treinando arremesso de cesta. Aquele seria o primeiro dia do campeonato, e o time da escola jogaria. Um ônibus levaria o time e todos os alunos que iriam participar até a escola que iniciaria o evento.

– O que há de errado com a Seulgi? – Wendy olhou para a amiga com preocupação. – Ela não parece mais tão animada.

– É porque a Yuri disse que não poderá vir aos jogos. – Explicou Yoona.

– Oh, está pra sair um livro novo não é? – Perguntou Wendy animada, tendo o leve aceno de Yoona que observava a sobrinha errar todas as cestas.

– E você? – Amber encarou a amiga. – Não está triste porque sua irmã não vai vir?

– Eu sinceramente nem ligo. Já me acostumei com o fato da Yuri não se importar com as coisas que eu faço. – Yoona deu os ombros. – A presença dela é irrelevante pra mim.

– Bem, eu entendo os dois lados. – Wendy disse pensativa. – Seulgi tem o direito de ficar triste, mas Yuri já vinha planejando esses eventos para o lançamento há meses. Desmarcar de uma hora para outra não é fácil.

– Sério que você está defendendo ela Wendy? – A Kwon exclamou irritada. – Não acredito que você é fã dela.

– Larga de ser chata, sua irmã é uma escritora incrível.

– Escritora ela até pode ser, mas irmã e mãe...

– Você pode dizer que não se importa, mas no fundo você também queria que ela viesse. – Implicou Amber, fazendo Yoona bufar.

– Eu já disse que não me importo!

Yoona saiu marchando em direção a Seulgi, deixando as duas amigas para trás. A sobrinha arremessou uma bola na linhs de três, mas acabou errando novamente. A bola quicou no chão, e antes que pudesse pegar, Yoona a roubou.

– Se continuar jogando desse jeito é provável que fique no banco o campeonato todo. – Avisou, vendo Seulgi suspirar.

– Eu não sei o que há de errado comigo.

– Eu sei, você está pensando demais nela.

– É a primeira vez que vou participar. – Seulgi disse triste. – Eu queria que ela viesse.

– Idaí se ela não vem!? A Jessica, Sinb e Yeri estarão aqui. Irene estará aqui, isso não é o suficiente pra você? – Yoona perguntou inconformada.

– Eu não consigo evitar.

– Esvazie essa mente. – Jogou a bola para a sobrinha. – Se jogar mal, essa será a primeira e última vez que participa de um campeonato.

Seulgi soltou um suspiro e observou a tia sair marchando em direção a quadra.

– Como você consegue? – Perguntou. – Como consegue não se importar?

– Eu me importo, mas tive que aceitar que ela não se importa.

Yoona empurrou as portas com força, saindo da quadra completamente irritada. Mesmo que dissesse não se importar, no fundo ela queria ver sua irmã lá, torcendo por ela. Porém, Yuri sempre estava ocupada com seu trabalho para dar-lhe atenção. Já havia cansado de implorar a presença da mesma. Se Yuri não se importava com as coisas que fazia, então não iria ligar mais. Venceria o campeonato, com ou sem a presença da irmã.

O horário de ir não demorou a chegar. O time e toda a equipe seguiria na frente em um ônibus, enquanto o resto da escola viria em outro. Todos encontravam-se animados e ansiosos, tantos as alunas que iriam jogar, quanto os alunos que iriam assistir.

O colégio em que aconteceria a abertura estava lotado. Se um monitor já não as tivesse esperando para levá-las ao vestiário, com certeza elas teriam se perdido no meio de toda a confusão. O time colocou o uniforme e seguiu para a quadra, onde os outros competidores já estavam. Um pequeno palco estavam montado na quadra, e os diretores dos colégios já estavam ali planejando os último ajustes.

– Meninas!

– Mamãe!

Seulgi correu em direção a Jessica ao vê-la entrar na quadra. Sinb e Yeri também estavam com ela, assim como o segurança.

– Gugyeom, o que está fazendo aqui? – Yoona perguntou surpresa.

– Esqueceu do ano passado quando Jessica foi assistir o campeonato?

– A partida demorou uma hora pra começar porque todo mundo ficou em cima dela querendo tirar foto. – Ela revirou os olhos. – Jessica caiu e se machucou.

– Pra evitar essa bagunça novamente eu fui ordenado a vir. – O homem riu. – E também...

– MENINAAAS... – Krystal correu em direção a elas, abraçando as duas com força. – Eu quero que façam uma cesta pra mim, viu?

– Tia Krys, pensei que tinha ido embora.

– Eu ia, mas não tava afim de trabalhar. – A modelo deu os ombros. – E já que Yuri não veio eu roubei o ingresso dela.

– Se esforçem viu? – Jessica falou ao perceber o olhar triste de Seulgi após Krystal citar o nome de Yuri. – Vamos torcer muito por vocês!

A família seguiu para seu lugar na arquibancada e as duas se juntaram ao resto do time. Yoona olhou para as várias pessoas sentadas, procurando por Seohyun. Quase não conversara com a namorada nessas últimas semanas por conta de toda essa preparação para o campeonato. Demorou a encontrá-la alguns bancos acima junto com os alunos de sua escola. Subiu a arquibanca animada, querendo poder falar com ela antes de o jogo começar.

– Seororo!

– O que é Yoona?

– Não me diga que ainda está brava? – Resmungou inconformada. – Puxa já faz duas semanas! Esse zero não é nada pra você.

– Você pode não se importar com suas notas, mas eu me importo!

– O que eu preciso fazer pra você me desculpar, huh?

Seohyun cruzou os braços, desviando o olhar ao ver a carinha manhosa de Yoona. Ainda se sentia irritada por conta de toda aquela confusão com o trabalho, mas isso não era o suficiente para resistir a manha da namorada. Não podia negar a falta que sentiu da companheira nessas últimas semanas, mas também não queria esquecer o que Yoona havia feito. Era sim apenas um zero que talvez nem atrapalhasse sua aprovação, mas queria que a namorada pudesse ser mais responsável e compromissada com os estudos.

– Ganhe o campeonato e eu te desculpo. – Disse Seohyun, fazendo um sorriso enorme crescer no rosto de Yoona.

– Isso vai ser fácil!

Ela aproximou-se de Seohyun na tentativa de beijá-la, mas a Kim ergueu a palma da mão, impedindo o contato. Isso fez com que todos os colegas em volta rissem, divertindo-se com a interação das duas.

– Só vou te beijar quando nossa escola ganhar.

– Uma semana sem beijos? – Yoona arregalou os olhos.

– Você aguentou duas.

– Mas eu te roubei vários selinhos.

– Yoona, se concentre no jogo.

– Você vai ver! – Falou inconformada. – Eu vou fazer a cesta da vitória e você vai descer correndo essa arquibancada pra me beijar!

A competição logo se deu início. Teve todo um processo de boas vindas e apresentações até finalmente começarem a primeira partida do dia. Como ordenado, o time ficou a observar a movimentação dos jogadores adversários. Yoona assistia tudo com atenção, analisando as jogadoras mais habilidosas de cada time.

Após três partidas, finalmente chegou a hora delas jogarem. O pessoal da escola vibrou, e o time escutou as últimas recomendações da treinadora antes de entrarem na quadra. Yoona se aproximou do árbitro e da jogadora adversária no centro da quadra. A garota sorriu provocativa, mas ela focava-se apenas na bola. Quando o apitou soou, Yoona e a outra garota pularam juntas. O toque foi dela, e a bola caiu nas mãos de sua companheira de equipe.

O primeiro ponto do jogo seria delas e todo mundo gritou animado. Yoona avançou para a quadra adversária, e como treinaram, elas ficaram passando bola até ela conseguir se desmarcar e arremessar na cesta. Os primeiros períodos foram completamente dominados por elas. Yoona fez a maioria das cestas, sempre roubando as bolas e marcando as jogadoras adversárias. No quarto e último período, elas se encontravam em vantagem, mas o time adversário não queria desistir. As meninas estavam em sua quadra por conta do ataque adversário. Uma das garotas conseguiu roubar a bola e Yoona correu na frente pra encestar. Assim que a bola caiu em suas mãos, uma trombada nas costas a fez cair com tudo, e um corpo caiu bruscamente sobre o seu.

– Yoona!

– Filha da mãe!

Yoona segurou o braço direito, gemendo de dor. Caira por cima do braço, e sequer conseguia movimentar o pulso de tanta dor que sentia. A jogadora que havia lhe derrubado se levantou com um sorriso nos lábios, sem ao menos se desculpar pelo o que havia feito.

– Você está bem? – As companheiras do time se aproximaram preocupadas.

– A minha mão... Droga, a minha mão está doendo.

O jogo foi parado e a enfermeira da escola foi atender Yoona. Ela reclamava por conta da dor, enquanto todo o time estava preocupado se ela voltaria para a quadra ou não.

– Pelo amor de deus, não me diga que ela quebrou o pulso. – A treinadora disse desesperada.

– Foi só um torção. – Explicou a enfermeira após examiná-la. – Mas Yoona não vai poder voltar ao jogo.

Yoona começou a xingar alto, principalmente a jogadora adversária que havia lhe derrubado. A enfermeira cuidou de seu pulso, passando uma pomada e enfaixando. Mesmo sendo uma torção leve, levaria no mínimo uma semana para melhorar, o que significava que Yoona ficaria fora o resto do campeonato.

– Seulgi, você vai entrar no lugar da Yoona. – Disse a treinadora, surpreendendo a menina.

– E-Eu?

Seulgi se levantou do banco atordoada. Ela substituiria a melhor jogadora do time, sua tia! Era como se a responsabilidade havia caído sobre ela. Mas mesmo que estivesse nervosa, ela havia se preparado e daria seu melhor para vencer.

– É melhor me substituir direito! – Yoona ordenou para a sobrinha. – E de preferência taca a bola na cara da menina que me derrubou!

– Pode deixar!

[...]

A arquibanca se esvaziava aos poucos. O primeiro dia do campeonato havia sido um sucesso. Mesmo após a tentativa de tirar Yoona do jogo, o time adversário acabou perdendo. Seulgi fizera uma ótima partida, sendo parabenizada por todas suas companheiras.

– Seulgi, você foi incrível! – Irene disse animada, indo abraçar a namorada.

– Eu fiquei muito nervosa.

– Você jogou bem. – Amber elogiou. – Yoona vai perder o lugar de melhor jogadora.

– Se for a Seulgi eu não ligo. – Yoona deu os ombros.

– Como você está? – Jessica a olhou preocupada. – Está doendo muito?

– Vou sobreviver.

– A gente podia comemorar. – Krystal sugeriu. – Vamos beber!

– Krystal, ela são menores de idade! – Jessica olhou seriamente para a irmã.

– Mas a Yoona bebe.

– E-Eu não!

As duas irmãs entraram em uma pequena discussão, mas no fim, Seulgi explicou que a treinadora pediu para evitar qualquer tipo de comemoração, já que a semana toda seria de competição e o time precisava estar preparado. Elas seguiram para fora da escola, e como Jessica estava presente Seulgi e Yoona não iriam voltar no ônibus para a escola. Como a modelo viera com a minivan, Seulgi pediu que a mãe desse carona a Irene e Seohyun, já que as duas haviam vindo no ônibus.

– Você está bem?

– Não está com pena de mim? – Yoona fez uma expressão manhosa para a namorada, assim que a mesma apareceu.

– Não.

– Mas eu to dodói, Seo.

Seohyun soltou um sorriso e se aproximou da mais velha. Yoona sorriu e fechou os olhos, esperando pelo beijo, que não aconteceu. Pelo menos, não onde queria.

– Pra sarar mais rápido. – Seohyun riu após beijar seu pulso, entrando no carro ao lado de Irene.

A semana seguiu-se agitada. Yoona ficou todos os jogos no banco, sendo substituida por Seulgi. Estava muito feliz por ver o quanto a sobrinha se saiu bem em todos as partidas. Até então, ela, que era apenas uma jogadora reserva, acabou ficando no time principal. Apesar de sentir-se chateada por não participar como queria, Yoona ficou feliz por ver Seulgi brilhando. A preocupação que os alunos tinham sobre a melhor jogadora não poder participar foi deixado de lado, pois Seulgi jogou tão bem quanto ela poderia jogar. E isso levou o time da escola a final.

Yoona saiu do banheiro preguiçosamente. A amanhã seria o grande jogo, e a animação era tanta que ela, assim como Seulgi se quer conseguiam pegar no sono.

Eu não consigo enganar você, não é? – A voz da mais nova ecoou pelo quarto, fazendo Yoona parar na porta. – O que você acha? Eu queria que minha mãe estivesse lá torcendo por mim, mas parece que amanhã ela terá um evento. Queria ser como a Yoona, queria não ligar, mas eu não consigo!

Um suspiro escapou dos lábios de Yoona com a fala. Como Yuri havia dito, ela não apareceu em nenhum dos jogos, mesmo com a insistência de Jessica. Apesar de Seulgi dizer estar bem, Yoona sabia que não era verdade, e aquela provável conversa com Irene havia confirmado tudo. Não podia negar, sabia como a sobrinha se sentia. Quando participou pela primeira vez do campeonato, ficou como Seulgi, desejando a presença de Yuri. Mas a irmã não apareceu, assim como não apareceu em nenhum outro. Yoona há muito tempo deixou de querer a presença da morena, mas entendia que Seulgi não era assim. Mesmo que dissesse estar bem, no fundo ela se sentia mal por não ter a participação da mãe. Era compreensível sua tristeza, mas para Yoona, não era justo.

– Yuri!

Sem ao menos fazer questão de bater, Yoona abriu a porta do escritório atrás da irmã. Como sempre, Yuri digitava freneticamente no notebook, sem ao menos tirar os olhos da tela.

– Você não já deveria estar dormindo?

– Preciso falar com você.

– Sobre?

– Essa é a primeira vez que Seulgi participa de um campeonato e ela está muito animada. Ela jogou incrivelmente bem durante toda semana e amanhã é a final! Eu não me importo se você não vai me ver jogar, mas Seulgi desejou sua presença durante todas as partidas!

– Eu estava ocupa-.

– Que se dane os seus livros, a sua filha é mais importante! – Gritou Yoona, e pela primeira vez desde que entrara no escritório Yuri a olhou. – Amanhã é a final, e a Seulgi vai jogar. Eu quero você lá torcendo por ela, porque se isso não acontecer, eu nunca vou te perdoar está ouvindo?

Yuri soltou um suspiro e cruzou os braços. Yoona não quis esperar uma resposta, apenas preferiu deixar seu aviso. Tudo bem se Yuri não se importava com as coisas que fazia, mas não aceitaria que ela repetisse a mesma coisa com Seulgi.

– Eu prometo. – Escutou a irmã dizer antes de sair do escritório.

– É melhor cumprir essa promessa.

[...]

Yoona arremessou a bola na cesta, fazendo uma pequena careta com a dor do movimento. Seu pulso ainda doía, mas nada tão alarmante como foi quando machucara. A enfermeira havia lhe dito que não deveria se esforçar, mas Yoona queria pelo menos participar final.

– É impressão minha ou tem mais gente que antes? – Seulgi se aproximou com uma bola em mãos. Os times treinavam na quadra antes da partida começar.

– É a final! – Yoona riu. – Um desses dois times irá ganhar.

– E eu espero que seja o nosso! – Uma outra garota do time falou animada.

Como havia sido planejado, as partidas finais aconteceriam na própria escola das meninas. Isso as deixava ainda mais animadas, pois poderiam vencer em seu próprio colégio. A partida do terceiro lugar já havia sido disputada, e todos esperavam animados para a partida que anunciaria o vencedor daquele ano.

– Meninas, esse é o jogo final, e antes de tudo eu quero dizer que estou muito orgulhosa por termos chegado até aqui. – A treinadora disse após reunir todas as meninas. – Vocês foram incríveis, e mesmo se não vencermos eu quero que saibam que o esforço de vocês já valeu muito!

– Relaxa treinadora, vamos ganhar! – Yoona disse despreocupada e todas as meninas concordaram.

– Seulgi, como nos últimos jogos, você entrará no lugar da Yoona. – Ela avisou.

– Mas eu pensei que Yoona ia jogar.

– Eu decidi jogar só no último período. – Explicou a tia, passando o braço em torno dos ombros da sobrinha. – Você é a estrela do time, então eu tenho que te pedir um favor.

– O que é?

– Mesmo que eu não tenha brilhado nesse campeonato, eu preciso fazer a cesta da vitória.

– Seohyun? – Seulgi disse divertida, fazendo Yoona assentir.

– Eu quero ganhar um beijinho dela. – Reclamou, arrancando um sorriso da sobrinha. – Mas olha, você jogou bem todas as partidas. Tenho certeza que é uma das melhores jogadoras. O mérito será todo seu!

– Mas você...

– Essa é sua vez de brilhar, bear. – Yoona deu tapinhas nas costas da sobrinha, assim que a treinadora avisou que a partida iria começar.

– Descanse bem, a última cesta vai ser sua.

Seulgi seguiu para o centro da quadra junto com as outras quatro garotas do time. O público foi a loucura e ela ergueu a vista para arquibanca em busca de sua família. Jessica, Sinb e Yeri estavam lá, sorridentes enquanto torciam. Seulgi se sentiu imensamente feliz por vê-las ali, mas não conseguiu conter a tristeza por perceber que faltava alguém. Conseguira engolir toda aquela chateação durante o campeonato, mas aquela era a final e seria uma máximo se Yuri pudesse ir.

– Estão prontas?

O arbitro encarou as duas jogadoras antes de apitar e lançar a bola. Seulgi acabou demorando a pular, permitindo que as adversárias ficassem com a bola. Mesmo tentando se concentrar, sempre que podia ela erguia a vista para a arquibancada em busca de Yuri. Não bastasse isso, parecia que o time havia se desestabilizado, pois a maioria dos passes e cestas saiam errado. O time adversário tomou o controle do jogo, saindo na frente nos dois primeiros períodos.

– Droga Seulgi, você está errando cestas bobas! – Yoona reclamou assim que a sobrinha se aproximou. Entregou-lhe uma garrafinha d'água, vendo-a olhar para a arquibancada. – Está procurando ela não é?

Seulgi não respondeu, já que a treinadora lhe puxou para conversar. Yoona soltou um suspiro, irritada por Yuri não ter cumprido a promessa. O público começou a gritar o nome de Yoona, pedindo para que ela entrasse no jogo. O time estava perdendo feio, e precisavam recuperar no próximo, ou então, perderiam em casa.

– Yoona, acha que dá pra entrar? – A treinadora perguntou.

– Posso jogar os primeiros minutos. – Ela massageoou o pulso.

A gritaria se fez presente na quadra assim que Yoona entrou no lugar de Seulgi junto com as outras garotas do time. Ela buscou por Seohyun na arquibanca, sorrindo convencida para ela. E enquanto Yoona focava-se na namorada, outra pessoa se focava nela.

– Então aquela é a Yoona? – Perguntou a loira para sua colega de escola.

– Sim, ela é a melhor jogadora do time, mas se machucou no primeiro jogo. – Explicou a outra. – Dizem que ela é incrível, e tem até uma banda!

A loirinha deu um sorriso e voltou seu olhar para Yoona. A partida já havia começado, e ela tentava se desmarcar para receber a bola. Apesar de ter sido rápido, a entrada de Yoona acabou dando mais confiança ao time. Obviamente elas não conseguiram ultrapassar os pontos do time adversário, mas foi o suficiente para se aproximar.

– O time adversário já está comemorando vitória. Esse é o último periodo e a diferença de pontuação não é mais tão alarmante. Ou damos o nosso melhor pra vencer, ou esse ano o troféu não será nosso. – A treinadora avisou.

– Elas estão rindo agora, mas vamos fazê-las chorar. – Yoona disse confiante.

- Juntem aqui!

A treinadora reuniu as meninas, e todas elas juntaram as mãos e deram um grito de guerra. Aquele seria o último periodo. Era tudo ou nada! Ou elas viravam o jogo, ou ficariam de mãos vazias.

Seulgi entrou na quadra indo direto para sua posição. Havia jogado mal toda a partida, mas a treinadora confiava em suas habilidades. A tática daquela vez seria deixar ela e Yoona juntas, mas para que isso funcionasse Seulgi precisava estar focada. Era compreensível toda aquela tensão, mas se não relaxasse, não conseguiria dar o seu melhor.

VAI SEULGIII! VOCÊ CONSEGUE!

O grito animado atraiu a atenção da garota para uma pessoa no meio de toda aquela multidão. Yuri estava ao lado de Jessica, festejando com Sinb no colo. Não importava se havia se atrasado, só o fato de estar ali já fez com que um sorriso enorme crescesse no rosto de Seulgi.

– Mamãe...

– Parece que alguém chegou a tempo. – Yoona debochou, se aproximando da sobrinha.

VAI YOONAAAA!

– Sério que ela vai ficar gritando os nossos nomes?

– Você está feliz por ela ter vindo? – Seulgi olhou curiosa para tia.

– Eu já disse que não me importo!

Yoona deus as costas para a sobrinha, a tempo de impedir que ela visse o sorriso que brotou em seus lábios. Yuri havia aparecido. Ela havia cumprido sua promessa e isso a deixara imensamente feliz.

O quarto e último periodo se iniciou, e as meninas buscaram os pontos para virar o jogo. A partida não foi fácil, mas a sincronia entre Yoona e Seulgi acabou dando certo. O time que até então perdia feio, conseguiu se aproximar e ficou somente com dois pontos de diferença. Faltava apenas 30 segundos para o jogo encerrar, e a bola era do time adversário. Yoona levou a mão ao pulso e fez uma careta, algo que não passou despercebido por Seulgi.

– Vai desistir da cesta da vitória? – Brincou ela.

– Eu quero é meu beijo, depois disso posso ficar até sem braço.

O apitou soou, e a bola voltou ao jogo. O tempo corria e elas precisavam impedir que o adversário fizesse cesta. A bola foi de uma jogadora a outra, e quando a adversária estava prestes a arremessar na cesta, Seulgi bloqueou. O público vibrou e a bola foi recuperada. Elas correram em busca do ponto da vitória, mas o time adversário marcava todas as jogadoras, principalmente Yoona. A bola voltou para Seulgi, e ela procurou a tia para passar a bola. Os segundos estavam se esgostando e Yoona apenas gritou para ela arremessar, sem conseguir sair da marcação. Seulgi não era tão boa na linha de três pontos como Yoona, mas aqueles eram os últimos segundos do jogo. Ela arremessou a bola e duas garotas tentaram bloquear, mas acabaram falhando. Todo o público se colocou de pé assim que a bola bateu no aro e ficou girando. Faltava dois segundos pra terminar quando a bola entrou. Todo mundo começou a gritar, o apito ecoou e o time correu pra cima de Seulgi.

A treinadora pegou o troféu antes mesmo da cerimônia de encerramento, e a bagunça dos estudantes foi feita na quadra.

– Vou ficar te devendo um beijo. – Seulgi brincou ao se aproximar da tia. – Quer agora ou depois?

– Tenta encostar esses lábios em mim que eu arrebento a sua cara.

Seulgi soltou uma gargalhada e abraçou a tia. Era grata por Yoona, pois se não fosse ela talvez nem estaria ali comemorando com a camisa do time. Yoona fora quem lhe ajudara a melhorar seus movimentos e prestar mais atenção no jogo. Se não fosse a confiança dela em si, talvez nem tivesse conseguido acertar aquela cesta.

Yoona!

As duas se afastaram, e Yoona virou-se em busca da pessoa que lhe chamava. O sorriso em seu rosto pela vitória desapareceu aos poucos, assim que vizualizou a pessoa há poucos passos em sua frente. A cena pareceu chamar a atenção de todos em volta, que assistiram curiosos aquela estranha garota correr em direção a Yoona e abraçá-la com toda a força. Mas o que veio a seguir foi o que chocou a todos, principalmente aqueles que sabiam que Yoona tinha uma namorada. A estranha garota segurou o rosto de Yoona com as duas mãos e a beijou sem mais nem menos. Yoona estava tão chocada que ao menos reagiu, apenas a olhando com seus olhos arregalados.

Todos se surpreenderam com a cena, e muitos dos olhares se voltaram para Seohyun que estava congelada em seu lugar ao lado de Irene. Ninguém ali conhecia aquela estranha, até mesmo Jessica e Yuri estavam sem entender a cena. A garota de cabelos loiros se afastou com um sorriso enorme nos lábios, e uniu sua testa com a de Yoona, divertindo-se com o choque dela.

– Finalmente eu te encontrei.

– E-Emily?


Notas Finais


Vocês pediram a Emily então eu trouxe a Emily!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...