História Home Bangtan - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 0
Palavras 6.512
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Amo essa imagem.
Amo o mv.
Amo o comeback.
Amo o dance practice.
Amo a musica.
Amo quem foi o maravilhoso - ou maravilhosos - compositores.

Capítulo 1 - Primeiro


- Kim, por favor, finalize esse prato.
- Só um momento chefe. - ajeito três pratos na minha bandeja antes de parar perto dele. - Sim?
- Olhe para esse prato - vejo o prato completamente perfeito, se eu fosse fazer um espaguete desse jeito... - O que você acha que ta faltando? Sei que ta faltando alguma coisa mas eu não consigo...
- Hm... - o Sr. Lee é um grande chefe de cozinha, foi muito famoso há muito tempo atrás mas mesmo assim nunca perdeu o seu dom de fazer comidas muito saborosas e de vez em quando é reconhecido por isso. - Talvez tomates cerejas para decorar? - sim, com certeza. - E um pouco de molho branco de quatro queijos. - espero aflito por sua resposta. Ele vem me ensinando truques muito úteis e seus segredos dês do dia em que descobriu que faço faculdade de culinária. O Sr. Lee esta me me dando a maior força e pretendo recompensá-lo sendo um chefe de cozinha que nem ele um dia. Apesar de trabalhar para ele como garçom.
 - Ye! Muito bem garoto - sacode o meu ombro. - Agora vá, não podemos deixar os cliente esperando.
- Sim chefe. - saiu que nem um furacão, clientes são nossas prioridades aqui. Terminei o meu expediente as 23:20. Sai o mais rápido que pude para não perder o ultimo ônibus da noite que passava às 23:40. Quando cheguei em casa já era quase uma da manhã, o bom era que encontrei a casa arrumada não como de costume, isso me deu um frio na barriga mas nem liguei, estava muito exausto pra me preocupar. Depois do banho só tive tempo de cair na cama.

 


Acordei com o meu celular tocando em algum canto da casa, querendo dormir mais uma pouco, afinal era sábado e por ser feriado - de alguma coisa que eu não me recordo - não haveria aula pra mim até segunda, deixei tocar e tocar e tocar e tocar. Aish! Quem ousaria me ligar uma hora dessas?

Com o som irritante enchendo o apartamento todo, saiu da cama e acabo caindo no chão ao tropeçar na minha bolsa da faculdade. Já comecei o dia bem. De olhos bem abertos para não cair rolando escada a abaixo, sigo o toque do meu celular. Era a sua sexta chamada, eu acho. Encontrei-o em cima da mesa da cozinha.
- Que é?
- O que você disse? - levo um espantado e todo o vestígio de sono vai embora.
- Oi mãe - pigarreio. - Como vai a senhora?
- Muito melhor - pausa. - Vou bem meu filho, e você?
- Bem - cansado. - Aconteceu alguma coisa?
- Não... quer dizer, sim.
- Não me diz que o papai voltou a beber?! - sinto um aperto no coração por ela esta passando por isso sozinha de novo. Papai fica irreconhecível quando esta tomado pelo álcool.
- Não filho, ta tudo bem, seu pai esta bem. Ai dele tocar em uma gota de álcool. - sei.
- Então...?
- Você se lembra dos nossos vizinhos que morava aqui ao lado? - forço a minha mente. Sai de Busan há dois anos e meio, mas sempre estive muito ocupado para lembrar de vizinhos.
- Não mãe.
- Kim Seokjin, você anda se alimentando direito? - sinto sua voz colorida de raiva e preocupação. Ela sempre me apoiou em tudo, meu pai não queria que eu me mudasse mas a minha mãe sempre esteve comigo. Além do mais, o gosto pela culinária veio dela.
- MAS QUE INFERNO! QUEM OUSA LIGAR UMA HORA DESSAS?! - Yoongi chega abrindo a geladeira tirando uma caixa de leite. - QUE FALTA DE RESPEITO.
- Não me diz que é aquele garoto de cor estranha no cabelo?! O que ele faz acordado uma hora dessas? - nem eu sei. Me movo pela cozinha a procura de um copo enquanto finjo escutar ela falar pela milionésima vez como eu fui arranjar um amigo assim para dividir um dos quatro quartos que tenho aqui. Reviro os olhos ao ver Suga balbuciar "Sua mãe é uma mala", enquanto senta na cadeira. - Suga. Pff, de doce ele não tem nada e nem respeito - suspira. - Então filho, anda comendo bem? Cadê os outros? E o pequeno Jimin? Ta cuidando bem dele?
- Sim mãe, não se preocupe - asseguro-lhe. - Estão todos bem e dormindo...
- ASSIM COMO EU DEVERIA ESTAR FAZENDO AGORA SE NÃO FOSSE POR UMA IRRITANTE LIGAÇÃO EM PLENA MADRUGADA! - lanço um olhar mortal para o Min, tentado não ceder a grande vontade de jogar em sua direção o copo de vidro que estou segurando.
- Quê? Aish! Esse moleque... - escuto minha mãe reclamar do outro lado mais uma vez. Olho a cara cínica do Min, ele adora provocá-la, entrego-lhe o copo e saiu antes que ele solte mais umas de suas pérolas de novo. Vou para sala mas paro ao ver Taehyung no sofá assistindo algum dos seus animes preferidos. Mas que droga! Todo mundo resolveu acordar cedo hoje? Saiu antes que ele me olhe e me chame para assistir com ele, não quer dizer que eu não goste mas eu estava com um problema que não parava de zumbir no meu ouvido. Entro no meu quarto e encosto a porta, me jogo de volta na cama e fecho os olhos antes de cortá-la.
- Mãe, o que houve?
- Aish, apreçado que nem o seu pai - reclama. - Okay. Então filho, você se lembra dos Jeons? Os nossos vizinhos...
- Não - e não me lembrava mesmo. Antes de eu me mudar quem era os nossos vizinhos era um casal muito esquisitos chamado Songs. Eles me davam medo, pois eram muito misteriosos e não falavam com ninguém.
- Jinie, você sempre brincava com o filho deles, o... Jungkook, lembra? Amigos de infância.
- Não mãe, não faço a mínima ideia - não me lembro da metade da minha infância antes dos meus dez anos, na verdade. Depois que cai de uma árvore (onde eu até hoje tenho uma estranha impressão de ter sido empurrado) tudo foi apagado. Os médicos disseram que com o tempo eu iria me lembrar... Errados. Faz trezes anos depois do corrido e eu continuou sem me lembrar de nada.
 - Eles vieram nos visitar ontem, acredita? - escuto ela sorrir. - E enquanto conversarvamos, acabei descobrindo que ele iria se mudar para Busan para fazer faculdade de direto.
- E?
- E que como ele ainda não tinha um lugar para ficar eu sugeri que ficasse ai com você... com vocês, na verdade - fico calado. Mas uma pessoa aqui? - Filho, você não se importaria, né? - continua. - Você mora com cinco pessoas ai, mais um não faria mal.
- Mãe, aonde vou colocá-lo? Todos os quarto estão ocupados! - surto. Como vou colocar um "amigo de infância" que nem me lembro direito, dormir aqui onde só tem civilizados?!
- Filho, relaxe. Coloque ele pra dividir algum quarto com alguém - falar é fácil. Aish. Minha mãe e sua mania de ficar tomando decisões que não são suas. Ficamos conversando por alguns minutos e antes de desligarmos, ela me avisa que ele chegaria hoje a noite. Ai Deus.
- Hyung - levo um susto ao ver Jimin parado na porta coçando os olhos -, tô com fome.
- Já tô descendo pequeno.

Tomo um banho e desço para cozinha. Enquanto Yoongi fazia o café, eu preparava a mesa com pacotes de biscoitos, pão frescos, cereais, leite, xícaras e tigelas, entre outras coisas.
- O que a mala da sua mãe queria?
- Yoongi, não fale assim dela - o repreendo.
- Que seja. O que ela queria?
- Tenho uma coisa para comunicar - vou na sala e vejo Jimin, Hope e Taehyung no sofá. Eles acordaram cedo de mais hoje. - Hei, venham, hora do café - já com todos na mesa e servidos, peço a atenção de todos.
- O que há Jin? Arranjou um namorando e ta com medo de nos contar? - Suga sorrir antes de dar um gole eu seu café amargo, não menos do que ele.
- Não Yoongi - reviro os olhos -, e pelo comentário sem graça, a partir de hoje você dividirá o seu "santuário" com o novo hospede que chega hoje a noite. - vejo os olhos do Min se arregalar e começar a tosse sem parar, derramado café em cima da mesa, ficamos nessa até ele recuperar o fôlego depois de uns tapinhas nas costas.
- É o quê?! - grita.
- Novo hospede? - Hoseok faz uma careta em reprovação.
- Sim. - um hospede que eu não faço a mínima ideia quem seja... literalmente.
- Não vou dividir o meu santuário porra nenhuma!
- Yoongi, você quer que eu bote ele onde? No meu quarto ele não vai ficar. - não durmo com um desconhecido nem que me pagassem.
- Mas que história é essa de outra pessoa aqui com agente Hyung? - Jimin fala de boca cheia.
- Recebi uma ligação da minha mãe...
- A mala? - Taehyung me corta. Olho feio pro Yoongi pois sei que é ele que anda ensinando besteira para o menino.
- Não Taehyung - olho com calma pra ele -, ela não é mala.
- Mas o tio Yoongi...
- Moleque, quantas vezes eu vou ter que dizer que não sou o seu tio?
- Hei! Não fale assim com o meu irmão - Hoseok passa um braço no ombro do Tae. - Só eu que posso.
- Gente, vocês querem me escutar? - todos assentem. - Bom, como eu tava dizendo, a minha mãe ligou para informar que ela decidiu por se só convidar mais uma pessoa para morar nessa casa sem me informar de nada - eu que sou o dono. - E o nome dele é Jeon Jungkook.
- Mas que porra.
- Yoongi, no café não - passo as mãos no cabelo e antes que ele protesti, continuo -, e na frente dos garotos também não.
- Aish. Eu sei que ta cedo mas... porra, não vou dividir o meu quarto com um desconhecido - desisto de repreendê-lo. A sua boca suja é incontrolável. - Bota  ele pra dormir com o tampinha ai - acena para o Jimin com a cabeça, fazendo o outro para de mastigar o seu cereal.
- Não sou tampinha! Meu nome é Jimin. Park Jimin - Yoongi revira os olhos.
- Você se importaria Jiminie? - ele me olha e vejo que esta pensando na ideia. Quando penso que ele vai responder um não, ele dar de ombros e sorrir.
- Não me importo não hyung, vai ser legal ter um colega de quarto.
- Ai Jiminzinho - Hoseok coloca uma mão no ombro do pequeno ruivo -, tão ingênuo, não sabe do que ta falando.
- 'Falô' o que já saiu dividindo quarto com o mundo inteiro - Yoongi fala com a boca cheia de pão.
- Min Yoongi, a partir do momento em que você tem Taehyung como irmão, nada mais te surpreendente. - olho para o Tae que estava alheio a conversa. Taehyung é um garoto tão ingênuo, até de mais. Tadinho.
- O que você quer dizer com isso? - vejo interesse e competitividade no olhos do Min.
- Você só vai saber se experimentar - não, pera... Competitividade dupla. Hoseok e suas apostas.
- Quanto?
- Aish! - bufo. - Gente, parem com isso. Taehyung é só um garoto, não fiquem o usando assim.
- Jin, esse moleque me desafiou, você acha mesmo que vou deixar passar? - fico calado já sabendo que nada do que eu disser, adiantará. Ele volta a olhar pro Hoseok. - Quanto?
- Calma branquelo - Hoseok da uma mordida em um dos pães com queijo antes de continuar. - O desafio é você passar um mês dormindo com o TaeTae aqui - ele sacode o irmão, que começa a prestar atenção na conversa. - Na mesma cama. E sem trapaças.
- Moleza.
- Vou ter que dormir com o tio Suga? - Taehyung franze o cenho.
- Ô pirralho, você não acha que já esta bem grandinho pra ta com criancices? Ficar chamando os outros de tio... - ele faz uma careta de nojo. - Além do mais, eu não sou tão velho assim.
- Da um tempo Suga. Não é só por causa que ele tem 17 anos que não é mais criança - Hoseok sorrir.
- Como se ter 19 fosse adulto o suficiente  - Yoongi gargalha.
- Cala a boca.
- Cala a boca o caralho.
- Min Yoongi! - elevo a voz. - Chega! Palavrão na minha frente, na minha cozinha e em qualquer outro canto da casa, não! - escuto-o resmungar. Comemos sossegados por alguns minutos, até Min quebrar o silêncio.
- Você ainda não disse quanto.
- 100 - Hoseok responde depois de limpar o canto da boca suja de requeijão com a costa da mão.
- 150.
- 130.
- 190.
- Uma ova que vou pagar 190. Divido o quarto há vida toda com ele e nunca fui pago.
- Ele é seu irmão - Min da de ombros. - Agradeço o meu velhos até hoje por ser lento no bagulho e só terem eu.
- Pois vamos incrementar a aposta - Hoseok sorrir cinicamente. Vem merda por ai.
- Manda. - sim, vem merda.
- Você terá um irmão agora - Hope acena para o irmão com a cabeça. - Kim Taehyung será o seu irmão por um mês - Hoseok o olha. - Você terá que cuidar dele, que nem eu cuido - estufa o peito. - E vou logo avisando que não é fácil não.
- Vai aumentar a aposta? - Min diz depois de observar o Kim tentando puxar conversa com o Jimin mesmo o menor não estando nem ai pra ele. Crianças.
- Ah se vou. Tudo pra vê você passando raiva.
 - Isso vai dar merda - pronuncio. Já ta dando merda, na verdade. Tudo o que eles fazem, da merda. São mais crianças do que os próprios mais novos dessa casa.
- Preparado para perder dinheiro? Porque a minha carteira não vê a hora de encher de verdinhas - Min balança as sobrancelhas.
- Mas o dinheiro não é azul? - Jimin se pronuncia parando de comer esperando uma resposta.
- Come Park - diz Suga -, se prepare para o seu novo coleguinha de quarto.
- Ele é legal, não é hyung? - Jimin me olha esperançoso. Não sei o que dizer. Como sempre, Jimin me pega de surpresa com as suas perguntas imprevisíveis. Não posso dizer que mal me lembro do Jeon, eles surtariam comigo. E Jimin é um doce de menino, sei que se dará muito bem com ele, afinal, ele se da bem com todo mundo e não tem quem não goste dele. Impossível não gostar, é um garoto carinhoso, dedicado, ingênuo, além de paciente e super fofo. É, ele se dará muito bem com o novo morador.
- Hm. Sim Jimin. - penso direito. E se o garoto for um mala? Jimin é o tipo de garoto que não ver maldades nas pessoas. - Sim. -  falo pra mim mesmo. Não me lembro de nada dele. E aposto que ele também não, só aceitou essa porque primeiro: a minha mãe é muito persuasiva e insistente. E segundo: ele irá morar aqui de graça.
- Ah, que bom hyung - Jiminie diz satisfeito.


                                •••


- Hyung não vale, você roubou - Jimin joga o controle no chão -, de novo.
- Jimin querido, não tenho culpa se sou bom no que faço - estufo o peito orgulhoso de mim mesmo. Quem manda ser ruim no Mario?
- Você roubou hyung, eu vi - Taehyung aponta para os olhos.
- Jesus! - jogado no sofá, Suga reclama ao ver o gesto do Kim. - Como ele vai pra escola sozinho? - percebo incredulidade em sua voz.
- Simples - Hoseok arqueia as sobrancelhas olhando para o Min -, ele não vai.
- É o quê? - Yoongi arregala os olhos. Começo a gargalhar ao ver a cara de espanto que ele faz. As vezes parece que Min Yoongi nem mora nessa casa.
- Eu levo ele pra escola - Jimin responde, deitando com a cabeça em cima da minha perna.
- Jimin você não leva ninguém, você estuda lá também. - Hoseok bagunça o cabelo dele. - Eu é que levo vocês.
- Não até a sala - Taehyung de manifesta, cruzando os braços.
- Jin - Suga me olha -, você deixa essas três crianças andarem sozinhas por ai?!
- Não somos crianças. - Tae, Jiminie e Hope dizem em uníssono, me fazendo gargalhar mais ainda. Suga não sabe, bom ele ainda não percebeu, mas é super-protetor.
- Yoongi, eles... - sou interrompido ao ouvir a campainha soar cinco vezes. Sinto um frio na barriga e quando vejo que horas são, me surpreende ao ver que é bem tarde. Passei o dia todo jogando com os garotos e nem vi a hora passar. Todos na sala ficam em silêncio, já imaginam quem seja.

Jogo o meu controle no colo do Hoseok e vou abrir a porta. Fico surpreso ao ver dois rapazes do outro lado, cada um com duas malas. Um dos rapazes (que era bem alto... muito alto mesmo) estava segurando uma das malas da cor cinza, da mesma cor do cabelo; ele coçava a nuca distraidamente, enquanto um de cabelos negros escorridos que estava do seu lado, mascava chiclete me fitando com cara de desleixo nítido. Sem nenhuma educação, ele passa por mim, arrastando duas malas vermelhas atrás de si, entrando sem dizer uma palavra.

Fiquei parado ali sem saber o que fazer até escutar o altão pigarrear, ele continuava do lado de fora, suas bochechas coloridas de um tom rosa quase adorável se não fosse um completo desconhecido.
- Desculpa pela má educação dele - diz, dando de ombros. - Eu me chamo Namjoon... Kim Namjoon - fico surpreso, ao ouvir o seu nome, e acho que a minha cara foi tão obvia que ele pergunta:
- O que foi?
- Não... é que... -balanço a cabeça. - Eu me chamo Kim Seokjin.
- Kim também? - ele sorrir e me pega desprevenido ao mostrar duas covinhas salientes em cada bochecha. Uau. O que é isso? Pera, não. O que eu tô... pensando? Jesus. Balanço a minha cabeça para afastar pensamentos-inapropriados-para-desconhecidos-que-acabei-de-conhecer.
- Então você não é o Jeon?
- Não - sorrir. - Sou apenas um amigo.
- Amigo? - não me lembro da ommoni ter falado de algum "amigo" do garoto.
- Sim, pois bem - fala constrangido -, desculpa se, bom... eu vi sem avisar mas eu não tive escolha. Jungkook me pediu que o acompanhasse e...
- Não, não, sem problemas. Ta tudo bem - forço um sorriso.
- KIM SEOKJIN!? - escuto Yoongi me bravejar lá dentro. Peço apressadamente que o tal Namjoon entre e vou para a sala me deparando com o Min frente a frente com o Jeon e os garotos atrás do sofá sem saber o que fazer. - Não me diz que é esse o moleque que vai morar aqui?
- Meu nome é Jeon - ele olha olha bem para o Suga -, Jeon Jungkook.
- E esse é o amigo dele - falo apontando para o Namjoon que pela cara estava envergonhado de mais. Ele solta as malas e vai até o Yoongi.
- Kim Namjoon, muito prazer - com educação ele estende a mão para cumprimentá-lo mas o Min nem se atreveu a olhá-lo. Eu, envergonhado pela sua atitude, tento pensar em alguma coisa até ver o pequeno Jimin se aproximar.
- Oi - diz para o Jeon -, eu sou o Jimin. Park Jimin - sinto um carinho enorme ao vê-lo dar o seu mais belo sorriso para o cara amarrada que o olha inexpressivamente. Vendo que ele não iria falar nada, o sorriso do meu pequeno morre por alguns instantes antes de virar para o Namjoon e volta a sorrir. - Oi, eu sou Park Jimin - e estende a mão que o Kim aceita de bom grado.
- Oi Jimin, muito prazer em conhecê-lo - Jimin alarga mais o sorriso de tão contente. E quando eu vejo que íamos ficar só naquilo, Taehyung chega ao lado do Jimin.
- Eu sou o Kim Taehyung - mostra o seu melhor sorriso e chegando mais perto do altão ele tenta cochichar. - Não ligue para o Tio Suga - aponta para o Min que estava atrás deles, ainda olhando seriamente para o de cabelos negros -, ele é assim com todo mundo.
Namjoon concorda.
- Eu eu sou o Hoseok - se manifesta sem sair do lugar. - Podem me chamar de Hope mas só para os íntimos e como vocês vão morar com agente agora, esta tudo liberado - sorriu nervoso.
- Hyung - Jimin me olha e passa uma mão sobre a barriga -, tô com fome.
- Yah, Jimin - organizo os meus pensamentos. A primeira coisa que devo fazer quando novos moradores chegam é... mostrar onde irão dormir? Sim! Isso. Mas a um grande problema: onde o Grandalhão irá dormir? Putz. Pra que eu ganhe tempo, decido servir o jantar, afinal eles devem ta cansados e com fome. - Vocês devem ta com fome, não é mesmo? Então vamos para a cozinha. Deixem as malas ai, depois vocês pegam.

Como eu havia trago uma boa porção de espaguete do chefe - dando graças a deus quase de joelhos ao aceitar mas também só depois que ele insistiu muito -, esquento o molho quatro queijos e sirvo todo mundo. Yoongi preferiu não nos acompanhar, alegando que não estava com fome mas saiu para o quarto levando uma lata de refrigerante e um saco de batata chips, me deixando ainda mais inseguro e nervoso com pessoas desconhecidas.

Tudo era muito esquisito: Jimin estava calado comendo mas não tirava os olhos do seu companheiro de quarto - que eu ja começava a repensar em colocá-lo junto com Hoseok -, que se manteve calado o tempo todo. Jeon estava calado dês da hora que enfrentou o Min Yoongi, ele olhava para o prato como se quisesse fazer o buraco no meio. Taehyung e Hoseok não paravam de fazer perguntas para o amigo dele, me deixando constrangido por serem tão óbvios.
- Somos irmãos - Hoseok coloca as mãos no ombro do Tae e o sacode -, por isso somos tão parecidos - errado. Eles não são nada parecidos, principalmente na semelhança física. Ta na cara que são adotados mas foram criados juntos dês de pequenos e são quase inseparáveis.
- Hm, percebi - vejo que o cenho do Namjoon esta levemente franzindo. Com certeza os chamando de... loucos?
- Então, por que você veio com ele? - Hoseok da uma garfada no macarrão.
- Porque vamos para a mesma faculdade - O Kim responde depois de beber um grande gole de sua coca.
- Que faculdade vão fazer? - Hoseok da outra garfada.
- Direito - Namjoon me olha apreensivo. Seus olhos diziam mais do que somente gestos; suas mãos grandes faziam o garfo parecer frágil de mais perto dele. - Olha eu tenho plena consciência de que a minha vinda não era esperada e se a minha presença for incomoda é só falar...
- Não, não - Taehyung se intromete. - Quanto mais gente melhor.
- Mas mesmo assim - ele insisti, não dando a mínima para o Tae. - Sei que estavam esperando só o Jungkook - por um momento percebo que o Jimin morde o lábio inferior e apertar os olhinhos, como se estivesse tentando memorizar alguma coisa -, mas ele acabou insistindo que eu o acompanhasse e...
- Não, tá tudo bem mesmo - asseguro-lhe. - Fique tranquilo - percebo que seu ombro relaxa. - Só tem um problema - ele fica tenso de novo -, confesso que não esperávamos duas pessoas e bom... aqui só tem quatro quartos e é divido em cinco - ele assenti, prestando atenção -, o Taehyung - faço um gesto de cabeça em sua direção -, dormir com o Hoseok...
- Não, não - Hoseok estufa o peito -, ele ta com o "Tio Suga" - e se levantado da cadeira e sorrir -, e essa é a minha deixa para cair o fora - e saí da cozinha correndo. Disgramado! Eu estava cogitando na ideia de colocar o Namjoon no quarto dele. Bufo frustrado, sobrou pra mim, como sempre. Aish, Hoseok me paga.
- ... com  o Yoongi - completo com um suspiro. Depois das loças lavadas, tendo uma pequena ajuda dos garotos, enfim dou-me por vencido e aceito que dividirei a cama com um estranho.

Na sala, vejo como o Jimin estava empolgado, estava sentado ao lado do Kim enquanto tentava prestar a atenção no que o mesmo falava para o mais velho.
- Ele sempre rouba, então não jogue com ele - vejo Namjoon concordar ao mesmo tempo que sorria. Eu mereço.
- Eu não roubo nada - protesto. Não tenho culpa que sou ótimo no Mario Bros.
- Pode me dizer aonde vou dormir? - levo um susto ao ver o Jeon ao meu lado com as mãos nos bolsos da calça jeans preta. Seu jeito de dizer "que seja".
- Jimin? - vejo um pouco de brilho em seus olhinhos. - Poderia levá-lo ao seu quarto? - ele olha para o Jeon antes de olhar pra mim e confirmar lentamente com a cabeça.
- Sim hyung - ao lado do seu novo companheiro, ele olha as malas que o moreno já estava segurando e pergunta com toda educação:
- Quer que eu ajude a levá-las?
- Não, tô tranquilo - ele força um sorriso.


Depois de ver os dois sumindo pela escada, vejo os dois Kim's bocejarem. Não estava tão tarde mas pra quem faz faculdade e trabalha para se manter é bem cansativo, não era o caso do Taehyung mas... deixa pra lá, eu ainda estava decidindo se dividiria a cama com o Namjoon, pois ainda havia esperanças de colocá-lo com Hoseok.
- Taehyung, vai dormir - ele assenti se levantando -, o Suga deve tá te esperando - vejo fazer uma cara de nojo. Nem ele se lembrava mais. Tadinho. Quando ficamos só o Namjoon e eu, o silêncio e o desconforto toma conta da gente. Ele estava sentado em um dos sofás grandes que se eu o imaginasse deitado nele, seus pés ficariam para a fora.
- S-se quiser eu posso dormir aqui... no sofá - não sei se fico feliz ou triste. É confuso dizer. Ele era uma visita e minha ommoni me mataria se eu colocasse-o para dormir ali. Mas ela não precisava saber, certo? O alivio foi tão grande que acho que devo ter feito uma cara pra que ele percebesse e sorri-se. Preciso para com isso.
- Que foi? - pigarreio.
- Você fez uma cara de alívio - sorrir, mostrando as covinhas que eu já estava me vendo desesperado para gravar em minha memória. Ai deus, o que estava acontecendo comigo? Eu mal o conheço.
- Bom, então - tento desconversar -, você não se importaria mesmo de dormir ai?
- Não - ele da uns tapinhas em cima do sofá -, pareci confortável - tadinho, penso. Não chega nem aos pés do que se diz conforto. Só ele e Yoongi para acharem isso.
- Hm, eu vou pegar uma almofada e um edredom, aqui de madrugada faz muito frio - assente.
- Aonde é o banheiro? - ele se levanta e vai para junto de suas malas, pegando alguma coisa que não deu pra ver porquê o seu corpo estava cobrindo.
- Depois das escadas, segunda porta - falo o mais perto. Essa casa foi feita para abrigar uma certa quantidade de pessoas, mas a pessoa que construiu não se lembrou dos banheiros, então havia só dois: um em cima e outro em baixo.

Depois de me garantir que ele ficaria bem e quase confortável, vou para o meu quarto. Quando estou passando pelo quarto do Min que fica a uma distância considerável para que eu não possa escutá-lo roncar, percebo que a luz esta acesa. Não acredito que ele ainda esteja acordado. Automaticamente sinto pena do Tae, um menino que não fez nada para merecer passar por àquilo. Yoongi não é uma pessoa fácil mas confio nele e sei que cuidará bem do garoto.


                                [JM]


Jungkook. Jeon Jungkook. O nome dele soa bonito. Bom, ele é bonito. O cabelo dele é bonito como a noite, e seus olhos negros são perfeitos e a pintinha que ele tem debaixo do lábio inferior o faz único. Faz alguns minutos que estou vendo ele procurar alguma coisa naquela mala enorme, ele não disse uma palavra se quer dês de que entrou no quarto. Quando vejo que achou algo, ele se vira pra mim.
- Onde fica o banheiro? - fala em um tom sério. Seus olhos negros eram hipnotizantes de mais para perder o foco. Escuto pigarrear, me trazendo a realidade.
- No-no corredor, a ultima porta - sorrio pra ele mas quando ele passa por mim esta sério e com uma muda de roupa, saindo fechando a porta atrás de se. Meu sorriso morre porque não fui correspondido mas talvez ele esteja cansado de mais e só precise de uma boa noite de sono. Se bem que isso não serve pra todos porque o Min Yoongi sempre esta de mau humor e vivi dormindo.

Aproveito a sua ausência e troco de roupa antes que ele chegue. Pego a minha calça moletom cinza e uma camisa preta lisa, decido esperar ele porque dormir antes que ele chegasse seria uma má educação da minha parte. Sento na cadeira da minha escrivaninha e antes que o sono me pegue, começo a girar e girar na cadeira. Já com os olhos pesando escuto a porta se abrindo, dou um pulo e logo estou de pé.

Jungkook estava de cabelos molhados e vestia outra roupa, bem mais confortável do que ele estava antes. Ele passa perto de mim com o seu Converse em mãos e coloca perto do meu armário, onde a sua mala estava. Fiquei esperando até ele se virar e me olhar que nem o Yoongi me olha quando falo alguma coisa que ele acha estranho.
- Por que você ainda ta ai parado? - ele alterna o peso do corpo para uma perna. Não estava óbvio que eu estava o esperando?
- Eu tô te esperando, para podermos dormir - dou o meu melhor sorriso, o que o Jin e vejo ele franze mais o cenho.
- Por que?
- Porque seria falta de educação se eu não esperasse você - ele bufa revirando os olhos. Não entendo como ele e o Yoongi não se deram bem logo de cara.
- Que idiotice - ele sorrir, me deixando confuso.
- Não é idiotice ser educado com o novo hospede - tento esconder a minha decepção mas não consigo ao cruzar os braços e fazer o meu bico de chateação.
- Óóóóó o bebê vai chorar? - ele solta uma gargalhada alta de mais para os meus ouvidos. Isso não tem graça.
- Eu não vou chorar! - informo-o. - E tenho 17 anos, não sou mais criança.
- Ah me desculpe - coloca uma mão sobre o peito -, eu não sabia - seu sorriso já estava me deixando irritado. Por que ele ta fazendo isso?
- Isso não tem graça - sinto o meu bico aumentar, vendo-o arquear uma sobrancelha. Tô começando a achar ele não mais bonito agora. - Por que é tão mal educado? - vejo surpresa nítido em seu rosto, como se eu tivesse acabo de contar o meu maior segredo.
- O que você disse?
- Por que você é... mal... educado... - diminuo a voz ao ver que ele me fuzilava com olhos zangados. Senti um frio na barriga pois ele parecia o Yoongi quando frequentemente é acordado pelo hyung ao meio dia para almoçar depois de passar a noite trabalhando como entregador de pizza que fica aberto 24 horas por semana. Peguei um susto ao vê-lo dar um passo em minha direção, sem tirar os olhos dos meus, eu não queria que ele brigasse comigo além do mais eu não disse nenhuma mentira. Quando ele já estava alguns centímetros de mim, eu corre para a cama. - Acho melhor a-agente ir dormir, tá tarde.

 Deito do lado esquerdo da cama e me cubro até a cabeça com o edredom. A minha respiração estava superficial e o quarto estava em um total silêncio. Escutei ele soltar um longo suspiro e caminhar pelo quarto, quando ele parou, escutei um som de zíper se abrindo e depois de uns segundos, se fechando. Passos de novo ecoam pelo quarto, percebo a luz cendo apagada e a cama se sacode quando ele deita. 

Fiquei nervoso, muito nervoso, eu nunca dividi um quarto com ninguém, imagine uma cama com um estranho. Sou filho único, minha omma sempre me cobriu de mimos até ela decidir que seria melhor que eu me mudasse para a casa do hyung para estudar em uma escola melhor. Foi muito difícil pra mim, eu não queria deixá-la mas ela me garantiu que era para o meu próprio bem.

Percebi, através do edredom, uma luz forte. Estranho, eu tinha certeza que a luz estava apagada. Quando bocejei a luz se apagou.
- Você ainda tá acordado? - falou em um tom de surpresa.
- Tô - tirei o pano grosso de cima da minha cabeça e senti um alívio de liberdade ao respirar livremente. A luz estava apagada, não dava para ver o seu rosto, mas deu para perceber que ele estava deitado de frente para o teto, notei pela frechas de luzes que ele segurava um celular sobre a barriga. - O que esta fazendo? Você não ta com sono?
- Isso não te interessa - dar de ombros e volta a mexer no celular. Nas pontas do seu cabelo que cobria a sua testa, dava para ver as pequenas gotículas de água do banho recente brilhando pela luz do celular. Aish! Ele não pode dizer isso, além do mais estava na hora de dormir e não de mexer no celular.
- Não pode fazer isso, ta na hora de dormir - me viro para olhá-lo. -  A minha omma sempre dizia que hora de dormir é hora de dormir. Essa era uma regra quando eu morava...
- Então por que você não dormir? - me interrompe tirando a sua atenção do celular e me fitando com irritação. Olhei para o seu pescoço iluminado pela claridade por que seus olhos negros me deixava constrangido. Eu não entendia por que tudo o que eu falava era errado pra ele. Não tinha culpa que ele não sabia dessa regra.

Bocejando mais uma vez e meus olhos pesando cada vez mais, dei as costas pra ele e me cobri mais ainda com o edredom que dividia com ele. O tempo começava a ficar gelado. Quando falei boa noite incapaz de mater os olhos aberto eu apaguei depois de escutá-lo resmungar alguma coisa e bufar logo em seguida.


                                [MY]

 

- Vamos garoto, ande logo com isso - empurro o Kim para que entrasse no meu santuário.
- Eu não quero dormir aqui Tio Suga - desisto. Ele não tem jeito. O garoto sofre de infantilidade, vou ter que me acostumar com esse apelido ridículo mesmo. E pra piorar, ainda tô puto com aqueles dois. Pff, o que aquele garoto pensa que é pra falar comigo daquele jeito? Aish. Balanço a cabeça para afastar as varias formas de estrangular uma pessoa, agora o que importava era a aposta. Vou ganhar dinheiro fácil.
- Por que não? - mas que... Quem não gostaria de dormir no meu quarto? É muito melhor: há uma cama de casal e uma tv só pra mim. Há coisa melhor do que isso? - Não me diz que tá com medo? - caçoo. Medo? Esse pirra tem medo de mim? Por que de repente me senti magoado com isso?
- Eu não gosto da ideia - ele aperta mais o travesseiro no corpo, olhando fixamente para a cama.
- Aish - reviro os olhos -, deixa de manha e deita logo nessa cama.
- Mas...
- Vamos Taehyung, todo mundo já esta dormindo e eu tô morrendo de sono - bocejo falsamente. Desligo as luzes a caminho da cama mas logo escuto-o protestar.
- Hyung, não... não desliga a luz - ligo-a imediatamente.
- Você tem medo do escuro? - falo incrédulo. Que menino de 17 anos ainda dormir de luz acesa? Meu deus, com quem esse garoto tivesse morado antes - pois até aonde sei, os seus pais faleceram há dois anos e eles (Taehyung e Hoseok) moravam com uns tios antes de se mudarem pra cá - acabou com eles. Estragou o garoto.
- Hoseok sempre deixa a luz ligada - faz beicinho. Bufo, não vou deixá-lo me comover.
- Eu não sou o Hoseok, Taehyung. Ainda não percebeu?
- Já, meu irmão não é que nem você - arqueia uma sobrancelha.
- O que você quer dizer com isso? - semicerro os olhos em sua direção. Como ele estava no meio do quarto e eu perto da porta já fechada, diminui a distância enquanto o via da passos para trás, com medo.
- Eu quero voltar pro meu quarto Suga - fico surpreso. Ele me chamou de Suga? Sorriu internamente. O que o medo não faz.
- Você não vai sair desse quarto até eu ganhar a aposta - asseguro-lhe.
- Ma-mas eu não tenho nada haver com a aposta - ele aperta mais o travesseiro contra se.
- Você tem tudo haver - olho-o sério e chego mais perto, vendo revidar dando curtos passos para trás. Tava escrito na cara dele o quanto estava com medo. E eu pensando que o Park era o único medroso daqui. - E vê se relaxa - sorriu quando vejo que esta com o cenho franzindo -, não vou fazer nada com você, tá?
- Não confio em você.
- Garoto esperto - bagunço o cabelo dele. - Agora vamos dormir.
- Você vai deixar a luz acesa?
- Não - vou até o interruptor e desligo e logo escuto as suas lamúrias para deixar acesa. - Argh! Moleque, não tem como eu dormir com essa budega ligada na minha cara!
- Se ela não ficar acesa, eu não durmo - vejo que estufa o peito mesmo escondido atrás da almofada. Okay, calma Yoongi, ele não vai te tirar do sério. O jeito é seguir o plano b: deito na cama e coloco uma almofada no meu rosto.
- Agora vê se dormi.


Notas Finais


Continua?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...