1. Spirit Fanfics >
  2. Home ; HyunIn - Hyunjeong. >
  3. Entre paredes e sussurros.

História Home ; HyunIn - Hyunjeong. - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


oi gentekkkkkkkkkk perdão o sumiço mds 👉👈 eu estava bem ocupada esses meses com estudo então veio aqui a compensação, tô atualizando no aniversário do maknae :))) vou começar a estudar em tempo integral agora, então posso demorar mais kk
não desistam de mim pfv, vou tentar atualizar com mais frequência esse ano, nenes 😎😎
amo vcs, boa leitura!!! ♡♡

Capítulo 8 - Entre paredes e sussurros.






ㅡ Jeongin? O que está fazendo? ㅡ sou 'acordado dos meus devaneios com o mais velho estralando os dedos em frente ao meu rosto. Hyunjin já estava enrolado em uma toalha, sua sobrancelha esquerda permanecia levemente franzida. Esboçou um sorrisinho no canto do seu rosto. ㅡ Você estava me espiando? ㅡ maliciou o ato com exatidão. Um tremendo safado, que ódio!




ㅡ Eu? Eu.. ㅡ olhei para o trinco, onde a minha mão estava. Meu rosto ainda devia manter a mesma coloração. ㅡ A porta tava aberta. Vim fechar. ㅡ sorri largo, com vontade de socar aquela cara infelizmente bonita.




ㅡ Mas.. ㅡ antes que pudesse ouví-lo, fechei a porta de uma vez, adentrando meu quarto em passos rápidos, quase como se estivesse correndo. Tranquei a estrutura amadeirada, aproveitando para tirar minhas roupas e relaxar os ombros no banho. Encostei a testa na parede pouco gelada e fechei os olhos, sentindo as gotículas d'água perpassarem minhas curvas não tão marcadas.




Tudo está tão confuso. Sua expulsão, as marcas e cicatrizes pelo corpo, seu jeito de agir comigo, agora essas tatuagens.. Não entendo como não as vi mais cedo. Talvez estivesse lento demais para notá-las.
Suspirei e prossegui o banho, tateando uma máscara e espalhando-a pelos meus fios curtos. O cheiro era próprio dos produtos fabricados pela empresa do meu pai. Ser filho do dono de um local de beleza tinha uns leves privilégios.




Apalpei o necessário, me ensaboei, enxaguei, finalizando todo o processo. Alcançei a toalha e me sequei, deixando-a enrolada em minha cintura. Corri de volta para o quarto, pegando uma bermuda qualquer e uma blusa solta como pijama.




Sem dar atenção às batidas na porta, gritei um boa noite para Hyunjin dali mesmo e voltei aos meus afazeres noturnos, que envolviam: sorvete, projetos, e logo após tudo concluído, uma bela e tranquila noite de sono. Isso, claro, se meu vizinho não soltar aquele cachorro pra acabar com os tímpanos de alguém mais uma vez.




Engenharia envolve cálculos, e eu já os odiei muito, antigamente. Ainda estou ponderando em transferir-me pra área exclusiva de design do nosso setor, o que poderia me proporcionar a deixa das atividades extracurriculares.




Dias atrás, eu ouvi alguém da turma mencionar as vagas pra mudança de lugar em uma empresa amiga da faculdade onde estou.. No caso, uma bolsa pra fora do país.
Mas nunca foi algo do meu interesse, abruptamente. Sei o básico das línguas estrangeiras, o que é necessário pra me comunicar. Não há necessidade de conhecer outro lugar, ainda mais por não ter concluído meu curso..
Só falta um maldito ano para eu enfim encerrá-lo de vez, e poder, claramente, me libertar de tanto esforço. Apesar de eu saber que, justamente por ter acabado, o pior ainda iria vir.




Hyunjin não gosta de Medicina. Eu sei bem desde que o vi mencionar. Ele afirma querer cuidar de pessoas como seu pai fazia, mas também nunca demonstrou uma compaixão pela carreira que talvez ainda fosse ter. Seu rumo quando menor era a dança, no qual acabou por se afastar quando seu pai faleceu. Seu professor o detesta, sempre o pondo para as piores experiências. Isso tudo por ele ter faltado muitos meses e trancado o curso, na época em que se afastou de mim e assegurou ter sido expulso de sua residência. Isso me deixa extasiado.. Enfim, o assunto não é meu..




Antes que me levantasse, ouvi três batidas seguidas na porta.

Se não for Hyunjin, é o demônio.

Parando pra comparar, não muda muita coisa.




Innie? ㅡ a voz suave do meu melhor amigo soou atrás do que nos separava, e me levantei para destrancar. ㅡ Por que está me evitando? ㅡ ele fez menção, levando uma mão até a própria nuca.




ㅡ Vai dormir, Hyunjin. ㅡ ele insistiu.




ㅡ A gente pode conversar? ㅡ sua expressão estava meio desesperada. Não vi soluções a não ser deixá-lo falar.




ㅡ Fale daí. Estou morto de sono. ㅡ suspirei, apoiando o peso do meu corpo no batente da janela. Ele mencionou explicações sobre seu "sumiço".




ㅡ Foi por causa de uma briga. Uma não, mais que uma.. Eu nunca tive uma boa relação com o meu padastro, e eu acho que você sabe disso. No meio de uma discussão, eu disse a ele que eu nunca seria seu filho e que a mamãe deveria se arrepender daquilo, porque eu já estava mais que farto de ficar perto daquilo tudo. Ele me bateu e.. ㅡ seus olhos estavam marejados. Aquilo devia estar doendo demais para si. Eu o puxei imediatamente para um abraço, nem pensei em mostrar insensibilidade naquela situação. Ele não correspondeu, estava soluçando sem parar.. Nunca pude pensar que fosse tão emotivo. ㅡ É.. tanto faz. Era só isso. ㅡ ele me afastou. Ao que parece, não sou eu que está evitando algo. ㅡ Se não contasse, me sentiria culpado por estar morando aqui sem te dar justificativas. ㅡ passou as mãos na face, disfarçando os mínimos indícios de água no canto dos olhos.

Mas.. algo ainda estava faltando. Eu sentia.




ㅡ Hyunjin? ㅡ ele levantou o olhar a mim, atento. As íris estavam escuras. ㅡ Não aconteceu só isso, estou certo? ㅡ ele sorriu, bem forçado na minha visão.




ㅡ Claro que foi só isso, por que eu esconderia algo de você? ㅡ sorriu, simplista. Com os olhos semicerrados, resolvi deixar minhas suspeitas de lado e sorrir junto a si.




ㅡ Hm.. Agora eu tenho umas perguntas.. ㅡ olhei pro chão, com meus dedos indicadores tocando-se freneticamente. Estava com vergonha de questioná-lo, mas eu estava curioso.
Curiosidade. Odeio curiosidade. O ditado do gato ter perdido a língua por isso só me acaba, justamente por ser a minha realidade!




Hyunjin passou por mim, sentou na minha cama, e cruzou os braços, indicando com a cabeça para que eu prosseguisse com os questionamentos incessantes. Não sei porque reparei, mas seus ombros pareciam tensos. Eu ainda não me convenci..




ㅡ Bem.. ㅡ após fechar a porta do quarto, fiquei de costas, com a destra ainda presa ao trinco. Como iria perguntar sobre sua tatuagem sem me sentir envergonhado? Joguei pro ar, não vou mentir que essa era uma das minhas dúvidas principais, mas no momento eu deveria, como o meu claro papel de amigo, me preocupar com a sua saúde. Calma, acho que já sei! ㅡ me virei no mesmo instante. ㅡ Você já se recuperou dos machucados? ㅡ fora a primeira coisa que viera em minha mente. O que eu podia fazer?
Seu rosto se contraiu um pouco, mas logo formulou palavras.




ㅡ Eles demoraram pra sarar, mas.. Jisung me ajudou nesse meio tempo. ㅡ sorriu levemente, acariciando os próprios fios costeiros. Senti uma pontada no peito.. Prefiro achar que é a morte. ㅡ Bem roxos de início, mas eu não podia fazer nada a não ser tratar deles.. Jisung é filho de uma enfermeira, então ambos cuidaram de mim muito bem, a mãe dele é gentil, ele mais ainda.. ㅡ sorriu mais largo que antes. Disfarçei um sorriso, cruzando meus braços inquietos.




ㅡ Ah.. E quando fez as tatuagens? ㅡ perguntei, de uma vez. Arregalei os olhos e tapei a boca. Jeongin seu burro! Droga, onde eu me escondo?
Hyunjin sorriu ao ver meu desespero, ele estava se divertindo com aquilo? Qual é a graça?
Caralho eu quero explodir. ㅡ N-não é isso! Eu quis dizer as marcas.. É! As marcas! ㅡ ele permaneceu sorrindo, porém de uma forma mais contida.




ㅡ Por que não confessa logo que me viu nu? ㅡ senti meu corpo inteiro pegar fogo, meu coração estava acelerado. Mas que porra? ㅡ Calma, Jeongin. Eu não tenho o que fazer com essa informação. A não ser que você queira..




ㅡ Não cansa de dar em cima de mim não? ㅡ um silêncio se impregnou no ambiente e ele me fitou, tão profundamente que pensei que fosse me assassinar ali mesmo. Juro que em todos os meus anos de amizade com Hwang Hyunjin, ao menos em todas as vezes na qual ele me encarou, eu ficava com medo em 90% delas. Sei lá o motivo, ele parecia ler a minha alma com um bendito olhar seu. E eu ficava travado, sem reação em muitas das vezes. Hyunjin me deixava vulnerável.
De medo. Não é pra pensar merda.




ㅡ Para de me olhar assim.. ㅡ sussurrei, envergonhado. Aquilo me constrangia, ao mesmo tempo que me deixava atordoado. Senti o outro se afastar da cama, seus leves passos vinham em minha direção. Estava tudo escuro, um completo breu, e eu não estava perto do interruptor. Notei que o maior estava em minha frente, enquanto eu tentava me afastar o máximo possível, buscando deixar um espaço suficiente, mas ele não parecia querer isso. O que ele pensa que tá fazendo?
Merda. Cá estou, vulnerável e sem uma reação. Que ódio.
Minhas costas estavam praticamente grudadas na parede, e seu nariz estava no meu pescoço, a respiração lenta. Isso é errado, mas eu não consigo reagir.




H-hyunjin? ㅡ caralho, para de gaguejar Jeongin. Isso só te prejudica. O filho da mãe não me respondeu, ficou parado enquanto passava os dedos na minha cintura e praticamente respirava em meu pescoço, me deixando levemente alterado. ㅡ Hyung.. ㅡ seus toques estavam acabando comigo. Ele é o meu melhor amigo, mas o que..?
Tentei me soltar de si mas ele apertou ainda mais a minha cintura, me fazendo arfar. Sim, eu quis me atirar do prédio naquele momento! Quando o empurrei, ele segurou meu pulso e senti seus lábios em minha clavícula, guiando um caminho de selares fortes até minha mandíbula com a presença de leves mordiscadas. Tentando garantir que eu não me desprenderia, suas mãos agarravam meu corpo na parede, me impedindo de sair.




O que tá acontecendo aqui?




ㅡ P-pode se afastar? Por que.. ㅡ levou as mãos, mais uma vez, até a minha cintura, onde despejou toda a sua vontade, me deixando mais uma vez sem reação. Eu soltava arfadas cada vez que me tateava com mais intensidade, e aquilo estava me enlouquecendo. Eu tenho que reagir, eu tenho que..




Não. E eu nuncar vou cansar. ㅡ sussurrou rente ao meu ouvido, fazendo questão de rir maliciosamente no final do ato, o que me ocasionou um leve tremor. Porém dessa vez eu tomei consciência e o empurrei de primeira, fazendo-o cair no chão e soltar um gemido, inesperado, de dor. Ao ver meu feito, arregalei os olhos e me inclinei para baixo estendendo a mão, mas pelo som da porta abrindo, notei que o mesmo já havia se levantado por conta própria. Já deveria tê-lo identificado ao ouvir uma risada confinada.




ㅡ É melhor você ir, hyung.. ㅡ murmurei, com o rosto meio vermelho pela razão dos atos anteriores. O observei sorrir meio sorrateiro, parecendo elaborar um plano que fisgasse alguma cena memorável.




ㅡ Não sem antes fazer uma coisa! ㅡ como se um feixe de luz tivesse acelerado o tempo, Hyunjin ligeiramente levou os lábios até o canto da minha boca, e após, não tardou a se retirar com a mesma pressa na qual realizou o ato. Eu, como esperado, não tive reação, mesmo tendo pensado ligeiramente em mandá-lo tomar num lugar específico. Fiquei estático, como sempre acabava ficando. Notei uma sensação estranha dentro de mim, sentindo meu rosto arder na mais pura vergonha, enquanto levava a destra ao lugar selado.




ㅡ É.. Tá bom.. ㅡ piscando repetidas vezes e sentindo o calor do meu rosto com a costa das minhas mãos, inquietas, me virei até o cômodo.




Eu ainda tenho o pressentimento de que Hyunjin está escondendo algo, como também acho que vou ter que me acostumar com essas situações. Ele nunca me tocou daquela forma mais íntima, e eu também nunca o vi de outra maneira. Ele mudou de maneira radical, mas por que eu sinto que gostei de parte da mudança?





Notas Finais


hmkk err
foi isso por hoje... eu realmente vou tentar atualizar cedo ok? demorei bastante podem me bater eu deixo
se puderem comentar alguma coisa, pfv :( eu to insegura demais sobre isso kk
os motivos pra trama realmente ficar intrigante vão surgir mais na frente, vcs vao ve 👍👍 bjs nao desistam de mim nem me matem...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...