História Homecoming ➳ Tom Holland/Spiderman - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Homem-Aranha
Personagens Peter Parker
Tags Amor, Ficção Adolescente, Homem Aranha, Romance, Spiderman, Tom Holland
Visualizações 485
Palavras 1.657
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - 🕸we're not dating🕸


Existe coisa pior do que acordar 6h da manhã no sábado? Provavelmente existe mas pra mim é péssimo do mesmo jeito.

— Bom dia - minha mãe diz assim que entro na sala.

— Bom dia - falei animada - O que você tá fazendo acordada essas horas?

— Acordei com o barulho do seu secador - disparou um olhar de raiva - primeira vez que te vejo animada logo de manhã e em pleno sábado, o que aconteceu?

— Foi mal - rio e pego uma bolacha - não sei porquê estou animada, deve ser coisa da minha cabeça.

— Como foi a festa ontem? Chegou tarde.

— Como sabe que cheguei tarde? 

— Te esperei até às 1h depois fui dormir.

— Entendi.

— O Peter passou aí e disse que não era pra você esperar ele porque iria mais cedo hoje.

— Sério!? - olhei no celular e não era nem 6h40 ainda.

Não acredito que esse idiota vai me deixar ir sozinha hoje.

— Não entendi também. Vocês brigaram de novo? 

— Não, na verdade a gente só... - pensei bem se deveria continuar a frase.

— Só... - me olhou sugestiva para continuar.

— Conversamos - falei rapidamente - tchau mãe, to indo - dei um beijo em sua bochecha.

— Juízo garota - gritou antes que eu pudesse sair.

Ando lentamente em direção á escola e quando chego lá vou a procura de Peter.

— Você sabe onde está o Peter? - pergunto para Michelle.

— Bom dia pra você também - ri - não sei não, nem vi ele hoje.

Olho para o lado e o vejo conversando com Ned. Vou até eles.

— Olá Ned - sorri - olá Peter - mordo os lábios.

— Oi - disse um pouco tenso.

— Por que não assume o namoro logo ao invés de ficar nessa tensão sexual? - Ned ri.

— Nós não estamos namorando - eu e Peter dizemos juntos.

— Magina - levantou a sobrancelha - eu vou indo pra deixar os pombinhos a sós - saiu.

— Por que não me esperou hoje? - pergunto.

— Eu não queria que ficasse um clima estranho entre a gente.

— Como assim clima estranho?

— Por causa de ontem.

— Não tem nada a ver.

— Você acha que a gente vai ser a mesma coisa de que éramos antes? 

— Não é assim...

— É sim! Eu não consigo esquecer aquele beijo e...

— Nem eu! - gritei - Que coisa, Peter, eu não consigo te entender. Você gosta ou não de mim? - o sinal toca.

— Eu te amo - falou baixo e envergonhado.

— Então! Eu não aguento mais ser só sua amiga, não custa nada tentar - respirou fundo e passou as mãos nos cabelos os despenteando. 

— Eu preciso ir pra sala, tchau - dá um beijo na minha bochecha e se afasta.

Vou até a minha sala e me sento ao lado de MJ.

— Adorei a DR - sorriu divertida.

— Não tinha nenhuma DR.

— Então vocês estavam conversando civilizadamente? - assenti - Me poupe.

— Ontem a gente se beijou - digo com um fio de voz e abro meu caderno.

— Mentira!? - abriu um sorriso enorme - Finalmente - levantou os braços.

— Pois é.

— Me conta tudo - expliquei tudo pra ela, mas omiti a parte do homem aranha - Aaaaaaaah - gritou.

— Não fala isso pra ninguém.

— Eu nem teria pra quem contar isso - deu de ombros - Então agora ele não sabe o que quer?

— Sei lá, eu não consigo entender o Peter.

Logo o professor entra e entrega as provas.

A próxima aula é vaga e já que sou do grêmio tenho que ir pra 'reunião'. Me sento ao lado de Michelle e não demora muito para Peter chegar. Nossos olhos se encontram mas logo desvio.

Liz entra na sala com algumas caixas na mão e chorando. Não entendi o que acontecia, e pelo visto Peter também não.

— O que é isso? - pergunta o garoto.

— Eu vou me mudar - deu um sorriso falso - minha mãe não quer mais ficar aqui. 

Apesar de tudo eu fiquei até que próxima de Liz e gosto dela, não queria que fosse embora assim. Peter me olha novamente.

— Tchau pessoal - acenou e saiu.

— Que loucura - Michelle comentou - viu que o pai dela foi preso?

— Pois é - assenti.

Voltamos a reunião que já estava me dando sono (mais do que eu já estou). Peter olha o celular, guarda e se levanta.

— Onde você está indo? - MJ pergunta.

— No banheiro...

— O que você está escondendo, Peter? - fez uma cara ameaçadora enquanto ele ficou sem palavras - Brincadeira, eu não ligo.

Alguns minutos depois ele aparece novamente.

— Preciso falar com você, Jennie.

Levanto rapidamente vou até ele.

— Que foi?

— O Stark quer falar comigo - ele estava bem feliz - eu posso virar um Vingador.

— Peter a gente tem prova de espanhol! Não pode simplesmente sair da escola e virar um Vingador.

— É minha chance, Jennie. Por favor, vamos lá comigo.

— Ir com você? Absolutamente não.

— Por que?

— O que eu vou fazer lá? Ele quer falar com você e não comigo.

— É um momento especial pra mim e eu quero compartilhar ele com uma pessoa mais especial ainda - fez carinha de cachorro pidão.

— Que saco você sempre consegue o que quer comigo - ele ri.

Peter e eu vamos para fora onde tem um carro nos esperando. Peter senta no banco da frente e eu no de trás. O caminho todo ficamos em silêncio e logo chegamos a torre dos Vingadores.

— Eu tenho que entrar? - perguntei.

— Claro que sim - respondeu Peter.

Subi o elevador ainda receosa e quando a porta se abre, o Stark aparece. 

— Quam deixou você trazer a namorada? - Tony.

— Nós não estamos namorando - falamos juntos a mesma frase pela segunda vez no dia.

— Ok, ok. Qual é o seu nome garota?

— Jennifer, Jennie Smith.

— Smith... Smith... - falava como se estivesse lembrando de algo - Qual é o nome da sua mãe? Yara? 

— Yasmin.

— Isso! - então ele se lembrava da minha mãe - Vivi bons momentos com a Yasmin mas depois ela sumiu e me deixou sozinho. Você é a cara dela, queria saber onde ela se meteu.

— Longa história - não sabia o que responder.

Começou a falar pra Peter sobre as vantagens e mostrou um novo traje pra ele, perguntando se o mesmo topava fazer parte do grupo de heróis.

— O que você acha, Jennie?

— Faz o que você achar melhor, Peter, mas pensa bem.

O mesmo parou por alguns segundos e disse que não topava, dizendo assim que queria ser o amigo da vizinhança. Fiquei feliz com a escolha dele. Acabamos que nem voltamos pra escola e fomos pra casa dele.

— O que é isso? - ele olha confuso pra uma sacola.

— Abre.

Ele abriu a sacola e Stark tinha lhe devolvido o traje.

— Não acredito - ele sorriu.

— Aaaah parabéns, Peter - o abracei.

Nos soltamos e ficamos nos olhando.

— Eu posso te beijar? - perguntou envergonhado e eu rio de sua cara.

— Não precisa nem perguntar, idiota.

Pego na sua nuca e juntos nossos lábios. Suas mãos passam pelas minhas costas e param na minha cintura, seguro ela e coloco na minha bunda. Peter fica um pouco assustado com a minha ação. Terminos o beijo e o mesmo me olha corado e com um sorrisinho no rosto.

— Qual foi, Peter? Nunca pegou na bunda de nenhuma menina?

— Que tal irmos dar uma volta? - coçou a cabeça.

— Você é muito bobo - lhe dou um selinho - Vamos pra onde?

— Que tal passearmos de um jeito diferente? - me olhou malicioso.

— Ai meu Deus o que você está querendo dizer?

— Tem medo de altura?

— Um pouco.

— Perfeito!

— Você não vai fazer o que eu estou pensando - falei irritada e o menino me olha rindo - Ah não, Peter, eu não vou sair por aí com você vestido de homem aranha, não mesmo - cruzei os braços com uma cara emburrada.

— Tudo bem, eu não vou de homem aranha e sim de Peter.

— Eu te odeio - bufo.

Ele me pega no ombro e vamos em direção á saída do prédio.

— Peter eu to de vestido! - grito.

— Relaxa Jennie, ninguém quer ver sua calcinha - dou um tapa em seu braço - Ai - protestou.

Assim que chegamos em um beco o mesmo me soltou e começou a escalar as paredes.

— E eu vou ficar aqui? - gritei.

— Pensei que estava com medo - me olhou provocativo. Um dia eu mato esse garoto.

— E estou, mas não vou ficar aqui sozinha.

— Ok - lança uma teia em algum lugar e me pega em seu colo.

Dou um gritinho de susto.

— Morreu? - disse assim que pisamos em cima de um prédio.

— Quase - abaixo o vestido.

— Para de ser dramática e aprecia a vista.

Olho para o céu e o sol está se pondo, uma coisa linda de se ver.

Me sento no chão e Peter me acompanha, me abraçando de lado.

— É lindo, não? - comentei.

— Tão lindo como você.

— Eu sou mais.

— Convencida - rimos - mas você tem razão.

E mais uma vez nos beijamos.

Se eu pudesse escolher qualquer lugar do mundo para estar eu escolheria aqui e agora. Nada no mundo paga o sentimento de amar e ser amado, ainda mais por ele, o homem aranha.


Notas Finais


oi gente desculpa pelo cap bosta e eh isso aí amo vcs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...