História Homeless - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Aidan Turner
Personagens Aidan Turner, Personagens Originais
Tags Aidan Turner, Richard Armitage, Tom Hiddleston
Visualizações 6
Palavras 796
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capitulo chegando

Capítulo 4 - Você Vai Ficar Bem


Fanfic / Fanfiction Homeless - Capítulo 4 - Você Vai Ficar Bem


(Aidan's POV)
Eu só não estou com mais frio,porque esse casaco que a Valerie me deu é bem quente,mas eu estou andando igual um louco atrás de um papelão para deitar,mas ta difícel viu.
-hey,você vai usar essa caixa?-falei para um rapaz que estava com uma caixa de papelão nas mãos
-não,eu ia jogar fora,você quer ela?
-quero sim 
-pode pegar 
-obrigado
Acho que por estar limpo,com a barba e os cabelos penteados,ele não deve ter notado que eu sou um morador de rua,mas relevei,peguei a caixa e voltei para o lugar onde eu estou dormindo,desmontei a caixa e deitei,eu fechei os olhos,mas não foi o sono que veio e sim as lágrimas,eu não aguento mais essa vida,eu preciso ser forte e sair dessa,eu vou aceitar a ajuda da Valerie,eu vou arrumar um emprego e vou sair da rua,eu preciso me reerguer,preciso seguir em frente,se não for mim,que seja por ele,eu sei que ele não ia gostar de ver o pai assim.
(Flashback ON)
-CHRIS!-gritei olhando para todos os lados-CHRIS CADE VOCÊ?CHRISTOPHER?
-to "ati" papai
-meu deus,onde você estáva?-falei abraçando o pequeno
-falando com o moço
-que moço?
-aquele-ele apontou para o morador de rua na calçada
-tava falando sobre o que?
-perguntei se ele "queia" um pedacinho-ele falou apontando pro cachorro-quente
-ai Chris-sorri
-que foi?Errado?Você fala que tem que "ofeece"
-não ta errado não meu pequeno,você ta de parabén,ó-falei pegando a carteira-da pra ele-dei uma nota de 10 dólares pra ele-fala pra ele comprar um cachorro-quente pra ele 
-ta-ele saiu correndo e eu fiquei de olho-meu papai te deu,falou "pa" "compa" pão "pa " você 
-muito obrigado viu pequeno-o homem falou e o Chris sorriu e logo veio correndo na minha direção
-papai,"po que" ele ta sujo e narua?
-ele não tem onde morar filho
-não tem casa?
-não,ele dorme na rua
-e se chove?
-ele tem que procurar um lugar pra se esconder
-"po que" ele mora na rua?
-eu não sei filho,tem muita gente que mora na rua por inúmeros motivos,por isso a gente tem que ajudar,memso em saber o porque
-eu "ajudo"
-ajudou hahaha
-não "queo" ver pessoas na rua,a rua é "frio"
-é sim filho,ninguém merece passar por isso,independente do que tenha feito pra parar na rua,passar frio e fome deve ser horrível.
(Flashback Off)
Quem diria que um pouco de um ano,eu estaria nessa situação,implorando por comida e rezando para o frio não ser tão forte aponto de fazer o meu corpo doer,mas as vezes a minha tristeza é tão grande,que eu até esqueço do frio,porque a dor interna é bem maior,me corrói,me mata aos poucos.Depois de longas horas,eu consegui pegar no sono,mas New York é muito barulhenta,então acordei logo e fiquei sentado esperando alguém passar para pedir algo pra comer,porque eu estava faminto.
-Aidan?-ouvi a voz da Valerie
-oi-falei olhando pra ela
-vim trazer suas coisas
-obrigado,vou ter onde deitar hoje
-você dormiu nesse pedaço de papelão?
-sim,roubaram meu cobertor e meu colchonete
-meu deus,se eu soubesse,tinha pego um cobertor velho em casa
-não se preocupe,eu vou achar algum por ai 
-eu trago hoje a noite ou amanhã cedo,a propósito,saí mais cedo de casa justamente pra isso,vamos tomar café
-não precisa se incomodar Valerie 
-eu sei que você está com fome,vamos
-ai meu deus 
Fomos até um café,escolhemos uma mesa e ela foi fazer os pedidos,eu via algumas pessoas me olhando torto,mas eu não liguei,já estou acostumado.
-prontinho-ela chegou na mesa com as coisas
-meu deus,quanta coisa
-café da manhã caprichado-ela sorriu 
-sim-sorri também 
-hey,eu queria pedir desculpas pelo Daniel ontem 
-tudo bem Valerie,eu entendo,ele não esperava ver um morador de rua dentro da casa dele
-eu relmente não sabia que ele ia chegar,eu sinto muito memso,ele não deveria ter te tratado daquela forma
-não tem problema Valerie,já foi 
-por falar nisso,eu vou falar de você na revista 
-então,era sobre isso que eu queria falar com você,eu aceito essa ajuda,eu quero sair da rua,eu quero recomeçar a minha vida 
-eu vou falar com o Daniel,até você ganhar o primeiro salário,você fica la em casa
-nã...
-hey,nos fundos tem uma casa para os empregados,tem um quarto sobrando,pode ficar com ele,não vai ser exatamente dentro da minha casa,o Daniel vai concordar,vou falar com ele a respeito de um apartamento ou uma casa mais barata para você alugar,tudo para você voltar a ter uma vida digna 
-muito obrigado Valerie,de verdade,me reerguer é tudo que eu mais quero 
-da pra ver nos seus olhos
-eu quero me livrar dessa depressão terrível que me assombra 
-deve ter acontecido algo muito horrível pra te deixar assim 
-acredite,foi a pior coisa que poderia acontecer,arrancaram uma parte de mim sem dó,eu pensei em acabar com a minha própria vida por conta disso-falei com lágrimas nos olhos 
-meu deus-ela segurou a minha mão-você vai ficar bem viu-ela sorriu 
 


Notas Finais


Até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...