1. Spirit Fanfics >
  2. Homeless Boy - Yoonkook >
  3. Prólogo

História Homeless Boy - Yoonkook - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


EU FALEI Q IA VOLTAR MEU POVO
Assim né ksksks insatisfeita com esse cap por motivos óbvios :v
QUERO COMEÇAR LOGO COM AS INTERAÇÃO AAAAAAAA calma calma, rexpiraaa kejeiwkjahdi
Tipo, eu falei pra mim mesma q tinha q plmenos escrever uma fic nesses 15 dias de férias. E a vdd é q tenho um mont de ideias, mas não consigo executá-las. Mas ka estou eu aqui lhes trazendo essa velezura (nova palavra criada por mim) de fic.

Não prometo postar todos os dias, capinha feita por mim, lembrando que ainda estou no fundamental por isso escrita tá uma merda eeee....podem ler agr.

Capítulo 1 - Prólogo


A porta foi aberta com brutalidade, assustando a jovem ômega Min Yoona com seu bebê nos braços. Sua feição ficou preocupada ao ver a velha beta Youngsoo ofegante e suando adentrando o cômodo.

— Você precisa sair daqui.– Youngsoo disse por um fio de voz, abrindo o guarda-roupa e recolhendo as roupas da ômega. – Yoona, você precisa ser forte. – Colocou suas mãos no ombro da mesma, que estava suando nervosa.

— Youngsoo...o que foi?! – A mais velha suspirou, pôndo uma capa preta na ômega.

— Escute, Yoona... – Olhou pela brecha da janela antes de falar com a mais nova. – O Seungmin, ele... – A ômega começou a suar frio ao ouvir a menção do seu ex-namorado. Que, simplesmente a abandonou quando descobriu estar grávida.

Seungmin era um alfa lúpus rico e poderoso. Podendo destruir a vida de qualquer um. Yoona conheceu Seungmin quando a mesma estava bêbada, quando foi quase atropelada por uma caminhoneta, que consequentemente, era de Seungmin. O mesmo foi um grande cavalheiro com Yoona, que lhe deu uma carona até sua casa. E então os dois jovens não paravam de se ver até estarem apaixonados e começarem um possível relacionamento. Mas, em uma de suas noites, a proteção necessária não foi usada. E cada ato tem sua consequência, e a consequência de Yoona foi a gravidez. Contou eufórica para o namorado, achando que o mesmo teria sua mesma felicidade ao saber da notícia. Mas pobre Yoona...naquela noite recebeu muitos tapas e chutes. Palavras rudes vindo da boca da pessoa em que amava. E o pior, foi ouvir aquele alfa egoísta a dizendo: "Isso não é meu filho! Ele irá morrer antes mesmo de nascer!". Depois da sua agressão, Yoona fugiu – tentou – da mansão, andando pelas ruas da grande Seul, mas que por sorte foi acolhida por uma generosa beta. Essa era Youngsoo, uma beta de Daegu. Yoona rapidamente criou confiança na idosa, a contando toda sua situação. E Youngsoo com seu coração mole, partiu para Daegu junto da mais nova, lá elas cuidariam muito bem do bebê já que Daegu era uma cidade pequena.

— Você precisa ir agora, Yoona! – A beta colocava o pequeno bebê em uma cesta, o cobrindo com os panos. – Tente chegar na capital o mais rápido possível! Minha prima, Chaeyoung, vai te dar abrigo. Tenho certeza! – Youngsoo colocou a cesta nos braços de Yoona, que estava estática olhando para a mais velha.

— Mas...e você? – Yoona perguntou momento depois em que percebeu que a mesma fugiria mas a beta não iria junto consigo.

— Eu vou ficar bem, Yoona... – A beta sorriu amarelo. Ela não ficaria bem, seu destino seria a morte se ficasse ali. Mas faria de tudo por sua filha e seu neto.

Mama... – Os olhos de Yoona marejaram-se quando, por fim, entendeu a situação em que a beta se encontrava. – Promete?... – Perguntou com a voz embargada.

— Prometo minha querida... – Os olhos de Youngsoo já estavam molhados, e as lágrimas caíam. Deu um último abraço de despedida em Yoona e selou sua testa. – Eu vou logo atrás, huh? Agora vá.

Yoona saiu pela porta dos fundos, indo em direção a floresta. Não demorou muito para que os guardas alfas contratados de Seungmin adentrassem a casa. Apontando as armas para Youngsoo.

— Onde está Yoona? – O semblante de Seungmin foi visto, exalando sua presença e falando com sua voz de alfa, andando em direção a pobre beta que estava encolhida.

— Não direi! – A face de Seungmin foi possuída por uma carranca. Ele tinha nojo daquela beta.

— Diga logo! – Insistiu, apertando o queixo de Youngsoo.

— Não! – Seungmin parou de apertar seu queixo, o que deixou a beta um tanto confusa. Mas logo o desespero se apossou dentro de si ao perceber o que o alfa iria mandar fazer.

— Guardas. – E em um simples estalar de dedos, todas as armas estavam carregadas e apontadas para si. Seungmin sorriu cínico ao ver a face de desespero de Youngsoo. – Atirem.

Barulhos de vários tiros foram ouvidos. Youngsoo estava deitada no chão, ensanguentada, com a pouca consciência que tinha. Pôde ver o rosto de Seungmin, e então a beta sorriu. Sorriu por ter conseguido salvar sua menina. Seungmin vendo o sorriso da mesma, tratou de chutar seu rosto, coisa que tirou sua única consciência e fazendo com que a alma da beta finalmente descansasse em paz.

— Ela não deve ter ido muito longe. – Seungmin se pronunciou. – Vamos. Procurem nas redondezas! – E todos os guardas saíram daquela casa, indo em direção da floresta.

[...]

   Yoona ouviu de longe o barulho dos tiros. Seu rosto se banhava em lágrimas ao pensar que a pessoa que considerava sua mãe estava morta. Fazia alguns minutos que corria em direção a capital, podia sentir os cheiros dos alfas atrás de si. Suas pernas estavam dormentes de tanto correr, não ia aguentar nenhum segundo sequer. Mas não podia parar, a sua vida e a vida do seu filho estavam em risco. Sentiu pingos de água caindo na sua testa, iria começar a chover. Rodeou sua capa preta em volta da cesta para proteger o bebê. A ômega podia ouvir os gritos dos alfas atrás de si, agora, nas ruas de Seul.

Corria descalço pela calçada, pisando em cada poça. Não tinha parado de correr e sentia que já estava no seu limite. Entrou em um beco escuro e se escondeu pelas latas de lixo. Pôs a cesta em cima dos seu joelhos, tirando os panos que cobriam o bebê.

Yoongi... – Sussurrou enquanto acariciava a bochecha do pequeno. – Me desculpa, meu filho... – Seus olhos marejaram-se. – Me desculpa por ter que fazer isso...mas essa é minha única opção. – Tirou um pequeno broche que tinha nos bolsos do seu vestido, no broche onde estava escrito "Yoongi", o nome do seu filho. Deixou o broche nos fundos da cesta, a pegou novamente e correu o máximo possível até chegar no lugar desejado.

Yoona conhecia muito bem as ruas de Seul, já que a mesma praticamente cresceu ali. Dois quarteirões do beco onde estava, havia um orfanato. Obviamente vai estar fechado e todos estariam dormindo, e não seria possível entrar por causa das barras de ferro. Mas, atrás do orfanato havia uma barra meia quebrada, não seria possível ela passar por ali. Mas a cesta sim.

Agora, de trás do orfanato, Yoona deu um último beijo de despedida na testa do seu filho, cobriu a cesta com a capa – mesmo que a chuva já tivesse passado – e calmamente a emcaixou ali; parando quando a cesta foi de encontro ao chão.

— Mamãe vai voltar um dia, Yoongi... – Deu passos lentos para trás. Pôde sentir o cheiro dos alfas se aproximando e então saiu correndo o mais longe possível. Com certeza, na hora certa, Yoona voltaria para buscar o seu filho.


Notas Finais


Faz tanto tempo q não escrevo q até desaprendi. Nossa. Agr vão dormir :v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...