História Homem de pura sorte! - Capítulo 43


Escrita por:

Postado
Categorias One Piece
Personagens Monkey D. Luffy
Tags Luffy Ostentação, Luffy X Harém, Luffy X J Bonney, Luffy X Nami
Visualizações 267
Palavras 1.600
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Harem, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Survival, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Meu irmão, o capitão tá puto!!
Espero que gostem... E cuidado com machados gigantescos de 22 quilos sendo empunhados por caras brancos com pernas gigantes e pelados... Nunca confie em gente assim

Capítulo 43 - Pré-acontecimentos: Juntem-se, membros do chapéu de palha!


Fanfic / Fanfiction Homem de pura sorte! - Capítulo 43 - Pré-acontecimentos: Juntem-se, membros do chapéu de palha!

(nota: eu pulei a história da Nami, já que geral já deve saber… Certo?)

Um silêncio pesado se fazia entre todos os chapéus de palha no momento. A atmosfera era pesada, e a sensação eram como se pequenos bichinhos de ansiosidade cavassem sua pele, de tão formigante que era a atual situação—menos para os dois homens de jaquetas, que choravam imenso depois da história de vida da navegadora de cabelos alaranjados. A de cabelos azuis passava seus olhos por cada um dos piratas, cerrando suas sobrancelhas, esperando que eles tivessem entendido a gravidade da situação.

A primeira, de cabelos rosas e sobrancelha encaracolada parecia ter a reação mais calma do mundo, após ouvir a vida da ladra. Não conseguia distinguir o que se passava na cabeça dela, apenas perceber sua face um pouco caída e pensativa. O espadachim não parecia ligar nem um pouco, encarando a si claramente com um sono desinteressante. A outra rosada não parecia chocada, mas triste… E os seus olhos… Eles foram o que mais chamaram sua atenção; eram olhos idênticos ao de sua irmã.

Soltando um longo suspiro, chamando a atenção dos outros propositalmente, a azulada decide então por concluir sua fala, visto o passar de alguns segundos.

Nojiko – Então, agora que vocês sabem o mínimo de uma lasca sobre quem é Nami e o quão importante é essa ilha para nós… Eu peço que saíam; não se metam em nossos assuntos e não se importem nunca mais… Entendam, isso será o melhor para todos nós. – terminou então, criando mais uma grossa parede de pressão contra os chapéus de palha.

…!!

Zoro – Arlong deveria rezar para qualquer Deus idiota que existe… – falou cansado, enquanto coçava sua nuca. –… Porquê… Assim que Luffy souber disso tudo… He, não existirá nem os ossos dele para enterrar. – terminou sua fala, sorrindo macabramente, antes de levar seu olhar novamente para a azulada.

Seus olhos arregalados e mente travada, diante da fala do espadachim… O que raios ele queria dizer com isso?!…!! Então, outra voz feminina ressoou, só que dessa vez sendo a da rosada de sobrancelha encaracolada.

Reiju – Nosso capitão tem um grande apreço por cada um dos companheiros… Ele preza muito por nossa segurança, bem-estar e felicidade… Eu creio a dizer que, quando ele souber da história da navegadora, quem ele vai culpar vai ser a si mesmo. – começou a falar, só deixando Nojiko cada vez mais confusa. – E para se redimir… Bem, o mais provável é que ele chegue a tomar à força a vida do homem-peixe… Você sabe; matá-lo. – terminou com o sorriso vacilante, tentando explicar seu pensamento claro.

Nojiko teve uma corrosiva raiva subindo acima de si naquele momento, quando bateu os dentes, soltando logo em seguida.

Nojiko – Absurdo… Arlong é extremamente poderoso! Ele sozinho vale por exércitos completos! Seu capitão seria triturado no primeiro momento que o desafiasse! Não sejam idiotas convencidos! – gritou esbravecida… Quanta gente já morreu… Quantos sofreram um intérmino sofrimento nas mãos do tritão?!… E tudo isso para um idiota convencido ir lá e se matar?! Besteiras!

Bonney – Não subestime Monkey D. Luffy… Foi ele que lutou por cada um de nós sem temor algum, usando de seu próprio corpo como ataque!… Não vai ser um tritão qualquer que irá pará-lo! – gritou a rosada de braços cruzados, encarando a de cabelos laranjas em um rosto calmo. A de cabelos azuis já ia esbravejar novamente sua raiva, chamando isso de merda incoerente, ante o esverdeado falar primeiro que si.

Zoro – Mesmo que não acredite em nós, vai ser isso que acontecerá… Sinta-se sortuda, bruxa… Vai ser o lendário Rei dos Piratas que salvara a sua ilha de um peixe de merda. – falou com um tom cômico, enquanto puxava a única espada que tinha contra seu ombro. Bonney também sorriu largamente, enquanto estalava seus dedos. Reiju por si só não fez muito, apenas sorriu internamente… E Jhonny e Yosaku cruzaram os braços, assentindo conjuntamente com a cabeça.

Nojiko estava perdida em uma maré de raiva e desacreditamento… Quão burras e ignorantes essas pessoas poderiam ser?! Seguindo cegamente um idiota de chapéu de palha, que dizia que vai se tornar o Rei dos Piratas! Um idiota vindo do oceano mais fraco de todos! Já tinha ouvido muita merda em sua vida… E essa estava em uma favorável posição. Soltando um suspiro em clara raiva, a mesma gritou neurótica.

Nojiko – Pois bem, então! Vão e se matem contra Arlong! Assim, quem sabe, vocês não podem enfraquecê-lo pelo menos o suficiente para nossa invasão dar certo! – gritou sem escrúpulos algum, entrando novamente entre os arbustos e indo para longe dessas pessoas idiotas.

Com alguns segundos de silêncio, a rosada estrategista do bando tomou as rédeas, logo falando.

Reiju – Ela falou sobre ‘nós’ e uma ‘invasão’… Com nós eu não entendi ao que ela se referia; mas minha primeira opção seria o povo oprimido pelo tritão. A segunda e menos provável; alguma outra pessoa poderosa na ilha… Como um assassino de aluguel. Isso pode ser um problema sério… – falou, recebendo olhares confusos dos outros tripulantes… E Bonney falou, quase não percebendo por si só.

Bonney – Ele se importa muito com nossa felicidade e objetivos… O objetivo de Nami era salvar a vida e a si mesma com os 100 milhões de beri… Aí tá o problema, se a invasão for do povo. – completou, recebendo olhares chocados dos três homens dali. Um aceno se proveio da outra rosada… Assim, passado-se alguns bons segundos, ela retornou a falar, já configurando um plano viável em sua cabeça.

Reiju – Entendo… Não poderemos ficar aqui, portanto. Temos dois objetivos; impedir a invasão e avisar ao capitão sobre a atual situação. Logo, se são dois objetivos precisamos de dois times. Como somos cinco, será um time de 3 e um de 2… O time 1 terá de sair daqui e ir na mesma direção que o capitão—apontou para um lugar exato na floresta, mostrando que o do chapéu tinha ido por ali—e o outro vai seguir a linha de destruição feita pelo barco e vasculhar os arredores do Arlong Park, prevenindo qualquer chance de infiltração—de preferência pelo portão frontal… Voluntários para cada time? – perguntou, encarando os arredores, principalmente seus companheiros.

…!! Logo, Yosaku e Jhonny levantaram suas mãos em rostos destemidos—com Yosaku sendo o primeiro a falar.

Yosaku – Nós vamos fazer o vasculhamento no parque do tritão! – começou, sendo seguido por Jhonny.

Jhonny – Pois a história de Nami nós comoveu, e queremos ser úteis de alguma forma para Luffy-bro, que tanto lutou por nós! – gritou por fim, puxando seu sabre ao mesmo tempo que o de jaqueta verde. Olhares destemidos foram para os dois, enquanto a atmosfera de antes, a de tensão, era rarefeita entre todos… A confiança cega que tinham no menino de chapéu de palha ressurgiu como uma fênix, mostrando que ele sempre estaria lá para cada um deles.

Reiju – Ótimo… Obrigado por isso, Yosaku, Jhonny… Então, o time de aviso fica conosco. – falou, recebendo um aceno dos outros dois tripulantes. Preparando suas pernas, a rosada viu Bonney e Zoro levantando-se de onde estavam sentados, ajeitando suas posições para uma corrida subsequente. – Então… Vamos! – gritou séria, começando a correr na direção que tinha apontado…!! Os outros dois logo foram atrás de si, ao mesmo tempo que os outros dois, Yosaku e Jhonny, começavam a correr pelo rastro de destruição feito pelo barco.

Luffy

Uma sombra negra se fazia em seu rosto, no mesmo tempo que o chapéu de palha mantinha-se baixo na sua cabeça… A tensão palpável estava ali, depois que o cozinheiro loiro terminou a triste história que foi a vida de sua companheira alaranjada—Usopp também já tinha acordado, encarando o capitão temeroso.

…!!

Luffy – Sigam pela estrada de terra para fora dessa cidade por alguns segundos… Daí, entrem na floresta e andem em torno do pé da montanha pela esquerda… Alguma hora vocês vão encontrar nossos outros companheiros… Tragam-nos aqui, para finalmente estarmos todos juntos… A partir desse momento, marcharemos diretamente para o Arlong Park… Destruiremos tudo e mataremos todos. – falou lento e calmo, quando levantou seu rosto para encarar seus dois companheiros… A tragada que o cozinheiro ia dar no cigarro foi interrompida por um gelo súbito em todo seu corpo, quando encarou a face extremamente raivosa de seu capitão; seus olhos tinham sombras negras horríveis, sua boca estrava trincada em seus dentes brancos, uma veia enorme pulsava do meio de suas sobrancelhas. O atirador também ficou embasbacado, quando viu o rosto medonho de seu capitão… Sabia sim o quanto ele se importava com cada um individualmente e conjuntamente… Mas, ao ponto de um ódio explosivo nascer de si para querer matar e destruir tudo… Esse era o capitão idiota do chapéu de palha, pensou o narigudo!

… A reação final dos dois—após engolir em seco—foi dada em gagas palavras e trêmulas.

Usopp e Sanji – C-claro! – falaram os dois. Com a ordem do capitão dada, os mesmos saíram correndo através do beco, em mente o que o capitão havia dito.

… Em passos lentos, o menino saiu de dentro do beco de cabeça baixa… Olhou por alguns segundos aos arredores, antes de ver um coqueiro com uma boa sombra—e ali se sentou, colocando os braços atrás da cabeça.

Não ia deixar esse ódio escapar violentamente de dentro de si, portanto tinha de se acalmar… Usaria toda a força em seu sangue para matar o tritão quando a hora chegasse—quando Nami estivesse segura, e quando todos os seus companheiros estivessem consigo.

Hoje seria o dia que o tritão Arlong seria riscado da lista de procurados.

To be continued


Notas Finais


Caras, mandem aí... Vocês realmente acham o Shanks mais fraco que a Big Mom?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...