História Homem de pura sorte! - Capítulo 45


Escrita por:

Postado
Categorias One Piece
Personagens Monkey D. Luffy
Tags Luffy Ostentação, Luffy X Harém, Luffy X J Bonney, Luffy X Nami
Visualizações 239
Palavras 1.751
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Ecchi, Harem, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Survival, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Coé meus camaradas... Era pro capítulo ter saído ontem... Mas não dá pra recusar quando o amiguinho chama pra fazer invasão de trollagem, né? -- nós usou build com arco mlk
Espero que gostem!

Capítulo 45 - Pré-acontecimentos; chegada a Arlong Park... Se dá o início!


Em frente aos portões do Arlong Park

Um amontoado de pessoas se fazia na frente dos grandes portões que levariam até a base—quitadamente destruída—do tritão… Eles pareciam, em sua maioria, chocados e tensos; e o motivo era claro. Dois homens pingando sangue estavam recostados na pedra dos portões. Seus corpos eram trêmulos, assim como seus braços estavam cruzados… O sangue fluía calmamente pelos poros abertos de seus corpos.

Alguém – Oi… Esses caras estão bem? – perguntou-se alguém no meio das várias outras pessoas. Outra, um pouco mais acuada e trêmula, contestou.

Outro – Eles… Enfrentaram o Arlong? – falou retoricamente, criando uma leve camada de tensão entre o resto do grupo. Percebendo isso, um homem cheio de cicatrizes deu um passo a frente—em sua mão, uma espada curva, sendo um pouco diferente das outras pessoas que carregavam foices, facas e ancinhos. Claro, o mais curioso sobre si era o catavento em seu boné de xerife.

Gen – Deem licença… Nós estamos aqui para enfrentar o homem-peixe. – proferiu em uma voz séria e determinada… Era extremamente perceptível nos olhos daquele homem de bigode… Ele, assim como todos os outros ali, estavam dispostos a dar sua vida para acabar com esse pesadelo—ou ao menos morrer tentando.

Yosaku –… Nós somos membros honorários do bando do chapéu de palha… – começou o de jaqueta esverdeada, levantando seus olhos cansados para o povo… Todos pareceram surpresos, ao ver que seu olho direito estava totalmente em falta, apenas deixando para trás uma massa grotesca de sangue e carne. –… E, como tais, seguimos as ordens dos superiores do bando; e nós dividimos em dois grupos… Não se enganem… Entre todos os chapéus de palha, nós somos os mais fracos… O trabalho do grupo de visão era impedir que vocês, pessoas comuns, entrassem… Tudo isso porquê vocês são importantes para Nami-sis!… – falava cansado e arfando, claramente em dor pelos machucados. Jhonny seguiu, levantando também seu rosto…!! Assim, o choque duplicou, mostrando seu olho esquerdo no mesmo estado que o direito de Yosaku.

Jhonny – Todos os passos de nossa operação estão quase concluídos… Primeiramente, chegamos a essa ilha. Depois, nós juntamos… E, por fim… A derrota do homem-peixe e a libertação de Nami-sis… Não me levem a mal, mas vocês não teriam chance alguma contra esses tritões… Também atrapalhariam nosso plano de ataque e machucariam Nami-sis, se tentassem entrar.

Yosaku – Diante disso tudo… Eu peço que esperem! Nem eu, nem algum de vocês e nem mais ninguém nessa ilha… Não… Em todo o mar do Leste! Ninguém além deles pode derrotar esses tritões! – gritou a todos os pulmões, fazendo algumas pessoas recuarem um passo em medo, lembrando-se do terror que é Arlong e seus companheiros.

… Mas… Houve algo que chamou a atenção de todos; quem era ‘’eles’’? Nojiko, incrédula, foi a primeira a se questionar.

Nojiko – Eles… Eles quem? – se perguntou, com uma sobrancelha arqueada e desacreditada…! Um sorriso nasceu nas bocas dos dois homens, a partir dessas palavras.

Yosaku – Eles! Vão ser eles quem vão salvar vocês desse pesadelo! O homem que vai se tornar o Rei dos Piratas… – começou, e Jhonnhy seguiu.

Jhonny – Um bravo homem do mar que vai explorar tudo sem medo algum!…

Yosaku – O homem que vai se tornar o maior espadachim de todos os tempos!…

Jhonny – A primeira Rainha dos piratas!…

Yosaku – A mulher que vai catalogar todas as frutas do diabo existentes!…

Jhonny – E, por fim, o homem que vai achar o lendário mar azul!…

Yosaku / Jhonny – ELES… SÃO O BANDO DO CHAPÉU DE PALHA!! gritaram os dois juntos, criando um imersivo silêncio entre a multidão… O que eles estavam falando? Quão absurdo tudo soou?!… O que esses idiotas pensam que a vida deles eram, para saírem falando que idiotas piratas vão salvá-los de um intérmino sofrimento?! Foi isso que, em uma desgastante raiva, se passou na cabeça de Nojiko.

Nojiko – Eu estou cansada disso… – comentou baixa, escapando a voz em um tom estridente. Os olhos se moveram para a mesma, que se aproximou lentamente, ficando um pouco a frente de Genzo. – Vocês idiotas, que confiam cegamente nesse homem de chapéu de palha… ACORDEM PARA ESSA MERDA QUE SE CHAMA VIDA!! ARLONG É INVENCÍVEL! CESSE ESSE DISCURSO RETARDADO E SEM SENTIDO ALGUM!!… NINGUÉM PODE NÓS SALVAR! NAMI TENTOU POR 8 ANOS… E O QUE ELA CONSEGUIU?!… SER TRAÍDA!! ENTÃO NÃO PENSE QUE UM BANDO DE RETARDADOS BRINCANDO DE PIRATAS QUE ACHA QUE ENTENDE QUASE UMA DÉCADA DE SOFRIMENTO DE DEZENAS DE PESSOAS PODE, SIMPLESMENTE, VIM AQUI E NÓS SALVAR!! É IMPOSSÍVEL! IMPOSSÍVEL!!… APENAS NÓS QUE VAMOS SACRIFICAR NOSSAS VIDAS PODEMOS, AO MENOS, TENTAR SALVAR A NÓS PRÓPRIOS!! – terminou seus gritos carregados em ódio e raiva… E, no fim de duras palavras, além do ódio venenoso que escorria de si… Também escorriam lágrimas de tristeza; lágrimas grossas e grandes.

… Como ela nunca chegou a perceber isso?!… Nada viria para salvá-los… Nem sua irmã… Nem um homem usando um chapéu… E, sabe sim… Nem mesmo ela ou o resto dessas pessoas poderiam ferir o homem-peixe… É como se fosse um laço—um laço que prende todos nossos pescoços, não deixando ninguém sair… E, se conseguir, saí sem o pescoço… Triste realidade, talvez.

Yosaku –… Sim… Nenhum de nós realmente entende o que foram oito anos de puro sofrimento nas mãos dele. – falou sério, agora de braços cruzados em pé.

Jhonny – Também, ninguém entende o que é a escravidão e o pagamento pela vida dentre nós… Nem ao menos sabemos o nome das pessoas que morreram. – completou, enquanto todas as outras pessoas tremiam em medo pelo que poderia acontecer—assim como a eminente verdade. –… Concluindo: além de nenhum de nós conseguir combater o homem-peixe, não podemos pedir ajuda à Marinha… No fim, não há esperanças para uma vila miserável como a de vocês. – concluiu suas duras palavras.

…!! Os olhos de Nojiko se arregalaram em raiva, e o policial com o catavento na cabeça teve de ser rápido para segurar as mãos da mulher, antes que ela tentasse empalar o homem de jaqueta azul.

…!!
Yosaku – Então… Se vocês não têm esperanças, significa que não há mais luz em suas vidas e nas vidas dos seus descendentes… Por isso!! – gritou em alto e bom som, chamando olhos incrédulos para si.

Yosaku e Jhonny – POR ISSO, CONFIEM NELES!! – gritaram novamente juntos, chocando a maioria das pessoas. – ELE VAI SER O ÚNICO QUE VAI TENTAR!! O ÚNICO COM CHANCES, E O ÚNICO QUE BRILHARÁ EM MEIO A ESSE ESCURO… NO FIM DE TUDO ISSO, ELE É A ÚNICA CHANCE DE TODOS NÓS QUE ESTAMOS NESSA ILHA SOBREVIVER!! SE ELE NÃO GANHAR… ESTAREMOS TODOS SANGRANDO MORTOS AO CHÃO!! – terminaram de gritar, com seus machucados tremendo com essa agitação.

… Que tipo de merda era essa?!… Por que insistiam em brincar com suas vidas? O que ganhariam com isso; visões de pessoas sofrendo, ainda com esperanças?… Por quê?!… O que ela fez para merecer isso?!… Por que ainda tem de haver esperanças?… Por quê? Por quê?!… Por que, simplesmente, eles não podem ir lá e se matarem—pelo menos morrendo com honra?… Mesmo nessa desgraça toda de final… Por que ela tem de sentir esperanças ainda?!

Yosaku e Jhonny –…!! LÁ ESTÃO ELES!! – gritaram eufóricos, apontando subitamente para entre as árvores e estradas, nas poças das recentes chuvas… Assim que a azulada virou seus olhos contra sua vontade, um único pensamento veio em sua cabeça; eles… São a minha última esperança? Não só ela, mas todos se perguntaram ao mesmo tempo.

Aquelas pessoas que vinham andando em marcha pela rua de terra… Eles iriam salvá-los de tanto sofrimento?!

Yosaku – Por favor… Eu imploro… Acreditem neles… Acreditem em Luffy do chapéu de palha!!… Pois ele… – falou, tendo o de jaqueta azul completando sua fala.

Jhonny – É a última esperança de todos nós! – completou a fala do outro, criando uma devastadora onda de choque entre a população. Anos e anos de puro sofrimento nas mãos de um ditador tirano… Todos esses anos que nunca seriam lavados de seus corpos… Seriam eles que iam destruir o homem que sujou suas almas e terras?… Se seriam eles… Então… Por favor—em uma mentalidade coletiva observando o homem do chapéu de palha se aproximando, todos gritaram mentalmente—‘’NÓS SALVEM!!’’.

Luffy – Saíam da frente… – falou baixo, apontando seus olhos para as pessoas…!! A reação diante àqueles olhos negros foi súbita e em coletivo, mesmo que seja confuso; Ninguém pode ficar no caminho do rei. Com todos divididos, os chapéus de palha passaram entre a população, recebendo internamente, as esperanças de todos que os encaravam. Assim que o capitão bateu os olhos nos dois companheiros honorários, seus apitos de preocupação estalaram na hora. – Jhonny, Yosaku… O que aconteceu?! – perguntou, se aproximando dos dois e se agachando, assim fazendo o andar dos que o seguiam parar.

Lá, todos tiveram um deslumbre mais claro dos quais seriam sua última esperança; com cara de mau e empunhando uma única katana, assim como uma cruz ao redor do seu pescoço e com cabelos verdes… Depois, uma esbelta mulher alta de cabelos rosas e sobrancelha encaracolada, com uma pose relaxada. Em terceiro, um homem de terno e fumando, sendo loiro e com uma sobrancelha também encaracolada. Atrás, uma mulher aparentemente irritada, que olhava calma para o nada, perdida em pensamentos—também com cabelos rosas—e, por fim, um homem narigudo portando várias armas, elas sendo; dois rifles de precisão, um com mira de média distância e o outro de longa distância. Uma metralhadora de barril, e quatro pistolas no colete frontal—assim como um estilingue e duas bolsas de munição… Mesmo com tudo isso, sua pose ainda era trêmula e ele aparentava medo.

Yosaku – Foi coisa do Arlong… Ele tem homens muito, mas muito fortes! Cuidado, Luffy-bro! – falou o de jaqueta verde, com a mão no ombro do capitão. Em um leve aceno, Luffy se vira para trás.

Luffy – Reiju e Bonney cuidem de Yosaku e Jhonny; Bonney, se mantenha alerta ali dentro, se precisarmos de ajuda será você que terá de ir para ajudar; entendeu? – falou, recebendo um aceno positivo da rosada. – Usopp, procure um lugar alto e com boa visão, mas perto daqui, onde você terá prontidão de repelir e matar o inimigo a tiros. – mais um aceno positivo de um dos seus tripulantes, agora sendo do narigudo. – Zoro, Sanji… Venham comigo… Nós três vamos atacar frontalmente. – e, por fim, o sorriso de seu espadachim e o expelir de fumaça do seu cozinheiro, que responderam juntos em positivo. ..

Luffy – Vamos!

To be continued!


Notas Finais


Caras, vocês já leram o mangá Berserk? Comecei a ler recentemente... E puta que pariu
Recomendo muito


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...