História Homens De Honra - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Personagens Alphys, Asgore Dreemurr, Asriel Dreemurr, Chara, Frisk, Gerson, Greater Dog, Grillby, Ink Sans, Mettaton, Muffet, Papyrus, Sans, Toriel, Undyne, W. D. Gaster
Visualizações 10
Palavras 1.723
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Hentai, Suspense, Terror e Horror, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem a falta de capítulo e que eu tô tendo muito trabalho pouco tempo .... Sem mais delongas fiquem com o Capítulo

Capítulo 5 - A Nova hóspede


Fanfic / Fanfiction Homens De Honra - Capítulo 5 - A Nova hóspede

16:30 Papyrus chegou em casa abrindo a porta com dificuldade por conta das inúmeras sacolas que carregava em seus braços, Baby a empregada nova  estava a pouco tempo na casa mas era muito dedicada ao seu serviço a  ruiva  estáva limpando os quadros do salão principal foi correndo até a porta quando a ouvi a voz de Papyrus pegando algumas sacolas de sues braços

Baby - Onde quer que sejam colocadas senhor -  

Papyrys- me ajude a levar ao quarto de meu pai, e já disse para não me chamar de senhor- 

Babe - más e se o senhor gaster ou senhor sans podem  brigar comigo- 

Papyrus- não vão, a partir de agora chega de senhor Ok- 

Baby- sim senh..... - ela cora vendo ele rir um pouco balançando a cabeça 

Papyrus- vamos, me ajude a levar isso tudo para o quarto do meu pai, que eu já estou exausto  - 

Baby- sim... Vai querer que eu prepare um banho para descansar?-

Papyrus- por...favor - ele joga os ombros pra baixo demonstrando um pouco de cansaço, ela ri eles sobem a escada do corredor principal chegando no alto da escada Papyrys respira fundo indo em direção ao quarto de seu pai - han... Baby   você sabe se sans está em casa?- 

Baby levanta o rosto olhando para ele - sim está em seu quarto, quer que eu avise que o senhor chegou?- 

Papyrus bate na porta do quarto de seu pai para ver se ele estava, ele gira a maçaneta abrindo a porta caminha até a cama os dois colocan as sacolas sobre ela, papyrus desdobra as mangas coloca a mão nas costas soltando um suspiro de alivio caminhando para fora do quarto - pronto, bom eu vou até a cozinha fazer algo para comer baby avise a sans que eu cheguei e por favor -ele segura em suas mãos a girando - não esqueça meu banho - 

Baby diz arrumando o cabelo - sim pra agora- ele caminha pelo corredor indo para a cozinha , ela sai do quarto fechando a porta e  indo em direção ao de papyrus ela entra no quarto indo em para o guarda roupa pegando um roupão e indo ao banheiro colocando o sais de banho preferidos  dele abrindo a torneira ajustando a pressão da água coloca o roupão pendurado ao lado da banheira ela fecha a torneira e liga o aquecedor para manter a água na temperatura perfeita morna  do jeito que papyrus gosta , ela sai do quarto dele indo para o de sans , seu Coração já bate mais forte ela sente sua magia pairando pelo ar deixando o clima um pouco mais pesado ela engoli um pouco de saliva batendo levemente na porta

Sans - entre

Aquele tom grave e serio faz um calafrio subir pela sua espinha, sâns era o patrão que ela não havia conhecido de perto só  de vista, ele não andava muito pela casa baby  podia contar nos dedos quantas vezes já tinha o visto, Ela respirou fundo abrindo devagar a porta vendo ele sentado em uma cadeira perto de sua mesa  suas armas sobre a mesma ele as limpando com uma delas na mão as polindo seu cabo o cheiro de charuto recém acendido tomava conta do ar  

Baby - m-me desculpe encomodar senhor, o senhor papyrus pediu pra avisar que e..le chegou - ele levanta o olhar para ela que antes estava em sua arma a colocando sobre a mesa 

Sans- ha sim, e você é  nova certo?

Andy- s-im senhor- ela diz sentindo suas mãos ficando suadas

Sans- bom Seja bem vinda, aproveite  que está aqui e leve esse cesto -  e diz tirando o coldre  o jogando sobre a cama desabotoando  a blusa 

Baby pega o cesto indo em direção a porta - deseja mais alguma coisa senhor?- 

Sans - sim avise que não quero ser encomodado até as 20:00 ok- 

Baby - sim senhor - ela sai do quarto  com o cesto enorme  em direção  a lavanderia  


- frisk.. Você não pode nos deixar - frisk estava de volta aquele lugar, no quarto preto, os barulhos das correntes se arrastando  no chão e seu barulho  ficando cada vez mais alto algum batendo na porta e ela se arrastou até o canto  do quarto seus olhos já marejados o barulho das correntes cada vez mais alto foi cessado com o barulho da porta se abrindo umão sombra se aproximo agarrando em seu cabelo a colocando de pé  gargalhadas  e ofensas misturas ela foi jogada contrá a parede

fisk deu um suspiro ao sentir seu compo colidir com o chão abrindo  seus olhos o pouco vendo que estava na casa dos Eskeltons, sentio uma lágrima escorrer pelo canto do olho ele esfregou a mão em seus olhos  levantando e se enrolando na coberta saindo do quarto indo para o corredor parando em frente a porta do irmão  mais velho

Papyrus  subia a escada comendo um sanduíche  e com um prato com mais 3 nele , ele começa  a caminhar pelo corredor quando se depara come a jovem enrolado  em apenas uma coberta,  ele deirá o prato junto com o sanduíche que estava na boca cair colocando  as duas mãos em seu rosto sentindo ele a  começar  a esquentar

Papyrus - MEU SANTO BLASTER - o grito correu pela casa toda, a jovem  morena levantou o olhar pra ele se assustou segurando firme na maçaneta sans ouviu o grito de seu irmão se  levantou  correndo em direção a porta a puxando com força  trazendo  junto com ela a jovem que evadiu seu quarto tronbamdo em seu peito  sans a segurou pelos braços, frisk esconde o o rostô em suns maos já temendo o pior 

sans- o que significa  isso? - disse ele tentando achar a razõe para a situação 

Papyrus- EU É QUE PERGUNTO , PORQUE TEM UMA GAROTA NUA NA FRENTE DA SUA PORTA 

sans- pera o que?- sans olha pra jovem vendo vendo seu estado - menina vai para o seu quarto...  Só  saia quando eu ou Gastera autorizar - ele diz soltando  ela frisk  não  diz nada apenas corre para o quarto de hóspedes 

Papyrus - SANS EU NÃO VOU PERMITIR SUAS BRINCADEIRAS PERVERTIDAS E DOENTIAS PELA CASA 

sans - papyrus primeiro  se acalma  ok, isso realmente  não é o que parece 

Papyrys- TÁ OK E O QUE DEVIA SER SANS, ELA APARENTA SER MENOR DE IDADE , SOMOS CRIMINOSOS  MAIS NÃO ESSE TIPO DE CRIMINOSO SANS

sans - hey calma eu nunção faria isso, até parece  que não me conhece brou, eu trouxe essa menina a pedido do Gast...

Papyrus  - OQUEEEE...

sans - papyrus  pelo amor de deus deixa eu terminar 

Papyrus - OK SANS

sans- Gaster  está tentando pegar uma gangue que está traficando  meninas  pra ser exato, ele está montando um plano e essa garota vai nos ajudar 

Papyrys- mais como sans?

Sans- ela foi sequestrada e vendida...ElA pode nos ajudar 

Papyrus- Meu Deus, e por ela está nua sans

Sans - porque  está esperando  as roupas que você foi Bucar nas terras quentes - papyrus da um mine tapa na testa se lembrando da conversa  com undyne 

Papyrus - agora eu entendi - ele recolheu  os sanduíches  do chão 

Sans- amém - ele levantou uma das mãos  pro alto- poderia levár as roupas pra ela, eu preciso muito descansar- 

Papyrus - sim claro, não queremos mais situações como essa certo!

Sans colocou a mão em seu rosto passando pelo seu crânio coçando a parte de traz dele - vai ser melhor  melhor assim, você tem mais paciência  pra lidar com adolescenteseu como ela-

Papyrus - a falou o idoso de 800 anos  - sarcasmo uma coisa que  Papyrus não usava mas com seu  irmão ele  era obrigado,  dobrou os braços batendo levemente  o pé  no chão  

Sans- você sabe o que eu quis dizer, eu vou tirar uma soneca deixe essa garota fora do meu caminha até  as 20:00- ele sentio um arrepio papyrus segurou a risada e ele sabia do que se tratava 

Papyrus- Claro senhor Gaster, deseja mast alguma   coisa  Sr?-  ele se curvou diante do irmão e sans entrou na brincadeira  juntando as palmas das mãos dando um breve aplauso  

Sans- Isso é tudo - ele riram e papyrus se dirigiu  ao seu quarto de seu pai com o prato sua fome tinha passado e então decidiu tomar seu banho mas antes  ele levaria as roupas para a hóspede, como um bom anfitrião 

Sans voltará para seu quarto seu dia tinha sido  cheio e a noite seu e ria ainda mais ele precisava tirar uma pausa para descansar  sem pensar duas vezes  ele deitou na cama e se aconchegou entre  os travesseiros caindo sendo levado aos poucos pelo cansaço em pouco  minutos sans já estava em um de seus longos cochilos, papy colocou o prato sobre o criado mudo, pegou algums sacolas e saiu do quarto de seu pai indo para o da jovem 

Ele bateu levemente  na porta - com licença senhorita-  abriu a porta vendo a jovem sobre  a cama ela parecia tremer uma pouco  ele  encostou a porta se  aproximando devagar  da jovem -Olá senhorita meu nome é papyrus e meu pai pediu para trazer algumas roupas para você,  não se preocupe sou amigo - ele sentou na cama colocando as roupas do lado da jovem ela sorriu, levantou as maos tremulas  o respondendo em libras 

" Obrigada senhor   " ele a respondeum com  um grande sorriso- não precisa agradecer  qualquer coisa e só chamar vou dar privacidade  pra se arruamar - ele se levantou indo em direção  a porta -depois vamos fazer um  spaghetti pra voce comer o meu eo melhor de toda a cidade - ele fez uma pose heroica colocando a mão sobre o peito frisk riu o imaginado com uma capa balançando com o vento papy viu suas bochecha se ficar em quentes novamente - bom até depois-  papyrus ja fora do quarto deixando a jovem com a sacolas sobre a cama dirigiuse a seu quarto para seu merecido banho frisk  observou a sacolas sobre a cama ela tirou um  blusa de manga azul com duas listras roxas uma shorte preto com suspensorios ele colocou uma bota marrom, preferiu não colocar o salto fez um rabo de cavalo deixando alguns fios rebeldes soltos frisk saiu do quarto indo para o  corredor para se aventurar na Mansão que seria por algum tempo  seu novo  "Lar".






Notas Finais


Desculpem alguma coisa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...