História Homework (Imagine Jeon Jungkook - BTS) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Demorei, mas volteeeei.
Espero que gostem desse bônus e muito obrigada a todo mundo que comentou e favoritou a história, vocês são incríveis <3
Boa leitura!

Capítulo 2 - Bônus: A Little Help


— Amor? — a voz rouca e já tão familiar soou do lado de fora do apartamento e só então eu me toquei que os barulhinhos que eu ouvi ecoando contra a madeira da porta há poucos minutos provavelmente eram batidas.

Estava tão perdida nos livros que nem havia percebido que Jungkook já estava ali.
Sem esperar mais nenhum segundo, levantei do chão e corri até a porta.

Abri e antes que ele pudesse mover um músculo, me encaixei em seus braços e o puxei pela cintura.

— Está aqui faz muito tempo?

Minha voz saiu abafada.

— Uns dois minutos — respondeu sereno e levou uma de suas mãos até minha nuca, fazendo um carinho gostoso ali. — Tudo bem?

Balancei a cabeça em negação enquanto enfiava meu rosto em seu peito e sentia o cheirinho bom do amaciante que ele usava para lavar suas roupas.

— Estou surtando.

— Já disse que vai se sair bem nas provas, fica tranquila.

— Faltei muitas aulas esse semestre, estou com medo.

— Você ficou doente, não se culpe por ter faltado.

Beijou o topo da minha cabeça.

Eu levantei o rosto para encará-lo. Eu estava tão sensível que já podia sentir meus olhos marejados. A verdade é que Jungkook estava sendo a minha calmaria durante aquele tempestuoso período de provas da faculdade, o meu refúgio particular.

— Eu não deveria ter faltado mesmo estando doente, agora provavelmente vou reprovar o semestre.

— Ei — franziu a sobrancelha e tocou em meu queixo com a ponta de seus dedos. — Não diz isso! Você é incrível e vai se sair bem, como sempre.

— Não sei não...

— Eu disse que ia te ajudar a revisar as matérias para a prova de segunda, não disse?

Suspirei.

— Sim, você disse.

Assenti fracamente. O asiático sorriu pra mim, me abraçou pelos ombros e deu leves passos até que estivesse dentro do apartamento. Deu um leve beijo em meus lábios e fechou a porta com o pé antes de se afastar minimamente.

— Trouxe comida — falou erguendo a sacola de plástico que eu ainda não havia percebido que ele segurava. — Sushi, sei que você adora.

O observei caminhar até a cozinha, guardar a comida e quando voltou, eu já estava com um sorriso em meus lábios. Só de tê-lo ali eu já sentia a tensão em meus ombros se esvaindo.

— Lindo, inteligente e ainda me traz comida. O que mais eu poderia pedir?

— Você esqueceu romântico, fofo e safado — me puxou pela cintura, unindo nossos corpos.

Estávamos perto o suficiente para que eu não precisasse fazer tanto esforço em colar nossas bocas. Toquei nas laterais de seu rosto enquanto seus braços permaneciam firmes em minha cintura e os primeiro contato de nossas línguas me fez estremecer e imaginar o tanto que eu desejava Jungkook e seus toques precisos. Não tinha me dado conta do tanto que estava sentindo falta dele durante aquela semana, mas agora, com seus braços me apertando e seus lábios se encaixando nos meus, finalmente sinto meu corpo leve e despreocupado.

Os lábios macios e quentes deslizavam com facilidade em minha boca e eu não repreendi a minha vontade de chupá-los e mordiscá-los vez ou outra.

Minhas mãos que deslizavam por seu pescoço correram até a sua nuca e não demorei para prender alguns de seus fios de cabelo entre meus dedos e puxar. Fui ficando com mais vontade daquilo e minha euforia só aumentou quando ele deslizou suas mãos por minhas costas e apertou com força a minha bunda por cima do tecido fino do short de pijama.

— Senti tanta falta disso — sussurrei quando nos separamos minimamente. O moreno suspirou sorridente e aproximou seu rosto do meu, esmagando meus lábios novamente.

— Ei casal — a voz que ecoou pela sala fez com que parássemos o beijo. — Arrumem um quarto.

Jungkook e eu nos viramos simultaneamente e encontramos com Ava, minha melhor amiga e colega de apartamento. Ela carregava uma mochila nas costas e forçava uma expressão de nojo.

— Oi pra você também, Ava — Guk falou e acenou para a loira do outro lado da sala.

— Nunca pensei que fosse dizer isso, mas que bom que você está aqui. Essa garota tá surtando por causa das provas e parece que você é o único que pode acalmar essa maluca.

— Eu não sou maluca!

— É sim — me mostrou a língua e eu revirei os olhos.

— Não se preocupe — Jeon se aproximou e me abraçou pelos ombros. — Eu vou cuidar bem dela, prometo.

— Acho bom — apontou para o asiático que riu nasalado e me apertou mais forte em seus braços. — Eu já vou indo. Juízo vocês dois.

— Onde vai dormir?

Ela arqueou as sobrancelhas.

— Você não é a única dessa casa que pode transar, meu amor. Vou visitar o Tae e só volto na segunda, amo você! Ah, e transam bastante.

E então ela saiu batendo a porta antes que eu pudesse falar qualquer coisa.

— Por quê está tão vermelha?

— Sabe que eu fico tímida quando alguém fala sobre essas coisas.

— Coisas?

Arqueou as sobrancelhas.

— Sobre sexo, Jeon.

— Até parece que é tímida.

— Mas eu sou.

— Não é não — suas mãos correram até minha cintura e ele me puxou para perto, colando o corpo no meu. A ponta de seus dedos raspou sobre o tecido da minha blusa e logo a peça foi levemente erguida e as mãos geladas de Jungkook entraram em contato com minha pele quente, apertando com força minha carne. — Pelo menos não comigo... Ou para mim.

Apertou-me com mais força e eu fechei os olhos para aproveitar aquele carinho gostoso.

— É diferente.

Ele riu baixinho.

— Eu sei — roçou nossos narizes e roubou-me um selinho.

— Estava com saudades, quase não nos vimos essa semana.

Fiz bico.

— Eu também, mas quando as provas chegarem ao fim seremos só eu, você e nossas férias — ele sorriu, mostrando aqueles dentinhos fofos de coelho. — O que acha de acampar?

— Acampar?

Balançou a cabeça em concordância.

— Já pensou em transar sob as estrelas no meio da floresta?

— Meu Deus, você só pensa nisso?

— Não! — estalou os lábios. — Também penso em te levar para visitar meus pais, minha mãe disse que está com saudades.

— Também estou com saudades dela.

Meus lábios foram selados mais uma vez e as mãos de Jungkook subiram por minhas costas, tateando minha pele como se procurasse por algo.

— Que bom que você não usa sutiã quando está em casa.

Sorriu safado e mordeu o canto da boca ao constatar a falta da peça.

— Você é um safado.

— E você gosta.

— Gosto — encostei nossas testas, sorri e lhe dei mais um beijinho.

Eu me afastei do seu corpo e caminhei em passos lentos até a mesinha de centro enquanto Jungkook me encarava confuso.

— O quê foi? — perguntou quando me viu sentar no chão.

— Ainda preciso estudar.

Ele fez bico.

— Nem uma rapidinha antes? Só pra relaxar.

— Jungkook!

— Tudo bem — bufou e retirou a sua jaqueta de couro. Caminhou até mim em passos rápidos e sentou ao meu lado no chão. — Vamos estudar.

×××

— Acho que já deu por hoje.

Jungkook fechou o livro com força, interrompendo a minha leitura.

— Ei — coloquei minha mão sobre o livro e o puxei pra mim quando o asiático tentou guardá-lo em minha mochila. — Ainda não terminei.

Eu estava surtando de novo, droga! Já sentia meu rosto quente e a aflição me dominar.

— Amor — tocou em meu rosto delicadamente e fez um leve carinho com seu polegar no alto da minha bochecha enquanto sorria sereno ao tentar me acalmar. — Estamos estudando há horas, você precisa descansar.

— Preciso terminar tudo, não tenho muito tempo até a prova.

Um bico involuntário se formou em meus lábios e meus olhos ficaram marejados.

— Nós ainda temos dois dias — aproximou mais o seu rosto. — Prometo que continuaremos estudando amanhã mas agora você precisa descansar, anjo.

Suspirei derrotada. Jeon estava certo, eu estava sentada ali estudando há tanto tempo que já podia sentir minhas pernas dormentes e uma terrível dor na coluna.

— Tudo bem.

Ele sorriu alegre e selou minha testa levemente.

— Tá com fome? — perguntou ao se afastar de mim e começar a guardar meus materiais de estudo. — O sushi acabou, mas podemos pedir pizza.

— Pizza engorda... — me lamentei.

A verdade é que é impossível namorar uma pessoa como Jeon Jungkook e não ganhar uns quilinhos a mais, o menino come como um monstro e eu muitas vezes acabo o acompanhando.

— Você não precisa se preocupar com isso — levantou e estendeu suas mãos para mim, aceitei o convite e o asiático me puxou para cima, fazendo-me levantar do chão. — É linda e gostosa, uma pizza não vai mudar isso.

— Você é uma péssima influência — semicerrei os olhos e abracei seu pescoço. — Eu era magra antes de te conhecer.

— Você não mudou nada — abraçou minha cintura. — Só ficou mais gostosa.

Suas mãos deslizaram por minha lombar, pousaram sobre a minha bunda e Jungkook sorriu antes de apertar com força a minha carne volumosa com suas duas mãos.

— Você tem uma tara por bundas.

— Não é qualquer bunda, meu bem — sua voz se tornou mais rouca e sua boca estava mais próxima da minha agora. — É a sua bunda.

Me deu um tapa e eu acabei soltando um gritinho de surpresa.

— Você não presta.

— Eu presto sim — retrucou alegre enquanto nos livramos do abraço. — Agora vai tomar um banho enquanto eu peço a pizza e arrumo essa bagunça.

Acabei cedendo e obedecendo Jungkook. Fui até o quarto, separei um moletom quentinho de Jungkook e uma calcinha para vestir e rumei para o banheiro, onde não hesitei em demorar bastante e aproveitar a água morna.

— Você não cansa de usar minhas camisetas — Jeon comentou quando eu entrei no quarto. O moreno estava sentado na beirada da cama e tinha trocado as roupas de antes por apenas uma calça preta de moletom.

— Não — lhe mandei um beijo enquanto soltava o meu cabelo do coque que tinha feito antes de entrar no banho.

— O banho foi bom?

— Foi ótimo. A água estava tão quentinha.

Ele estalou os lábios.

— Agora estou me arrependendo de não ter ido com você.

Caminhei em passos lentos e parei a sua frente, o abracei pelo pescoço e fiz carinho em seus cabelos macios.

— Podemos concertar isso mais tarde.

— Não está cansada?

— Estou — confessei ainda mantendo contato visual. — Mas posso fazer um esforço por você.

Kook levou suas mãos até minha cintura e me apertou levemente antes de inclinar o rosto e beijar meus lábios de forma lenta.

— A pizza ainda vai demorar a chegar.

— Quanto tempo?

Ele deu de ombros.

— Acho que uma hora ou talvez mais.

— Tudo bem, podemos esperar.

Concordou com um breve movimento de cabeça.

— Acabei de ter uma ideia.

Ele me puxou para sentar em seu colo e continuou me abraçando pela cintura.

— Acho que você está se esforçando muito essa semana — suas mãos adentraram minha roupa e ele foi deixando uma trilha de carinhos sobre a minha pele. — Parece cansada, precisa relaxar.

— E o que você sugere?

Ele me olhou sugestivo, me deu uma piscadela e selou meus lábios rapidamente.

— Deita na cama, vou te ajudar a relaxar.

— O quê vai fazer, Jeon?

— Só confia em mim, anjo — falou com a voz mais rouca do que o normal e deixou um beijo casto em minha bochecha. Tentei sair de seu colo para deitar na cama como ele havia pedido, mas o asiático me prendeu aqui. — Mas antes eu preciso que você tire essa roupa e eu não me incomodo nenhum pouco se fizer isso enquanto está sentada no meu colo.

Ergui os braços e puxei o moletom do corpo, ficando apenas de calcinha e já esperando pelos toques desesperados de Jungkook... Mas ele não me tocou em nenhum momento.

— Tão linda — sussurrou rouco, me fazendo arrepiar. Levou o seu rosto até a curvatura do meu pescoço, alisou levemente a minha pele com a ponta de seu nariz e deu um beijo molhado ali. — Deita na cama e fica de bruços, quero te fazer uma massagem.

Eu nem mesmo pensei em hesitar. Saí de seu colo e deitei de barriga pra baixo na cama, apoiando minha cabeça nos travesseiros macios. Jeon levantou e se afastou apenas para diminuir a iluminação do quarto, colocar uma música relaxante em seu celular e pegar o meu hidratante favorito que estava em cima da mesinha ao lado da cama.

— Posso sentar aqui? — colocou suas coxas em volta do meu quadril, sentando levemente sobra a minha bunda enquanto já começava a passear suas mãos por minhas costas.

— Pode, meu bem.

Ele se posicionou melhor sobre meu corpo e o tecido de sua calça era tão fino que eu pude sentir seu volume contra a minha bunda, arrepiando meu corpo inteiro.

— Por quê ficou toda arrepiada do nada?

— Não se faz de bobo, Jeon.

Ele riu baixinho e o barulho do hidratante sendo aberto ecoou pelo quarto.

— Espero que eu não fique com vontade de te comer, sabe que eu não consigo me controlar.

— Não fala uma coisa dessas agora, você sabe que a carne aqui é fraquíssima.

Ele suspirou e despejou um pouco do hidratante sobre minhas costas.

— Foco, JK — conversou com si mesmo enquanto passava as mãos por minhas costas, apertando os pontos sensíveis e me relaxando. — É só uma massagem, faz de conta que não viu essa calcinha de renda...

Seus dedos apertaram levemente o local perto dos meus ombros, onde toda a minha tensão daquela maldita semana de provas se acumulava e fez um carinho gostoso ali.

— Isso é tão bom.

Senti o asiático esquivar seu corpo pra frente, ficando mais próximo de mim.

— Gosta? — repetiu os mesmos toques de antes e eu miei baixinho em resposta. — Tão manhosa, anjo.

— É culpa sua.

Sabia que Jeon estava sorrindo agora e apenas por imaginá-lo com aqueles dentinhos brancos à mostra eu acabei sorrindo também e fui surpreendida quando senti beijos em meu pescoço e bochecha.

— Ainda estou te achando um pouco tensa, amor.

Tensa não era a palavra certa, eu estava apenas eufórica por têlo tão perto de mim e em uma posição como aquela.

— Acha?

Murmurou em concordância.

— Acho que preciso mudar as minhas táticas de massagem.

— E o que pretende?

Seus mãos deslizaram até minha lombar e logo senti seus dedos tocando na alça da minha calcinha. Jeon começou a deixar uma trilha de beijos por minhas costas até ficar com o rosto na altura da minha bunda. Suas duas mãos me apertaram de leve e beijos foram deixados ali, acompanhados por uma mordidinha no final. Me apertou de novo, dessa vez com um pouco mais de força e eu gemi contra o travesseiro.

— Aposto que já está excitada — sussurrou rouco e me deu um tapa estalado.

— Vai precisar de mais do que isso pra me deixar excitada, meu bem.

— Ah, é?

Eu assenti e o encarei por cima do ombro.

Jeon deslizou seus dedos pela parte interna das minhas coxas, me obrigando a abrir um pouco as pernas e subiu os dedos até o vale do meu bumbum, enfiando-os por baixo da calcinha e levando a peça para baixo lentamente.

Seus dedos mergulharam em minha vagina e rasparam em meus lábios carnudos. Me apoiei nos antebraços, ergui o corpo um pouco para cima ainda sem tirar o meu tronco da cama e olhei por cima do ombro novamente, dando de cara com o asiático que tinha os lábios entreabertos e os olhos carregados de tesão.

— Jeon...

O asiático subiu o seu olhar de encontro ao meu e no momento que nossos olhos se encontraram tudo ao nosso redor pareceu pegar fogo. Seu dedo circulou minha entrada e depois a invadiu, penetrando devagar enquanto ainda mantinha os olhos no meu.

Eu gemi ao sentir seu dedo indo fundo dentro de mim e sorri para o moreno.

Fechei os olhos quando seu dedo saiu e entrou de novo em um ritmo lento e gostoso. Jeon colocou mais um dedo e começou a me penetrar com um pouco mais de força e nesse momento eu não consegui mais raciocinar direito e apenas gemi no ritmo de suas estocadas.

— Eu amo te sentir assim — gemeu baixinho. — É tão gostoso... Você tá derretendo nos meus dedos, amor.

— A-ah!

Gemi quando seu dedo rodou em minha buceta e logo em seguida encontrou meu pontinho sensível, atingindo-o com força várias vezes.

— Eu quero te chupar, amor — confessou ofegante e sorriu sacana. — Você deixa?

— É claro que eu deixo, Jeon.

Jeon virou o meu corpo e a calcinha que já estava abaixada até a metade de minhas coxas foi arrancada do meu corpo com brutalidade e o rosto de Jungkook encaixou-se entre minhas pernas, atingindo-me com a respiração quente que escapava de seus lábios finos e enviando arrepios por todo o meu corpo.

O primeiro toque de sua língua quente me fez arquear as costas e arfar com força, Jeon pressionou com força o meu clitóris com a ponta de sua língua, chupou levemente e deu uma mordidinha ao se afastar, sorrindo inebriado.

— Tá ficando durinho, amor — falou baixinho antes de voltar a me tocar com sua língua.
Chupou com vontade o meu pontinho sensível e ao se afastar de novo prendeu o meu grelo entre seus dois dedos e começou a movê-los lentamente para cima e para baixo.

— Ah... J-Jungkook.

Meus gemidos ficaram ainda mais altos quando ele acelerou seus movimentos, movendo seus dedos com força e precisão e me fazendo rebolar à procura de mais daquele toque gostoso.

Ele abaixou o rosto apenas o suficiente para me tocar com sua língua enquanto seus dedos continuavam me levando a loucura. Senti sua língua percorrendo minha buceta em cada cantinho possível, chupando com força.

Parou de fazer pressão em meu grelo durinho e sensível apenas para levar seus dedos até minha entrada molhada e me penetrar com você enquanto continuava me chupando.

Seus dedos me penetravam com força, Jeon afundava cada vez mais seu rosto entre minhas pernas, indo mais fundo e me enlouquecendo com os movimentos da sua língua quente.

Eu não tinha outra reação além de gemer e emaranhar meus dedos nos fios escuros e macios do cabelo do asiático. Os movimentos rápidos foram diminuindo, tornando-se ainda mais lentos e prazerosos. Jungkook explorava minha buceta com vontade, se afastou com um sorriso satisfeito nos lábios quando viu o quão molhada ele me fez ficar.

— Isso tudo é pra mim? — mergulhou os dedos entre meus lábios vaginais e suspirou. — Você tá tão molhada, amor... Que delícia.

Não satisfeito, Jungkook começou a masturbar meu clitóris com seu polegar ao mesmo tempo em que abaixou seu rosto novamente e começou a deslizar a língua por minha entrada.

Um gemido alto escapou por minha garganta, puxei seu cabelo com um pouco mais de força e senti meu orgasmo se aproximando.

— Guk... — chamei, com certa dificuldade. — Preciso de você.

Senti beijos na parte interna da minha coxa, seguidos por uma mordida.

— Me diz o que quer, vida.

Apertou com força a minha coxa, enterrando seus dedos em minha pele e provavelmente deixando marcas ali.

— Quero te sentir dentro de mim, Jeon — em um movimento rápido, Jungkook levantou e tirou a calça, jogando-a para longe. Passei a língua em meus lábios ao ter a visão do seu pau duro e sedento por mim. — Gostoso!

Ele sorriu antes de olhar em meus olhos, posicionou-se entre minhas pernas e roçou o pau em minha entrada. Jungkook distribuiu alguns selares em meu pescoço antes de descer com a boca até meus seios e chupar com volúpia. Ele afastou a boca, segurou em seu membro e esfregou em minha intimidade, me atiçando ainda mais.

— Não tem ideia do quanto eu senti saudades disso.

— Falando assim até parece que não nos vimos há uma eternidade — falei e o abracei pelo pescoço, puxando-o até unir nossos lábios em um beijo sedento e desajeitado. Gemi contra sua boca quando o senti entrando lentamente em mim, me deixando completamente mole e inebriada com aquela sensação maravilhosa.

Finquei minhas unhas em seus ombros quando ele entrou por completo em mim e gemi manhosa, sendo acompanhada pelo moreno que gemeu rouco contra meu ouvido.

— Quero te comer com força, anjo — agarrou em minhas coxas e levou minhas pernas até a altura de sua cintura. — Você deixa?

Ele rebolou seu quadril lentamente, me arrancando mais um gemido. Abracei sua cintura com minhas pernas e procurei por seus olhos escuros.

— Eu deixo, Guk.

Não precisei dizer mais nada, aquilo foi tudo que bastou para o asiático investir fundo, fitando meu rosto e se deliciando com minhas expressões faciais. Meu corpo chacoalhou com um baque da cama, a cabeceira bateu com força contra a parede e um dos pés estalou. Jungkook metia forte, agarrando em minhas coxas e gemendo manhoso.

— A-ah! J-Jungkook…

Soltou o ar com força e gemeu.

— Isso! — bateu com força em minha coxa enquanto investia com força o seu quadril contra o meu, fazendo seu pau ir bem fundo dentro de mim. — Me aperta assim... Gostosa! Porra, que delícia.

— Jungkook!

— Geme mais, vida — encostou sua testa na minha e o aperto de seus dedos em minhas coxas ficou ainda mais forte. — Geme bem gostoso pra mim, eu quero te ouvir gritando o meu nome.

Meus gemidos se tornaram tão altos que eu apenas não consegui mais controlar.
Jungkook rebolou provocativo e estocou rápido, até suas bolas encostarem em minha bunda. Eu estava tremendo e a cada movimento minhas pernas ficavam ainda mais fracas, Jungkook era grande, eu podia sentir seu pau me tocando fundo e de um jeito tão gostoso, a sua grossura se arrastando em minhas paredes e me alargando por completo me deixava cada vez mais entregue a ele.

Nossos corpos estavam quentes e suados, arranhei suas costas, nuca e ombros. Puxei-o pelo cabelo até que nossas bocas se encostassem e iniciei um beijo desajeitado devido à velocidade que ele metia em mim.

Minha buceta piscou sensível e meu baixo ventre contraiu.

— Já quer gozar, anjo? — diminuiu seus movimentos, começando a meter lentamente. — Você tá apertando tanto o meu pau, amor. Isso é tão gostoso.

Tirou toda a sua extensão de mim, apenas para me penetrar novamente o mais devagar possível.

— Jeon... — supliquei. Estava sedenta por mais. — Mais rápido!

Ele riu baixinho, tirou novamente o seu membro de dentro de mim e segurou na base, pincelando sua glande inchada em minha entrada molhada.

— Quer que eu meta com força?

— Quero! — meus olhos ficaram marejados e meu corpo inteiro tremeu. — Eu quero muito. Por favor, Guk.

Seus dedos afundaram em minha coxa e ele investiu forte o seu membro, se perdendo entre minhas pernas, socando com força dentro de mim e me fazendo gritar de prazer.

— A-ah! Jungkook…

— Gosta quando eu meto assim? — acelerou o movimento de seu quadril, chocando nossas peles com mais força. — Gosta quando eu te fodo com força? Quando eu meto bem fundo dentro de você.

— Eu... — fui interrompida por meus próprios gemidos que escapavam sem controle por minha boca. — Porra! Eu gosto, gosto muito.

— Então goza pra mim, amor. Quero te sentir derretendo no meu pau.

Meu corpo recebeu uma descarga gigante de prazer enquanto Jungkook continuava me surrando com suas estocadas. Eu o sentia bater em um único ponto específico, meu pontinho mais sensível, me atingindo repetidas vezes.

— Guk…

— Como é bom te foder — falou rouco e pesado, sorriu safado e mordeu meu pescoço.

— Você me engole tão bem, amor. Olha que bucetinha gulosa.

— A-awwwn!

Espasmos percorreram meu corpo, me remexi inquieta, fechei os olhos com força e gemi alto, sentindo a proximidade do meu orgasmo. Estocou forte mais algumas vezes, maltratando minha bucetinha e nossos gemidos ficaram sincronizados. Jeon também não estava longe de atingir seu ápice. Me desmanchei em seu pau e o moreno soltou um gemido longo, tirou seu pau de dentro de mim e jorrou todo o seu líquido quente sobre minha barriga.

— Você acaba comigo, Jeon.

Ele sorriu, franzindo o narizinho e mostrando os dentes branquinhos de coelho.

— Você que acaba comigo, amor — selou meus lábios algumas vezes antes de sair de cima de mim e deitar ao meu lado. Puxou meu corpo e me aninhou em seu peito. Senti seus dedos fazendo carinho no meu cabelo e fechei os olhos aproveitando aquele momento. Meu corpo inteiro estava leve agora. — Está mais relaxada?

Eu sorri e levantei o rosto para encará-lo.

— Se todas as vezes em que for me ajudar a estudar você acabar fazendo isso, vou te chamar mais vezes.

— Eu não me importaria com isso — beijou minha testa e sorriu. Estávamos tão próximos que eu aproveitei para fitar seus olhos e me perder naquela imensidão escura que ele carregava em suas orbes. — Sabe que estou sempre a disposição.

— Eu sei — lhe dei um selinho e encostei nossas testas. — Eu te amo, Guk.

— Também te amo, vida — me abraçou pela cintura e levou seus dedos até meu rosto, tirando alguns fios bagunçados de cabelo dali. — O quê acha de um banho quente agora?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...