História Homophobic - jikook - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Gay, Jikook, Kookmin, Romance
Visualizações 17
Palavras 2.495
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Excelente


Eu queria entender como as engrenagens do mundo funcionam, principalmente as que se passam na cabeça de algumas pessoas, é cansativo criar a imagem de alguém,uma personalidade que só existe em sua cabecinha,o fato é que ninguém é o que imaginamos.

A noite caiu como um manto, as luzes que iluminam a cidade mal se comparam com as estrelas que se erguem em Busan. Mas é isso,eu não estou mais em Busan.

Solto um longo suspiro vendo a janela do apartamento embaçar com o ar quente que saiu da minha boca. Sequer estava tão frio e Seokjin estava de jaqueta de couro preta enquanto esfregava suas mãos e seus longos dedos uma na outra.

Yoonie estava sentada no sofá enquanto tentava afivelar suas sandálias pretas,ela solta um palavrão ao erguer seu dedo indicador com a unha partida e o esmalte azul bebê lascado.

— Que cacete,eu amo essa sandália,mas a fivela está me tirando do sério! — Resmungou enquanto fazia bico.

Me afasto da janela indo até a garota,me agacho na sua frente pegando delicadamente em seu tornozelo,encarando a miúda fivela dourada. A minha sorte é que meus dedos são menores do que os da Yoonie, então em segundos as fivelas estavam encaixadas.

— Prontinho Cinderela,seu lindo sapatinho está encaixado. — Falo jogando a franja longa para trás.

— Não está na hora de cortar o cabelo? — Seokjin enrola uma das minhas mechas em seu dedo. — Já da três voltas no meu dedo, inclusive sua raiz já está aparecendo.

Encaro a mecha rosa meio desbotada ainda em seu dedo,e acerto um tapa em sua mão.

— Outra hora eu faço isso. Agora vamos? — Arqueio a sombrancelha.

Yoonie se levanta alisando seu vestido também preto com lantejoulas brilhantes, ela pega a pequena bolsa prateada e pendura em seu ombro de passarinho.

— Vamos logo antes que os caras bonitos vão embora. — Ela sorri ladino indo até a porta.

— Essa é minha garota! — Seokjin comemora,arrumando seu cabelo castanho e indo logo atrás da garota comigo a encalço.

Andávamos pelo corredor do dormitório,as paredes no tom marrom sem graça me deixa deprimido,paramos em frente ao elevador e enquanto esperamos as portas metálicas se abrirem encaro meu reflexo.

Seokjin tinha razão quanto a meu cabelo estar meio longo, terei que arrumar um tempo para ir no cabeleireiro. Desço o olhar para minhas roupas,posando enquanto admiro meu reflexo.

A calça preta justa que marcava cada curva de minhas coxas combinava com a blusa branca com detalhes dourados,e a bota de couro preto com duas grandes fivelas na frente que iam até meu tornozelo completava tudo. A maquiagem clara sobre minhas pálpebras,as bochechas rosadas e o batom claro realça o tom pêssego de minha pele e me deixavam com a aparência inocente.

Dou um sorriso pequeno,bem na hora que as portas se abrem e animadamente entramos na pequena caixa metálica que rapidamente em um solavanco nos leva até o primeiro andar.

— Eu chamei um Uber,mas vocês pagam. — Apontando de mim para Yoonie, Seokjin continua. — Tenho dinheiro apenas para as bebidas que eu vou ingerir até ficar louco.

— Isso não é justo! — Reclamo gesticulando com as mãos. — Primeiro que você é o mais velho de nós,você quem deveria pagar o Uber! Sem falar que é o responsável, nem deveria encher o cu de bebida.

— Mas estamos comemorando! Por que eu não beberia? — Dramatiza.

— Por quê não tiramos no pedra, papel ou tesoura para decidir? — Yoonie descruza os braços,puxando a mim e Seokjin em um pequeno círculo de três na calçada.

Encaramos uns aos outros,como em uma batalha sangrenta na tentativa de descobrir quem jogaria o quê.

— Um,dois... — Mordo o lábio,fechando os olhos ao ouvir o tão esperado três.

Seokjin e Yoonie dão uma risadinha cúmplice,e ao abrir meus olhos vejo a palma aberta dos dois,e encaro minha mão fechada em punho.

Eu perdi.

— Poxa Jimin, não fica triste na próxima você entorna. — Yoonie caçoa.

— Vai beber só dois copinhos,o resto é pra pagar a ida e a volta do Uber,se te ofereceram bebida não aceite! — Seokjin adverte,retirando o brilho labial do bolso e o deslizando por seus lábios grossos.

Reviro meus olhos enquanto cruzo os braços emburrado. A sorte é algo que não cai bem em mim,como uma roupa brilhante demais,ou colorida de menos.

Solto a respiração pelo nariz,vendo a se transformar em fumaça,e uma lembrança antiga cutuca minha memória para se reviver, mas rapidamente a jogo para o canto.

— Será que o tal gatinho que o Jimin viu hoje vai estar por lá? — Yoonie solta.

— Que história é essa? Eu não estou sabendo de mais nada aqui, e o famigerado amor mútuo entre amigos?

— Não dramatiza Jin, foi apenas um garoto bonitinho que vi na rua hoje. — Explico, lembrando da breve troca de olhares.

— É da faculdade? — Ele pergunta ansioso.

Neguei com a cabeça,me lembrando que ele usava um uniforme personalizado de último ano.

— Acho que está saindo do ensino médio.

— Parece que temos um papa anjo por aqui pessoal. Não era você que preferia homens mais velhos? — Seokjin sorri malicioso,sem esconder as impurezas que passam por sua mente. — Está atrás de um virgem meu bem? Por aqui não vai achar.

— Cale a boca Seokjin! — Coloco as mãos nas bochechas,para esquentar da brisa fria que a açoitava sem dó.

Vejo o carro prateado virar a esquina,para que finalmente conhecêssemos a tão famosa Pride Paradise.

[...]


— Vamos Jungkook, você pode pular a janela!


A voz da garota sai pelo viva voz do celular, enquanto em frente ao espelho comparo a blusa branca e a vermelha.


— Jennie tem razão, quantas vezes você já não fez isso, não fará diferença uma a mais. — Falo,jogando a blusa branca no guarda-roupa e vestindo a vermelha.


— Não sei pessoal, meus pais estão mais atentos acho que não vai dar pra escapar do castigo dessa vez. — A voz dele saia amuada, bufo revirando os olhos.


— Isso que dá tirar notas ruins! — Solto.


— Mas a culpa é de vocês! São péssimas influências para mim e agem como se eu fosse o culpado.


— Mas quem insistia para virar a noite bebendo sempre foi você! — Jennie ri.


— Vocês são irritantes, eu vou desligar. Curtam a noite por mim. — E ele desliga, deixando apenas eu e Jennie na linha.


— Taehyung... já que temos a certeza que ele não vai...


O silêncio toma os dois lados. Em todos os anos de amizade,nosso trio nunca escondeu nada um dos outros,mas esse segredo era melhor continuar a sete chaves.


Jungkook não aceitaria e talvez sequer cogitaria manter a amizade de anos se isso fosse revelado.


— Você acha que eu deveria usar a blusa rosa ou a lilas com paetês? — Perguntei pegando o celular de cima da mesa.


— Você fica maravilhoso com aquela rosa,ela realça seus músculos. — Jennie ri,me fazendo sorrir enquanto procuro pela blusa rosa escondida no armário.


Jogo a vermelha no chão vestindo a blusa que era um pouco mais justa que a outra,ouvindo Jennie tagarelar enquanto se arruma. Paro em frente ao espelho e arrumo meus cachos irritado com uma mecha rebelde no topo da minha cabeça.


— Eu só queria poder mostrar o que Jungkook está perdendo. — Suspiro,desistindo de arrumar meu cabelo e passando com a ponta do dedo a sombra clara que destacava as lentes verdes.


— Está se referindo a você? — Jennie pergunta,me deixando sem resposta. — Ainda gosta dele Tae?


Balanço a cabeça confirmando,e rapidamente me lembro que ela não podia me ver.


— Nunca deixei de gostar. — Respondo.


— Você sabe que ele nunca vai retribuir isso, não é?


— Tenho minhas esperanças, Jenn.


— Falhas. Desde os quatro anos, Taehyung está na hora de passar pra outra, você conhece o Kook e ele...ele não confraterniza com pessoas do mesmo sexo. — Sua voz sai baixa.


Eu entendia o que ela queria dizer,e isso me doía saber que mesmo que Jungkook fosse hétero odiaria estar no mesmo recinto que homossexuais. Ele nunca foi direto quanto a isso,mas suas atitudes referentes ao assunto deixava mais que claro.


— Tenho certeza que se ele provasse não acharia assim tão abominável. — Falo. — Te encontro na Pride Paradise meu bem,essa noite vamos aproveitar ao máximo!


Desligo o celular,enfiando no bolso da calça mandando uma breve piscada para meu reflexo. Jungkook não sabia o que estava perdendo.


[...]


Empurro um casal de mulheres que empacavam a passagem, mirando sem piscar o bar logo a frente. A boate era melhor do que eu havia imaginado quando Seokjin contava. Não era tão extravagante,mas era sugestiva e colorida, a atmosfera milhões de vezes melhor que a de uma boate hétero.


— Jimin! — Yoonie agarra meu braço me puxando até umas mesas no canto. — Seokjin vai buscar as bebidas,vamos procurar um lugar para sentar ou seremos pisoteados.


Ela nos guia até a mesa,e se senta no banco estofado, me acomodo do seu lado,cruzando as pernas e apoiando o queixo nas mãos enquanto varro o lugar com os olhos. Haviam poucos casais,o que significa que teríamos muitas opções disponíveis.


Isso era bom.


— Que tal começarmos direto com as tequilas meus amores? — Seokjin distribui dois copinhos para cada,se sentando na nossa frente com um sorriso enorme.


— E isso é tudo o que vou beber a noite toda? — Solto pasmo.


Seokjin nega virando seu primeiro copo,fechando os olhos.


— Pode beber refrigerante meu bem,apenas isso.


— Isso é tortura, ir para uma boate e ficar sóbrio. Não faz sentido! — Reclamo irritado,girando o copo ainda cheio na mesa de madeira lustrosa.


— Sabe o que não faz sentido? — Levanto o olhar, arqueando a sombrancelha. — A sua boca estar tão longe da minha.


Reviro os olhos, pegando o copinho de vidro azulado e virando de uma vez,sentindo a ardência quente descer raspando por minha garganta.


— Sabe o que realmente não faz sentido? — Mordo o lábio,olhando de Yoonie para Seokjin. — Eu não estar naquela pista dançando.


— A dança do acasalamento,iremos observar a seguir como um macho seduz e convida o outro para o ato de defloração corporal, e finalmente copular. — Yoonie vira seu copo, enquanto Seokjin bate na mesa gargalhando.


— Eu amo uma garota. — Ele suspira encarando Yoonie,que ergue seu dedo médio.


— Não bebam de mais,ou juro que largo vocês passando vergonha. — Me levanto,ouvindo Seokjin gritar alguma coisa enrolada e sigo para a pista movimentada sem fazer questão de ouvir.


A massa de corpos suados,quentes e enérgicos me passavam a energia e coragem necessária para começar a me mover sozinho, chacoalhando os quadros em movimentos lentos enquanto lanço meu melhor olhar a todos.


[...]


Depois do meu segundo copo e meio,eu dançava com todos que se aproximavam,vez ou outra com Yoonie e Seokjin que sumiram a duas músicas atrás, eu me remexia animado junto ao garoto na minha frente.


Eu não sabia quantas músicas havia dançado com ele,e quantos homens dispensamos para que pudéssemos estender ainda mais o momento. Ele tinha um sorriso bonito,mas seu rosto me era familiar.


— Qual o seu nome? Acho que não perguntei. — Ele fala próximo de meu ouvido e sua voz grossa arrepia os cabelos de minha nuca.


— Jimin. — Sorrio, não fazendo questão de perguntar seu nome. — Rosa combina com você.


— Obrigado, você fica bem de batom! Eu queria que meus lábios fossem mais grossos,eu os usaria sempre. — Ele ri,tocando nos próprios lábios. — Que tal a gente pegar uma bebida?


Pondero,um copinho só não fará mal a ninguém,correto?


Sorrio concordando.


E isso foi a última coisa que me lembro,o resto são flashes curtos, mas ao que parece eu e o garoto não fizemos nada de mais, e acho que ele chorou enquanto falava sobre algum cara mas não consigo me lembrar.


E não faço tanta questão, já que nunca mais verei esse garoto. Espero poder me divertir com ele novamente em breve.


Apoio os braços na bancada da pequena cozinha,vendo Seokjin mexer alguma coisa na frigideira me lançando um olhar zangado.


— Eu não quis beber tanto ontem, já pedi desculpas! — Esfrego os olhos tentando despertar totalmente.


Ele vira de costas para mim,me ignorando.


— Ele disse que não vai falar com você. — Yoonie entra no pequeno cômodo,se sentando na cadeira do meu lado ainda de pijama assim como eu.


— Rapidinho ele volta, espere só.


— Yoonie meu bebê, diga a ele que não sou do tipo que mantém diálogo com animais. — Alfineta.


— Ele ouviu, Seokjin.


— Era pra ouvir mesmo! — Resmunga. — Você não vai se trocar?


— Não sei se quero assistir a esse jogo, são apenas um monte de caras idiotas correndo atrás de uma bola.


— Então! — Ele exclama soltando a colher e desligando o fogo. — Caras correndo atrás de uma bola todos suados! Ou seja, iremos contemplar corpos deliciosamente cobertos com músculos.


Eu quero ir! — Exclamo, Seokjin lança um olhar amargurado para mim, e joga os ovos da panela no prato de porcelana.


— Leva o Jimin, ele quer ir.


— Não.


— Por favor Jinnie hyung! — Entrelaço meus dedos fazendo bico na tentativa de convencê-lo.


Ele revira os olhos.


— Vai hyung,me perdoe por ter esquecido vocês.


— Jimin você foi embora com o dinheiro e nos deixou a deriva, você é um péssimo capitão.


— Seokjin está certo, não sei por que estou falando com você ainda. — Yoonie se levanta. — Não vou naquele jogo nem pensar.


Mordo o lábio,batucando o indicador na bancada.


— Se me levar também eu conto do porque Yoonie não quer ir no jogo. — Falo,vendo Seokjin se virar com as sombrancelhas arqueadas.


— O que é isso? Eu nunca sei de nada! — Ele aponta para mim. — Conte e te levo.


— E vai esquecer o que aconteceu também. — Exijo.


— Considere esquecido e perdoado.


— Uma ova! — Yoonie acerta sua palma com força na bancada. — Vamos Jimin, fale.


Ela ameaça, eu sabia da força que Yoonie tinha, e não queria provar nem um pouco daquilo.


Aliso minha blusa de dormir e me levanto.


— Vou me arrumar.


— Hey, você não vai me contar? — Pergunta perplexo.


— Não, você já me perdoou mesmo. — Falo sorrindo.


— Você Park Jimin, está marcado comigo.


— Yoonie vá se trocar. — Falo.


— Eu não vou. — A garota da de ombros,pegando a xícara da mesa e levando aos lábios finos.


— Vai sim,ou conto de uma vez sobre um certo jogador. — Cantarolei.


Ela me fuzila com os pequenos olhos pretos.


— Péssimo, você é péssimo meu amigo. — Seokjin ri.


Viro o rosto, sorrindo pequeno.


— Eu sou excelente.


[❥Continua...]




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...