História Homophobic - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Bts, Homofobia, Homophobic, Taekook, Vkook, Yaoi
Visualizações 516
Palavras 1.520
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Slash, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


primeiro: taekook é real, dois beijos.
segundo: boa leitura, perdoe-me por erros ortográficos e pela demora.

Capítulo 2 - Capítulo 1


ㅡ Mãe, eu preciso lhe contar um segredo ㅡ Taehyung se aproxima da mais velha, olhando profundamente em seus olhos ㅡ Mas a senhora tem que me prometer que não irá contar para ninguém.

 ㅡ Claro meu filho, é um segredo ㅡ  A mais velha sorrir docemente.

ㅡ E-eu... ㅡ  Hesita em continuar  ㅡ Eu estou gostando de uma pessoa ㅡ  Mordeu o lábio em sinal de nervosismo.

ㅡ Meu bebê está crescendo ㅡ A Sra. Kim afaga seus cabelos ㅡ Quem é a sortuda?

 ㅡ É um garoto ㅡ  Diz baixo. 

 ㅡ Oh ㅡ  Sorrir abertamente  ㅡ Você tem certeza dos seus sentimentos por ele? ㅡ Alisa suas bochechas. 

 ㅡ S-sim, bem, eu acho que o amo ㅡ  Sorriu bobamente ㅡ Mas não sou correspondido ㅡ  Seu olhar era triste.

 ㅡ Estarei torcendo por vocês ㅡ  Sorrir mais uma vez.

 ㅡ Me promete que não contará nada para o meu pai? ㅡ Pergunta segurando as mãos de sua progenitora.

 ㅡ O que sua mãe não pode me contar?

 Antes de receber uma resposta vinda da mesma, estremeceu ao ouvir o som da voz do mais velho entre eles. 

 ㅡ Por acaso é sobre a sua paixão? ㅡ  Disse irônico ㅡ A paixão por um garoto?

Não pudera responder quando sentirá a mão pesada de seu pai ir de encontro ao seu rosto, junto aos gritos desesperados de sua mãe. 

 Primeira vez que seu pai lhe agrediu fisicamente ao saber de sua sexualidade.  


***


 Taehyung acordou ofegante e assustado. Sempre vêm tendo os mesmos sonhos. Todos relacionados ao dia em que seu pai lhe agrediu.

Foi o pior dia da sua vida, sabia que seu pai era homofóbico, porém, nunca imaginaria que ele seria capaz de lhe bater.

Nojo. Ele sentia nojo de homofóbicos ou de qualquer pessoa que discriminava raça, gênero ou cor. Exceto uma pessoa; uma única pessoa. Jeon Jeongguk

 Já se fazia quatro anos desde que soubera dos seus sentimentos pelo garoto. 

Já se fazia quatro anos que sofrerá por saber que o mesmo era homofóbico, e não correspondia aos seus sentimentos.

Já se fazia quatro anos que fora proibido de sair de casa junto com outros garotos.

Já se fazia quatro anos que seu pai lhe agredia.

ㅡ Você não pode gostar de garotos! Eu criei um homem! Você deveria me dar orgulho.

Lágrimas saia de seus olhos ao se lembrar das palavras de seu pai. Ele não escolheu ser assim. Ele não se tornou. Ele se aceitou.

ㅡ Eu gosto de homens, e isso não me torna menos homem. Eu ainda sou o seu filho!

Não soubera de onde achou forças para enfrentar o seu pai e a sociedade que tanto-o discriminava. 

Assumidamente gay. Sim, Kim Taehyung sentia orgulho de si próprio por poder passar por cima dos padrões que a sociedade impõe.

Sentia orgulho por dizer que era gay; não esconderá de ninguém. 

Seria eternamente grato à sua mãe por tê-lo apoiado no momento mais difícil da sua vida, quando o seu pai; o homem que lhe inspirava, lhe dera as costas.

 Porém, nem tudo na vida são flores. 

 

***


 Irritado. Kim Taehyung estava deveras irritado. Aquele puto de um gostoso só fazia aquelas coisas para lhe provocar. Estava evidente no seu sorriso sarcástico quando-o olhava em sua direção.

Sabia da sua reputação; já era comum está andando no corredor e se esbarrar numa cena nojenta do Jeon com uma garota aos beijos no bebedouro. Eca

 ㅡ Você precisa aprender a disfarçar essa sua cara de bunda ㅡ Ouvirá Jimin pronunciar ao seu lado, porém, não dera a mínima para a presença do baixinho sentado ao seu lado no refeitório do colégio.

 Sabia que Jeongguk só fazia isso para lhe provocar; claro. 

Só contará sobre o seu amor unilateral para o Park ㅡ que ficou praticamente meia hora dizendo coisas que ele já sabia como: mas o Jeon é homofóbico e blá blá blá ㅡ e para sua mãe, que o apoiará desde o início. 

Porém, quatro anos não era quatro dia; tinha receio do Jeon desconfiar da sua paixonite. Mas o garoto não dava a mínima para sua existência; isso era fato.

Jeon Jeongguk. Aquele que arrancava suspiros das garotas por onde passava.

É claro que consigo não era diferente, contudo, evitava o máximo não manter contato visual com o garoto. Não confiava no seu coraçãozinho, que teimava em bater mais forte quando estava perto do moreno. 

Só ousou desviar seu olhar dos amassos que o Jeon dava em uma loira oxigenada do Segundo Ano; quando o som do sinal indicando o final do intervalo, soou.

Levantou-se rapidamente indo em direção à sua sala. Não via a hora de acabar o Ensino Médio e ir cursar pediatria. Amava crianças, sonhava em ser pai. Por um momento, hesitou em pensar isso ao lembrar das falas de seu progenitor.

ㅡ Dois seres do mesmo sexo não podem se reproduzirem. Não podem construir uma família.

Era verídico que dois seres do mesmo sexo não poderiam se reproduzirem; impossível. Mas não era impossível construir uma família, claro que não.

Já havia até pensado em adoção. 

Sonhava em ter uma família. Um casal de crianças correndo pela casa. Sorriu com esse pensamento.

Como queria que seu pai fosse igual ao Sr. Park; pai do Jimin.

Ele era compreensível, e sempre estava apoiando seu filho em relação à sua sexualidade.

Suspirou tristemente; tentando prestar atenção nas inúmeras equações e números presentes na lousa da sala.


***


 ㅡ Que tal irmos lá em casa assistir um filme? ㅡ Jimin o convidava com entusiasmo; porém, a resposta era sempre a mesma.

ㅡ Não posso ㅡ Suspirou cansado, ajeitando a alça de sua mochila em suas costas.

ㅡ Ele não precisa saber ㅡ O Park suplicava; fazia tempo que não passará um tempo à sós com seu amigo, sem malícia, é claro.

ㅡ Que baixinho insistente ㅡ  Afagou as madeixas alaranjadas do menor, vendo um biquinho fofo surgir em seus lábios ㅡ É melhor prevenir, do quer remediar ㅡ Sorriu amigavelmente.

ㅡ Está bem, então até amanhã TaeTae ㅡ Sorriu ao ouvir ser chamado pelo seu apelido, observando o mais velho se distanciar.

Deu um leve suspiro, e seguiu caminhando tranquilamente até sua casa.

Foi surpreendido por um pingo d'água que caiu sobre suas madeixas avermelhadas. Direcionou seu olhar para o céu. Droga; iria chover.

Colocou seu capuz e começou a correr. A chuva agora caia forte, sem se importar com as pessoas presentes na rua.

Amenizou seus passos, quando dera conta de um carro preto ao seu lado.

Por um momento, achou que estava tendo alucinações quando viu Jeongguk dentro do mesmo.

ㅡ Kim, vem, entra no carro.

Não.

Não estava tendo alucinações.

E não.

Não iria entrar no carro.

ㅡ An, obrigado mas não precisa ㅡ Pronunciou um pouco alto por conta do barulho da chuva que estava mais forte do que antes.

ㅡ Larga de teimosia; entre logo  

Não hesitou. Merda, como poderia resistir ou negar algo a Jeon Jeongguk?  

Entrou em silêncio no veículo; quentinho, contrariando a temperatura do lado de fora. Ouviu Jeongguk suspirar.

ㅡ Me desculpe por molhar o seu carro ㅡ Sua voz tinha um timbre de timidez.

ㅡ Isso é o de menos; onde você mora? ㅡ Perguntou indiferente, sem tirar os olhos da estrada.

ㅡ Na terceira rua da praça principal.

Silêncio. Maldito silêncio. 

Taehyung agradeceu mentalmente por logo ter chegado a rua de sua casa. 

ㅡ A quinta casa a direita ㅡ Apontou para uma casa bege com a faixada na cor vinho, logo viu o carro parando em frente a mesma ㅡ Obrigado, Jeongguk.

ㅡ Imagina ㅡ Sorriu minimicamente. 

Taehyung hesitou em sair do carro, quando virá seu pai sair de sua residência. Estremeceu. Jeongguk notará o nervosismo em si.

ㅡ O que houve? ㅡ Franziu o cenho.  

ㅡ M-meu pai ㅡ  Sua voz saiu fraca e seu rosto ficará pálido.

ㅡ Você está bem? ㅡ Jeongguk perguntará, levemente preocupado

ㅡ N-não, quer dizer; sim, eu estou bem. Obrigado pela carona Jeongguk, até mais ㅡ Falará rapidamente e sairá mais rápido ainda do carro, correndo em direção a sua casa, para não ter a infelicidade de seu pai lhe ver saindo do carro de um garoto.

Jeongguk estranhou a atitude do rapaz. Quem teria medo do próprio pai? Pensará.

O Kim estava ofegante, mais uma vez se mostrou fraco e incapaz em relação ao seu pai. Até quando teria medo dele?

Contudo, se tranquilizou ao lembrar da cara de preocupado do Jeon; sorriu apaixonado.

"Você está bem?"

A voz do moreno ainda soava em seus pensamentos.

Sabia da heterossexualidade do garoto, além do mesmo ser homofóbico, todavia, não deixará de pensar no que ocorreu minutos atrás. 

Por que lhe dera uma carona?

Por que se mostrou preocupado consigo, sendo que o mesmo era homofóbico e sabia que ele era gay?

Homofóbicos odeia homossexuais, certo?

Por que Jeongguk não lhe agrediu verbalmente, como já estava acostumado?

E mais uma vez descobriu o por que se apaixonou pelo Jeon.

Admirava-o não só pela sua beleza, mas também pelo seu caráter. Jeongguk era diferente.

Por mais que se mostrava sério em relação à si, naquele momento lhe tratou normalmente; desconfortável com a situação, mas não fizera nenhuma piada de mal gosto.

Será que Jeongguk era realmente homofóbico? Ou seria só mais uma máscara para os padrões da sociedade?

Só sabia de uma coisa, continuava a ama-lo, sem se importar com a sexualidade que os separava.

Jeongguk ainda seria seu. Sorriu com tal pensamento.   








Notas Finais


eu definitivamente não gostei desse capítulo ;-; como eu havia perdido-o, tive que adapta umas coisas.
prometo recompensar no próximo e prometo também não demorar a postar.
obrigada por quem favoritou e comentou, isso me motiva muito.
até ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...